Jump to content
Arquitectura.pt


concentratZen.dk

Membros
  • Posts

    132
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by concentratZen.dk

  1. eu lembro-me do anuncio...ms continuo a nao entender...ja deixou dese comercializar em portugal?...digo isto pk estive a beber um caprisone ha minutos....lolol...ms ja n m lembro se em portugal ainda ha...cerebro de arquitecto é o q dá...lolol abraço
  2. pera ai ms o capri-sone ainda existe em portugal certo?
  3. Founded in Florence by a group of radical young architects in 1966, SUPERSTUDIO was at the heart of the architectural and design avant garde until its dissolution in the late 1970s. Through photo-collages, films and exhibitions, it critiqued the modernist doctrines that had dominated 20th century design thinking. "In the beginning we designed objects for production, designs to be turned into wood and steel, glass and brick or plastic - then we produced neutral and usable designs, then finally negative utopias, forewarning images of the horrors which architecture was laying in store for us with its scientific methods for the perpetuation of existing models." This was how Superstudio described its work in a catalogue the group produced to accompany the 1973 exhibition Fragments From A Personal Museum at the Neue Galerie in Graz, Austria. Superstudio was then at the fulcrum of avant garde thinking in architecture and design. Ever since it first surfaced in 1966 at the Superarchitecture exhibition in the Italian town of Pistoia, Superstudio had been among the most vociferous of the radical design groups which were challenging the modernist orthodoxies that had dominated architectural thinking for decades. By questioning architecture's ability to change the world for the better and the boundless faith in technology expressed by earlier, more optimistic groups such as Archigram in the UK, Superstudio raised issues which have preoccupied successive generations of architects and designers from Studio Alchymia in late 1970s Italy and to the Memphis collective in the mid-1980s, to contemporary figures like Rem Koolhaas and Foreign Office Architects. Superstudio was founded in 1966 by two radicals – Adolfo Natalini and Cristiano Toraldo di Francia - who had met while studying architecture at the University of Florence. Later they were joined by Alessandro and Roberto Magris and Piero Frassinelli. The group's relationship with Florence, where the five founders continued to live after graduation, was critical to its work. "It is the designer who must attempt to re-evaluate his role in the nightmare he helped to conceive, to retread the historical process which inverted the hopes of the modern movement," pronounced Toraldo di Francia. "And in Italy, Florence, a town where all such contradictions become most evident (the moment one draws the curtains of mythically misrepresented past) stands historically symbolic." Yet the central theme of Superstudio's agenda over the next 12 years would be its disillusionment with the modernist ideals that had dominated architectural and design thinking since the early 1900s. Once fresh and dynamic, by the late 1960s, modernism had hit intellectual stasis. Rather than blithely regarding architecture as a benevolent force, the members of Superstudio blamed it for having aggravated the world's social and environmental problems. Equally pessimistic about politics, the group developed visionary scenarios in the form of photo-montages, sketches, collages and storyboards of a new 'Anti-Design' culture in which everyone is given a sparse, but functional space to live in free from superfluous objects. Superstudio was not alone in its concerns. The collective emerged in 1966 at the moment when the technocratic optimism of the first half of the 1960s was souring. The watershed was the beginning of the Cultural Revolution in China in 1966 when Mao Tse-tung gave Western intellectuals a new cause to believe in after a decade of disillusion since their faith in communism was shattered by Khrushchev’s exposure of Stalin's brutalities. Events in China made Western society seem spiritually barren at a time of growing concern about the Vietnam War. In the visual arts, radicals rebelled against the extrovert imagery of Pop Art in favour of the politically engaged work of Fluxus artists like Joseph Beuys and Nam June Paik. The rising tide of political frustration culminated in the 1968 student riots in Paris and copycat protests in London, Tokyo and Prague. Women formed fledgeling feminist movements such as the Women's Liberation Front in the US and Mouvement de Libération des Femmes in France. Decades of oppression against gay men and women erupted in a pitched battle in New York, when the police tried to close the Stonewall, a gay bar in the West Village and a politicised gay rights movement exploded. Superstudio's response was to develop its 'Anti-Design' projects: themes from which were echoed in the work of other radical architects and designers, notably the members of Archizoom, a fellow Florentine group consisting of Andrea Branzi, Gilberto Corretti, Paolo Deganello, Dario and Lucia Bartolini and Massimo Morozzi. Both groups were founded in 1966 and their first important project was to express their theories about the crisis of modernism in the Superarchitecture exhibition in Pistoia, Italy. A year later, they refined the ideas aired in Superarchitecture in a joint follow-up show in Modena. During this period, Superstudio still clung to the conventional wisdom that architecture could be a powerful – and positive – force for progress. By 1968, the group had dismissed this notion as improbably optimistic. The following year Superstudio unveiled The Continuous Monument project in which the apparently endless framework of a black-on-white grid - which was to become the group's best known motif - extends across the earth’s surface in a critique of what Superstudio saw as the absurdities of contemporary urban planning. The group created photo-collages to show the grid cloaking the Rocky Coast, Coketown and Manhattan. In 1970, Superstudio then revived the grid – its "neutral surface" – in a collection of furniture manufactured by the Italian company Zanotta. Designed in stark, geometric forms and covered in the ABET plastic laminate traditionally associated with cheap cafés and 1950s coffee bars, its Quaderna tables, benches and seats were a wry, but functional commentary on political disillusionment. During the early 1970s, Superstudio made a series of films intending to raise awareness of the potentially negative environmental impact of architecture at a time when such issues were seldom explored. In 1972 the group was offered an opportunity to articulate its theories to a broader public by participating in Italy: The New Domestic Landscape, an exhibition of contemporary