Jump to content
Arquitectura.pt


André Lima Carvalho

Membros
  • Posts

    29
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by André Lima Carvalho

  1. Sim, um projecto sem construção não passa mesmo disso: um projecto. É o equivalente (na minha opinião) a uma pintura, um render de algo que não foi feito, um esboço do que deveria ser. Se não for materializado é uma construção teórica e conceptual e não o que para mim é arquitectura. Mas podes colocar x tijolos e adicionar-lhe y betão que isso jamais será arquitectura.
  2. Bwa ha ha ha ha ha ha ha... Lindo! Vamos ser honestos, todos os dias lido com legislação tão disparatada, que esta se fosse verdade seria só mais uma em muitas.
  3. Expressei-me mal. Eu fiz pesquisa online e bibliográfica (Francisco Keil do Amaral, Frank Lloyd Wright... não me lembrei do Aalto) mas estava a referir-me a casos que já tivesse visitado como a casa de chá ou que pudesse visitar (foi um lapso meu e peço desculpa). PS: Já tentei o esquema da caixa com o chapelinho e não resultou...
  4. Deparo me agora com uma situação porque todos os arquitectos fruto dos últimos 15 anos de faculdade se depararam. Um cliente que gosta da sua habitação com cobertura inclinada em telha, sem que eu tenha formação sobre isso. A questão é que por falta de prática prévia na faculdade não tenho quaisquer refências sobre o assunto, não sei à partida o que funcionará melhor ou o que por possibilidades económicas e/ou técnicas não é viável. Á excepção da Casa de Chá de Leça da Palmeira não possuo mais nenhum caso de referência para estudo e gostaria de saber nomes de arquitectos e/ou obras que tenham trabalhado com essa solução construtiva com qualidade, de forma a poder estudar o assunto e cumprir os desejos do cliente sem me apetecer de cada vez que olho para os alçados.
  5. Estou agora a propor a nível académico uma incubadora de empresas, a questão é que apesar de haver tantas a serem feitas no país, não encontro programa para nenhuma delas e gostaria de ter uma noção de quantos gabinetes é necessário, se é preciso auditório e esses detalhes, para poder começar a gerar o meu programa. Será que alguém me pode dar algumas informações ou indicar links no qual eu consiga arranjar alguma informação útil?
  6. Acho o conceito interessante, mas julgo que a implantação no terreno acaba por parecer um bocado dispersa e sem fio condutor. Apesar de falarem numa relação franca com a rua e a envolvente, não vejo isso na implantação, que parece tentar preencher os vazios urbanos, com umas torções que na minha óptica só comunicam dentro da intervenção mas são quase mudas na leitura do espaço urbano.. Não haverá uma maquete com curvas de nivel e envolvente que dê para ter uma melhor leitura da realidade? Os renders deixam um bocado a desejar no campo da representação da envolvente por isso posso estar viciado na minha opinião.
  7. Durante muito tempo tive esperança que este projecto não fosse para a frente... Mas agora com o início das obras, já não há volta a dar-lhe. Contínuo a ser da opinião de que mau por mau, preferia o que lá estava antes. Parece que sempre que vejo um destes "projectos inovadores e únicos" que acho desadequados são feitos e quando vejo uns que gosto eventualmente dão-lhe com os pés (como o Topografia do terror do Zumthor).:\ Quando estiver pronto vou lá dar um salto, pode ser que assim me convença... não tenho grandes esperanças disso mas... Daqui a 20 anos (se o edificio sobreviver tanto tempo) veremos o que é que vale, na realidade.
  8. De momento encontro-me a fazer a prova final do mestrado integrado. Um dos meus casos de estudo é o edifício que se encontra na Av. D. Afonso Henriques 124, 3000 Sé Nova, Coimbra que de momento alberga a USF de Cruz de Celas. Encontra-se junto à Escola Secundária José Falcão. Em anexo apresento a sua implantação. É do período do Estado Novo e a sua criação é anterior à decada de 1950, no entanto tenho tido muitas dificuldades em encontrar informação relativa a ele. Alguém me consegue sugerir bibliografia ou sites nos quais eu possa arranjar algumas informações? Não preciso de algo muito aprofundado, mas que me permita iniciar uma pesquisa mais selectiva. PS: Por alguma razão que escapa ao meu controlo não é possível visualizar a imagem no tamanho original. Já fiz upload várias vezes e sempre que a tento visualizar dá erro. Estou a ver se resolvo o problema, mas de momento terá de ficar assim, espero que se compreenda.
