Jump to content
Arquitectura.pt


Cascais | Moradia Unifamiliar | Eduardo Souto Moura


3CPO

Recommended Posts

House in Cascais

When designing a house, the problem is to understand the identity of both the client and the place in order to invent an “alter ego”. Our capacity for repetition depends on our attitude at the “time” and on the personality of the “place”. I became interested in doors and windows, which I had felt inhibited about for 25 years.
An immense horizontal sea, the Atlantic, cannot be recorded: an ocean – always different, always the same – cannot be “caught”. We therefore opened up a neutral view, expanding the voids and designing with positives and negatives. The materials and colours are all different, all the same: grey. The grey tones vary gradually from outside to inside. The greys of Azulino de Cascais stone, the matt sheen of the aluminium and the sand-blasted stainless steel are all waiting for the setting s

* Committente: Engº. Luís Carlos Valadas Fernandes
* Progettista capogruppo: Eduardo Souto De Moura
* Collaboratori: Nuno Graça Moura, Camilo Rebelo, José Carlos Mariano

* Strutture: AFA - Adão da Fonseca & Associados
* Impianti: Rodrigues Gomes & Associados

* Impresa: Promafer


Projecto - Fevereiro de 1994
Final da Obra - 2002

Fotografias:
Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada



Desenhos Técnicos:
Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada


Abraços
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

não tinha visto este post's epa comento-o porque, dos projectos do ES.M é um que me deixa feliz por um (principio de )afastamento da linguagem miesziana que tinha no principio da sua obra. já repararam na "pequena" revolução que o seu desenho tomou depois desta casa? estádio de braga, uma casa de pernas para o ar, aquelas duas casas com diferentes inclinações.(estavam na OA, na exposição dele) ele e o Siza parece que começaram a re-inventar o seu método de desenho. e que bem o que o estão a fazer. quanto á obra, só tenho pena de 1 coisa, a rede verde que circunda o lote, daquelas dos andaimes... gosto da estrutura da casa, e o último quarto que passa despercebido na sua entrada, aquela mini-sala também é engraçada e adoro, algo que estava projectado e ficou pelo papel, aquela não criação das escadarias na cozinha de acesso ao exterior, a pequena varanda que ali se formou deu uma maior liberdade, fluidez e clareza ás linhas que definem a casa.

Link to comment
Share on other sites

Devo admitir que sou fascinado por algumas das obras do ESM, principalmente as da primeira fase da sua carreira, mas depois começou a cair nas mesmas opções e soluções, pouco evoluindo ao nível da linguagem, claramente influênciada pelo Mies, mas concordo com o Pedro, porque nestes últimos tempos isso tem mudado... Gostar ou não gostar do seu trabalho, isso não discuto, mas o que é certo é que se as encomendas lhe foram aparecendo ao longo dos anos, é porque essas pessoas se identificavam com o trabalho, e certamente gostavam da linguagem. Podemos falar de outras questões nesta área, mas não quero acreditar que alguém queira uma casa "à Souto Moura", apenas por ser assinada por ele e aparecer em revistas, não gostando da casa para viver... isso é uma visão muito má... certamente que existe, mas quero acreditar que seja uma pequena franja...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...

se puderem, tentem ver a 'moradia na Quinta do Lago', no Algarve. Será que o S.M. usou papel vegetal? :s


o ESM nao o cativa .. mas será necessário chegar ao ponto de "negar" a metodologia dele ?

talvez ate faça sentido, o papel vegetal ser o mesmo para cada arquitecto. Com direito a evoluir, é claro!

Cada um tem uma postura na arquitectura que talvez deva seguir .. e quando isto não acontece, normalmente surge uma incerteza dessa postura que depois resulta numa série de peças diferentes (onde é que eu já vi isto antes ?) e que, por mais que elas sejam .. nunca chegam para identificar ou associar uma peça, a um artista.


