Jump to content
Arquitectura.pt


kaz

Membros
  • Posts

    231
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by kaz

  1. Ia-me dando uma coisinha má, lá me lembrei ser dia das mentiras...mesmo assim quase cego ao escrever aqui!! :p
  2. O que mais me choca no meio da situação corrente, é que temos de sair para nos valorizarmos e ter também alguma condição e estabilidade económica. Os ateliers estrangeiros adoram a arquitectura portuguesa e gostam bastante dos jovens arquitectos portugueses, infelizmente o nosso quadro nacional já é outro. O jovem arquitecto não existe, existem sim os mestres e end of story. Supostamente esta crise deveria servir para colocarmos todos a pensar, temos de desenvolver técnicas novas e inovativas com base na sustentabilidade. É mais fácil fechar as portas ao novo a dizer "vamos inovar"... Dps vê-se as disparidades que vemos. Há uns tempos tive que voltar ao mercado de trabalho e posso afirmar que a crise não bateu á porta de todos. Vi muitos com trabalho atrasado e atolados de encomendas e vi outros a colocarem, aluga-se espaço para escritório ou atelier, porque não tinham encomendas...quase todos no último caso, jovens arquitectos. O país não investe nos jovens e agora são os jovens que têm de virar costas ao país, para investir na vida deles. Sempre houve foi uma crise de mentalidades que nos fizeram chegar ao topo da cereja que estamos.
  3. Alcatifex em Almada. preços relativamente mais baixos e levas os metros que quiseres. Convém ligar antes para saber se têm disponivel a espessura que queres. Quem vem da rotunda do centro sul o acesso é fácil...safei-me várias vezes com eles tanto na faculdade como já em atelier.
  4. .Fnac .Ordem dos Arquitectos Só para visionar e não o comprar, na videoteca de Lisboa. (Se morares por estes lados claro)
  5. Esta semana contaram-me duma situação, de um rapaz que já estava no mesmo atelier á coisa de 4 anos. Enquanto estudava lá esteve, quando estagiou idem idem, e quando acabou ficou lá mais 2 anos. Chegou a uma determinada altura e teve uma conversa normal com a chefe e falou abertamente que gostaria de ganhar 900 euros, até porque a experiência dele já o justificava. Ao que diz a Srª Arquitecta prontamente: "900euros??" Isso era antes da crise, agora levam 4euros á hora e já gozam. Há que ser solidário com o estado do país". Isto para te dizer RoseRed, que o normal é remunerarem-te de acordo com a tua experiência e os teus conhecimentos. Outra coisa, é estipularem eles próprios o que te querem dar. É triste mas é assim que funcemina. 800 euros p/ 1º ano dps do estágio acho normal. Agora tb depende do teu background, se já tinhas experiência profissional antes do estágio e se entretanto tb te formas-te em algo que possa ser bastante útil ao sitio onde pretendes ir trabalhar. São sempre pontos a favor. Boa Sorte
  6. O Bolonha aqui em Portugal ainda vai levar muitas restruturações. Já estava de saída da faculdade quando o bolonha entrou a 100%. Por exemplo no nosso curso até estavam a pensar implementar a questão ensino mais prática profissional td ao mesmo tempo. Mas é como digo, pensam, comentam e 1º que se realize leva anos ou até nem chegam a concretizar. Então lembro-me que era uma coisa que estavam a pensar fazer pelas faculdades, que era : hipótese 1- chegares ao 3º ano e logo aí decidires qual a tua vertente na arquitectura, se era mais urbanismo, reabilitação, sustentabilidade, para depois fazeres os 2 anos seguintes dentro já da tua área especifica + trabalho. E pensou-se até em implementar créditos á tua formação final de faculdade se durante esse período estivesses a trabalhar na área e a estudar ao mesmo tempo. Éra uma espécie de parceria entre faculdade e o arquitecto responsável por ti no atelier. hipótese 2 - logo á partida no 1º ano se já tivesses uma licenciatura e só te interessasse ir até ao 3º ano Bolonha, ou seja a recente chamada de licenciatura em Ciências da Arquitectura, poderias fazê-lo e em 3 anos iriam "modelar" o teu ensino para seres auto- suficiente num gabinete e ter noções de