Jump to content
Arquitectura.pt


Recommended Posts

Estava eu numa tarde de trabalho num dia normal. Onde numa daquelas pausas que existem durante o dia fui ver o meu e-mail. Abri o mail de um colega meu onde o mesmo dizia assim.

"Amigo descobri o site deste paraquedista...faz projectos completos de licenciamento a 2000€ !! "


http://www.casaperfil.com/?gclid=CMqk3sGKkZoCFQqenAodhjBLRQ


Sinceramente nem sei o que dizer....mas...inacreditável mesmo.... como é possivel banalizarem as coisas a este ponto.

Link to post
Share on other sites

Estava eu numa tarde de trabalho num dia normal. Onde numa daquelas pausas que existem durante o dia fui ver o meu e-mail. Abri o mail de um colega meu onde o mesmo dizia assim.

"Amigo descobri o site deste paraquedista...faz projectos completos de licenciamento a 2000€ !! "


http://www.casaperfil.com/?gclid=CMqk3sGKkZoCFQqenAodhjBLRQ


Sinceramente nem sei o que dizer....mas...inacreditável mesmo.... como é possivel banalizarem as coisas a este ponto.

Link to post
Share on other sites

emanuel, por muito que me custe este gajo é muito esperto (de notar que esperto nada tem a ver com inteligente) este gajo dá as pessoas aquilo que elas querem e tem menos trabalho, e elas ainda podem escolher com ou sem telhado, com ou sem cantarias...não é fabuloso pa, tudo se trata de ética profissional e responsabilidade com a evolução histórica da arquitectura, se conseguires abstrair-te destes dois pontos essenciais ficas mais rico e fazes as pessoas ignorantes mais felizes, não é tão bom?

Link to post
Share on other sites

emanuel, por muito que me custe este gajo é muito esperto (de notar que esperto nada tem a ver com inteligente) este gajo dá as pessoas aquilo que elas querem e tem menos trabalho, e elas ainda podem escolher com ou sem telhado, com ou sem cantarias...não é fabuloso pa, tudo se trata de ética profissional e responsabilidade com a evolução histórica da arquitectura, se conseguires abstrair-te destes dois pontos essenciais ficas mais rico e fazes as pessoas ignorantes mais felizes, não é tão bom?

Link to post
Share on other sites

Mas fora de brincadeiras, esta empresa Arquinivel tem arquitectos, não estamos a falar de paraquedistas, mas sim de profissionais que "tiraram" o curso de arquitectura e estão inscritos na Ordem dos arquitectos! Por isso o 73/73 e a sua revogação é uma falsa questão!:D

Link to post
Share on other sites

Mas fora de brincadeiras, esta empresa Arquinivel tem arquitectos, não estamos a falar de paraquedistas, mas sim de profissionais que "tiraram" o curso de arquitectura e estão inscritos na Ordem dos arquitectos!
Por isso o 73/73 e a sua revogação é uma falsa questão!:D


O 73/73 não é uma falsa questão. É outra questão.

Mas já agora diz-nos lá qual é, para ti, a verdadeira questão neste caso.
Link to post
Share on other sites

como já tive hipótese de referir noutros tópicos, o 73/73 não é uma falsa questão, mas é uma questão que se torna falsa.

aprovado o decreto, e retirados do "mercado" profissionais não credenciados para se responsabilizarem pela arquitectura, os projectos vão todos para os arquitectos.
ora, o português habituado a um tipo de "arquitectura" e a uma "arquitectura" barata vai procurar o profissional credenciado mais parecido com a anterior pato bravo\desenhador\engenheiro que lhe desenhe a sua casa nos moldes e nos orçamentos antigos.

o arquitecto, com a sua nobre falta de ética vai desenvolver o projecto ao gosto do cliente e não ao gosto daquilo que é tido por boa arquitectura, não por falta de formação, mas por falta de capacidade financeira e consequentemente ética para conseguir dizer que não, pois sabe que se o disser, facilmente o cliente arranja outro "arquitecto" que lhe produza uma casa a seu gosto.
e assim entra o problema do gosto, num pais onde a educação cultural, ética, de cidadania não entra nos currículos demasiadamente técnicos da nossa formação, onde não há uma aposta a nenhum nível de identificação e resolução do problema torna-se impossível que esta situação seja, a curto prazo resolvida.

num país onde o primeiro ministro é autor de um tipo de "arquitectura" que reprovamos, e sabendo que das duas uma, ou a orientação vem de cima ou das bases...
...de cima não vem já percebemos porque, continuamos a eleger governantes que não passam de bons ou maus gestores de dinheiro, sem nenhumas qualidades éticas e culturais
...de baixo, muito menos, face á generalizada falta de educação cultural, mais uma vez culpa de cima

ora, terá obviamente de partir do meio, mas no meio começam as limitações pois dizer não é sinonimo daquilo que já sabemos.

existe ainda um factor que me custa a entender
como é que num país onde tanto lutamos para os nossos filhos serem doutores, em que o sr.dr, licenciado, Professor, tipo instruído é tão venerado, onde o povo se verga á passagem do senhor, como é que é possível que na escolha de uma das coisas mais importantes da nossa vida, a nossa casa, entreguemos o ofício a alguém que ou pouco mais tem que a 4a classe ou a um doutor que não é do ramo?

