Jump to content
Arquitectura.pt


kwhyl

Membros
  • Content Count

    430
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3

Everything posted by kwhyl

  1. tem pouco a ver, mas até eu gostava de tentar perceber o que são os cursos de lisboa da fautl. existe arquitectura simples e um conjunto de outros cursos do género arquitectura de\e... de que tratam estes cursos? dão acesso a um estudante fazer arquitectura como de um curso simples se trata-se? ou não, e então qual a amplitude das suas valências...
  2. alguém viu o gomorra? um filme italiano sobre a máfia de napoles? pois se viram, perceberam que este gueto tem a arquitectura ideal para a policia se perder ali para o meio e nunca chegar ao "bandido" é labiríntico, sinuoso...até é bonito mas é habitação social, não se pode fazer só bonito, e mais, porque raio é que aquela que quer ser considerada de boa arquitectura tenta repetir o modelo bairro de lata? que confusão perigosa
  3. pois, eu continuo sem saber o que é uma megalopoles, uma macropolis...aqueles nomes estranhos para catalogar aquilo que eu chamo de cidades grandes. não estou preocupado com a cidade do mexico ou de barcelona, nâo conhec0 verdadeiramente as cidades, não gosto especialmente delas...gosto de Portugal e para Portugal, digo e reafirmo...temos de tratar das nossas cidades, da dispersão territorial e do isolamento...quando falo em cidades não falo do Porto e Lisboa, falo das outras Braga, Guimaraes, Viseu, Veja, Evora, Leiria.... temos de transformar estas pequenas cidades em cidades sem prefixo ou sufixo. quanto ao resto? quando uma determinada área rural tiver interesse turístico...sim quando uma determinada área rural tiver interesse produtivo...sim quando uma determinada área rural não tiver mais do que meia dúzia de obstinados que querem salvar algo que um dia já teve vida..um revivalismo impossível...aí só digo não deem mais fundos a esses gajos tou a trabalhar, ate ja
  4. o tópico está aberto. chama-se "ordenamento do territótio", fui eu que o abri, e aonde expus algumas das minhas ideias sobre o tema, obtive quem concorda-se comigo e quem não..e o zgandulo que goza sempre... aparece por lá e vamos reabilitar aquele topico...
  5. quando perguntei quem escreveu o texto, fi-lo porque, claro não sendo este o separador ideal para o fazer, gostaria de lançar uma discussão sobre a crítica da arquitectura contemporanea, mais precisamente, a maneira como se vangloriza um projecto numa revista de arquitectura em portugal é que o projecto está interessante, disso não tenho dúvidas, nem quero entrar por aí o que me espanta um pouco, é a maneira como se escreve sobre uma obra, que ao ser apenas mais uma boa, ou muito boa, peça de arquitectura portuguesa, merece um tremendo destaque ao nível do conceito e materialidade. tenta-se vender demasiado o peixe sobre determinada obra, que não é mais do que uma casa, bem feita, que não tem nada de especial...está só bem feita com as leias da arquitectura que todos conhecemos e não merece uma critica tão fantasiosa quanto, a que por exemplo, neste caso, vejo expressa foi só um desabafo que pode ser desenvolvido noutro separador.
  6. bem, ao que me parece, de tantos arquitectos que este forum dispõe, só eu e o argos é que sabemos o que é uma cidade e o que é que ela tem para oferecer. parece que todos os outros arquitectos deste forum parece que nunca estudaram história, ou história da arquitectura, parece que ninguem se deu ao trabalho que desde sempre falamos de cidades...os egipsios criavam cidades ao longo dos rios, os gregos inventaram cidades, os romanos (roma-cidade) espalharam-se pelo mundo em cidades, as catedrais medievais estão nas cidades, estudamos as casas medievais de cidades, o renascimento criou o urbanismo, o iluminismo desenvolveu-o, até a cidade-jardim se chama cidade, o movimento moderno deu-se com o afluxo de pessoas a cidades e a necessidade de expandir as mesmas, eu estudo numa cidade e trabalho numa cidade fazendo projectos para cidades, penso não na peça individual mas no todo, a relação com o vizinho a relação de duas casa é condição urbana ainda ontem começou o francisco barata na introdução de aula do segundo ano que um arquitecto é um profissional com condição urbana. aonde é que está a vossa dúvida na supremacia da cidade sobre a evolução do mundo? creio que a única dúvida nesta história toda é o conceito de cidade que voçês não entendem, e tenho pena, pois tenho a plena convicção que voçês não fazem a mínima ideia do que eu estou a falar...
  7. uhhhhhhh...tou a jantar, depois continuo isto, terei todo o gosto de responder...ate ja