projecto, etc etc. hipótese 3 - Chegar ao 4º ano e começar o estágio com o curso ao mesmo tempo, chegares ao final e não andares ás aranhas como muitos neste momento com os 5 anos ás costas. Como vês estas hipóteses eram coisas que foram pensadas como forma de melhorar o estado actual das coisas, ou mesmo adaptar-se a decisões da vida ou acontecimentos inesperados. Foram coisas faladas, logo que nasceu o Bolonha e como te digo, mal foram faladas já foram esquecidas e devem estar mortas. Mas isso só demonstra que o Bolonha ainda precisava de umas refinações valentes, quando se deu o seu inicio... Eu tive um colega do Brasil num atelier que workei enqnt estudava e embora sendo um país do 3º mundo como muito se fala, eles no 3º ano ou 4º ano começavam os estágios. Bolonha nem era ainda imaginado na época que ele se licenciou. Mas como afirmei antigamente uma pessoa com o curso a meio era no registo curso inacabado, nem consideravam ser bacharel ou não, é inacabado. Hoje se te ficas pelo 3º tens uma qualificação de curso acabado mas que pode ir em frente para auferires outras regalias, tais como a que foi mensionada assinar projectos e ter outras responsabilidades de obra e legislação.
  7. Esqueçam a palavra Bolonha, é um curso normal de 5 anos, Licenciatura. 3 anos, é como um Bacharel se assim se pode dizer. A única diferença é, antigamente ficavas-te pelo 3º ou 4º ano por razões várias, ias trabalhar e constava curso inacabado, agora dão um estatuto a isso. Ou seja podes trabalhar, mas não assinas como os que o fazem até ao fim. Estatuto no centro de emprego também muda ou uma instituição estatal. (Escalões)
  8. Já é a 2ª ou 3ª vez que este tópico descamba!! Este tópico já deu o que tinha a dar, foram tiradas as dúvidas e ponto final. Agora opiniões pessoais sobre quem e troca de galhardetes, sinceramente não acho bonito... Cada um que encare a vida como quer e pode e como acha que melhor se adapta á sua maneira de ser. Já foram tiradas todas as dúvidas no tópico? SIM... Passem á frente.
  9. 3 anos de curso (Regime Bolonha) é Licenciatura em Ciências da Arquitectura e não Arquitectura, algo muito diferente. Podes trabalhar num atelier como todos os outros, assinar não podes. Isso só para quem fez os 5 anos normais de uma licenciatura que agora adaptado ao Bolonha é grau de Mestrado. É grau de mestrado pelo Bolonha, porque na prática e realidade é uma licenciatura complecta e nada mais.
  10. Olá, podes sempre dirigir-te á Câmara Municipal da Zona com papel assinado e com carimbo da secretaria da tua faculdade com o requerimento que necessitas desses elementos. Normalmente trabalhos da faculdade não se paga. ÁH, e um requerimento feito e assinado pelo teu prof dessa cadeira. Não moro nem trabalho no Porto, mas quando estava na faculdade alguns elementos eram conseguidos assim junto da Câmara. Penso que funcionam quase todas assim... Boa sorte
  11. Sim. Isso já foi discutido aqui no forum algures...foi num tópico com o assunto em paralelo a este. Mas é como já afirmei e questionei, se somos selectivos a escolher desde a peça de roupa, até aos relacionamentos, porque também as pessoas não tomam a mesma atitude com o futuro delas? Não é? Ás vezes existe uma contradição enorme em certas atitudes... Como também há que respeitar os casos de extrema necessidade que se submetem a certas condições porque têm responsabilidades a seu cargo. Mas o ou a lllARKlll (não fui ver o perfil), também tem razão quanto ao estado das coisas. E isto também está um pouco assim, devido aos jovens que têm os pais como background, porque quando essa ajuda desaparecer, só aí as pessoas vão acordar e revoltar-se. Quando essa consciência já deveria ter vindo á tona há muito tempo. O curso é uma ajuda a subir certos degraus, porque a luta e a batalha para se ter uma vida estável e digna, só nos cabe a nós. E presentemente assiste-se a uma certa apatia em relação a esse caso. "Deixámo-nos" adoecer pelo sistema doente... E depois andam todos apregoar em entrevistas, "AI, os nossos jovens estão a ir todos embora para fora" porque será?
