Jump to content
Arquitectura.pt


tatlin

Membros
  • Posts

    387
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by tatlin

  1. Recebi um e-mail a dar conta da forma de envio das propostas, mas não compreendi o envio por correio, pelo que li parece que é preciso enviar a proposta por e-mail e enviar ao mesmo tempo pelo correio, não me poderão explicar melhor como se processa o envio por correio e e-mail? Parece também que não é preciso entregar nenhum elemento identificador na parte posterior do painel como costuma acontecer normalmente (pelo menos na minha experiência), isso é assim e identificam-me pelo codigo que me enviaram, ou é preciso enviar mais alguma coisa com o painel de modo a poderem-me identificar?
  2. Obrigado asimplemind, já agora a fedex também recebe correio de particulares ou só de empresas? tenho de enviar um envelope com tres dias para chegar a seattle e parece que só a fedex consegue esse tempo
  3. Fui ao site da fedex e parece pelo que entendi que existem envelopes e embalagens tipo, onde não me cabem os paineis.
  4. Vou enviar esta semana os meus primeiros painéis para um concurso e tenho algumas dúvidas sobre a forma de enviar que gostava de colocar aqui. Eu estou a pensar em usar os CTT mas estou a ver que ninguém os refere neste tópico, porquê? Não são fiáveis? Como costumam enviar os vossos painéis para o estrangeiro? Os painéis chegam ao destinatário ou este precisa de ir levantar a encomenda?
  5. Onde será que vi uma coisa parecida......:)
  6. http://www.fundacaomuseuferroviario.org.pt/Apresentação.html http://www.fundacaomuseuferroviario.org.pt/files/MNF_pag3.pdf http://www.fundacaomuseuferroviario.org.pt/files/MNF_pag3.jpg http://www.fundacaomuseuferroviario.org.pt/files/MNF_pag2.jpg
  7. Estava claramente a ser ironico, não sendo arquitecto não me posso queixar dos concursos publicos, mas como estudante de arquitectura também estou um pouco farto de comprar revistas de arquitectura e serem praticamente sempre os mesmos a aparecer e sempre com os mesmos projectos, francamente a unica revista que apresenta alguma diversidade penso que é a Arquitectura e Vida por muitos defeitos que se lhe possam colocar.
  8. De facto já estou um pouco farto de ver tantos projectos em Portugal serem atribuidos ao DavidAdjaye
  9. Genius party: Uma das varias provas da mestria japonesa em animação. Do blindness não gostei, achei pouco consistente, não sei se quem não leu o livro irá apanhar o fillme.
  10. Foi, a apresentação decorreu no auditorio 1 mas com pouca gente, foi bom de ver até porque foram levantadas algumas questões interessantes como a importancia do narrador nos romances, a escrita do Saramago, e por ai fora... Mas mesmo assim perferia ter assistido a conferencia no ISCTE.
  11. Ao contrário da Margarida acho que este ateliê tem grande criatividade e esta habitação revela isso mesmo. Sobre esta casa gostei particularmente da forma como resolveram a entrada. Ainda a poucos dias estava em frente a uma moradia talvez um palácio na rua da junqueira já perto de Algés com uma entrada barroquizante muito proeminente relativamente ao resto do edifício que de certa forma era muito “monolítico” e “apagado”. Esta escada tinha uma intensidade que me fez lembrar o restaurante da equipa Diller + Scofidio perguntando-me como poderia a arquitectura contemporânea introduzir de novo essa teatralidade característica da entrada barroca. Nesta casa penso que se conseguiu uma boa aproximação dessa ideia de entrada não sei se foi intenção dos projectistas mas é como entendo o projecto nesse pormenor.
  12. Não pude ir, fiquei retido em belem pela chuva e aproveitei fui ver o Saramago no CCB, que tal foi a conferencia?
  13. Parecendo que não temos um bom grupo de arquitectos a nivel internacional a construir em Portugal: Sejima, Paulo Mendes da Rocha, David Adjaye entre outros.... A localização deste centro pode ajudar a criar uma "strip" com massa critica para atrair mais turismo, formada pelo museu dos coches, museu do oriente, museu de arte antiga e este centro.
  14. Hoje fiz a minha primeira montagem em photoshop e estou a ver que ainda tenho muito para aprender..
  15. Esta casa lembra-me um pouco a Lovell House do Richard Neutra, pelos espaços interiores, pela implantação no terreno e pelo genero de formas de um "modernismo californiano".