O que ESM faz com esse "vegetal" é talvez um seguimento e uma "melhoria" de cada intervenção que faz.
Link to comment
Share on other sites

Pois eu cá adoro esta casa. Só não compreendo a opção de ter uma janela (redonda) no quarto de vestir da suite principal e ter ao lado duas casas de banho sem janela. De resto, passo a vida a protestar contra as casas de banho sem janela, mas parece que mais ninguém se importa com isso. Quanto aos roupeiros fora dos quartos, isso não me causa qualquer confusão, até acho mais simpático. Assim cada roupeiro tem o conteúdo independente do quarto, podendo haver alguns que tenham objectos gerais da família. Intriga-me aquela escada do acesso da cozinha, que nunca foi construída, deixando aquela espécie de pequena varanda com um ar de pulpito. Acho-a divertida, em todo o caso. ZM

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Concordo plenamente com o Pedro Ribeiro. No principio, ESM, inspirava-se imenso na obra de mies, as janelas longas e casas terreas. Agora tornou-se um arquitecto mais "moderno", muito mais integrado com a arquitectura actual. Não acho que ESM fosse um arquitecto descontextualizado, mas usava muito a sua interpretação da obra de Mies. Com o passar dos anos descubrimos um arquitecto (ou artista) versátil e talentoso (já o era, apenas se revelou ainda mais). Siza pode ser o maior arquitecto Português, mas a meu ver, Eduardo Souto Moura é sem dúvida o mais talentoso.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

Gostei do tipo de construção... mas a nivel exterior algumas paredes dão a ideia daqueles contentores das obras... fui a ideia que fiquei...


Pois isso agora depende das referências e imaginários de cada um.
Uma das interpretações que faço, é que essa casa demonstra posturas e raizes clássicas.
Link to comment
Share on other sites

Claro... Quando vi esta casa, lembrei-me da casa de Mies van der Rohe, Farnsworth House, mas a do Rohe... tem mais "ar"... esta fico um pouco mais fechada... acho que entra pouca luz. Eu pelo menos valorizo muito a luz. Acho que falta alguns rasgos nas paredes e as cores usadas não ficam la muito bem. Tirando isso... acho que o conceito ate é bom.

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

  • 5 months later...

Esta casa em Cascais contém uma referência muito directa a uma casa de Eames, no projecto americano das "case study houses" não me lembro do seu número, de momento - casa que não foi construída exactamente da mesma forma.
Um ponto interessante.
Observem a monografia da GG sobre Souto de Moura - na página 168, no canto inferior esquerdo, aparece um esboço de uma casa. Cascais de Souto de Moura? Não. Eames uns 40 anos antes. Uma das qualidade de Souto de Moura, a meu ver, é a de que não esconde as suas referências e as cita com uma invulgar naturalidade.
"Mais vale uma boa cópia, do que um mau original". Palavras de alguém que dispensa apresentações.
Mas também, "Repetir nunca é repetir". Idem ""

Link to comment
Share on other sites

Latitude: 38°41'46.12"N
Longitude: 9°26'57.47"W

Espero que isto possa ser útil. Não sabia como publicar aqui o placemark.

ZM



EXCELENTE !!! obrigado, vou passear um pouco para essas bandas no fim de semana.
espero que não haja muito mirones! hehehehe

mais uma vez obrigado. já agora como se coloca esta moradia no arquitectura.pt/mapa ?
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Esta casa motivou reflexões muito interessantes sobre a inspiração e a originalidade. De facto o habitar das casas de Souto Moura está recheado de inspirações Miseanas mas também de todo um imaginário que invadiu os EUA nos anos 50 com as "case study houses", com Neutra, com Breuer, etc. A mestria de Souto Moura está em saber olhar e não ter complexos de tomar como base o que já existe de forma às vezes muito explícita. Uma vez ouvi-o dizer numa conferência que quando os alunos lhe apresentavam projectos fracos ele os incentivava a copiar os bons projectos. Noutra ocasião ouvi falar de um professor dizer aos seus alunos que não estavam na faculdade para inventar nada... os Gregos já tinham inventado tudo. Não se tratava de inventar, mas aperfeiçoar.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

