Jump to content
Arquitectura.pt


X-acto

Membros
  • Posts

    134
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by X-acto

  1. Desculpa mas a culpa não é da televisão nem da inércia dos portugueses! Se não há motivo de atracção dos centros históricos à noite, porquê que havemos de lá ir?!
  2. ...bom, não sei se percebi bem as questões, mas cá vai a minha opinião. primeiro ponto: A arquitectura não é uma ciência exacta, pois caso o fosse só haveria uma arquitectura possivel e não várias como se constata. Na verdade diferentes arquitectos provenientes de diferentes backgrounds e com conhecimentos e sensibilidades diferentes quando confrontados com o mesmo problema (por exemplo um dado concurso) apresentam sempre soluções (projectos arquitectonicos) também elas diferenciadas. segundo ponto: Segundo uma definição amplamente divulgada, e não sei se hoje ainda aceite, sobre a total inutilidade/funcionalidade dos objectos que se qualificam como arte, então a arquitectura devido à sua função programática fica automáticamente dela excluida. Pessoalmente não concordo com esta definição de arte e de qualquer forma acho que a arte, mesmo a dita inútil, é-nos necessária. Somos humanos e a nossa inteligência já suplantou os nossos instintos primários há muitos séculos. Eu, pelo menos, preciso de arte. Talvez não para sobreviver, mas para viver! Também acho que o rigor aplicado tanto no desenho como nas soluções construtivas da arquitectura é o resultado/fruto do nosso conhecimento cientifico. A arquitectura a meu ver tem tanto de cientifico como de artistico... umas são mais racionais, outras mais intuitivas ou emocionais
  3. Frases muito longas. Várias ideias simultâneas na mesma frase com perda de fio condutor entre elas. Poucas pausas para pensar e respirar. Discurso confuso. Texto dificil de ler e seguir.
  4. Sim, uma coisa é isolamento acústico que tem uma forte correlação com a massa e largura da parede, isolando tanto melhor qto maior a sua secção (grosso modo) e outra coisa é a absorção sonora que é conseguida através de superficies pouco reflectantes e reverberantes conseguidos através do seu correcto revestimento. Dito isto e na prática, se forrar uma parede exterior com as tais caixas de ovos, o isolamento que vai obter do exterior será idêntico, pois em pouco altera a massa da parede, no entanto o som com origem nesse próprio compartimento (tv, voz, música...) tornar-se-á mais seco, i.e, terá mto menos eco e por conseguinte haverá um decaimento de volume sonoro no seu interior.
  5. Concordo com o Márcio Ferreira q a habitação minima deve ser encarada como 1 ponto de partida e n como o ponto de chegada, mas é do confronto com as dificuldades, neste caso as áreas e os volumes reduzidos, q surgem as grandes ideias. Fazer o maximo com o minimo, faz-nos pensar e repensar, obriga-nos a optimizar o espaço. Nem q seja é um optimo exercicio de arquitectura!
  6. susana, o que te posso dizer é que arquitectura em portugal n está nada fácil. há demasiados arquitectos e mto pouco trabalho de arquitectura. sei de desenhadores que ganham mais do que arquitectos e sei por experiencia propria e p experiencia de amigos arquitectos q mtos de nós o que fazemos nos ateliers é apenas o papel de desenhador. portanto, informa-te melhor, reune outras opiniões, mas a nivel de saidas profissionais n vais melhorar de vida p tentares o upgrade de desenhador p arquitecto. sinceramente n julgo que te esteja a dar uma visão demasiado negra da coisa ou pessimista, infelizmente pelo que tenho visto nos ultimos 5 anos é esta a nossa realidade
  7. isto é um forum de arquitectura?! comentar 1 projecto com base nuns renders exteriores que pouco mostram e numa memória descritiva que pelos vistos não dá vontade de ler?!
  8. Ok li mal e precipitei-me, 75% é habitação. Como é habito manuel salgado e/ou os seus descendentes organizam a proposta não esquecendo a importância do valor do espaço publico na leitura da cidade, mas através de um desenho que considero bastante conservador: o quarteirão, a rua e o parque.
