Jump to content
Arquitectura.pt


Batoteira nos Trabalhos de Casa


Recommended Posts

Estou a dar aulas no 7 e 8 anos a ET em part-time e trabalho num atelier em Lisboa. Mandei os alunos fazerem trabalhos de pesquisa. Alguns deles copiaram textos da internet e nao modificaram os textos com as palavras deles. Houve um aluno que copiou um trabalho que estava na internet para o trabalho dele, escreveu a introducao e a conclusao. Um grupo de alunas copiou de duas fontes textos e nao fez a devida personalizacao. Limitaram a copiar e a colar. Em regra o que eh que se deve fazer nestes casos de plagio explicito? Deve-se dar uma positiva fraca ou dar-lhes negativa? Eis uma duvida que me estah a irritar solenemente. Isto porque em principio os meninos que facam os trabalhos e que entreguem merecem ter positiva...:p... mesmo que seja tudo copiado da Internet... mesmo que esteja tudo mal... enfim a nossa educacao... E agora espero a decisao do meu chefe... se vou dar positiva a batoteiros ou nao... O que eh acham?

Link to post
Share on other sites
  • Replies 112
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Bem, parece que estamos todos de acordo, é assim que começa o plágio e a inércia nas questões de direitos de autor... PS: Já agora, eles escreveram em algum lado a fonte, ao "estilo" de uma bibliografia?... porque se sim a questão é diferente e não tão grave...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

Um bom método acho que não passa pela negativa directa. Acho que como professores, os que são, devem não só ensinar mas educar! Talvez eu nessa situação, varia o seguinte... tentaria encontrar a matéria na Internet, algo que ate não deve ser muito difícil, e depois imprimia e levava para a aula. Solicitava a um aluno que não copiou a ler o texto que eu tinha levado, e depois pedia ao que copio para ler o seu trabalho. Isto ia causar alguma vergonha... e depois iria surgir uma certa insatisfação na turma devido a isso... Depois punha a frente de todos, na mão de quem copio decidir o que fazer... ou levar negativa, ou apresentar outro trabalho... Acho uma atitude mais lógica...

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to post
Share on other sites

na minha opinião há que analizar vários aspectos e tentar de uma forma não agressiva, ser o máximo pedagógico e construtivo, pois 7 e 8 ano ainda é o "despontar" para muita coisa. assim acho que embora se tenha copiado, devia-se ver 1º se o trabalho apresentado respondeu á questão pedida pois isso, embora o meio seja errado, pode demonstrar capacidade de analise e resposta e depois adoptar algumas das medidas já aqui enunciadas por outras pessoas.

Link to post
Share on other sites

Na minha opinião jamais daria uma positiva, desde que não fosse apresentada a respectiva bibliografia. Ainda com um agravo que qualquer um de nos poder colocar um texto na internet totalmente falso. A credibilidade da internet é baixa, a não ser que sejam sites oficiais. Compactuar com o plagio barato é que não.

Link to post
Share on other sites

nao sei... é dificil!... pelo menos aqueles alunos que fizeram introduçao e conclusao... avalia para ver se podes dar positiva!... n podes dar uma positiva alta.. já que fizeam batota! mas tb axo k n é dando negativas que se vai lá... por exemplo lembro me k so me ensinaram a fazer trabalhos no 9º/10º ano.... fala com eles e, por exemplo, faz com que reformulem novamente os trabalhos.. com palavras deles!!.. avalia so depois

Link to post
Share on other sites

Na minha humilde opinião acho que plágio e copy-paste, vai sempre existir quer se queira ou não, de uma maneira ou de outra todos o fazemos. Uma forma de tentar resolver este problema é tentares implementar as apresentações orais dos trabalhos, assim mesmo que seja um trabalho efectuado em copy-paste podes sempre tirar as conclusões para decidir se passas ou chumbas o aluno em questão e desta forma ficas a saber que os alunos pelo menos têm que ler o texto. E sempre aprendem alguma coisa com isso.

Link to post
Share on other sites

No meu tempo, em que net funcionava a 56k, e quando funcionava, ainda tinhamos que recorrer aos livors e as fotocópias... E aí, mesmo que fosse copy past sempre tinhamos que ler!:p Mas é muito chato para aqueles que se deram ao trabalho de fazer qualquer coisa "sua" e as tantas não estar tão bom quanto isso, verem os outros que fizeram copy/paste directo (as tantas com palavras e expressões que não fazem ideia o que querem dizer) a ter melhor nota... Fazes uma oral! Com perguntas dos textos deles, logo aí já vês quem fez o trabalho ou quem nem sequer leu!