Italian design at the Museum of Modern Art in New York. The radical work of Superstudio and Archizoom was shown alongside that of their more conventional compatriots such as Marco Zanuso and Richard Sapper. During the same year, Superstudio set its sights on the heritage movement by developing a surreal proposal to flood Florence by blocking the Arno thereby submerging the city centre under water except for the dome of the cathedral in a parody of the conservative Save the Historic Centres campaign. The group was given another prestigious international forum in 1973 when its work was surveyed in a retrospective exhibition – Fragments From A Personal Museum – at the Neue Galerie in Graz. By then, most of the members of Superstudio were teaching at the University of Florence, where they had met as students. The group remained active – albeit less energetically so – throughout the mid-1970s, only to fold in 1978 when the five founders concurred that they had lost momentum as a collaborative force and that they might be more effective by working independently. Superstudio's thinking has proved more enduring than the group itself. Quaderna tables are still in production at Zanotta and Superstudio's collages and drawings have been acquired for the permanent collections of Centre Georges Pompidou in Paris and the Museum of Modern Art, New York. Moreover the group's once radical theories about architecture's environmental impact, the potentially negative consequences of technology and the inability of politics to untangle complex social problems are now considered to be core concerns by self-aware contemporary architects and designers. http://www.nogome.com/nogome/archives/images/super32st12udioa.jpg....... http://www.neuegalerie.at/03/support/press/superstudio_rgb.jpg....... http://www.archphoto.it/superstudio.jpg abraço
  4. just to share...isnt that the meaning of life or at least one of the components of the meaning?... if you have time and youre in the mood just take a look...:. http://www.kum.dk/graphics/kum/downloads/Kulturomraader/Arkitektur/UK_arkpol_publ.pdf abraço
  5. bem vamos la trazer o tópico e a petiçao outra vez à ribalta....lolol assinem porfavor!!!!:D
  6. The Harbour game [Havnen På Spil], by Projektgruppen Havnen På Spil, is a mixed reality debate game for city planning and citizen involvement that allowed players and citizens to debate scenarios for the future harbour in Århus through playful interaction. http://www.daimi.au.dk/~nrune/web/movies/HPS.mov The common tools used in planning processes are e.g. hearings, environmental reports and architectural contests. But are the existing tools and methods comprehensive. Do they allow all interests to speak up and do they output fulfilling results? Is it possible to involve interests in the process and still reach a satisfying result? As an attempt to answer some of the above questions, the Project group Havnen På Spil, created a mixed reality debate game based on earlier versions made by Kollision. The intention has been to discuss the harbour areas of Aarhus and is timed and initiated as a parallel process to the one maintained by the municipality. Large areas of the inner city are going to be transformed and rebuilt in the near future and the responsible authorities are planning the areas mainly based on an already held traditional architectural contest. Basically the project can be divided into three main states referred by as dimensions. The following sections briefly describe the dimensions of The Harbour Game: The 1st dimension, The Width - collecting data and engaging the city In the 1st dimension of the project the city of Aarhus was addressed and engaged by using posters, postcards, newspapers and sending and maintaining newsletters and discussions forums on a website encouraging the citizens to participate and assure a wide foundation for the upcoming Harbour Game. In a period of three months all kinds of material concerning the specific areas was collected. Material like architectural contests, abstract visions and concrete projects in all kinds of scale formed the basis of 100 projects / collages on posters to be used in the next dimension. The projects were divided into eight categories: Healthcare / social services, education, housing, industry / trade, cultural affairs, infrastructure and tourism. The 2nd dimension, The Height - creating scenarios using The Harbour Game The 2nd dimension of the project The Harbour Game took place the 8th of November 2002, a public event with about 150 audiences. 16 players representing four groups of interest were invited: Politicians, industry / trade, experts and citizens. Among them was the Mayor of Aarhus, town councillors, NGOs, cultural experts, students, consultants, and architects specialised in infrastructure and planning. The teams were given missions, a short description of a predefined focus. The missions were meant to make sure that different project types like e.g. infrastructure and housing was represented and taken care of. The teams had to agree on only four projects to solve their mission. Parallel to the discussions of the teams, the audience could cast their vote and indicate what area of the harbour they would like the players to focus on. The harbour was divided into 16 areas and formed a 2x4 meters gaming table. Every area on the table had a default value representing more or less abstract indicates on cost price, status in the district plan, percentage of exploitation etc. The area values were adjusted in accordance to the votes of the audience, in such a way that the most popular areas would be the most affordable to use for placing a project in the sense that the teams could “earn” points by fulfilling their mission and by completing projects but at the same time had to pay for the cost of exploiting a given area. The common goal of the game was to develop the harbour areas through negotiations and debate; therefore there could be neither winners nor losers. The nature of The Harbour Game might not be to point out a winner, but still there were mechanisms like coalitions, fractions and points that kept up the syntax of a game. A game had four rounds and was turn based. Every team had two turns on each round. During the game a game master was in charge and it was his job to both be in control as a chairman and if necessary be the judge of disagreements or enquiry. During a turn a team could: Place a project marker in a desired area. It was required that the teams had to argue as to what, where and why Negotiate with another team about supporting a project Move one of its own project or support markers At the end of the game the audience could vote for the team they liked best - the one they felt took the best care of their interests. The audience was also given the opportunity to take part in