Jump to content
Arquitectura.pt


X-acto

Membros
  • Content Count

    134
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by X-acto

  1. Tenho-vos a dizer q a democracia foi uma conquista dificil e portanto dever-se-ia encará-la com mais responsabilidade. Democracia não é sinónimo de libertinagem, não é qq um dizer os maiores disparates que lhe vêm à cabeça só e apenas porque pode! o que fazemos e o q dizemos têm consequências! democracia sim, mas com bom-senso. Se aqui há quem ache q a revogação do 73/73 é inutil e que a classe dos arquitectos está tão corrompida ao ponto de não alterar em nada a situação da qualidade do ambiente construido no país, epah...o q vou dizer é um cliché, mas se n formos nós a acreditar q podemos e
  2. organização e síntese de ideias?! desculpem a frontalidade , mas assim de chofre parece-me simplesmente uma espécie de vomitado...ou isso ou a maquete caiu ao chão e passou-lhe um camião por cima nesta arquitectura tão fragmentada ou descconstruida que podia ser interessante geométrica e espacialmente não lhe consigo encontrar nada que me cative o olhar por mais de 2 segundos...mas o que conheço foram somente estas imagens... estarei a ser precipitada?!
  3. AndreBandola, De uma forma muito simples pode-se definir a Arquitectura como a arte de organizar o espaço tridimensionalmente e por isso é essencial e factor eliminatório ter capacidade de perceber/visualizar o espaço nas suas várias dimensões, pois é essa sua a grande qualidade. Quero com isto dizer que a geometria descritiva não deverá nunca ser dificil de entender para um arquitecto ou futuro arquitecto. Agora acho que te resta perceber se tens realmente alguma dificuldade em visualizar o espaço ou se é apenas uma incompatibilidade qualquer menor com a disciplina de geometria. quanto à ma
  4. não serão placas de betão pré-fabricado?
  5. X-acto

