Jump to content
Arquitectura.pt


Sites de gabinetes de arquitectura


forumdacasa

Gostas de sites em flash e/ou de fundo escuro  

42 members have voted

  1. 1. Gostas de sites em flash e/ou de fundo escuro

    • Sim
      26
    • Não
      9
    • Não tenho opinião ou não quero responder
      7


Recommended Posts

Estive a ver alguns destes sites e queria sugerir uma visita aos seus autores, que poderão ou não andar por aqui:

http://www.useit.com/

Façam a diferença pelo trabalho de arquitectura e não pelo design dos sites. Quem visita os sites não vai lá pelo aspecto do site, vai lá pela arquitectura.

Em muitos casos até poderia comparar o uso de flash à instalação de marquises e a utilização de fundos escuros ao uso de leões nos portões de entrada... :p

Já agora, quem daqui é que gosta de visitar e consultar informação em sites em flash e ou com fundos escuros?

Link to comment
Share on other sites

Não é uma campanha. É uma questão de usabilidade, uma sugestão no próprio interesse dos visados.

Muitas vezes abandono os sites porque não quero ou não tenho paciência para andar a "descobrir" onde é que está o que procuro e estas duas características são muitas vezes culpadas por isso.

Como sou interessado pelo assunto, custa-me um pouco ver algumas coisas.

Já agora, os donos dos leões nos portões de entrada também gostam deles, isso não quer dizer que seja a única condição para que lá estejam... :p

Link to comment
Share on other sites

Acho que depende muito do sites, porque se os há maus nessas condições (negros e/ou flash), também os há bem interessantes... PS: Tomei a liberdade de alterar o título de "e" para "e/ou", como parece ser a real intenção da pergunta :p

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

Repara, pergunto se os membros gostam por uma questão de interesse. No entanto, a usabilidade de um site não é uma questão de gosto, é uma questão de acessibilidade e utilização. Acho que não me estou a fazer entender. Um site funciona dentro de determinados moldes, certo? Existe toda uma estrutura que é de esperar que seja comum. Da mesma forma que numa qualquer aplicação num computador tu sabes que debaixo do menu File/Ficheiros deverás encontrar o comando para Abrir/Guardar, a internet funciona mais ou menos da mesma forma. Há expectativas e quando essas expectativas não são cumpridas, o objectivo pode sair gorado. Nos sites em flash isso nunca acontece. As informações e os links são escondidos detrás de menus e animações que nada acrescentam e só dificultam a navegabilidade, só com o objectivo de serem diferentes acho eu. As introduções em flash por si só podem ser irritantes porque muitas das vezes não têm forma de se passar à frente. Já nem falo da música de fundo. Um site tem um propósito. Neste caso é muito simples, facultar informação a determinados públicos. Digo eu, clientes. Mas vejo os sites e tenho dificuldade em descobrir a informação que procuro. Tenho que andar à procura. E isso não deveria acontecer. As coisas que procuro deveriam ali estar, à minha espera e não o oposto. Parecem-me sites que vivem em função de si mesmos e não do objectivo final que é o visitante. O fundo escuro funciona como um elemento que me parece excessivamente utilizado, quando há um espectro de cores muito alargado. Um cliché poder-se-ia dizer. Mais uma vez as vantagens práticas em adoptar um fundo escuro são muito poucas. A legibilidade diminui e em algumas pessoas até pode, pelo contraste, provocar dores de cabeça. O sentido estético é importante, mas coloca-se a questão: deverá a forma sobrepor-se à função? Abordei isto porque me parece que alguns dos sites poderiam ter uma eficácia bastante superior, se correctamente implementados. Atrevo-me a dizer que a taxa de desistência em muitos deles deve ser elevada. Não sou eu que digo isto. Muitos especialistas o dizem, apenas achei que seria útil deixar o aviso aos proprietários dos sites - não é uma campanha nem nada que se pareça. O dinheiro que gastam/gastaram poderá estar a ser desperdiçado...

Link to comment
Share on other sites

Vou falar do assunto como webdesigner/webmaster que sou...


O flash tens a suas vantagens a nível estético e de beleza para os sites. Mas junto a capacidade de fazer algo extraordinariamente belo, junta-se varias desvantagens, tais como: a manutenção do site, o interface com o utilizador e a capacidade de rapidez daquilo que é pedido.

Os sites em flash, caso forem sobre algo que esta em constante mudanças, pode-se tornar totalmente incompatível tanto para o webdesigner como para o utilizador do site.

Os sites em flash, devem simplesmente ser aplicados em sites de empresas que raramente fazem alterações de conteúdo ou então a sites muito específicos na qual o publico que vai la também o é, querendo algo realmente e extraordinariamente inovador.