the debate by using a travelling microphone. Finally at the end of the game the points were added up and the game master compared the votes of the audience with the points given by the game. A total of two games were played during the day with the same teams but with different missions. The 3rd dimension, The Length - qualifying and concluding the outcome of the earlier dimensions The Harbour Game did output a multiplicity of ideas and suggestions for the future use of the harbour areas, including proposals like houseboats for elderly, a multimedia library and the idea of a Rambla known from Barcelona (Let infrastructures be partly based on tunnels and pedestrianized streets). The 3rd and last dimension of the project concerned qualification and use of the massive amount of data and communication from the earlier dimensions. During three months the project team developed methods and visualizations to overview and handle the consequences of the played scenarios. The aim was a public event, both to commit one to present an understandable and useful process to the public and to reassure that the outcome of the project would be presented to the municipality as a proposal for a controlled and workable method for involving citizens in urban planning. The presentation lasted two days and was defined by the following themes: The city in the computer - Interactive virtual scenarios and representations of the discussed areas in CAVI The computer in the city - Interactive experiments using mixed reality techniques in a real-life context relatedPublications:. Nye Anvendelser af Interaktive Teknologier i Rumligt Design Situated Computing: afsæt i rum, sted & tidEnglish title: New use of Interactive Technologies in Spatial DesignNielsen, R. 2006 PhD thesis Planlægning på spil - en undersøgelse af spil som redskab til borgerinddragelse i (by)planlægningsprocesser Delman, T F; Løssing, T & Nielsen, R. 2003 Nordic Journal of Architectural Research. Volym 16, #3, 2003, p 43-54 A Mixed Reality Game for Urban Planning Nielsen, R; Delman, T F & Løssing, T. 2005 CUPUM2005, London Urban Games Løssing, T & Nielsen, R. 2004 Digitale designprodukter - vision og virkelighed. Designskolen Kolding Havnen På Spil (The Harbour Game) Projektgruppen Havnen På Spil. 2004 DVD + booklet video:. Quicktime movie: The Harbour Game - A mixed reality game for urban planning abraço
  7. asimplemind obriigadao!!!mesmo... ja esta tudo tratado esse site foi fenomenal...pk tem 1 internacional jorney plan...que + nenhum excepto o austriaco tem...é muito bom....ja planeei tudo...obrigadissimo!!! abraço e boa sorte para as entregas suponho que estejas a ter por agora!!!
  8. barcelona deve ser muito fixe ms em relaçao a faculdades eu escolheria a etsam!!!sem duvida, ve isto:. http://www.aq.upm.es/ e isto http://www.freshmadrid.com/ fica bem...qd encontrar +info eu venho postar aqui... abraço e boa sorte pra tua procura!!!:)
  9. bem...por respeito a quem realmente qer discutir vou responder... bruno miguel de melo dias...ola!!!! epa...em relaçao a prof teresa fonseca tens razao ...peço desculpa n tera sido a melhor citaçao..ou melhor a citaçao indica o que eu qeria...o sujeito que a proferiu nao é coerente cm o que eu estou a tentar mostrar...certissimo..ao contrario de algumas pessoas dou a mao a palmatoria... _exatamente...ms eu referi o contrario?o que eu estou aqui a dizer nao é que nao se deve apreciar a qualidade de trabalho seja do siza seja de qem for, o que estou contra é esse culto a personalidade, essa submissao...eu disse atras e volto a dizer duvido que o siza goste disso ms o infeliz tem que viver com isso...e acrescento duvido que o siza seja apologista da submissaoá sua pessoa... _manda um abraço ao prof camilo!!!aproveita esse grande professor!!!infelizmente n foi meu prof...ms tive conversas com ele e qts vezes m infiltrei nas suas aulas:D _exatamente!!!nem +!!!ms também n s fica pelo siza?nem tao pouco se fica por h&demeuron?isso chama-se abertura de mente!!!(que foi criticada aqui atras pelo nosso amigo ARK)...as linhas d corte n existem...as pessoas criam-nas...o que eu digo é que a faup ,e nao só, sao propicias a isso...pk ensinam como pensar e nao a pensar...percebes a diferença?o prof camilo é uma excepçao à regra...e por isso mesmo pergunta ao prof camilo se ele esta de acordo cm o culto á personalidade Siza, e se esta de acordo com a ideia de filtragem(que mais uma vez o nosso amigo ARK fala)...faz-me esse favor e depois se puderes poe a resposta num proximo comentario. ah..ja m esquecia... _eu nunca disse que compreender siza ou uma obra deste fosse seguilo ou ´que por isso só se ve siza...ms é se subtituires o compreender por copiar que é o que se passa na maioria dos casos, ou se substituires o compreender por compreender só...que infelizmente tb éo que se passa na maioria... _se te estas a referim porem com isto à discussao entre mim e o amigo ARK...sugiro-te que leias outra vez os commentarios todos...e tentes entender de onde surgiu o "renascentista"que nem fui eu que trouxe a discussao e aperceberte-as que apenas fiz uma intrepretaçao de um discurso anterior... _eu também entendi assim...ms nem toda a gente o entendeu assim... nem entende...esse é o problema percebes?é pena...pois poderia-se ter discussoes interessantes...e assim em vez lança-se granadas e foge-se... joaopedrosilva eu tenho o meu mail no meu perfil axo eu...s nao tiver e s m encontrares aqui no forum envia msg privada e eu tenho todo prazer de te enviar o meu mail e conversar-mos via msn e ajudar nas duvidas que tiveres a por, espero eu:D...(so pk o que perguntas foge ao topico...que alias ja esta desalinhado a muito tempo...e seria bom tornar a encaminha-lo) ARK:. _eu tb nao...é estranho a tua esponja nao absorve relaçoes cruzadas...notei isso agora...e mesmo quando sao pura logica directa a absorçao tb nao é completa...se nao consegues perceber que qd t pergunto se o dali era renascentista?...te estou a confrontar com a ideia que dali reconhece a qualidade da arte renascentista referencia-se nela ms nao copia, parte de algumas regras daqui ms depois caminha nas suas intrepretaçoes em direcçao ao surrealismo >>evoluçao>>>>>> este diagrama é claro?ou é preciso fazer um desenho? bem se n percebes isto...obvio que t estou a acusar...e o meu discurso é incongruente...claro que sim... _muito bom:clap:_+ uma vez e u desburocratizo: dislate=disparate.que é no fundo aquilo que se pode dizer de dar atençao a alguem como tu...por isso mesmo sem + demoras emrelaçao ao resto (neste caso farto) como tu!!! ah ja m esquecia outra vez(desculpa mondrian):. _correm o risco de queimar tudo...principalmente a eles proprios.... |Kandinsky|:. _bem vou ser moderador e mandar o meu bitaite: ideagramas!!! e esta hem???ui!!! agora é que a "esponja" colapsou de rejeiçao... abraço enorme, e um adeus à papa!!!!