  16. A primeira proposta para a colocação de um shopping na estação de Sº Bento foi a uns bons dez anos e era da altoria do arquitecto nuno leonidas, na altura fiquei perplexo com o projecto. O projecto de intervenção apresentado incidia sobra a parte mais interior da estação entre o enorme hall e a entrada do túnel ou seja a gare dos comboios. Assim neste projecto estava previsto demolir as estruturas em alvenaria e madeira com um só piso que delimitam a gare e construir ai duas estrutura com rés-do-chão e primeiro andar (cada um com uns bons quatro metros pelo menos de pé direito) uma na ala Norte e outra na ala Sul, uma ponte liga a meio da gare as duas alas, todo o conjunto tinha uma plasticidade muito pobre e sobre tudo não respeitava a estação, Três coisas que para mim são fundamentais naquela estação e que o projecto apresentado na altura não respeita são: o contacto com o exterior na gare dos comboios, uma pessoa entrando ou saindo do comboio sente que chegou ao centro do Porto, acontece uma coisa semelhante com a estação do Oriente em Lisboa, além disso o contraste entre as estruturas direitas e homogéneas da estação com a amalgama de cores e feitios do casario sempre foi no meu entender um dos aspectos que contribuiu para o carácter pitoresco da estação, lembro-me que quando vivia no Porto era frequente ver estudantes de belas artes e arquitectura a desenhar essa relação que se dá da gare de comboios com o exterior da estação. A questão da segurança com a interacção entre comboios, passageiros, clientes do shopping também não é de desprezar, o Eduardo Souto Moura teve de ampliar os cilindros da estação da casa da música, que eram para ser uma espécie de parapeito de varanda sobre o interior da estação, devido a falta de segurança com as catenárias do metro que lhes passam por baixo, uma ponte passando por cima das catenárias na estação de Sº Bento tem o mesmo problema. E por ultimo outro problema que se levanta na proposta é a entrada principal do shopping que da para Sul da gare numa zona que de facto, no meu entender precisa de ser bastante melhorada, mas a forma como o projecto a trata não respeita as características da zona a apresenta-se de forma niilista como uma frente de shopping com um grande parque de estacionamento em frente e não um espaço acanhado em forma de cunha que é. Não sou contra a valorização de um pequeno shopping na estação, mas sou contra algo projectado por economistas cuja única finalidade é a da máxima rentabilização financeira do projecto. A valorização comercial de um equipamento como este pode beneficiar muito a relação entre a cidade e a estação, essa valorização deve ser feita por caminhos mais heterodoxos, que passem pelo aproveitamento das características mais particulares desse espaço como lugar de encontro e reunião (por exemplo) com a zona pedonal da gare a ser usada para esplanadas sem prejuízo de quem a usa para apanhar o comboio.
  17. Eu ainda sou do tempo.... [ame="http://www.youtube.com/watch?v=pRV9QCXLtHQ"]YouTube - Animals - The House Of The Rising Sun[/ame] [ame="http://www.youtube.com/watch?v=-wI6uAOHzvo"]YouTube - The mamas and the papas - California dreamin[/ame] [ame=" "]YouTube - Somebody To Love/White Rabbit Jefferson Airplane[/ame] [ame=""]YouTube - A Whiter Shade Of Pale - Procol Harum[/ame]
  18. [ame=" "]ttp://www.youtube.com/watch?v=T5Xl0Qry-hA[/ame] KILL BILL
  19. A byblos aqui em Lisboa estava no meu entender muito mal localizada, nem tinha metro á porta como acontece com as três fnac de Lisboa, nem estava intergrada num shopping a verdade é que só lá ia quem queria ir mesmo a Byblos, enquanto que na fnac as visitas acontecem com uma certa regularidade e ganha muito com a "compra por impulso". É uma pena porque de facto em termos de arquitectura tinha la livros dos quais já me esqueci e outros que nem sabia existirem enquanto que nas outras, mesmo na fnac é sempre mais do mesmo, podia ser de facto uma ancora para este projecto da praça de lisboa no Porto (o qual francamente não gosto nada) e aumentar o tipo de oferta literaria no Norte do Pais. Pode ser que alguem compre a ideia e monte de novo esta livraria em tempo de maior prosperidade la para 2014.
  20. infelismente é a terça e quinta logo quando tenho mais aulas:(
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.