  9. Só habitação? e querem que tenha utilização diurna e nocturna?
  10. Se a terra tiver barro, se houver mão de obra local, porque não construir em adobe? Muito boa inércia térmica para o Alentejo! se for construção de um só piso nem se põe o problema da estrutura.
  11. Acho mesmo que precisa de umas férias, não leve tudo tão à letra, com tanto rigor, pois não se esqueça que este topico não foi aberto por profissionais e portanto acho bastante aceitável se ter procedido à simplificação da catalogação entre arquitectura dita tradicional e a dita moderna. Acho que todos nós percebemos imediatamente do que se falava e não foi preciso entrar em grandes preciosismos sobre qual seria os "ismos" de que a cliente gostava realmente. É bem verdade o que disse e são grandes as diferenças entre a arquitectura moderna e a contemporânea. A principal diferença é que a moderna era super dogmática e impôs realmente modelos que ainda hoje são indevidamente reproduzidos. Se é certo que o modernismo foi o grande virar da história da arquitectura, hoje já o deviamos ter ultrapassado e abraçado plenamente a contemporaneidade que nos permite uma muito maior liberdade e flexibilidade de pensamento e actuação. Sim, sou arquitecta e continuo a achar que a arquitectura é feita para as pessoas. Se o cliente que me procura tem por qualquer razão aversão ao que lhe proponho, tenho 2 opcções: tentar perceber a razão da aversão para contra-argumentar ou para contornar o problema de uma forma que considere que sirva os propósitos de ambos, ou então e senão conseguir um entendimento com o cliente abandoná-lo, pois tenho os meus valores e de facto não assino e não desenho algo com o qual não me identifique.
  12. Percebo a exaltação que paira neste tema... Um confronto muito natural, muito real entre Arquitectos e clientes! O que confesso que não sabia era que a nossa classe fosse tão mal vista pela população em geral. Se no geral acham que 1 arquitecto comparativamente a 1 desenhador ou engenheiro só dá trabalho e sai mais caro para fazer o mesmo, então é porque há algo aqui de muito errado! Sinceramente acho que se a população pensa isto, a culpa é toda nossa e as respostas que alguns de voçês aqui deram com ferozes críticas ao gosto dos clientes só servem para piorar a questão e acentuar clivagens. Só se pode gostar daquilo que se conhece! E se o que perpetua pelo país é construção, então é isso que serve como referência e é ao arquitecto que lhe cabe a tarefa de mostrar outras coisas, outras obras e alargar os horizontes de quem ainda procura a sua ajuda. Como alguém aqui já disse a música pimba está para a verdadeira música, assim como a construção pato bravo está para a Arquitectura, e é função dos Arquitectos saberem explicar, demonstrar quais as diferenças entre ambos ao cliente. Se se fecham logo em prima-donas a maldizer o gosto da população pouco esclarecida e tentam impor injustificadamente a sua verdade, então aí falhamos completamente. É um facto que não há grande cultura arquitectónica em Portugal. Arquitectos e população em geral, oriundos de formações diversas, com percepções, horizontes e aspirações bem diferentes entram muitas vezes em conflitos agarrados de parte a parte a pré-conceitos que não querem largar mão. Sim, porque os Arquitectos também não estão imunes e eles próprios ficam muitas vezes presos a uma concepção demasiado visual e formal do projecto. Será preciso relembrar que Arquitectura não é simplesmente estética?! É que toda a conversa girou em volta da estética da casa “tipo tradicional” ou “tipo moderna”. Que se lixe o estilo, o que Portugal precisa é de boa Arquitectura! Porque não falta por aí a pseudo-Arquitectura dita moderna. Não havendo uma base comum de referências ou uma verdadeira cultura arquitectónica é natural que os clientes cheguem com referências que para nós Arquitectos, não sejam suficientes para se qualificar enquanto referências, mas faz parte do papel do arquitecto saber delas extrair aquilo que poderá servir melhor o cliente e não a ele próprio. Se o cliente quer uma casa com telhado e por acaso até chove bastante nesse sitio, qual é o problema?! É preciso não esquecer que ao contrário das outras artes a Arquitectura tem uma função bem prática. Tem um uso. A Arquitectura é feita para as pessoas e a pensar nas pessoas, não para gáudio dos próprios Arquitectos!