  10. peço desculpa estive entretido com discussoes que dao dor de alma e provocam qestoes existenciais...a alguns...a outros simplesmente entra e sai pelo buraco que tem no cerebro...(ah digam la pensavam que ia dizer outro ouvido n era?) enfim...este sim é o meu topico preciso de gelado...de ar fresco de parque de verao...de libertar o espirito da poluiçao com que a arquitectura nos contamina... uma vez disse a um colega brasileiro:"sou uma pessoa do campo..da naturezada montanha...n pertenço aqui"(saliente-se que estava na faup) ao que ele respondeu:"quê tou imaginando voce no meio das ovelhas..."ao que eu suspirei:"prefiro essas ovelhas aestas ovelhas...":D bem...finito peço desculpa pelo desabafo... quanto a previsoes:. optimista:.200 pessimista:.39...lololol abraço e um cornetto
  11. ah n se preocupem muito...nao fechem o topico...pk isto nao terá + evoluçoes pelo - da minha parte...prefiro focar-me noutro topico mais sensato(ou rebelde? agora n sei...)o dos gelados(cornetto de noz) ah e se puderem assinem a petiçao...obrigado abraço, always open to discussions with MIND _FREE!!! ms n discussoes insensatas...fiqem bem ate um dia!!!qem sabe...+ perto do que possam imaginar.... ui ja me esquecia:. _nao disse tudo...ms tb nao qero dizer +...acredita que é melhor... _ainda n m parei de rir...essa imagem é fantastica...infelizmente é o q se passa... _como te entendo...suspiro mondrian:icon14: tak!!!para entenderem de uma vez por todas que é mais a norte da holanda...:)
  12. ah nao voltamos n.... _infelizmente cais em velho demasiado rapido...tenho 26 anos como tu...e vou ler nietzche ate ao fim da minha vida...ao menos leio... _banal???banal é o discurso faupesco portugalesco que ja cai no ridiculo...assim como tu pois n me fundamentaste nada que eu t pus no anterior comentario...ms passate logo ao ataque...é normal...nao te esqueças que convivi com pessoas como tu durante muito tempo...criei anticorpos... _como ja t disse leio e ja li muitos livros "proibidos pelo regime"(agora tu acertaste qerias dizer faup/arquitectura portuguesa de siza e discipulos..se sim foi muito bem conseguido pois é de fcto um regime que censura...) _quanto a citar um arauto(+ uma vez gostava de elogiar o teu discurso intelectualoide...para qem n sabe arauto significa mensageiro num discurso + usual.ms enfim percebam que o lllARKlll é um renascentista muita superior a todo o comum dos mortais...alias so assim pode ter sobrevivido tanto tempo desde o renascimento ate agora...)gostava de t perguntar de q citaçao estas a falar ou se falas do meu discursoem geral...porque se falas de nietzche...bem é verdade citei-o...se falas na citaçao que ves em baixo...também é verdade estou a cita-lo, e tu deverias ter particular atençao a essa citaçao(poderias aprender alguma coisa)se falas do meu discurso em geral...a resposta é: cito-me a mim mesmo...nao sou mensageiro da modernidade primeiro pk o movimento moderno ja foi ha muito tempo...ja teve os seus dias assim como o renascimento onde tu ficaste parado...pelos vistos _ha duas formas de adquirir conhecimento_compartilhar e abrir portas ou juntar e fechar portas..ou seja absorçao na partilha do conhecimento e na abertura de novas realidades que confrontam as anteriores...ou o percurso inverso ires seleccionando...bem o ideal é + uma vez a articulaçao dos 2...ms pelos vistos tu so filtras por onde venho a concluir que o teu horizonte nao é muito largo...é + uma especie de mira optica...limitado...alias nem era preciso ter feito este raciocinio todo para perceber isso...ms enfim..percebe-se pelo teu discurso... _asenta-te perfeitamente...ou deverei dizer penetra-te perfeitamente?... _andas em artes????estudas artes, arquitectura???"assim é o espirito avant-qualquer coisa"????percebo que sejas avant renascimento...e avant-siza...avant copy...ao contrario de ti sei muito bem qem sou ao contrario de ti nao sei para onde vou...o teu percurso é muito previsivel...é isso que acontece com a aprendizegem egocentrica...é muito limitada no "eu" e o meu pastor...sentes-te seguro por isso...claro que sim...da mais segurança...ms também é + do mesmo... _uhm...o novo porque contitui e caminha no sentido da evoluçao...faz sentido?...eu sei q para ti n...o novo fundamentado pensado e nao copiado...pois afinal de contas copiar n é novo nem nunca ha-de ser...e é isso que se resume a tua existencia afinal...copy atitude... _n entendi...isso foi uma asneira...