    Critiquem

    a ignorância é muita atrevida
  6. X-acto

    Critiquem

    os " não me toques "quando sairem p mercado de trabalho vão ver como elas cantam qdo o dono de obra começar a meter o dedo/nariz na vossa arquitectura! já agora, já viram o docmentário do SAAL? é muito bom! recomendo a todos os arquitectos e estudantes de arquitectura!
  7. não consigo perceber alguns comentários aqui feitos. com esta actualização da legislação FINALMENTE cabe ao ARQUITECTO fazer arquitectura, ao ENGENHEIRO fazer engenharia, sendo que o DESENHADOR continua a desenhar e os restantes individuos ligados à CONSTRUÇÃO mas sem qualificação para exercerem as competências inerentes à profissão de arquitecto ou engenheiro deixam de as puder desempenhar num prazo bem mais do que razoável de 5 anos. Nós arquitectos não inventámos agora a profissão, nem as nossas competências e não somos nós quem tem estado a roubar inadvertidamente o trabalho dos outros! E
  8. esqueci-me de perguntar se esta IS se insere num projecto novo de raiz ou se é fruto de remodelação duma existente? se for projecto de raiz porquê aquela localização e forma da janela? e para onde dá essa janela? à partida não parece o mais simpático a não ser q seja p um exibicionista e a vizinhança voyers... este projecto mostra alguma preocupação com o design no revestimento das paredes, mas no resto muito pouco cuidado e subtileza
  9. não concordo com vários aspectos: Porquê q o espelho em frente ao lavatório está meio de lado, é prioritário ver-se as pastilhas? Porquê q a iluminação do espelho aparece simplesmente justaposta à parede das pastilhas encandeando o utilizador? Porquê q a banheira não chega até à parede e deixa aquele buraco, dificil de limpar, que só serve p pendurar a toalha que acaba por nem ficar à mão do utilizador? fiquei sem perceber se era para comentar o render ou o projecto. caso seja o projecto coloca também uma planta
  10. a volumetria fez-me lembrar os holandeses Neutelings Riedijk!
  11. subscrevo o FINALMENTE! finalmente cada macaco no seu galho! tardou e muito mas "mais vale tarde do que nunca"...mas até ver... a ver vamos... Agora como aqui já alguns de vós disseram, para quê mais 5 anos de transição? não terão chegado estes 35 anos? e não terão chegado estes últimos 5/6 anos em que se começou realmente a tentar revogar o 73/73 e em que já estava tudo em cima da mesa para que os técnicos da construção civil se graduassem?! Pena? Pena dos oportunistas?!! E quem é que tem pena de nós caramba? Mas enfim, já foi uma grande vitória!
  12. asimplemind, Estive num atelier aonde havia um projecto revestido c cortiça. N era eu que estava a fazer o projecto pelo que n sabendo em pormenor como funcionava fiquei com uma ideia geral. Na altura consultámos uma empresa (já n me lembro qual, mas parece-me q tinha a sede em coimbra) que veio ao atelier mostrar o produto. Neste caso eles funcionavam com uma espécie de tijolos de cortica com alguma espessura (tvz 15cm) que se montavam/encaixavam uns nos outros através de encaixe meia-cana. Estes tijolos já vinham perfurados com um diametro de 5cm para serem posteriormente montados numa estru
  13. tanto tempo, expectativa....e o que vejo é que finalmente se vê o cais das colunas e se tem acesso fisico e visual ao tejo, o que acho bem... mas numa praça desta dimensão havia necessidade de ainda alargar a placa central, para quê? e cortando as circulações laterais rodoviárias não se terá a contribuir para a desertificação do espaço, é que não se passa muita coisa ali na baixa, não há habitação...há as pessoas que são os commuters do terminal do barco e uns turistas... acho que o projecto urbano não acresenta nada senão o óbvio- chegar ao tejo. Não vejo este projecto gerar grandes cotrapart
  14. Soundtracker, sim! a certificação energética é rigorosa e conheco-a bem pois fez parte da minha formação na faculdade! Se lesse os posts anteriores escusava de se precepitar pois eu também referi que a Ordem não permite a Arquitectos com menos de 5 anos de experiência profissional que se qualifiquem como peritos nesta área. Quanto às competências dos arquitectos, não acredito que se possa formar arquitecto algum sem conhecimentos e sensibilidade sobre a relevãncia das suas opções arquitectónicas na qualidade ambiental interior. É óbvio que esse conhecimento sem aplicação do RCCTE não é cienti
  15. claro que é um encosto, mas voltando ao inicio do topico e ao que o Fernando aponta, se o estado português fosse um estado de direito, uma meritocracia, 1º possivelmente nem haveria esta necessidade da certificação energética dos edificios porque se os edificios fossem concebidos por profissionais competentes e com zelo, seguramente que cumpririam os requesitos ambentais que agora estão sobre as luzes da ribalta, mas antes disto já eram preocupação nossa. Se não nos roubassem o pão n era preciso agora andarmos a ver aonde nos podemos encostar e aonde podemos ir buscar as migalhas! no meu caso
  16. kwhyl, nem me vou ofender pela troca do nome, que deve ter sido lapso... Imagino que também sejas arquitecto, portanto isso faz de nós colegas de profissão. Deviamo-nos unir e reinvidicar as nossas competências e não olharmos de soslaio e com desconfiança para o nosso vizinho. Se eu quisesse tachos e não tivesse ética, não teria escolhido arquitectura e isso parece-me óbvio! Dava-me menos trabalho ser desenhadora ou então ter tirado uma engenharia qualquer com a vantagem de neste caso poder fazer arquitectura e ainda poder emitir certificados de qualidade energética dos edificios. Cada macac
  17. Para desfazer potenciais equívocos do meu post anterior, o que eu quero dizer é que se toda a arquitectura fosse feita por arquitectos, não haveria necessidade desta nova especialidade. É que para além de ser arquitecta por acaso também estudei o RCCTE na faculdade!
  18. Começo por vos dizer que estou mesmo revoltada com o estado das coisas! É ridicula a hierarquia das prioridades neste país, mas não é preciso ir muito longe para perceber porquê que as coisas são como são. Olhemos para o nosso modelo de conduta, o nosso primeiro-ministro eleito pela maioria da população! Será que agora ainda consegue repetir esta proeza?! Um aldrabão e espertalhão que soube bem subir na vida à custa de falta de ética. O gajo como engenheiro, perdão como bacharel em engenharia, mas político, conseguiu licenciar dezenas de horrores lá pelas terras dele e dos seus boys, sendo qu
  19. Acho que uma boa maneira de promover materiais junto dos arquitectos é lançar um concurso com a utilização do respectivo material. Só o anúnio do próprio concurso chama logo a atenção desta classe profissional para a existência desse material e dessa empresa. Depois com o resultado do concurso ainda conseguem promover a vossa imagem com a obra do arquitecto vencedor, num funcionamento tipo branded entertainment. Assim de repende lembro-me já de dois materiais que se lançaram assim, mas deve haver muitos mais.
  20. E eu que pensava que esta empresa só fazia centros comerciais maneiristas! ou será esta agora a maneira a copiar? Seja, pelo menos o gosto evoluiu! vou ler o texto...
  21. Pois há essa questão das peças de design, o que são? O design veio optimizar a relação entre o utilizador e a função do objecto. parece-me que o design é uma arte aplicada. Se se considerar Arte como dominio da matéria para solucionar uma função então acho que a arquitectura têm ai uma grande proximidade com o design. acho que um problema de design é um problema de arquitectura, mas no entanto o design devido à sua escala interage sobretudo com o ser humano e não tanto com o meio ambiente onde se insere. Assim o design torna-se muito mais passivel de se tornar global, susceptivel de standartiz
  22. gibag, acha mesmo que há assim tão grande diferença entre um português e um espanhol, para que um opte por nos seus momentos de lazer se passear nos centros históricos enquanto o outro vai para os centros comerciais?! As pessoas decidem aonde vão segundo a capacidade de oferta desses sitios na supressão das suas necessidades/desejos. Se neste momento os centros historicos portugueses não passam muitas vezes de estruturas-museu de salvaguarda daquilo que já foi, mas já não é, como é que isso pode vir a competir com um centro comercial ou com a tv? Em ambos é-nos oferecida novidade e duma forma
  23. percebe-se com esforço do leitor
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.