  9. Os professores incentivam esse genero de comportamento. Quantas vezes fomos forçados a justificar algo nosso com afirmações ou trabalhos de outros arquitectos? Se nós o dizemos não é válido mas se fulano Y diz então é coisa boa.:\ E no que toca a isso de já estar tudo feito ha redesenho e ha redesenho!!!:)
  10. Se calhar é dessa forma que ele sabe que o edificio funciona... No testar é que está o ganho. :O
  11. o europan vai publicar os trabalhos, como fez os vazios urbanos?
  12. "Copiar por um é plágio, copiar por vários é pesquisa." É bem possível que esta tenha sido a inspiração do Byrne, mas acho que apesar de tudo de uma torre para a outra ainda há um certa distância. Eu também já me inspirei em obras já construídas, mas foi sempre ou um conceito ou um maneira de resolver um problema semelhante ou um pormenor que poderia ser um bónus para o trabalho em curso. O problema que aqui se põe é que as duas são tão parecidas que eu dificilmente chamaria de inspiração mas simples plágio.
  13. Tendo em conta as últimas propostas do Byrne para a cidade de Coimbra, em particular para a Cidade Universitária, tremo ao pensar na sua proposta.
  14. Este filme só visto porque contado ninguém acredita. Pelo tipo de pessoas que lá aparecem já deu pra ver que tipo de residentes esperam. Nunca pensei dizer isto mas formalmente prefiro o antigo estoril sol a esta proposta. Era um mamute na costa desproporcional relativamente à envolvente, mas possuia um volume simples. Acho esta proposta puro barulho visual, que não vale nem por si nem pelo q traz ao local.
  15. Ás vezes não compreendo isto. Demolem o Estoril-Sol (que na minha opinião era um elemento que desequilibrava aquela linha costeira), para agora em vez de fazerem algo que se articule melhor, fazerem algo tb não se articula com a envolvente. Em termos de cércea pode estar mais baixo, mas o anterior possuía uma volumetria contida, enquanto esta proposta parece um sumatório de acontecimentos dificilmente justificaveis. Julgo que fazer arquitectura é tb pensar "cidade", algo que não acontece com este projecto.
  16. Eu sou um fã da arquitectura industrial e não consigo compreender o ainda patente estigma relativo a essas estruturas. Estou a falar mais das estruturas do período entre inícios do séc. XIX e meados do séc. XX. São edifícios com um carácter marcante e com qualidade de construção (ao contrário de inúmeras versôes mais recentes) Podem-se ver muitos edifícios interessantes que estão votados ao abandono e a apodrecerem entre Sta Apolónia e o Parque das Nações. Julgo que são estruturas que pelo seu desenho e organização podem ser facilmente, com sucesso, adaptados pra outras funções. Fora de tópico: o caso da Zaha Hadid lembrou-me o do Mercado do Caranda do Souto Moura que só funcionou um ano pq o desenho do edificio permitia a entrada de chuva e vento, tornando-se depois um equipamento cultural. Ainda bem que existe cultura em Portugal.
  17. Acho esta casa um "mimo" (não a versão da tmn). Por onde começar?? Gosto particularmente de como ela parece ter inspirado a bela estrutura ao lado. Acho que o proprietário não deve ter ficado contente por lhe terem roubado a vista, particularmente qd ele se deu a tando trabalho para a ter. Vista, zona para secar roupa, sítio para "guardar" aqueles velhos móveis e electrodomésticos que estão estragados ou desactualizados, abrigo para os mais necessitados, é só vantagens. E depois há a máxima de qql boa construção em Portugal: na dúvida enche-se aquilo de betão que deve ficar bem, então se estiver à vista, como é o caso (nem qualquer tipo de reboco hidrófugo, pelo que vejo nas fotos, é a chamada casa com "morte" pré-programada), ainda melhor. É um caso para dizer: Aqui vou ser feliz!! Até a casa cair.