é recorrente pelas tuas bandas...claro ..olha vamos fazer assim tu ficas no teu mundinho assim fechadinho fecha os olhos tapa os ouvidos...bloqeia a tua mente fecha janelas o + rapido possivel...ok?eu fico por ai...a espreita ms n muito porque sinceramenteja vi que ha pessoas com qem n vale a pena discutir nada...e tu(repara que n me dirijo na terceira pessoa) és uma delas...estive disposto a ouvirte e discutir...entarste no campo pessoal com insultos...pois bem ficamos por aqui...pelo - eu fico...é pena...ms vais ter q t contentar a discutir sozinho...afinal de contas vai de acordo cm a tua filosofia:.filtrar o maximo possivel. ms mantenho o convite de vires aqui e tomarmos um cafe ou um cappucino junto ao canal e conversarmos civilizadamente se consiguires senao é melhor nem vires... rui:. "Eu creio que já vi esta discussão por aqui várias vezes, parecida ou praticamente igual. Eu tenho opinião de que tudo é válido, maquetes ou 3d ou desenho. Por formação, essa mesma da faup, uso o desenho, tenho passado os meus anos académicos a tentar aprender o que tinham para me ensinar, em relação a esse temido, amaldiçoado, aterrorizador método que agora tanto mete medo a jovens gerações que temem chegar a velhos sem terem revolucionado definitivamente o destino da arquitectura mundial ou pelo menos transformarem Portugal num país com pelo menos um décimo da evolução mental do resto do planeta (ironia)." _rui eu fui teu colega na faup...conheço-te bem... n t intimides... eu entendi que era ironia n prcisavas de ter assinalado...ms obrigado pelo aviso... bem pelo - ha quem tente...o que m preocupa é qem fica instalado no seu mundinho sem procurar o "décimo da evolução mental" _ate aqui estamos de acordo... _também de acordo ms n no destruir...o que tu qeres dizer é revoluçao...ms ninguem falou em revoluçoes...ms sim evoluçao!!!é diferente fique claro...a evoluçao é feita pelos lead_persons a encabeçar e pelos "sensatos" como tu lhe chamas recai a dificil tarefa de fazer a ponte...ms é uma tarefa tao dificil como a de lead_person... e sim ambos exigemm sensibilidade e muita inteligencia... _eu ia-te responder construtivamente(ms como tenho o habito de ler os comments todos 1ro e so depois responder...foi o teu azar...ou sorte..qem sabe)...quanto ao trab de"m**** "(n sei pk recorrem a este tipo de linguagem...alias nunca entendi ms sei que é comum por esses lados...é só poluiçao sonora) _mesmo que fosse assim será que é "apenas" _ideologias de ponta?especifica... _como diria uma professora minha e tua"menino limpe o cerebro pk existe ai muito entulho"Teresa fonseca _perfeitamente de acordo...eu nunca disse para cortar...podes ler os meus comentarios ainda la estao no sitio e perceberes q nunca disse isso...apenas disse que n estamos no renascimento...é um dado adquirido...entende isso como quiseres... _concordo...ms aprender é uma coisa, beijar os pes e comer sem qestionar é outra distinta... _esta é outra vez uma indirecta à faup...ah como eu tinha saudades...ms é simples...perceber umaobra do siza tal como qualqer outra boa obra de arquitectura é sempre bom no teu caminho de estudante/arquitecto ou o que qer qe seja...falaste do siza pk ai nao se conhece + nada...essa é que é a verdade e qem conhece parece q tem medo de falar e discutir outras referencias outros metodos outasmaneiras de pensar a arquitectura...é blasfemia vai contra a biblia sagrada da faup...voces ainda n perceberam eu n estou a criticar sizas e companhias eu estou a criticar a voces alunos que comem e calam que caem no conformismo que nao qestionam que segem o rebanho,sim REBANHO!!!...e é o que acontece em digamos 90% da faup...felizmente alguns fazem erasmus....e outros conseguem libertar-se... _eu tenhomuito orgulho de ser portugues, sei muito bem qem sou..ms acredita que as vezes m apetecia ter-me chamado"van" qualqer coisa...principalmente por causa de pessoas como tu... _ _ou de um estilo/escola de arquitectura?n t limites a ti mesmo...liberta-te!!! _bem finalmente algum bom-senso e clareza de ideias...afinal n é tao complicado ser construtivo pois n? _parabens tb...exatamente e agora +importante que isso percebeste a msg da citaçao? aqui fica outra caso n tenhas percebido:. “Os homens de convicção simplesmente não tecem considerações no que toca aos fundamentos do valor e desvalor. Convicções são prisões. (...) A grande paixão usa e volta a usar convicções, não se submete a elas...” [O Anticristo] Nietzsche abraço a todos daqui a uns dias faço-te uma visita rui...manda abraço ao sr jorge!!!:)
  13. qeres a previsao optimista ou pessimista?...
