Jump to content
Arquitectura.pt


ricardo

Membros
  • Content Count

    367
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3

Everything posted by ricardo

  1. Lembro-me de há uns anos ver um documentário sobre o corpo humano, onde diziam k o cabelo absorve até 30 % dos choques na cabeça...por ai até tinha alguma lógica...ou talvez não....lol
  2. Já estão disponiveis os resultados da ultima edição do concurso Europan, a todos os vencedores os meus parabéns... Aproveito para destacar o projecto vencedor no terreno do Entroncamento; com uma equipa de jovens arquitectos recém-licenciados, já com provas dadas, em diversas competições internacionais, e nacionais como o 1º Prémio do Sécil, pelo Arq. coordenador desde projecto Pedro Dias. Acredito sinceramente que continuaremos a ter noticias desta equipa, pelos melhores motivos...a vocês em pessoal, mais uma vez, os meus parabéns... Faça download do relatório do Júri - clique aqui. RESULTADOS CONCURSO EUROPAN 10 Nos 3 sítios portugueses distinguiram-se as seguintes equipas: CASCAIS- Cabreiro Prémio BS134 – CIDADE ARÁVEL Coordenadora: Elisa Pegorin (IT), arquitecta Associada: Nicola Tuan (IT), arquitecta Menção Honrosa MC197 – BUILDING LIMITS Coordenadora: Mónica Margarido (PT), arquitecta Associada: Catarina Raposo (PT), arquitecta paisagista 6 Citações Especiais: AM237 - EMBRACING Coordenadora: Juliane Maier (DE), arquitecta Associados: Cynthia Markhoff (DE), Luis Maria Etchegorry (ARG), arquitectos MV272 – VAZIOS ENTRELAÇADOS Coordenador: Cláudio Vilarinho (PT), arquitecto Colaboradores: Filipe Lemos (PT), Sofia Araújo (PT), Gil Soares (PT), Nuno Almeida (PT), Lília Coelho (PT) OH754 – HANDLE WITH CARE Coordenadora: Roberta Scocco (IT), arquitecta Associadas: Chiara Scocco (IT), Manuela Gentile (IT), arquitectas SE232 – SELF ESTRATO Coordenador: Eduardo Aguirre (ES), arquitecto Colaboradores: Maria Carmen Vivas Soarez (ES), Vergilio Aguirre (ES), Aratz Herreros (ES), Olatz Iñigo (ES), Del Rio Ainhoa (ES) UE001 – UNREAL ESTATE #1 Coordenador: Luis Miguel Pinto Gonçalves (BE), arquitecto XV896 – VORONOY FOOTPRINTS Coordenador: Luis Pedra Silva (PT), arquitecto Associado: Hugo Ferreira (PT), arquitecto Colaboradores: Dina Castro (PT), Hugo Ramos (PT), Nuno Baptista (PT), André Fernandes (PT), Ricardo Rijo Sousa (PT), Ana Lúcia da Cruz (PT), Jette Fyhn (DK) INVESFER - Entroncamento Prémio AA051 – p2p 39’27’45, 29’’N8º2830.03’’W Coordenador: Pedro Dias (PT), arquitecto Associados: Ricardo Ventura (PT); Márcia Vilar (PT); Ana Marta Mota (PT); Telma Sanches (PT); Diana Fernandes (PT), arquitectos paisagistas; João Matos (PT), Hugo Santos Silva (PT), arquitectos Colaboradores: Vasco Fernandes (PT), Rui Oliveira (PT) Menção Honrosa SG004 – ON TIPTOE Coordenador: Jose María Sánchez García (ES), arquitecto Colaboradores: Marta Cabezón (ES), Maribel Torres Gómez (ES), Enrique García-Margallo (ES), Rafael Fernández Caparros (ES), Mariló Sánchez García (ES), Leticia Huerta (ES) 4 Citações Especiais: EN398 – CARVED INTERFACE Coordenador: Ricardo Bastos Areias (PT), arquitecto Associada: Maria Luís Neiva (PT), arquitecta MV004 - MANGROVE Coordenador: Frédérique Paillard (FR), arquitecto Associados: Yohann Guitton (FR); Gaël Hemon (FR), arquitectos Colaboradores: Nicolas Lhomelet (FR); Guillaume Tripoteau (FR) OO000 – ESTRADA DO FERRO Coordenador: Carlos García Fernández (ES), arquitecto Associados: Luis Laliena