  13. kformas, não sei se percebi...tás a sondar o meu género p me convidares p sair?!
  14. então n esqueçam a arquitectura! força, alistem-se mais! no fundo interessa ao governo, mais malta a pagar propinas, mais malta a sair dr, melhores estatisticas sobre desenvolvimento do pais, mais licenciados, não, corrigo- mais mestrados! e agora bem pagos! depois este pessoal pena p conseguir 1 estágio que na maioria dos casos, na grande maioria, é a maior desilusão: mal pago ou não remunerado que é mto comum e pouco ou nada interessante. Desiludam-se, estudantes e aspirantes a arquitectos, que a grande maioria depois de experimentar trabalhar/ sobreviver com a "arquitectura" vai preferir ir trabalhar prá fnac ou outro lado qualquer. sem pessimismos, sem optimismos - realismo! tirar arquitectura hoje só p quem é realmente dotado, p quem apenas gosta, então pensem noutras coisas que tb gostem de fazer e sobretudo pensem como querem viver, que imagino q n seja a recibos verdes com horários até rebentar a fazer de desenhador, fingir de arquitecto n sei se os vossos professores vos alertam p a vida profissional, mas tvz não, mas n se esqueçam que com 30 cursos de arquitectura, 5 anos, média 2 profs p ano dá pelo menos 300 arquitectos que conseguem emprego às vossas custas! às custas das vossas ilusões e das eventuais ilusões das vossas familias e com o 73/73 nem é preciso arquitectos! em portugal só é preciso arquitectos p dar aulas de arquitectura!
  15. sei qual era suposto ser o assunto deste tópico - comentar/criticar 1 projecto de 4 espaços p habitar que mais parece apenas 1 espaço p habitar- mas entretanto parece que o tópico se transformou p se centrar simplesmente na sua figura e nas suas atitudes... que a meu ver são bem mais interessantes para analisar do que o projecto em si! em relação aos coitadinhos...como o país vai...caminhamos todos po mm buraco, n pense q as dificuldades são só p si, ou p um determinado grupo/classe social de pessoas o conselho que lhe dei é mto honesto -esqueça a arquitectura
  16. zé gandulo: pessoalmente tou farta destas lamechices de coitadinho. e o quê?! tens o mundo a teus pés daqui a 4 anos quando e se conseguires fazer o estágio p a ordem? já tens n sei qtos contactos?! sim, sim, pois, pois... e isso é onde em portugal ou na suiça?! o país está saturadíssimo de canudos, se tens competências práticas como dizes (estucador, restauração, etc...) aproveita-as! esquece a arquitectura imagino que n vejas c bons olhos esta opinião até pq já vi como reagiste a outras opiniões...e foi até p isso q n tou com meias palavras, mas acredita é um bom conselho! um bom conselho que tvz qdo e se realmente entrares no mercado de trabalho como arquitecto daqui a uns aninhos então te hás-de relembrar boa sorte!
  17. assim de repente, o render tá mto real! só apontaria tvz aquelas linhas diagnonais que fazem a sombra que aparecem um pouco pixelizadas qto ao proj n sei, mas bom render! parabéns
  18. errata do post anterior: quis dizer algures... fazer a maneira do caixotinho branquinho... e que ...faltam plantas e cortes (os alçados dá p ver nas fotos) qto à integração só porque se entra pelo piso superior porque o terreno tem alguma pendente que permite fazer nascer um piso sob o piso de entrada ( o q se vê nas fotos) só por si não é suficiente p diagnosticar "bem integrado!"