  14. bem pondo isto de pernas para o ar...que as vezes é preciso...(àsvezes penso que é isso que falta a muita gente...é fazer o pino de vez em quando...re_oxigenar o cerebro) antes demais _certissimo...parabens!!!! _esclarece...pk n entendi...o desenho n esta na esponja?bem sempre podes segurar a tua pena e ir riscando arbitrariamente(e segundo um amigo meu ...n seria arbitrariamente pois o teu subconsciente fala sempre...ms isso é outra historia)...ms será isso desenho?deixo a qestao em aberto...ou desenho sera antes entendimento...perceber...analise intrepretaçao..acçao...atitude... _ok...eu sou um fa de dali...o subconsciente + uma vez(esta é uma das vantagens de responder pelo fim:D)...eu nunca disse que nao seria reconhecido...o que eu disse e torno a enfatizar é que tendo eu a certeza que esses artistas tinham "um palmo de cabeça" se eles vivessem numa realidade diferente...numa epoca diferente...usariam diferentes instrumentos...para expressar/por ca fora o que está na "esponja".chama-se evoluçao...alias o dali é um renascentista certo? _bem...isso é para ter piada n? + uma vez ao contrario:. _que artes????reconheço que temos excelentes artistas...ms poderiamos ter muito +...tambem temos muitos talentos que infelizmente ficam pelo caminho por causa das vacas sagradas que ocupam muito espaço e portanto n ha espaço para estes novos...alguns vao embora e alargam ainda + as suas portencialidades(pensando um dia voltar para tentar fazer o impossivel e mudar o que esta ESTIPULADO, outros ficam e beijam os pes das vacas...alem que tens que especificar...estamos a falar de arquitectura ou alargamos o tema de conversaçao...é que arquitectura esta dentro do campo artistico ..ms n é o campo artistico...e acredita que m interessa discutir isso(pois defendo incesantemente uma tranversalizaçao na visao arquitectonica uma contaminaçao de outras linhas artisticas...para terminar em arquitectura...seja la o que isso for...)ms sera isso que qeres discutir?ou melhor sera isso que se esta a discutir? _gosto muito do teu discurso intelectualoide...palavras caras e tal...poderias explicar o que é o conceito que referiste so para quem poderán saber de seu legitimo direito?ou faço-o eu*...ms n n é fruto de uma era ou moda...ms vamos la esclarecer uma coisa...onde é que eu disse mal de portugal?esses senhores que tu veneras representam portugal?é que eu n m sinto representado por eles...ms la está é a filosofia do todo poderoso...alem que se voltares a ler o meu ultimo comentario n referi la nada de mal contra o panorama arquitectonico portugues...apenas qero o seu melhor...que seja justo...que seja inconformado...que evolua... _quanto ao damos cartas no mundo da arquitectura...lllARKlll ja alguma vez saiste de portugal...ms sair mesmo (com "free-mind") para poderes realmente entender e absorver? _que tipos?estas a falar comigo...entao eu estou aqui refere-te a mim...se frontal...se eu estou aqui a trocar opinioes contigo pk te referes na terceira pessoa?pk s te referes na terceira pessoa ...entao se calhar n t diriges a mim...e sendo assim n entendo com qem estas a falar...trata-me por tu...e diz o q tens a dizer...depois vamos tomar um cappucino ao pé do canal...é assim que se passa nas holandas!...isso de fugir a frontalidade e mandar indirectas acontece muito nas fac de arquitectura em portugal...e ha pessoas que apanham o mm vicio...infelizmente...espero n ser o teu caso... “Os homens de convicção simplesmente não tecem considerações no que toca aos fundamentos do valor e desvalor. Convicções são prisões. (...) A grande paixão usa e volta a usar convicções, não se submete a elas...” [O Anticristo] desta vez digo>>>Nietzsche * Zeitgeist (help·info) is originally a German expression that means "the spirit of the age", literally translated as "time (Zeit) ghost (Geist)". It denotes the intellectual and cultural climate of an era. The German pronunciation of the word is [ˈtsa͡ɪtga͡ɪst] (IPA). The concept of Zeitgeist goes back to Johann Gottfried Herder and other German Romantics such as Cornelius Jagdmann, but is best known in relation to Hegel's philosophy of history. In 1769 Herder wrote a critique of the work Genius seculi by the philologist Christian Adolph Klotz (German Wikipedia article) and introduced the word Zeitgeist into German as a translation of genius seculi (Latin: genius - "guardian spirit" and saeculi - "of the century"). The German Romantics, habitually tempted to reduce the past to essences, treated the Zeitgeist as a historical character in its own right, rather than a mere conceptual instrument. Zeitgeist has achieved a unique status among German loanwords in other tongues, having found an entrance into English, Spanish, Dutch and Japanese. It is a term that refers to the ethos of a cohort of people, that spans one or more subsequent generations, who despite their diverse age and socio-economic background experience a certain world view, which is prevalent at a particular period of socio-cultural progression. Zeitgeist is the experience of a dominant cultural climate that defines, particularly in Hegelian thinking, an era in the dialectical progression of a people or the world at large. Hegel's main contribution to the formulation of the concept of Volksgeist is the attribution of a historical character to the concept. The spirit of a nation is one of the manifestations of "World Spirit" (Weltgeist). That Spirit is essentially alive and active throughout mankind's history. Now, the spirit of a nation is an intermediate stage of world history as the history of the World Spirit. The World Spirit gives impetus to the realization of the historical spirits of various nations (Volksgeister'). The spirits of individual nations are both the articulations (Gliederungen) of an organization and its realization. The spirits of individual nations represent a segment of the World Spirit out of which emerges the unlimited universal spirit. A comparison is introduced here between the status of an individual and that of a nation's spirit. In the process of his formation the individual undergoes various changes without, however, losing his identity. As a part of world history, a nation—exhibiting a certain trend expressed in its Volksgeist— plays its part in the total process of world history. But once it contributes its share to world history it can no longer play a role in the process of world history. The submersion in the total process prevents a people's cultural rebirth, because it has exhausted its creativity in the historical growth of its guiding spirit. It is for this reason that one of Hegel's disciples, Michelet, considered the idea of a renaissance of the Jewish people as philosophically impossible.