Ortega (ES); Abraham Herreruela Rodríguez (ES); Carlos Fernández Carnicero (ES), arquitectos Colaborador: Alberto Arroyo Antón (ES) SM659 – SYNAPTIC MACHINE Coordenadora: Ana Maria González Aparicio (ES), arquitecta Associados: Jesús Feijó (ES); Pablo García Bachiller (ES), arquitectos Colaborador: Juan Carlos Quindós de la Fuente (ES) LISBOA – Campo Grande Prémio LX010 – CAMPO MINERAL Coordenador: Alexander Häusler (DE), arquitecto Associada: Silvia Benedito (PT), arquitecta urbanista Menção Honrosa GP002 – EU HEI-DE AMAR O MEU BAIRRO Coordenadora: Vasiliki Katsarou (EL), arquitecta Associados: João Prates Ruivo (PT); Andreas Oikonomopoulos (EL); Raquel Oliveira (PT); André Albuquerque (PT), arquitectos 4 Citações Especiais: AA777 – ON THE ROCKS Coordenador: Nicolas Reymond (FR), arquitecto Associados: Mafalda Ribeiro Ambrósio (PT); João Gomes Leitão (PT), arquitectos DM193 – URBAN BYPASS Coordenadora: Marta Frazão (PT), arquitecta Associados: Inês Vicente (PT); Filipe Rodrigues (PT); João Calhau (PT), arquitectos Colaboradores: André Almeida (PT); Carolina Pombo (PT); Susana Rodrigues (PT); António Louro (PT); José Mendes (PT); João Rato (PT) FA174 – DISSOLVING BOUNDARIES Coordenadora: Marina Berbel Casas (ES), arquitecta Associados: Sílvia Sasot Ibáñez (ES); Erik Cremers (NL); Maria Sisternas Tusell (ES), arquitectos XX121 – RUA vs ESTRADA Coordenador: Ivan de Sousa (PT), arquitecto Associada: Inês Antunes (PT), arquitecta Destacam-se ainda os projectistas portugueses distinguidos no estrangeiro Prémio em Den Haag, Holanda: proposta PR401 – BRINK, onde colaborou Luísa Moura (arqt.ª). Prémio em Vardø, Noruega: proposta CW120 – REPOSITIONING THE REMOTE, coordenada por Ana Reis (arqt.ª). Menção Honrosa em Dessau, Alemanha: proposta DS010 – COMBINED WORLDS, coordenada por Tiago Tomás (arqt.º) com a colaboração de Paul Roy (engenheiro civil) e Nuno Mesquita (arqt.º). Menção Honrosa em Kisa, Suécia: proposta MM009 – URBAN NATURE, com a co-autoria de André Martins da Mota (arqt.º). Resultados nos 62 sítios participantes no Europan 10 em www.europan-europe.com Em preparação os eventos de encerramento nacional e internacional, com cerimónia de entrega dos prémios, catálogos, exposições e workshops entre as equipas premiadas e representantes dos promotores – em breve, novidades acerca das datas, locais e programas. FONTE: http://www.europanportugal.pt/htm/resul_e10.htm
  3. Gonçalo, se for possivel tentar colocar no post o cartaz, com resolução para poder ser lido, ou então links com mais informações. Workshops internacionais, são sempre uma mais valia...
  4. Tens toda a razão ainda esta tarde li um mail sobre a necessidade actual de termos sucesso atras de sucesso ao longo da vida... Já na faculdade nos lembram que só alguns chegaram ao topo, para termos os pés bem assentes na terra. Pessoalmente eu sou um dos casos que a semanas ou poucos meses da inscrição no secundário mudei para arquitectura, por ver os ordenados dos biologos maritimos. Confesso que quando entrei na faculdade nem sabia o que era uma curva de nível, e aprendi do zero e ultrapassei alguns colegas... daí as minhas duvidas em relação a esse assunto. Podia nunca ter entrado em arquitectura, no entanto evolui e já tive opurtunidades unicas... Mas sim algo tem de ser feito, penso que os advogados e psicologos estão a passar por uma situação semelhante, a oferta é superior ás necessidades...