O Flash, deve ser encarado como o "sal" do site, um menu... um banner... algo que torne o site mais dinâmico e esteticamente belo. Site 100% em flash não é viável.


No que diz respeito a cor de fundo preta, já é uma opinião meramente de gostos. Tecnicamente a cor de fundo não afecta o site, nem mesmo quem os utiliza.

Pode-se por simplesmente esse simples facto, devido a moda actual, dos sites serem com fundos claros. Mas a próxima geração web (2.0), irá lentamente destruir essa ideologia de sites com fundos claros.

Os sites com fundos pretos, começam hoje em dia a cada vez se ver mais. Sites esses que estão muito bem construídos e que esteticamente são ricos.

Posso dar vários exemplos:
http-~~-//images.templatemonster.com/screenshots/17500/17531-b.jpg
http-~~-//images.templatemonster.com/screenshots/3900/3949-b.jpg
http-~~-//images.templatemonster.com/screenshots/3900/3916-b.jpg
http-~~-//images.templatemonster.com/screenshots/2900/2905-b.jpg

Em relação a mobilidade no site, isso já não é culpa das cores, principalmente a cor de fundo, mas sim de como foi construído e de como é a filosofia do site. Mas isso já é outra questão, pois hoje em dia continua-se a cometer vários erros a nível de mobilidade nos sites. Isso deve-se porque em muitos casos, as empresas querem ver o site como eles gostam e não a pensar de como o publico ira reagir.
Isto faz com que o wbedesigner e/ou webmaster tenha um trabalho redobrado, mas muitas vezes ele torna-se impotente aos pedidos do cliente, acabando por ter de construir algo que a partida não ira resultar para os visitantes.

O webdesigner tem de fazer o site alem de funcional e estético, mas muitas vezes esta limitado as regras do cliente.
Em relação ao webmaster, ele tem de trabalhar em 3 frentes... tem que fazer aquilo que o webdesigner e/ou o cliente pende e que seja como eles dizem, tem de pensar como fazer as coisas de forma a que seja fácil ele poder mexer mais tarde e tem de pensar como as coisas irão funcionar para o publico de forma a que este visite o site.

Tudo isto as vezes pode ser difícil... mas não é impossível.



Portanto as cores de fundo... gostar ou não gostar, faz parte simplesmente do gosto e não afecta os "movimentos" pelo o site. Em relação ao flash, isso já se torna mais complicado, mas realmente tudo dependera de quem será o publico alvo e/ou o objectivo do site.




PS.: O meu site... www.jokerartgallery.com, tem fundo escuro e não é por isso que tenho vindo a ter menos visitantes. Alias... estou com uma media diária de quase 300 visitas. Portanto, como já disse, tudo realmente depende de como esta construído e não da cor.

Existem regas na Internet, podem ver isso em www.w3c.org, mas nada que indique a nível das cores, que esteja ou não correcto. Estas regras são a nível de construção e normalmente não afectam o aspecto ao utilizador, mas sim no que se refere ao código fonte do site.

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

errrr...Como profissional na área, digo-te que estás errado. Para além do Flash suportar maior parte dos standards que o Jacob Nielson criticou em 2005 o que ele apoia é a usabilidade e acessibilidade nos sites, mas neste caso começa mal porque o site dele (feito em 2005) contém erros de acessibilidade, o mesmo acontece com o site da empresa dele.

Digo-te que maior parte das pessoas permanece mais tempo no site pelo seu design e pelo conteúdo do site. Uma boa mistura de ambos é essencial, mas o que permanece é o design e a boa experiência do utilizador. Embora tenha muitos dos livros do Jacob Nielson, convenhamos que já não estamos em 2005 e que até então a web e as tecnologias evoluiram muito, mas claro convém sempre uma boa dominação das técnicas e das ferramentas.

Hoje os padrões de acessibilidade estão mais definidos, já existem mais ferramentas, mais complexas e avançadas para ajudar os programadores nesse sentido, até mesmo em Portugal já existe uma resolução em Conselho de Ministros sobre a acessibilidade nos sites.

Seria óptimo apoiar os standards mas dou-te o exemplo da Casa da Vizinha que demorou 3 dias só a limpar a código; o código não têm erros, não têm avisos, mas em algumas páginas contém 200 erros de acessibilidade AA (acessibilidade nível 1), no entanto uma das nossas preocupações foi tornar o site é perfeitamente navegável com apenas duas teclas e pode ser visto em browsers para invisuais.