  15. _lol n pensei nisso eu andava + numa de divulgaçao...ms talvez "uma campanha de publicidade agressiva" funcione melhor:D:D:D:icon_pistoles: força Cinaminaminamina...
  16. lol _ou antes: tá bonitA? é que se for assim tenho muita pena ms tenho que dizer que n faz o meu tipo...:)
  17. _so uma correcçao...ainda n sou arquitecto... sou estagiario... _o forum so faz sentido se se participar na partilha e discussao de opinioes... alias eu diria mais a vida so faz sentido assim...demasiado radical?ja sei que m vao xamar utopico... n faz mal... "O mais importante não é a arquitetura, mas a vida, os amigos e este mundo injusto que devemos modificar". qerem adivinhar qem disse? abraço
  18. _interessantissimo...gostava de confrontar o arquitecto paulo david com a velha guarda... a casa das mudas...é um trab fenomenal..será que foi feito so com desenhos? _se é por isso pode-se abrir outro topico...e discutir-se...trocar opinioes...mind_free que é o que faz falta ao panorama arquitectonico portugues...felizmente isso esta a mudar...e qd toda a gente fizer erasmus e tiver estagios fora ou trab uns anos fora...puf essa atitude do todo poderoso esvaneia-se... um bom exemplo é o arq paulo david...temos tb os as* arquitectos...e os s'a arquitectos...e o camilorebelo...etc...can you feel it changing???can you? abraço
  19. _eu acrescentaria + ...ha muita gente que sabe desenhar e nao é arquitecta nem qer ser(as vezes eu percebo pk),e no entanto n faz arquitectura!!!! ms qem esta a procurar refugio???ou nao será antes que tu estas a procurar refugio no desenho? tu n entendes eu sei...ms tb se desenha com maqetes...é complicado de entender eu sei...a lavagem é grande...pois eu diria-te + é preciso desenhar muito bem para fazer maquetes...o desenho está na e nao no suporte...o instrumento com que o poes ca fora é contigo...como eu ja disse atras e n m vou repetir(pois prefiro continuar o que estou a fazer e comer a seguir um cornetto de noz) _fantastico..temos um renascentista...ainda bem so tens que te assumir...ms vou te dizer uma coisa: evoluçao.alias digo-te ja que um artista do renascimento que vivesse hoje n utilizaria as mesmas tecnicas nem os mesmos instrumentos nou n os utilizaria do mm modo... _bem...n sei o que entendes por melhores estudios...eu considero aqeles com um processode trab + coerente e interssante...ms claro isso é subjectivo...vou t dizer que nunca vi aqui ninguem fazer renders de 3/4 dias...tb n s usa esferovite...ms usa-se por exemplo(se estas a falar de maqetes de apresentaçao) a maquina laser que chegou a bem puco tempo...ms isso é complicado demais...pouco renascentista... no entanto...se falas de maqetes de trabalho...elas sao feitas de acordo com as necessidades de evoluçao do projecto...e sao aos molhos!!! _certo ...presumo entao que sejas uma pessoa de idade avançada...e que tiraste o curso numa idade muito avançada...pk estas a aconselhar um estudante durante um processo academico... _obrigado pelo elogio!!!ms n é holanda...no entanto poderia ser e orgulhava-me muito disso... _conheces-me de algum lado?n m parece por essa afirmaçao...eu acho sem duvida interessante algum trabalho do arquitecto siza vieira(e ele foi meu professor no 1ro ano_mau prof diga-se de passagem),e reconheço sim o valor desse trab...nao reconheço nem faço é parte do seu rebanhozinho que lhe anda a beijar os pes...e tb n m parece que ele goste disso...ms enfim o infeliz tem que viver cm isso... quanto a o museu ibere camargo_qd houve uma exposiçao sbre o siza e seus museus no museu serralves eu lembro-mede ter comentado cm alguns colegas da faup que esta era sem duvida para mim a melhor obra do siza!...e lembro-me perfeitamente que toda a gente m chamou louco degenerado...holandes...e todos esses nomes feios...no universo faupesco/portugues... _alheios ao metodo?isso é blasfemia...entao o siza perde tempo a fazer maquetes para nada?sem serem estruturantes no metodo de trab...isso vai contra tudo que é ensinado na faup... _prejudicaram-te por n apresentares maquetes?...ou por n trabalhares com maqetes?é diferente...bem eu apresentei maqetes e trab com maqetes durante o meu curso...e fui igualmente prejudicado...por nao pastar no quintal do siza... sem +, etas convidado a aparecer por ca... e tomamos um cafe...e contamos os projectos que estao a ser feitos so com desenho(dependendo do que entendes por desenho) e aqueles que sao feitos na articulaçao de diversos instrumentos de trabalho... ok? abraço, desde um boc+ a norte da holanda...:)