Link to post
Share on other sites

existe ainda um factor que me custa a entender
como é que num país onde tanto lutamos para os nossos filhos serem doutores, em que o sr.dr, licenciado, Professor, tipo instruído é tão venerado, onde o povo se verga á passagem do senhor, como é que é possível que na escolha de uma das coisas mais importantes da nossa vida, a nossa casa, entreguemos o ofício a alguém que ou pouco mais tem que a 4a classe ou a um doutor que não é do ramo?


Grande argumento para a necessidade de revogação do tal 73/73...

A revogação deste decreto não vai enriquecer nenhum arquitecto, mas vai obrigar os projectos a passar pelas mãos dos arquitectos, e mesmo que grande parte não tenha boa formação, sempre são arquitectos...
Link to post
Share on other sites

O problema desta nossa classe é a falta de união com causas comuns. Existe uma cultura de mal-dizer entre colegas de profissão que não se encontra em mais nenhuma, ao ponto de muitos não se importarem que eng. e desenhadores continuem a tomar conta dos projectos porque certamente serão melhores que a maior parte dos arquitectos.

Link to post
Share on other sites

O caso aqui exposto consegue ir direitinho ao desejo dos consumidores. Pode-se fazer um paralelo com a compra de automóvel. Escolhe-se um modelo, depois a versão mais adequada, os extras, cores, estofos etc. É triste ver a arquitectura entrar neste esquema.

Link to post
Share on other sites

E se forem projectos modernos o vosso choque mantem-se? O Ikea e uma empresa em Portugal, a Modular Systems, faz o mesmo mas com casas prefabricadas mas com estilo modernista. Onde estah a novidade? No estilo?

Nao acho nada inacreditavel... o futuro vai ser este mesmo. O Arquitecto ainda vive no tempo do artesanato. Temos muita sorte de ainda ter havido uma especie de Henry Ford ou de Ingvar Kamprad (fundador do IKEA) da Arquitectura.

http://www.modular-system.com/site/main.php?a=w&l=pt

Em relacao ah Modular Systems. O conceito eh quase o mesmo porem as casas sao pre-fabricadas e teem muito mais interesse a nivel estetico e funcional.

Link to post
Share on other sites

há aqui uma grande diferença entre aquilo que nos é apresentado neste tópico e a utilização de sistemas modulares.

No 1º caso, existe um nº limitado de opções que são colocadas ao cliente, e este escolhe. Não existe um exercício conceptual de arquitectura.

Nos sistemas modulares trazem obviamente limitações construtivas e estéticas mas não põem em causa aquilo que nos distingue como arquitectos. O tratamento das formas e espaço adaptado ao local e ao uso.

Isto não é uma questão de estilo. Se o futuro da arquitectura é isto arrangem-lhe outro nome porque arquitectura, não é.

Link to post
Share on other sites

apesar de tudo, e' impossível negar que se trata, plo menos comercialmente, de um conceito rentável, e nao duvido minimamente da total satisfação dos clientes que recorrem a este serviço: têm a sua casinha e velhice feliz, garantidas. importa notar que os problemas que vemos neste paradigma, ramificam.se em inumeras outras questoes sociais e culturais, k por sua vez, sao originadas por outras tantas influencias e mal-formaçoes intelectuais individuais, k fluem de geração para geração.. ora, vejo nest caso especifico, um problema, uma incongroencia cm o meu entendimento da arquitectura, e do habitar, contudo, sinto que ha muitas outras questoes menores a resolver, uma especie de jogo de tabuleiro, em k temos d passar de casa em casa ate ao final... n axam mais grave a banalização do ensino da arquitectura ? a facilidade e veleidade com k se obtem um diploma? e mais anterior a isso, o ensino secundário? um sistema obsoleto e desenquadrado.. a tvi ? o seu colega k mandou o plastico do maço de tabaco para o chao ? vamos gastar energia em solver os pequenos problemas k nos rodeiam, e adiar estas discussões pseudo-eruditas, e razoavelmente vagas. enquanto isso os espertos vao vingando.. :D

Link to post
Share on other sites

E se forem projectos modernos o vosso choque mantem-se? O Ikea e uma empresa em Portugal, a Modular Systems, faz o mesmo mas com casas prefabricadas mas com estilo modernista. Onde estah a novidade? No estilo?

Nao acho nada inacreditavel... o futuro vai ser este mesmo. O Arquitecto ainda vive no tempo do artesanato. Temos muita sorte de ainda ter havido uma especie de Henry Ford ou de Ingvar Kamprad (fundador do IKEA) da Arquitectura.

http://www.modular-system.com/site/main.php?a=w&l=pt

Em relacao ah Modular Systems. O conceito eh quase o mesmo porem as casas sao pre-fabricadas e teem muito mais interesse a nivel estetico e funcional.



Estas casas são tão perversas quanto à imposição do design nordico pelo mundo fora. Ainda mais perigoso porque engana o olhar com uma estética agradavel, mas como todos nós sabemos , afasta-se dos princípios lugar-cliente-arquitecto.
Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.