  8. ok margarida, sou de viseu, é pior, e desde que cheguei a cidade e conheci cidades lá fora percebi porque é que a minha zona era assim... separar as águas? arquitectura tem de ver com tudo, tudo tem a ver contudo, se não era o tavora a dizer isto era eu pronto, não te vou chamar nada, simplesmente gostava que compreendesses o que é uma cidade, o que ela tem para oferecer, e porque é que toda a gente muda progressivamente do rural para as cidades. isto não é ideia minha, é a evolução do mundo, desde a revolução industrial. gostava de compreender a tua visão da evolução do mundo, mas acho mesmo que não a tens....
  9. "carina cuidado... olha que ainda te acusa de seres lésbica também" tas a ver margarida, vê la se te ACUSAM, acusar é quando algo é mau, parece que ser lésbica é mau, eu não acho para ficar esclarecido, eu não votaria num referendo, mas se me apontassem uma arma à cabeça para la ir, votaria muito provavelmente sim. a minha discussão não se prende com o casamento homossexual, tou-me a marimbar, prende-se com o papel do estado no casamento, em qualquer um, só é isso que me interessa
  10. um arquitecto é um gajo com uma cultura urbana. eu gosto de cidades, admiro cidades, acredito que a cidade, se mais ou menos bem planeada e sem ser aquelas coisas novas das mega.polis, coisas que eu não percebo....acredito que a cidade é o sítio por excelência da vivência e do desenvolvimento e acredito que toda a gente devia ter a possibilidade de viver na cidade ou perto de uma. num país onde não existe agricultura não compreendo porque se continua a tentar viver no "campo", no interior...as cidades de pequena escala desenvolvem-se menos e a evolução sai prejudicada ir, ver e volta não é sinonimo de desenvolvimento e evolução estar num sitio desenvolvido è sinal de desenvolvimento e evolução já agora, indo buscar a discussão do casamento homossexual, sabes porque é que temos um país tão retrogrado a esse nível? por causa do ruralismo, do interiorismo, das pessoas que moram "isoladas" do desenvolvimento, vivem atrasadas e religiosas, onde deus é sinonimo de desenvolvimento espiritual e não um livro ou uma peça de teatro por tudo isso acredito nas cidades e na morte gradual de tudo o resto....
  11. então só tem maus acessos? têm bom acesso a cultura e educação, museus, galerias, livrarias, vida urbana, convívio, bons hospitais, boas praças....por aí fora pois, se fosse assim façam-se estradas, mas não é....
  12. e agora preciso de dados para formular uma ideia, quais são as positivas e as negativas?
  13. quantas moram nessas àreas especificas? ganham bem? têm boa qualidade de vida? as crianças que nascem têm oportunidades? há cultura e educação de qualidade? há possibilidade de com facilidade virem ter com a cultura e educação? se todos as respostas forem negativas, o que te digo é: vão mas é todos para a cidade assim que possam, se não puderem, tivessem ido mais cedo, todo a gente faz mas escolhas na vida e tem de arcar com elas.
  14. :) sabes margarida, tu podes fazer o que bem te apetece da vida, é essa a mensagem que devias estar a querer passar. amar quem quiseres, viver juntos ou separados, com um cão, com filhos, dentro da lei a lei admite que eu more com um homem, eu por acaso partilho casa com um amigo meu e não me está na cabeça casar-me com ele para ter benefícios fiscais...a unica diferença é que os gays também querem ter benefícios fiscais, porque morar, já moram juntos, já fazem tudo juntos... a diferença é a porra de um papel que aos olhos do estado te faz pagar irs a meias, achas bem tanta celeuma por isto?
  15. a sério, como podes comprovar em alguns tópicos relacionados com o ordenamento do território por mim subscritos neste forum. mas podemos também discutir isso nós os 2...
  16. sim, tenho problemas contigo margarida, adiante num outro tópico defendi o abandono das áreas rurais porque não há evolução possível, ou seja, não se ganha nada em meter um comboio para sei lá, uma aldeia no meio do nada. o meu objectivo para com essas áreas é deixa-las morrer e fazer com que todos os seus 3 habitantes venham viver o bom da vida para as cidades, onde há tudo para um tipo evoluir...
  17. margarida, está-te a chatear mesmo eu achar que es lésbica, se achasses assim uma coisa tão natural tavas-te a marimbar, mas não, tens de dizer, duas vezes. que não és....não me parece muito bonito. ò minha menina, burocraticamente, que é disto que se trata, o teu pai e a tua mãe casaram, acho eu, e deram ao estado, ao pais, ao mundo, a sua filhina, tu, que vais crescer e ter uma profissão e pagar impostos ao estado e vais ser arquitecta e fazer casinhas ou seja ajudas a construir o mundo, o estado, logo, o teu papa e a tua mama, ao terem filhinhos estão a ajudar a sociedade a evoluir, porque havendo bebes, o mundo não morre se o estado apoia casais que não podem ter bebes, a vida morre.... ainda não percebeste esta parte? logo eu acho que não se devem dar benefícios fiscais aqueles que não teem filhinhos, sejam eles gays e lésbicas ou eu e a minha namorada que não nos apetece ter filhos... simples e burocratizo....