  18. Tive profs que diziam que nada se inventa. Não concordava na altura mas cada vez mais me mentalizo disso. No entanto acho que estes dois trabalhos têm mt que se lhe diga. Na minha opinião são demasiado semelhantes para não haver qualquer tipo de inspiração, particularmente tendo em conta a proximidade das localizações (ambas na Península Ibérica) e de programa (antes de um trabalho, tendo a ver obras com programas ou especificidades semelhantes). Eu pessoalmente prefiro a do Byrne. Aquela torção a 1/3 da torre de barcelona fragiliza-a em termos formais, da a sensação que soprou um vento mais forte e oops!! a torre vergou!!!
  19. Julgo que a maior falha dos paineis solares actuais não é só o preço inicial (que a longo prazo acabaria por ser recuperado) mas o alto custo de manutenção e de mão-de-obra especializada.
  20. Em Lisboa (não sei se no país inteiro) existe uma lei (não sei se no PP daquela zona) que obriga os arquitectos a incorporarem nas suas obras elementos de outras artes. A noção de que a cor pode assumir esse papel gera outras questões?? Os que usufrem do edifício construído não têm o direito de alterar a cor deste, se esta lhes causa problemas?? (edifícios de Chelas Plo Arq. Taveira) Ao fim de 5 ou 10 anos depois da construção e da "apropriação" do espaço que direitos temos nós de impor condições a quem tornou deles um espaço criado por nós?? Nesse ponto acredito que uma pintura ou uma escultura, talvez devido à carga histórica associada e ao facto de terem uma componente menos "funcional" que a arquitectura, irão perdurar mais do que a nossa "arte" que está em constante mutação, que tenta responder a necessidades imediatas e sujeitas a alterações, que vive através dos que dela usufruem e que lhes conferem usos e carácteres que nós enquanto criadores nunca pensámos. Esse é o cerne da questão. O debate entre o que é Arte ou não pode ser transposto para a arquitectura: A arquitectura tradicional não foi feita por arquitectos e evoluiu ao sabor das necessidades dos seus utentes. Será ela menos válida ou mais do que os palacetes feitos por arquitectos e grandes artistas mediante um plano pré-estabelecido mas que nunca foram vividos ou usufruidos?? Que serviram de peças de arte propagandísticas?
  21. A faculdade é uma fonte inesgotável de traumas e recalcamentos. :knockout: lol
  22. Uma ideia engraçada, com uma componente formal inteligente (bolsas interiores) e formalmente interessante (crescimento orgânico_células independentes que se unem nas áreas comuns). Não é uma ideia descabida, pq com o início do turismo ao espaço, este parece-me o próximo passo lógico, sendo possível de construir com a tecnologia actual. O facto de este tipo de hotel ter uma clientela muito exclusiva irá, se calhar, ditar o seu sucesso económico, apesar de reduzir o número de pessoas a usufruir dele no futuro imediato. Vamos ver se arranjam patrocínios pra fazer a ideia descolar. Um passo em frente que poderá criar raízes no futuro da arquitectura e da engenharia.
  23. Pior ainda é qd os mandam abaixo. Tudo em nome do "vil metal", em prol da "renovação urbana" e falta de valor patrimonial dos ditos. Em Portugal assiste-se a uma cultura em que tudo o q não tenha 2 sécs. não é digno de protecção pois não tem valor. Esquecem-se é que em alguma altura esses edfícios foram recentes. As intituições existem mas não funcionam (ou por pressões exteriores ou por falta de organização/pessoal). Um exemplo gritante é aquele do "prédio" (visto q em teoria não é uma urbanização) que tem os pilares colados ao aqueduto das Água Livres e as varandas sobre o dito. Dizem que à terceira é de vez e o IPPAR confirmou a máxima: à 3ª aprovou e nem inspecções tem efectuado. A obra está agora embargada (em teoria). Vamos ver é se isto vai dar em algo... Houve barulho nos media e a câmara (e o presidente) não ficaram mt bem vistos.... Mas o esquema que cá se usa é esperar que a poeira assente e depois...
  24. Não vai ser preciso, os blocos disponíveis no site estão cotados e deram-me todas informações necessárias. Tive de alterar a composição do pano interior da parede exterior naquela zona, mas consegui fazê-lo sem redimensionar a parede. Obrigado de novo.
  25. Obrigadíssimo!!!!!!!!! :pray: Tou agora a fazer o download da biblioteca CAD e do catálogo. Ao fim de dois dias de procura sem encontrar o que precisava, eu ja estava a passar-me. Deve-me resolver o problema... De novo, mt obrigado.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.