Com o Flash podes fazer o mesmo, e tornar até a experiência mais agradável com som, navegação com duas teclas, etc, mas o trabalho seria provavelmente maior. E por vezes os prazos de entregas e respectivas limitações no orçamento não permitem muito mais, no nosso caso usamos uma alternativa ao Flash, que normalmente, é mais acessível, o Javascript.

Link to comment
Share on other sites

Connecty... não sei se estas a comentar o meu comentário... se assim for, a mobilidade a que me estava a referir não é bem essa. Estava referir-me a navegação pelo o site. Estou a falar no sentido em que por vezes, um site em flash tem vários movimentos e a abrir paginas ou a mudar de paginas realiza movimentos. Isso ira causar maior demora na navegação. Fazer um site em flash sem movimento, a meu intender acaba por não ser pratico, fale mais fazer noutra linguagem. Os sites em flash, também põem em causa a sua divulgação pelos motores de buscas entre outras questões. Mas como disse, são só contra o flash... mas sim contra os sites 100% em flash, não é viável em vários aspectos.

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

Não considero que a questao do site ser em flash ou com fundo preto ou amarelo ou de qualquer outra cor seja um facto depreciativo. Aquilo que se procura num site de um atelier de arquitectura é mostrar um portfolio. Esse portfolio pode estar directamente ligado ao processo de trabalho do atelier (http://www.big.dk ou http://www.jdsarchitects.com) onde através do site os autores comunicam com o visitante de forma bastante interactiva. Noutros casos os sites são um portfolio expositivo dos trabalhos, desta forma interessa claramente a apresentação e a comunicação das ideias sejam elas textuais ou em imagem.

Ser em flash ou em html para mim não é a questão, normalmente encontro sites em flash com muito mais qualidade que sites em html que por vezes não passam de meras listagens e muito pouco interactivos (http://www.airesmateus.com).

Neste caso acho que a questão passa mais pelo resultado final do que pelos meios para alcançar esse resultado. Haverá sempre que ser minucioso e rigoroso ao ponto de ser fazer as coisas a funcionar e a comunicar claramente.

p.s. a analogia dos sites às casas com leões parece-me que tem mais a ver com aquelas páginas do Hi5 ou sites cheios de gifs animados que só dificultam a leitura

Link to comment
Share on other sites

Vou falar do assunto como webdesigner/webmaster que sou...


O flash tens a suas vantagens a nível estético e de beleza para os sites. Mas junto a capacidade de fazer algo extraordinariamente belo, junta-se varias desvantagens, tais como: a manutenção do site, o interface com o utilizador e a capacidade de rapidez daquilo que é pedido.

Os sites em flash, caso forem sobre algo que esta em constante mudanças, pode-se tornar totalmente incompatível tanto para o webdesigner como para o utilizador do site.

Os sites em flash, devem simplesmente ser aplicados em sites de empresas que raramente fazem alterações de conteúdo ou então a sites muito específicos na qual o publico que vai la também o é, querendo algo realmente e extraordinariamente inovador.


O Flash é perfeitamente actualizável. Com o Flash dá para fazer várias coisas, dou o exemplo de uma aplicação que fizemos:
Restituo Monalisa
http-~~-//farm1.static.flickr.com/123/328802765_0ad847f7d2.jpg

Esta aplicação (software) usa Flash, e inclusive pode actualizar um site remotamente. O Flash é tão fácil de actualizar como uma página HTML no Dreamweaver, tens é de o saber usar correctamente, dois painéis que ajudam é o Project e a Library. Usando esses dois, nem se precisa de cliente FTP.

O Flash, deve ser encarado como o "sal" do site, um menu... um banner... algo que torne o site mais dinâmico e esteticamente belo. Site 100% em flash não é viável.


Vais-me desculpa mas não é verdade, um site 100% em Flash é tão viável como um feito em XHTML. Tudo depende da técnica e do uso da ferramenta. O que fazes em Flash podes fazer igual com Javascript e XHTML, mas em algumas situações o Flash facilita a tarefa.

As famosas intros em Flash são um desrespeito à usabilidade e à acessibilidade, isso sim recomendo a todos tirarem.

Pode-se por simplesmente esse simples facto, devido a moda actual, dos sites serem com fundos claros. Mas a próxima geração web (2.0), irá lentamente destruir essa ideologia de sites com fundos claros.


Os princípios da web 2.0 variam de autor para autor, os fundos escuros prejudicam os olhos, como expliquei neste tópico: http://www.arquitectura.pt/forum/f13/blacke-vs-google-7704.html
Mas apenas em sites onde os fundos negros ocupam maior parte do ecrã, nos restante o bom uso da cor, e do bom gosto, pode fazer toda a diferença.