  18. joao acho sempre de louvar pessoal que luta pelos seus sonhos. quando se sai da faculdade é complicado enfiarmo-nos no mundo do trabalho. ou somos muito bons, ou temos umas boas cunhas...mas também há sempre lugar para gajos com sorte, menos é certo...e muito desemprego e baixa remuneração estás a lutar pelo que acreditas, isso vale o que vale. eu preferia contratar alguém que eu percebe-se que lutou e que goste mesmo de arquitectura..mas ninguem pensa assim quantos anos te faltam para acabar o curso? acho que deixa-lo a meio não é solução. aguenta aí mais uns tempitos de luta, tenta e se depois achares que não consegues ou por essa remuneração não vale a pena desiste que facilmente tiras um cursozeco de avaliador imobiliário e afins desistir, só depois de tentar, é a minha opnião joao, vale o que vale
  19. ok nuno. não tenho grande interesse em alimentar brincadeiras deste género, mas respeito a tua imaginação.
  20. os extremismo da margarida continuam... marco, também não percebo porque é que o transporte de mercadorias não se faz mais por mar e comboio, deve ser mais caro, eu não acredito....
  21. margarida, tu defendes mesmo a causa e com tanto que já levaste neste tópico nem percebeste que eu não tava a ofender a tua opção, que por acaso parece mais tua que dos homossexuais, tal a forme obstinada e extremista como a defendes. não gosto de extremismos. como tal também não axo que uma pessoa deva-se casar com duas, ou um pedófilo com um puto que o ama, ou anaS, fugiste um bocadinho a realidade, uma pessoa com um animal. mas realmente, podemos chegar ao ridículo de dar benefícios fiscais a uma pessoa que decidiu morar com o gato. margarida, não é um questão de afectos ou sexo, isso tou-me a marimbar, cada um é como é, é uma questão de regalias perante o estado. como dizia em tempos o paisagista ribeiro teles. temos de parar nalgum lado, parece-me que a possibilidade de conceber uma nova vida é o momento da rotura. o estado não tem de "apoiar" financeiramente aqueles que não podem dar ao mesmo estado nada em troca, não achas? ou a tua questão prende-se só pelos afectos? se é assim, porreiro, és moderna, os gregos já eram gays é uma questão financeira isto do casamento, não percebes?
  22. uma pergunta: para que serve um comboio de alta velocidade? viagens de negócios? acho que qualquer senhor de gravata agradecia passar a noite num belo hotel e dar uma volta pela cidade,ter tempo para conhecer um sitio novo, trair a mulher com outra casada que faz o mesmo tipo de viagem e espairecer um bocado viagens de estudantes que ao fim de semana vão ver os pais? temos todo o tempo do mundo para fazer a viagem a pensar na vida, a ler, eventualmente a trabalhar no nosso portátil, e como cada vez a nossa anterior casa nos diz menos.... parece-me um falsa questão. queremos tanta rapidez no mundo que o estamos a estragar com esta nossa mania do facilitismo. estão-se a perder muitos valores....
  23. segundo o que percebi: a casa estava a cair, logo, escora-se por dentro com uma superfície de madeira para não cair um bocado de pedra na cabeça de alguém, certo? e depois, o exterior continua em ruinas a cair, certo denovo, nao? e a tua solução para as casas a cair na cidade era esta? meter um molde seguro dentro, e já agora climatizado, e deixar degradar a superfície exterior e estrutura?cair para cima da rua? não nuno, o património é uma coisa que deve ser preservada pela memória e pela capacidade que tem de contar o tempo...não me parece que seja mais do que uma brincadeira plástica engraçada mas que não serve para mais nada...
  24. margarida, gostei de te ver defender a tua causa, já agora, és lésbica, não? e se não es, ainda, claro que não poes de parte um dia seres... uma questão para ti: se conseguíres encontrar por aí duas mulheres que gostem de mesmo homem e aceitem que este tenha duas casas, duas familias, filhos de dois casamentos e imagina, as 2as, 4as e sextas dorme na casa A, cuida dos filhos A...as 5as e sabados com a familia B, há 6a vai as putas e ao domingos dorme sozinho no hotel...achas que essas "famílias" A e B com o mesmo "pai" deviam ser as duas apoiadas pelo estado? é o passo seguinte.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.