  5. Como já um senhor chamado Pancho Guedes dizia numa conversa na XM, o"nem todo o bom aluno será bom arquitecto, e muitos bons arquitectos passaram despercebidos na faculdade." O Arq Siza, sempre quis ir para escultura, só no 4º ano é que com o Távora começou a mudar de ideias. O Tadao Ando, não teve formação oficial, entre outros... Isto também só para te dizer que conheço muitos alunos de 18 de média que não serão bons arquitectos, tens paises onde nem precisas de nota minima para entrar... Mas também percebo o teu ponto de vista, há imensa gente em arquitectura pelo prestigio, pelo dinheiro que julgaram vir a ganhar, porque estava e está na moda...eu continuo com esperanças de romantico ingénuo que acredita que a selecção será feita pela qualidade, se bem que como Portugal está financeiramente começo a não acreditar.
  6. Acho que há, uma coisa que é importante clarificar... 1ºOs emails que recebi foram de colegas meus, e não de pessoas estranhas, logo, nem partiram do David. 2º Sendo uma competição online, faz todo o sentido, dar a conhecer a competição ao maior numero possivel de pessoas pela mesma via, ou seja online. O objectivo era recolher o máximo de votos possiveis, logo a mobilização apenas me parece coerente e claramente lógica. 3º O voto final é deixado ao critério de cada um. Se têm de ter algo contra, não é seguramente contra o autor da proposta, é pelo sistema em si da competição, porque o intuito deles foi obtido. No meu caso pessoal o que me causou espantou foi a projecção mediática dada à competição, algo que não tem nada a ver com a proposta, com o autor, nem com o sistema da competição... Quanto á proposta a unica coisa que não percebi foi o sistema de elevar e fixar o ripado de madeira de maneira a fazer a pala sobre o rasgo de vidro. Sendo um abrigo procurava incorporar um deposito de água no movel desenhado na parte mais alta, podendo mesmo aproveitar a água da chuva. De resto o embasamento para libertar o solo parece-me bem, tendo ar de blocos de betão pouco fléxivel na variação de solos... No geral parece-me uma solução pensada para tirar o máximo de partido da tectónica, e de uma relação com o meio ambiente que o rodeio pelo uso dos materiais e pelo facto de elevar do solo permitindo uma vez desmontado ter um impacto minimo... Acho que não há muito mais a dizer...
  7. Já foram feitas várias comparações com medicina, na dificuldade de entrada na faculdade...e depois referiram o facto de sair verde da faculdade. Ora, ai na medicina temos um exemplo perfeito, a minha irma é médica, e como a totalidade dos colegas, á saida da faculdade não estam preparados para fazer uma intervenção cirurgica, nem uma série de procedimentos tidos como banais... O processo de aprendizagem, continua, para a especialidade, no entanto são médicos e recebem um valor base. Mas lá está, não têm de andar a negociar valores, pois estão estipulados... Já tive varias discussões saudaveis com muitos colegas sobre, estagiar em grandes ateliers e provavelmente trabalhar que nem um cão, ou trabalhar num atelier mais pequeno e receber, e ter um horario decente. As respostas nunca são uniformes... No entanto quando a margarida diz que é preciso exigir minimos concordo, por mais vontade e admiração que tivesse por um arquitecto, trabalhar das 9:00 as 23:00 ou mais, não é vida, é escravidão... Como em portugal é um país onde proliferam os chicos espertos, tb defendo que deviam ser estabelecidos valores minimos...
  8. ARK se podesses abrir um novo topico com projectos do Marcelo Dantas e Olga Sanina agradecia, so conheço o da feira do livro...que era simplesmente genial... Mas para não desviar o assunto mais vale abrir novo tópico...
