Jump to content
Arquitectura.pt


arqrosadasilva

Membros
  • Content Count

    52
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by arqrosadasilva

  1. Existe a opção de... não fazer nada. Eventualmente será indeferido e arquivado por falta de resposta
  2. Existe uma boa lista de revistas de arquitectura na Wikipédia e respectiva descrição de conteúdo, penso que a escolha está nos interesses de cada um, no meu caso pessoal sou assinante da revista "Mark" e consumo ocasionalmente a "Detail" e outras...
  3. Realmente depois de ler os argumentos, alguns muito mal estruturados ao nivel do raciocinio ainda não entendi como é que esse decreto que está em vigor faz algum tempo pode matar a prática da arquitectura (se não estava já morta e enterrada pelo pato-bravismo dos anos 90 e pela construção turistica desenfreada junto ás zonas maritimas) esse decreto pura e simplesmente têm um efeito zero.
  4. Obrigado pela proposta. Todos os orçamentos que fazemos são gratuitos, excepto se envolverem calculo de taxas da administração pública. Dada a natureza do trabalho (legalização) o que lhe sugiro é que contacte um arquitecto da zona, porque apesar da minha empresa realizar trabalhos em todo o espaço geográfico de Portugal, o tipo de trabalho não envolvendo concepção será sempre um orçamento, a meu ver, mais reduzido. Situação que seria completamente diferente para construção nova. Um arquitecto da sua zona dar-lhe-á certamente um orçamento mais competitivo, uma vez que o meu teria de incluir um
  5. Terá de legalizar a casa na Câmara Municipal, o processo é igual como se fosse para uma casa que fosse fazer agora, ou seja terá de apresentar um projecto de alterações e de seguida especialidades, pagar as taxas municipais e de seguida averbar na certidão predial. Já tenho feito algumas legalizações em vários sitios do pais e as Câmaras têm se sempre mostrado dispostas a dialogar no sentido de resolver esse tipo de sutuações.
  6. Sim, o Turismo de Portugal é o sitio onde começar, a Ordem dos Arquitectos têm feito formações sobre a temática dos projectos de turismo no espaço rural, penso que no programa dessas formações terá a lista de diplomas que orientam a questão, nomeadamente no regime juridico dos empreendimentos turisticos
  7. Boas, poderia ser mais especifico?
  8. Continuo a acreditar nos ensinamentos da arquitectura tradicional, aquilo que digo é que já não existe, muito do conhecimento transmitido de geração em geração acabou, os canones modernos como todos sabemos fizeram tabua rasa do vernaculo e anunciaram a novidade. Sinceramente, muito se escreveu sobre o habitante e o habitar... e a sua poética, teses de doutoramento, ensaios, será mesmo que existe arquitectura sem habitantes? chame-se o que se quiser, escultura, instalação, o que se quiser, não se pode é dissociar arquitectura do habitar (habitar tambem no sentido figurado do usar, interagir c
  9. Identifica o decreto que pretendes e faz uma busca no google, encontras de certeza, boa sorte.
  10. Eu perguntava... "Desculpe Sr. Engenheiro, em que século é que vive". Conheço um caso desses, em Faro, aparentemente o Sr. Engenheiro queria uns trocos para deixar passar o projecto... foi saneado.
  11. Alguém têm de explicar o que é isso da arquitectura tradicional, não é com certeza as casas de telhadinhos que se fazem por ai, que essas, são tudo menos arquitectura tradicional. Grande equivoco, será que não aprendemos nada com o inquérito.?? A arquitectura tradicional não é eterna, nunca foi, acabou, não existe mais, como acabaram as cidades e os centros, isso é coisa do passado já não se fazem mais.
  12. Como... será? o problema é complexo... estamos a esquecer algo é que: - nem tudo o que é construção mesmo que habitada é arquitectura... esta é a minha opnião. Existem coisas que não merecem o titulo.
  13. Basta procurar numa câmara Municipal... As minhas desculpas, sei que o tema é sério, faz-me de algum modo lembrar as teorias quinestésicas e os ensaios de Edward Hall...
  14. Se deixa de ser habitado... passa a ser escultura, afinal há quem diga que a arquitectura é escultura habitada.
  15. A arquitetura (do grego arché — αρχή — significando "primeiro" ou "principal" e tékton — τέχνη — significando "construção") refere-se à arte ou a técnica de projetar e edificar o ambiente habitado pelo ser humano. Definição da wikipédia è uma arte então?
  16. A verdade é que a questão é tão filosófica que seria talvez preciso uma tese para a responder. Tudo o que foi dito anteriormente não chega... não é suficiente... não define... Eu sei que é dificil... tentarei numa mensagem posterior tambem dar a minha contribuição...
  17. Boas, os arquitectos formados em arquitectura paisagista não podem inscrever-se na Ordem dos Arquitectos Portugueses, pelo que não podem praticar os actos próprios da profissão. Estes arquitectos têm a sua própria associação profissional (Associação de Arquitectos Paisagistas) e a habilitação permite-lhes- isso sim a realização de projectos no seu dominio próprio tal como estableecido na recem publicada lei 31. Em relação aos mestrados, penso ser possivel realizá-lo, no entanto no formato de mestrado "normal" ainda existem muitos, no enatnto e se a ideia for trabalhar sobre uma ideia ou inves
  18. É uma questão de matemática básica, exercicio de senos e cosenos...
  19. O melhor sitio para começar é nos sites SIG das câmaras Municipais.
  20. As câmaras têm cartografia geral dos concelhos e plantas de localização. Se a finalidade é encomendar projectos terá que mandar efectuar os levantamentos de preferência referenciados á rede geodésica nacional. este levantamentos são efectuados por topógrafos, e geralmente são encomendados pelo arquitecto. Penso da minha experiência que nenhuma camara tenha levantamentos de todo o cocelho com o detalhe que exige depois na fase de licenciamento. E se os tiver não devem ser baratos.
  21. Boas, essas definições que procura, na legislação Portuguesa estão associadas aos PDM e regulamentos dos Municipios, que definem nos seus regulamentos esse tipo de afastamentos, cerceas, etc. Essa informação consta tambem, dos planos de urbanização, loteamento, etc. que têm sempre no nivel superior hierarquico os PDM. Existem recomendações dispersas relativamente a essas definições, no RGEU relativamente a afastamentos e outros parâmetros urbanisticos, e por exemplo no decreto das acessibilidades, o famoso 163 de 2006. Mas de facto não existe um documento orientador geral nem faz muito sentido
  22. Como?... Topográficos deve ser a palavra que procura, agora... isso é o tipo de coisa que não se arranja... eles andam por ai. Agora a sério, existem centenas de formatos de cartografia a diferença e o local onde podem ser "arranjados" depende mesmo de uma simples pergunta, qual a finalidade?
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.