Mas neste caso parte num principio de gosto do webdesigner, do cliente, por vezes da própria concepção da marca da empresa/cliente, e do gosto dos utilizadores.

Um bom exemplo onde se deve usar fundos negros é em sites de fotografia. Onde o destaque da foto, das cores e formas são mais perceptíveis do que em fundo branco ou colorido.


Em relação a mobilidade no site, isso já não é culpa das cores, principalmente a cor de fundo, mas sim de como foi construído e de como é a filosofia do site. Mas isso já é outra questão, pois hoje em dia continua-se a cometer vários erros a nível de mobilidade nos sites. Isso deve-se porque em muitos casos, as empresas querem ver o site como eles gostam e não a pensar de como o publico ira reagir.
Isto faz com que o wbedesigner e/ou webmaster tenha um trabalho redobrado, mas muitas vezes ele torna-se impotente aos pedidos do cliente, acabando por ter de construir algo que a partida não ira resultar para os visitantes.


Tens toda a razão, a mobilidade depende do código, e não das cores. Da mesma forma a portabilidade também não depende das cores.
Por acaso para ser sincero fazer um site móvel é bem mais fácil que um para ser exibido em ecrãs maiores, mas também...essa é a minha área :p

O webdesigner tem de fazer o site alem de funcional e estético, mas muitas vezes esta limitado as regras do cliente.


Acrescento ao funcional e estético, usável, acessível e portável.


Existem regas na Internet, podem ver isso em www.w3c.org, mas nada que indique a nível das cores, que esteja ou não correcto. Estas regras são a nível de construção e normalmente não afectam o aspecto ao utilizador, mas sim no que se refere ao código fonte do site.


As regras da W3C não se envolvem com o aspecto do site, mas sim com os padrões da web. A W3C define coisas como a formatação do XML, XHTML, CSS, etc, esses padrões são para o código e não para o aspecto do site. A W3C não define quaisquer regras para web!
Link to comment
Share on other sites

Connecty... não sei se estas a comentar o meu comentário... se assim for, a mobilidade a que me estava a referir não é bem essa. Estava referir-me a navegação pelo o site.

Estou a falar no sentido em que por vezes, um site em flash tem vários movimentos e a abrir paginas ou a mudar de paginas realiza movimentos. Isso ira causar maior demora na navegação. Fazer um site em flash sem movimento, a meu intender acaba por não ser pratico, fale mais fazer noutra linguagem.


Quanto à navegação basta usar o comando correcto como por exemplo:

on (keyPress "<Down>") {
    gotoAndPlay(125);
}

E definires a navegação da mesma maneira, assim funciona como teclas de atalho para uma rápida e fácil navegação. Uma má atitude que faz demorar os sites em Flash, são os carregamentos, maior parte das pessoas incluem as imagens dentro dos ficheiros em vez de os carregar remotamente.
Como te digo o Flash dá para fazer tudo o que faz um XHTML+Javascript, e com maior facilidade, e muito menos código, o Javascript é mais complexo, mas como temos librarias já feitas (www.origo.pt) torna-se mais fácil para nós.

Os sites em flash, também põem em causa a sua divulgação pelos motores de buscas entre outras questões.


Agora já não, os sites em Flash são perfeitamente lidos pelo Google (os bem feitos), podem inclusive ser lidos por browsers para invisuais como se textos normais se tratassem, até podes mesmo formatar o texto em HTML/XHTML, tudo o que tens de fazer é usar fontes Device.

Mas como disse, são só contra o flash... mas sim contra os sites 100% em flash, não é viável em vários aspectos.


Em sites com demasiada informação, por exemplo um portal, talvez não seja viável, porque o orçamento era bastante maior do que um feito com uma linguagem de programação, mas se existem fóruns totalmente feitos em flash, chats, software e blogs, porque é que não é viável?

Um bom exemplo: http://www.thinkswedish.com

Este site é totalmente feito em Flash, perfeitamente navegável como um outro blog, rápido, e perfeitamente pesquisável pelo Google e outros motores de busca.
Link to comment
Share on other sites

Connecty... concordo contigo em tudo, menos em fazer sites 100% em flash. Por vários factores... Mas isso já depende de como trabalha cada webmaster, não concordas!? :p;) Uma coisa é certa... existem actualmente muitos cancros na internet.... muito lixo... muito lixo...

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

ISso é que é JAG... só de pensar que eu queria criar um blog e esse endereço já estava ocupado com um com 3 mensagens, a última datada de 31 de Maio de 2001... e o assunto é um cão preto de um determinado indivíduo... enfim... irra...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

Um webmaster não faz o trabalho de um webdesigner, um webmaster gere um site, um webdesigner "desenha" o site.