  9. Caro Arkiteto, sendo um forum é válida toda e qualquer opinião correcto? Desde que se mantenha o respeito. Penso que a profissão do Arquitecto passe por questionar tudo, ser pragmático e objectivo, desde o inicio não questionei a solução adoptada pelo colega David, mas sim o mediatismo que a mesma opteve nos meios de comunicação social. A minha crítica não vai de forma alguma para o David, mas sim para os meios de comunicação social... Há alguns anos que acompanho diversas competições internacionais, com participações portuguesas, académicas e profissionais, e se estiver interessado posso inumerar alguns resultados nacionais, que não tiveram qualquer destaque noticioso. Já agora por mera curiosidade, sabe que arquitecto foi convidado a apresentar uma intervenção no atrio do museu Guggenheim de Nova Iorque, nas comemorações dos 50 anos do edificio? Para quem me conhece sabe que procuro incentivar os meus colegas a participarem em concursos destes pelo que só tenho que desejar parabéns ao David, e que continue. Mais uma vez digo que a unica coisa que me incomodou foi a projecção mediática. Mas como um amigo meu diz, mais vale falarem nem que seja só neste concurso de arquitectura do que nem falarem... Abraço
  10. que tal darmos inicio á elaboração de uma tabela dos ateliers nacionais, e respectivos pagamentos aos colaboradores, algo com a conotação de devedores ao fisco.lol... pode ser que algumas situações de abuso se tornem claras e publicas...
  11. tenho andado distante do forum há algum tempo,por falta de tempo, mas confesso que este tema gerou-me muitas duvidas. Não querendo duvidar da qualidade da proposta, ou do mérito da vitória, deixo aqui os parabéns ao vencedor, e eu teria feito o mesmo; caso a votação fosse online. Cabe a quem votou ter a consciencia de que era realmente a melhor opção. O que me levanta imensa curiosidade, foi o mediatismo que isto alcançou, com projecção em diários, televisões, noticiarios etc... nunca tinha visto tal coisa, pois para conseguir encontrar algo sobre os vencedores do sécil, ou diversas competições internacionais, tanto a nível estudantil como profissional, a projecção é minima ou nula. Ainda para mais se devendo a uma votação online e não por um painel conceituado. O unico caso que me recordo foi de um aluno que fez uns tijolos em pasta de papel...enfim...
  12. boa tarde, a todos, Gostaria de saber se algum aluno do 5º ano já sabe qual a proposta e os terrenos para a proxima edição da trienal de arquitectura.
  13. Isso é que era....lol... Eu já projectei umas piscinas no ambito de um exercisio académico, e também vi por alto os banhos turcos, em alguns locais chamados de banhos arabes, mas não tão profundamente como tu. No meu caso para além dessas relações que mencionaste, existe uma forte ligação á história da ilha da madeira, e á construção de " levadas", canais de transporte de agua escavados á mão, desde a colonização para irrigar os campos na zona sul da ilha. A imagem central é de umas piscinas naturais, mas que revela uma paisagem humanizada. Mas daqui a uns belos meses abro um post com o resultado final... Deixo aqui algumas imagens das minhas pesquisas... Vão desde banhos turcos a romanos, fontes geotermais, a piscinas naturais no méxico denominadas de cenotes...
  14. estou a iniciar a pesquisa para prova final de curso, no ambito do tema " paisagem humanizada", e escolhi as termas como programa a explorar, e a projectar na ilha da Madeira. Obviamente as termas de vals são referência, e mesmo nelas nota-se grande influência dos banhos romanos. Espero visitar as termas dentro de alguns meses...
  15. Eu cheguei a comprar em superficies como izi ou aki, mas só para estudos. A qualidade não era a melhor... O meu conselho é que procures placas com boa densidade/ compactação, mesmo a usar maquina de corte por fio quente, notas uma diferença enorme... se for ao x-acto ai então é k notas...
  16. já começa a ser banal e preocupante o uso do mesmo edifício em propostas completamente diferentes por parte de vários ateliers internacionais... cria-se um conceito e uma imagem forte, e depois se não se constrói à primeira volta-se a tentar... Outra variante mais ambiciosa é pegar na produção inteira de um atelier dos últimos anos e tentar meter tudo num projecto... BIG ISLAND, com o tio patinhas à entrada já agora... Gosto muito da inovação do atelier mas isto só os descredibiliza, juntando à falta de noção de escala que já vem do passado... Este projecto é o bom e velhinho copy paste... Acho que podemos por ao lado da estrela da morte do OMA...