  20. _isto é uma optima noticia...excelente _exato eu estava a pensar passar por bruxelas...ms o problema é que ainda n decidi os pontos de articulaçao...e claro que tb depende onde o comboio para...que hipoteses existem de paragem...e tb se vale mesmo a pena parar..."tudo vale a pena se a alma n é pequena"é verdade...ms algumas coisas valem + a pena que outras...lolol _em espanha...é a viagem no nosso sudexpresso que parece um comboio fantasma.....qd fiz interrail foi nesse que fui....lolol ms tem a sua piada... pois eu tb estou a tentar ver a companhia dinamarquesa...ms a parte inglesa do site é um tanto ao quanto curta de info....esse é o problema...ms thanks pelo site vou ver...:icon14: ms tu compraste passe de interrail?eu n sei muito bem se m compensa ou n...ja ouvi falar nums passes europeus de 5/7dias so...n sei tenho que aprofundar a pesquisa...ms ja agora que paragens m aconselhas? abraço
  21. bem n sei muito bem se é aqui que devo postar isto...ms ca vai:. estou a pensar fazer uma viajem de retorno a casa de comboio, passo a explicar:eu estou em copenhaga e pensei em fazer uma viagem descansada a apreciar a paisagem parar num ou 2 sitios pelo caminho... a 1ra questao aqui desde ja é que paragens m aconselham? 2a questao: tenho tentado andar a pesquisar na net como articular ou montar um percurso de comboio...ms n tenho conseguido...pelo que vejo tenho que pelo - procurar em todas as companhias dos paises que qero atravessar:ora vejamos>>>copenhaga_hamburgo(companhia dinamarquesa),hamburgo_paris(tgv_companhia alema ou francesa),paris_hendaye(companhia francesa),hendaye_lisboa(companhia portuguesa)...isto é só um exemplo como é obvio... alguem me pode dar uma ajuda?sera que existe algum site que articule tudo?ou por experiencia propria sera que alguem sabe de alguma coisa? obrigado desde ja, e abraço
  22. por exemplo uma das coisas que se pode fazer em vez de ver tvi...é comer um gelado..por exemplo um cornetto de noz saboroso...e depois dar uma volta junto ao mar...ou simplesmente a um parque...ms para fazer isso é preciso que o cornetto de noz seja comercializado outra vez e por isso mesmo organizou-se esta petiçao>>>assinem http://www.petitiononline.com/cornetto/petition.html abraço e um conetto:D desculpem ter vindo fazer publicidade de outro topico para aqui...ms é por uma boa causa!...:)
  23. como estou tb a fazer uma pesquisa n disponho de muito tempo...por isso vou so responder a uma parte (desde ja peço desculpa + tarde respondo ao resto):. _é facil n fales com ele 2/3 dias antes...isso é non-sense...n é em 3 dias que consegues alterar o trabalhoou aprender o que for com essa alteraçao(a nao ser que a alteraçao n seja estruturante)...por isso é preferivel n falares. ele na critica final apontarte-á o mesmo que apontaria se fosses falar com ele no dia anterior...e tu encaixas isso e fica para o proximo projecto...alias nenhum prof que seja realmente um bom professor te faz alterar coisas a dois dias da entrega...as vezes faz-nos pensar, que é confudido com obrigaçao de alteraçao por parte de nós alunos..outra vezes confronta-nos ou espera de nos uma reacçao...é uma especie de teste de atitude, do genero deixa la ver se este gajo vai ceder ou n...ms fazendo isto...eu n lhe dava muita atençao...enfim ms isso sou eu... abraço...conselho:.k-line _mais facil de cortar e mais maleavel...alem que o efeito é bastante melhor(ms depende do que qeres fazer claro)...evita cartao prensado...também existe um material que se chama soft cardboard(uma especie de esferovite de alta densidade em placas de mms)...ms eu n sei s existem em portugal...e alem disso sao caras... bom trabalho
  24. lol...eu ja assinei...alias assinei antes do meu comentario anterior... eheheh ja vao 11...eheheh...bora divulgar a petiçao!!! ate ja
  25. |Kandinsky| es o meu heroi... isto vai ser um sucesso_5 assinaturas em 10 min... fantastico!!! _combinadissimo!!!! _epa...eu uma vez fiz um gelado meu tinha prai uns11 anos fui a loja "casa"e comprei uns moldes par fazer gelados que se tinha que encher com sumo leite ou a mistura que quisesse e depois ia ao congelador e ...puf ai estava o gelado...bem andava numa fase experimentalista(axo que ainda continua n sei bem pk...lol) e a coisa saiu mal...pois digamos q n tive bom senso na mistura...(ora aqui esta tambem o que poderia ser uma boa liçao para arquitectura tb...)...e deu asneira...esse foi o pior gelado que eu comi...ms tb posso dizer que algum tempo + tarde fiz um desta vez a serio(depois arranjo a receita) e n ficou nada mal... _eu tb...ms ja estou um boc farto de cenouras tb...venham a dinamarca e descubram pk...lolololol abraço e um cornetto
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.