  12. Sputnik, desculpa se te vou parecer um pouco arrogante...mas de estudos da treta já chega. Tenho uma opinião muito própria porque sempre trabalhei desde cedo, no mundo tanto da arquitectura como fora. Até posso dar uma vista de olhos nesse estudo, mas vai-me passar ao lado... Preocupo-me mais com as coisas do dia a dia e que tenho de enfrentar, que conclusões de terceiros. A afirmação, a Ordem irá sempre defender os Consagrados, espelha bem o que se vivencia neste momento. Todos querem ser consagrados para ganhar e impor respeito, como tal, andamos nos dias de hoje na selva do quem pisa primeiro a quem, para atingir os objectivos sem olhar a meios. A questão não é a jovialidade, mas sim a sede desenfreada em ser super star para auferir estatuto. É por essas e muitas outras coisas que a coisa vai mal... Este tópico já nasceu, já deu de espernear e até já acabou por cair no esquecimento... O que designas de ruído, veio do exterior e tentou-se clarificar aqui, não foi uma coisa nascida no forum. E depois como é óbvio cada um deu a sua opinião, uns mais efusivos outros menos. Os gabinetes que se preocupem mais em dar formação decente, que angariar mão de obra escrava, para não acabarmos todos com um estágio feito sm saber 70% das coisas. E depois dá nisto, jovens com o titulo, mas sem formação suficiente.
  13. dmarch, vou discordar contigo nesta afirmação. Simples, para quem usa somente o CAD em 2D e usa as ferramentas básicas no Photoshop, precisas de boa memória e bom processador. Agora para Renders de Alta qualidade, uso de Photoshop em mode expert bastante avançado, mas essencialmente software de renders, se não tiveres uma placa gráfica boa o PC arrasta-se até morrer. Se experimentares colocar o 3DsMax num PC em que a placa gráfica é uma treta pelo menos o 9, nem te instala. E se te deixar instalar ou não faz os renders, ou se o faz vem com falhas de qualidade e demoras 1Séc. para um render mais realista. Falo isso porque os 2 Pc's que tive, as placas gráficas eram boas para a altura, mas como eram sistematicamente usadas em programas de Renders, PUUUMM chapéu. Jogo, meti um durante 1 mês e tirei, não tinha tempo. Além disso os Renders puxam tudo do PC consomem todo o hardware que te permite ter uma boa imagem e resposta por parte da máquina. Por isso além de Memória e processador a placa tb dita as regras.