  17. Estou impressionado com a falta de qualidade do vídeo...mas enfim... O projecto que corre no vídeo e é apresentado no diário, por acaso não é nos Barreiros, mas a primeira localização na praia formosa... Como vivo a uns 400 metros do estádio, tenho muita curiosidade para ver o que vai ser feito. Para já fiquei com duvidas da zona vip ser ao lado dos bares públicos, mas posso ter percebido mal, o que acho que não percebi mal foram as cadeiras do 3º anel taparem a vista para o campo a quem pagou para estar num camarote, nem vale a pena porem cadeiras porque vão de estar de pé. O projecto para os Barreiros terá de ser substancialmente diferente porque acho que a área disponível longitudinalmente é bem menor. É esperar para poder ver em condições o projecto. Há uns anos deitaram o Pavilhão de São João a baixo para se construir um túnel, esse pavilhão era centro de treinos e competição de basket, badminton esgrima e karaté, era o segundo com melhores instalações para o basket e onde muitos jogadores se reuniam no fim do dia para jogar. Pois bem, foi a baixo e as pessoas dispersas por outras instalações com menos qualidade,pelo menos no basket, ou seja nos Barreiros vai acontecer o mesmo, todos os que usam o estádio, as pistas de atletismo ou simplesmente usavam para fazer manutenção vão ter de ir para a ribeira brava.... Estão simplesmente a fechar todas as possibilidades de fazer desporto em instalações com o mínimo de qualidade, sem pagar... Como na periferia dos terrenos do estádio estão a instalações do clube de ténis da madeira, também estou curioso para ver se os vão mandar pregar a outra freguesia.
  18. sempre podes utilizar o velhinho copy paste...surpreendentemente funciona.... afinal enganei-me, é só mesmo no word
  19. " constatei facilmente que uma procura meramente formal estava desde o inicio por mim posta de parte, pois não penso que um projecto possa partir de uma forma aleatória de que se gosta, mas sim de uma intenção vincada que responda a questões especificas." na minha opiniao o discurso nao bate certo com o que apresentas. A envolvente segundo dizes´não tem qualidade, no entanto nem uma foto da envolvente aparece. Na planta nem os edificios aparecem, por isso não se percebe como a tua proposta pode melhorar o espaço envolvente, e os tais estudos para chegar á forma. Não é por fechares os olhos ou desviares o olhar que ele se torna melhor. Até nos desenhos tecnicos se percebe que o que querias era fazer um edificio igual ao da Zaha Hadid. Se a envolvente não presta poquê que crias uma praça?
  20. Sabes me dizer onde posso mandar fazer isso? É que assim quase de certeza que penso seriamente no assunto...
  21. se tivesse-mos todos a mesma opinião não tinha piada... Em planta acho estranho...pode ser k com fotos ou imagens virtuais mude de opinião...
  22. Estou sempre a ouvir que muito do papel do arquitecto é resolver problemas, neste caso parece o oposto, é criar...se precisa de comercio e bares e cafés, porquê que não tem isso no pisso terreno do museu? Não conheço o local mas nao percebo, a transição do jardim para o museu, nem qual é a relação. Criar uma praça ali, é monumentalizar as pré-existencias. Ou então é pelo caminho oposto, vejam a miseria das casas e comtemplem a grandiosidade do museu...lol... Mesmo a relação com a rua de mais pequena escala, a posição em relação há rua deixa-me muitas duvidas. Custa-me a perceber como houve tanto barulho com a casa da musica e depois tão pouco se fala disto... Simplesmente nao vejo este projecto ali, vejo num local sem nada a volta...e mesmo assim não sei como não se pensa no tecido envolvente e no tratamente dos espaços restantes... e atira-se a responsabilidade de ligar o museu com o local aos privados.
  23. parece k caiu ali de paraquedas...uma praça envolvente com vista para traseiras...
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.