Link to post
Share on other sites

Acho que devias falar com eles, mostrando como se faz um trabalho desses e de seguida mandavas fazer outro trabalho. Devias dizer desde logo as regras do jogo, como não copiar, etc... A função de professor é ensinar, por isso deves ensinar como fazer trabalho correctamente e como ter uma atitude de responsabilidade, para que no futuro não voltem a fazer o mesmo. Depois de entregues os trabalho e corrigidos, devias falar um a um, e explicares o que está certo e errado. Não caias do erro dos maus professores, que infelizmente ainda existem, que é mandar fazer trabalhos e depois só dar positivas e negativas, sem falarem com os alunos... Está nas mãos destes novos professores mostrar como se ensina... e não cometer erros do passado...

Link to post
Share on other sites
é curioso porque eu só comecei a usar a Internet para fazer trabalhos no 12º ano...até lá sempre tive de fazer trabalho de biblioteca e pesquisa de livros :\
eu não dava positiva e o porquê já todos de uma forma ou de outra, enumeraram. talvez desse uma segunda oportunidade para fazer o trabalho, mas isso dependeria do percurso escolar dos alunos em questão...

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

Simples!! Faria no teu lugar o que os meus profs fizeram na altura qnd sucedia uma situação dessas... entregava de novo o trabalho ao aluno e escreveria o site e a morada onde foram tirar o texto...claro que também recomendaria fazer o trabalho como deve ser, se não não teria nota...a sensação de termos sido apanhados a aldrabar não é lá mt boa... Outros tempos!! hoje os miudos e mesmo graudos têm uma lata descomunal para mentir á descarada. Mas se pactuas com isso, é desnecessário perderes o teu tempo a manda-los fazer...

Link to post
Share on other sites

Não acho que seja uma geração rasca, o problema é que eles apanharam esta onda e os profs muitos nem a viram passar. Daí que seja muito fácil passar a perna em algumas situações e noutras correm o risco de serem apanhados. É um risco! Mas isso também vai da educação e pelo gosto de aprender de cada um. Vejo pelo meu irmão que está a crescer com as facilidades de aprendizagem (net e por aí fora) que eu não tive, mas não deixa de querer saber ainda mais e fazer as coisas por ele. E vai daí que antes também havia quem fizesse copy/paste, tinham era que ler tudo na mesma!:p

Link to post
Share on other sites

Eu tenho uma opinião diferente...em questão á geração. Claro que todas elas são importantes, para marcar a evolução de acontecimentos e pontuar a mudança... Mas há um facto veridico, os miudos de hj em dia, são tão bombardeados de informação vazia 24h por dia, informação informatizada por tudo que é lugar aquelas cabeças parece que se esvanecem com uma passagem de ar... Concordo contigo na questão da educação e interesse pessoal, em crescer como pessoa.... Mas é notório, os miudos hj parece que não se sabem comportar em sociedade, não respeitam, messenger pra aki e ali, conversas tipicas da puberdade 24h por dia e bombardeio agressivo de informação, na TV, na NET, no TLM, na Rua... Perecem fabricas de recepção de informação...mtas vezes benéfico, muitas vezes maléfico... Qnd digo geração rasca, é no sentido de não se preocuparem com nada, as coisas parece que lhes passam ao lado. Criam a sua bolha o seu universo. Ainda há dias ouvi putos do 6º ano e 7º ano a comentar, que não estudavam não queriam fazer os trabalhos e já tinham feito cábulas.... Cábulas??? só comecei usar isso no 2º ano de FAC... É a tal questão que eu digo, quem está interessado faz, quem não está não faz, azar.... Como disses-te e mt bem, "já vai do gosto de aprender de cada um". Mas que hoje em dia são mais propensos a não quererem reter informação importante, isso são. Conseguem ser facilmente persuadidos por aquele tipo de informação, vazio banal e efémero.

Link to post
Share on other sites

Mas quem lhes "injecta" essa informação toda não é uma outra geração? Logo de quem é a culpa? Que culpa têm os putos que os pais trabalhem o dia inteiro e que eles morem num apartamento onde estão o dia todo fechados a ver TV e a frente do pc? No fundo são os pais que "deixam" as coisas acontecer. Ou seja outra geração. Não?

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.