  14. Depois de estoirar com 2 portateis cá em casa, todos unica a exclusivamente no meu poder, digo e afirmo entre Desktop e portatil, sem dúvida Desktop. Aconselho pq acabei o curso com os 2 Pc's completamente estoirados, com o esforço de fazer renders, trabalhos pesados, bla bla bla.... Enquanto estás na faculdade, compra um portatil de preço médio e boa placa gráfica, pq o software que usamos assim o exige. Um de 600euros ao preço a que andam os portateis vais bem servida. Com o tempo podes adquirir um desktop Bom, e é como dizes, Desktop se alguma coisa der o berro em entregas safas-te a comprar a peça, qq coisa fazes tu propria o upgrade...Além disso são muito mais estáveis e fiáveis. Os fixos hoje em dia com 400euros levas um para casa com uma capacidade boa. 600euros + 400euros »» dá-te para levar 2 máquinas (tens 1 para workar na fac e trabalhos e outro para te acompanhar em casa net trabalhos e afins). Tudo dá 1000euros, não vás atrás das marcas sonantes nem do PC bomba isso é mt relativo devido ao uso a que cada pessoa dá ao software...Dirige-te a pelo menos 3 casas de informática, explicas os requesitos dos teus programas e qual maquina te aconselham. Uma coisa digo-te já HP never, não andes atrás dos Mac's e Sonys que ao que parece andam na moda. Mac's sim para quem está habituado aquele ambiente e sabe como a coisa funciona, além disso matas a cabeça atrás de software compativel para a máquina. HP nem te digo nem te conto, é de fugir, lançam productos com defeito sabem-no e não informam o cliente, além disso a maior parte das motherboard nunca casa a 100% com a placa gráfica, o que significa que em fase mais apertada de entregas podes ficar arder com a máquina e é dinheiro ao lixo. Uma óptima alternativa é ASUS, pela simples razão, as peças todas são a um preço acessivel, encontras cá, não tens de mandar vir da coxichina, são estáveis e são preparados para receber constantemente upgrades. Em 1000euros compras 2 máquinas e não te arrependes. Até porque passado 5 anos o portatil já não vai aguentar os futuros CAD's/ Max/ Photoshop/ Corel etc etc ... 1 para o curso outro para workares em casa. Eu depois de acabar o curso optei de novo pelo Desktop. O Aconselhamento de marcas que te dei, foi um breve feedback á minha experiencia e de pessoas próximas. Como te digo deves sim procurar em lojas de informática qual a melhor opção, ou até mesmo nas marcas eles dizem. Em Superficies comerciais apenas te vão impingir o producto que lhes intressa despachar. Boa Sorte para a escolha.
  15. Até ao Verão, como está no artigo do jornal terá de ser implementada a regra. Ora bem estamos em Abril até Julho ou Setembro, que é quando vêm todos de férias lá implementarão isso na lei...Até lá, bora lá chular estes coitadinhos até ao tutano mais uns meses, pq ainda dão lucro. Esta medida até pode sair, aliás ela já saiu há 2 anos e isto está na mesma, teria sim razão de existir complementada com uma entidade que se desse ao trabalho de fiscalizar muitos gabinetes, que se prestam a esse tipo de "fashion work". Porque enquanto não houver gente a policiar e a multar essa gente a festa continua, saindo ou não essa tal lei maravilha.
  16. Já começa a ser uma forma habitual de passar projectos, Infelizmente! No Terreiro do Paço foi a mesma lenga lenga, gabinetes a gastar o suor durante anos e dinheiro para o concurso, quando o senhor presidente da Câmara de Lisboa, chega-se á frente e oferece com pompa e circunstancia o Bolo recheado ao Arquitecto amigo. Concurso nem vê-lo, para quê? Já tinha destinatário final!!! O que é certo é que já recebeu o seu dinheiro, já está a ser construído, houve confusão, mas sempre tudo abafadinho como se quer, passou a poeira e siga, vamos lá construir. É AMIGO!!! Não existem concursos existem sim é alianças de amizades...
  17. http://www.cais.com.pt/default.asp?lang=1 Localiza-se na Maia, Porto.
  18. Sim, mas aqui tudo o que está para acabar perdura... Td o que é provisório parece ser final. A questão é, ao momento existem inumeras, digamos um mundo de propostas de emprego para engenheiros que os arquitectos adorariam ter e só as vêm em sonhos...E pelo jeito que a coisa está, não sei não...Parece-me a mim que o Boom da imigração de há 30 ou 20 anos para os países da Europa se vai dar novamente neste País em busca de algo melhor.