Os únicos factores válidos para não fazer um site 100% em Flash é o orçamento. De resto a nível técnico (programação/design/etc) o trabalho acaba por ser maior ou menor dependendo do site que é.

Uma coisa é certa... existem actualmente muitos cancros na internet.... muito lixo... muito lixo...


Existe, mas isso é em tudo que é profissão. O bom é saber que há coisas boas!
Link to comment
Share on other sites

"Um bom exemplo: http://www.thinkswedish.com"

Para fazer isto... acho que é um desperdício o uso do flash... faz-se isso bem em XHTML/HTML... porque usar o flash? Só para dizer que sabe utilizar o flash?
São gostos...


Desperdício porque? Com XHTML nunca farias um blog sem uma linguagem de "servidor", depois esta empresa domina muito bem o Flash, se tu dominando a ferramenta fazes um blog em 3 dias, porquê utilizares uma outra ferramenta ou linguagem que te vai fazer demorar mais de uma semana?

Depois o objectivo da empresa é mesmo mostrar que domina todo o Flash, porque é essa a especialidade dela.

O Flash é uma ferramenta como outra qualquer, o bom uso dela pode produzir qualquer coisa e cumprir todos os requisitos propostos.
Link to comment
Share on other sites


Na busca de informação, prefiro o site português a qualquer um dos outros...

Aliás, no primeiro dei comigo a clicar na imagem à espera que algo acontecesse. Bastava ter feito scroll down para ver, não sei muito bem o quê.
No segundo fiquei confuso, a cadência de imagens é demasiado rápida e o ruído visual muito.

Achei a experiência de visita no site português, na busca de informação, muito mais fácil e interessante, se bem que também tem os seus defeitos.

Mas pelo que vejo, devo ser único. :tired:

Agora a questão, quando se visita um site de arquitectura, procuram-se experiências ou informação?
Link to comment
Share on other sites

Em sites com demasiada informação, por exemplo um portal, talvez não seja viável, porque o orçamento era bastante maior do que um feito com uma linguagem de programação, mas se existem fóruns totalmente feitos em flash, chats, software e blogs, porque é que não é viável?

Um bom exemplo: http://www.thinkswedish.com

Este site é totalmente feito em Flash, perfeitamente navegável como um outro blog, rápido, e perfeitamente pesquisável pelo Google e outros motores de busca.

Só pelo facto de me ter "desligado" o menu do botão direito do rato já está em desvantagem face ao XHTML... enquanto visitante.

Como exercício é interessante. De resto não vejo a vantagem.
Link to comment
Share on other sites

Agora a questão, quando se visita um site de arquitectura, procuram-se experiências ou informação?


Experiências, informação, inspiração, contactos, projectos, imagens, arquitectos, etc...

Só pelo facto de me ter "desligado" o menu do botão direito do rato já está em desvantagem face ao XHTML... enquanto visitante.

Como exercício é interessante. De resto não vejo a vantagem.


Desligou? O botão continua lá e as opções também. Podes não ter todas as funcionalidades, mas tens as essenciais, além disso o objectivo é esse. Num XHTML também te limitam as funcionalidade baseadas no elemento que clicar com o botão direito.

Com o Flash podes também ter as funcionalidades do botão direito, mas mais uma vez é preciso saber usar a ferramenta.

Como exercício é interessante. De resto não vejo a vantagem.


Ora aí está, se ambos podem fazer a mesma coisa é a dominação da ferramenta que interessa, ambas têm as suas vantagens dependendo do domínio da tecnologia.

Vai em torno da discussão Apple/PC, Autocad/ArchiCad/Outro, embora com algumas limitações estas ferramentas dão para fazer o mesmo, dependendo do conhecimento de cada uma das ferramentas, escolherá aquela que será melhor. Mas todas elas foram desenvolvidas para o mesmo efeito.
Link to comment
Share on other sites

O flash não foi criado para fazer sites... foi posterior adaptado para tal... Mas tudo como dizes-te depende dos conhecimentos de cada webmaster... se souber mais de flash, trabalha com o mesmo, se souber mais HTML trabalha mais com o mesmo. Depois o resto tudo depende de como ele é construído...

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

E desde muito cedo. O que fez dele uma boa aplicação para o desenvolvimento web! Mas voltando ao tópico inicial: a cor do fundo é um elemento de escolha, existem sites com bom uso da cor escuros, como sites de fundos claros que são verdadeiras marquises. Quanto ao uso de Flash, é a mesma subjectividade, se bem usado, funciona como vocês viram, se mal, pode criar as mesmas marquises.

Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.