  19. a casa está bem agarrada? aonde estão as plantas p confirmar/refutar essa afirmação? é q as fotos tal como foram tiradas n mostram, n alcançam essa integração. concordo que aparenta ser uma obra discreta, mas parece-me que a questão não foi tanto responder de uma forma delicada e consciente a um programa e cliente, mas sim fazer à memeira de o caixotinho branquinho com o plano de vidro virado a sul...eph! tanto disto enjoa...pelo menos a mim n me cativa! eu n moraria ali n me convencem as fotografias....demasiada luz, pouco conrtrole de luz e vistas...o pátio... e as plantas e os alçados?! fazem falta p se puder tecer uma critica minimamente informada!
  20. ui!!! em que é q consiste o "pechakucha".... n sei se vais querer saber! bom, como todas as opiniões, cá vai a minha opinião subjectiva, peço de antemão desculpa por eventualmente ofender susceptibilidades, se bem q algumas pessoas deviam era pôr a mão na consciência e não lhes fazia nada mal um bocadinho de sentido autocrítico! o ano passado tive a infeliz ideia de assistir a este evento, mas aqui em lisboa. pareceu-me que não há qq sentido critico na escolha/selecção de trabalhos, basta uma pessoa se inscrever! realmente, faça-se justiça, houve 2 ou 3 apresentações que foram boas e tvz outros 2 ou 3 com algum interesse, mas depois o resto.... que foram tvz uns 15...."jeeeesus!" que porcaria! aquilo n era nada, absolutamente nada! espero ter ajudado
  21. Dreamer, eu q tb ando a tentar fazer um estudo previo de um hotel rural, tenho andado a seguir a legislação actual e então o q encontrei foi o seguinte: Empreendimentos turisticos DL n39/2008, 7 de março Rectificação 25/2008 depois era suposto terem saído 2 portarias a fixar os requisitos dos vários conj. turisticos q são 8, a primeira realmente saiu: Portaria 327/2008 de 28 de abril, mas já a segunda- e a que deveria definir precisamente o q é um hotel rural ainda não saiu! ao invés saiu outra portaria q apenas define os parques de campismo/caravanismo portaria 1320/2008, 17 de novembro portanto em conclusão: desde 7 de março de 2008 que não existe legislação para hoteis rurais... pessoalmente, tenho estado à espera. Já fui inclusivé à O.Arquitectos para confirmar esta situação. Se alguém tiver melhor informações, agradeço que as dispnibilize. agora parece-me a mim que para um curso de desenho digital 3D, n é preciso tar a consultar tudo isto....enfim...
  22. o grande Franquin! Gaston lagaffe- o melhor! Quino também é mto bom. e Bill Watterson!
  23. Embora tenha alguma dificuldade em apreciar o projecto porque os desenhos técnicos não estão mto claros e os 3d são apenas de exteriores, parece-me a mim que este projecto ainda n está mto bem resolvido. Concordo que se o volume de madeira deveria albergar os espaços intimos da casa, dever-se-ia ter dado mais atenção à intersecção/ ligação/conjugação deste volume com o espaço social em portico, todo ele aberto p o exterior. Acho q n é preciso defendermo-nos na legislação p pensar q entre um espaço que se quer de initmidade e um espaço q se quer de grande exteriorização e exposição, se calhar deverá existir um outro espaço qualquer para fazer a transição entre ambos e até porque caso isso n suceda, irá comprometer-se inevitavelmente o espaço de intimidade! Para além disto, n percebo qual a intenção daquela grande "claraboia" num espaço quase todo ele envidraçado. No geral parece-me q o arquitecto/projectisa quis fazer uma série de coisas, quis pôr em pratica uma serie de ideias, mas no fundo elas acabam é por matar-se umas às outras. Acho q a luz n está nada bem controlada. N sei exactamente aonde fica isto no brasil, mas de qualquer forma arrisco-me a dizer que tem vidro exposto a mais e será preciso andar de óculos escuros dentro da casa. Sinto tb aqui falta da envolvente,da orientação, para perceber a relação dos vãos com o exterior.
  24. syllar, n percebo...
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.