  19. Quanto a isso já não te sei dizer... Se reparares todos os locais têm uma arquitectura bastante própria, pelo clima, factores sociais, materiais, custos e modos de vida etc etc. Quanto á polaca e venezuelana não te sei informar, pouco ou mesmo nada sei sobre arquitectura destes locais. Arquitectura que de momento está a mostras garras em abraçar a linha mais moderna e Contemporânea é o México, o Chile, isto falando de países mais pobres com tradições bastante enraizadas. Começa a ser comum vermos chegar projectos destes 2 locais, com uma linguagem bastante moderna e enquadrada com os dias de hoje, anunciando também uma certa influência de internacionalização. No fundo todos os países estão a sofrer transformações...Embora haja uns que se exprimam mais e outros que vão ganhando balanço aos poucos. Parece que não, mas os erasmus, os Midia, as conferências, os sites, blogs td isso comporta informação para a idealização de uma linha "perfeita" a seguir. Há projectos que são feitos para ser comidos e devorados com os olhos e mesmo que conste o texto ao lado, esse só será consultado quando o olhar já gastou toda a exploração que podia fazer ás imagens que se apresentam á sua frente.
  20. Enquanto houver as Big Stars de arquitectos estrangeiros e vir pregar essa religião ás conferências que dão, em afirmar que não seriam o que são hoje, não fosse o facto de estarem num atelier de uma Estrela da arquitectura á borla anos a fio a aprender!!! Não há dúvida que a arquitectura virou a nova religião dos Manás e da Igreja Universal de Deus, Venha a nós o dinheiro, que eu ensino-te aprender e mai nada...!!! Há uns anos saiu numa dessas revistas que acompanham os jornais, um rapaz jovem arquitecto que tinha ganho um prémio não sei onde, e o jornal não foi de modas e dedicou 3 folhas a ele...achei muito estranho, quando fui a ler, 90% das folhas era a engordar o factor dos estágios não remunerados com pompa e circunstância. A falar dos Ateliers, dos "padrinhos" que foi arranjando a trabalhar assim. 10% era sobre a escolha da arquitectura e do concurso que ganhou. Isto para dizer que é feita a ensaboadela dessa nova praga, mas os media ainda fortalecem e ajudam a cegar ainda mais os ignorantes que irão enriquecer muito se for adoptada essa nova estirpe. Sinceramente eu não tenho paciência e isto está assim porque esta classe profissional apenas se preocupa com o seu tecto, e quando ganha experiência faz o mesmo. Não somos unidos e isto irá apodrecer ainda mais, pois não nos juntamos e reivindicamos... Somos muito finos para ir para a rua gritar. Que eu saiba os estágios não remunerados, foram proibidos á 2 anos pela assembleia da republica, chegou a sair uma lei, mas ninguém cumpre... Depois é o que se vê, vêm os InovArtes e Leonardo da Vinci, comem-se todos para poder sair daqui e ir para fora e procurar condições melhores.