Costumo passar as vezes por esta zona e já a bastante tempo que ando a "mirar" esta casa! Infelizmente ela está um pouco escondida de olhares curiosos,pois a zona tem bastantes árvores,e a casa tem uma vedação com uma rede que não permite ver quase nada. Através destas fotografias consigui realmente ver a qualidade deste projecto! Obvio que este tipo de arquitectura não é nehuma novidade,mas adoro aquelas rochas por baixo da casa e ao lado da piscina,gosto também de todo o resto da casa,as escadas no hall estão muito bem defenidas,a casa tem realmente uma optima exposição solar,e os interiores estão super bem acabados,com uma iluminação muito boa. O arq. Souto Moura é realmente genial!

Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

Claro...

Quando vi esta casa, lembrei-me da casa de Mies van der Rohe, Farnsworth House, mas a do Rohe... tem mais "ar"... esta fico um pouco mais fechada... acho que entra pouca luz. Eu pelo menos valorizo muito a luz.
Acho que falta alguns rasgos nas paredes e as cores usadas não ficam la muito bem.

Tirando isso... acho que o conceito ate é bom.


Um "valorizar a luz" está mto longe de um "banalizar a luz". Abrir largos rasgos nas paredes nao é sinónimo de valorizar a luz. Com a Farnsworth o Mies nao valoriza a luz, mas sim a relação interior-exterior que naquele local enriquece enormemente a vivencia na habitação.
Link to comment
Share on other sites

"Valorizar a luz" vs "Banalizar a luz"... tudo depende dos gostos... Eu por exemplo em alguns casos, gosto de ver uma sala de estar cheia de luz... paredes claras... bastante iluminada... Mas também gosto de uma sala com uma luz mais recatada... Tudo dependerá da situação...

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

"Valorizar a luz" vs "Banalizar a luz"... tudo depende dos gostos...

Eu por exemplo em alguns casos, gosto de ver uma sala de estar cheia de luz... paredes claras... bastante iluminada...
Mas também gosto de uma sala com uma luz mais recatada...

Tudo dependerá da situação...


acabei por não perceber a sua posição. começou por dizer que depende dos gostos e terminou a dizer que dependerá da situação.
Link to comment
Share on other sites

Primeiro trata-me por tu! :* Ambos estão correctos. Ou seja para mim haver muita luz, raramente é "banalizar a luz"... Mas admito que em alguns casos, a ocorencia de pouca luz, a meu ver tambem fica bem. Apesar de continuar a preferir casas bastante claras! Por isso disse que dependerá dos gostos e da situação... O meu estilo decorativo, não é bem semelhante aos estilos actualmente praticados pela maioria dos arquitectos, falo assim por falar com varios arquitectos. Gosto mais de uma linha, normalmente, aplicada pelos designers. Brancos, Pretos e Cinzas... Aluminios, ferro e madeira... Decoração ao estilo da Bauhaus... e a Arquitectura ao estilo tanto da Bauhaus como da Arte Nova... Talvez um pouco estranho... mas sou fã tando da Bauhaus como da Arte Nova!

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Olá a todos...

Não sei se sabem o que se está a passar, mas vou tentar trazer-vos fotografias do "miminho" que está a crescer em frente da referida casa...um "best of" na lista de "worst practice...ever". Para os mais curiosos, diga-se que deve ter sido feito por um arquitecto que visitou a Grécia recentemente e além de achar que estamos no sec. VI a.C. encontrou o diploma debaixo de um "calhau".

http://planeamentopontocom.blogspot.com

Link to comment
Share on other sites

Olá a todos...

Não sei se sabem o que se está a passar, mas vou tentar trazer-vos fotografias do "miminho" que está a crescer em frente da referida casa...um "best of" na lista de "worst practice...ever". Para os mais curiosos, diga-se que deve ter sido feito por um arquitecto que visitou a Grécia recentemente e além de achar que estamos no sec. VI a.C. encontrou o diploma debaixo de um "calhau".

http://planeamentopontocom.blogspot.com


Força... mostra la isso... e depois abre um tópico! :p

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.