  21. "A cozinha e área social foram montadas em cima para usufruir das vistas sobre o mar (e da luz que reflecte); o quarto, do único habitante permanente, é um beliche colocado ao nível do sótão (ainda, mais horizonte); inversão que liberta o nível de entrada para polivalências de fazer arrastar paredes. Pode-se ser quase tudo, no contacto com o terreno, que quis ser duna. Na praia, somos relaxados e não andamos vestidos, o (traje) tradicional fica descontextualizado. O projecto é essa procura particular que se liberta do pensamento geral, que já não serve (para pensar). Afinal, esta é uma casa para um imigrante, que às vezes pode receber amigos ou familiares. Alinhamentos, cércea e inclinação são definidos pela construção adjacente, só as varandas prescindem de área, por torção da figura tridimensional fixada na quarta maqueta. A construção (imagem que encontrámos) é um penedo onde vêm ter elementos-materiais soltos trazidos pelas ondas. Na surpreendente lógica dos destroços sobre a areia." imagens e texto via: http://www.auzprojekt.com House Dr. Reginaldo Spenciere Rua Carvalhosa, 36 Labruge - Vila do Conde PORTUGAL
  22. Olha a nivel de emprego engenheiros tens que se farta...Neste momento estou de novo na fase de procura de emprego e já cheguei a brincar com essa situação ao afirmar que iria mudar o certificado para Engenharia!! E td porque em todo o Santo sitio pedem Engenheiros, empresas a mesma coisa, para fora também... A arquitectura de momento está gasta, também muito por culpa do desrespeito mutúo na classe. Ainda não percebi porque é que se um Engenheiro que tem responsabilidades directas nas obras se recusa a trabalhar de borla pela responsabilidade que lhe é incutida, o arquitecto que igualmente tem responsabilidades embora noutro campo se agacha e permite a falta de respeito que existe. Aceitam trabalhar de graça só para encher curriculo, depois vê-se o que se vê presentemente. Tudo pede Engenheiros e a ganhar o que se deve ganhar para começo, Arquitectos é Zero...Pouco ou nada pedem e quando pedem já estipulam a fasquia do não remunerado. Portanto a oferta de trabalho para Engenharia é imensa com condições que os Arquitectos não têm...Quando também lhes cabe a eles responsabilidades ao longo da obra.
  23. As operações SAAL, tiveram bastante importância na arquitectura portuguesa, pois tudo começou pelo planeamento de realojamento. Devido ás influências politicas, monetárias e sociais e até mesmo pelos próprios gostos dos futuros habitantes, os projectos foram sofrendo alterações ao longo da sua execução. O que deixa e acima de tudo, acentúa a diferença de arquitectura e por vezes ausência dela ao longo do país, tem haver com a zona geográfica em questão. Assim como a disponibilidade de dinheiros financiados, como dinheiros que os proprios habitantes acabaram por investir nas próprias casas, com a ansia de habitar nelas. O SAAL entrou numa altura em que as condições de vida eram mais que precárias, planeamento de esgoto era nulo, água quente um luxo e as familias viviam amontoadas em casas improvisadas interiormente, sem arejamento suficiente e luz. Acima de tudo veio servir as populações e zonas mais degradadas e afectadas pela pobreza. Muitos projectos estão complectamente disformes com o desenho de origem, pois como já referi a ansia de habitar uma nova casa foi tanta e os dinheiros andaram atrasados e as pessoas começaram a construir ou acabar de construir as próprias casas. Acabando assim por inevitavelmente durante a construção, atribuir o toque que mais lhes conveio. Há muitos factores que caracterizaram as SAAL, nomeadamente as escolas e suas consequentes influências em cada arquitecto... Nada como comprar o DVD ou então visioná-lo na Videoteca de Lisboa no Calvário. Também aconselho a dar uma vista de olhos no livro que pode encontrar na Ordem dos Arquitectos, na Biblioteca, Arquitectura Popular em Portugal, para perceber a transição da arquitectura de Portugal na época para os dias de hoje. O site Virtuvius/Arquitextos também tem alguns ensaios sobre a ocidentalização da arquitectura no geral, criticas etc etc... É claro que a oportunidade dos arquitectos trabalharem além fronteiras, concursos, revistas, conferências tudo isso contribuiu para tendenciar a uma certa globalização da arquitectura, tanto em Portugal como em outros países.
  24. Fácil, se tens uma parede de 30cm's divides essa parede ao meio 15cm's para cada lado. Quando criares o Boundary teras 2 regiões, uma será a tua parede interior e a outra a exterior. Ao fazeres o extrude seleccionas a duas duma vez e levantas á medida que pretendes. Quanto ao render do CAD não conheço, uso o 3Dstudiomax, mas pelo que sei o 3DMax faz a separação de acordo com a layer. Se não me engano o Sketchup, que já não uso há muitos anos, já nao funciona assim...aplica-se o material no plano pretendido independentemente da layer, as primeiras versões eram assim, actualmente já não sei...Os renders também eram muito maus, agora com plugins do Vray deve estar melhorzinho...
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.