Jump to content
Arquitectura.pt


SVA

Membros
  • Posts

    63
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by SVA

  1. É pena não teres mais informação. Se eu tivesse que contar uma estória sobre esse projecto diria que era um rochedo que fazia parte da paisagem, desabou e estagnou naquela posição. Gosto do seu aspecto de pré-fabricado.
  2. Bom são pontos de vista... Os nossos argumentos são diferentes mas a conclusão é a mesma! Falando em filmes bizarros, dia 5 de Abril vai estrear Inland Empire de David Lynch, que já ganhou o estatuto de ser a sua longa-metragem mais estranha e bizarra. Aguardo expectante!
  3. Não sei se hei-de chorar ou rir...
  4. Acho que não escapa nenhum... são muito maus! O Estádio da Luz é um bloco de betão a fazer publicidade à Coca-cola...
  5. Gosto mais deste projecto em fase de desenho do que vê-lo já construído. Quando olho para a primeira foto sinto alguma confusão a nível de forma, materiais e vãos.
  6. Uhmm... provavelmente não percebeste o filme no seu geral... Já interrogaste-te sobre a razão do nome do filme ser Babel? Eu associo ao conceito da torre de Babel: "A Torre de Babel é mencionada no livro bíblico do Gênesis como uma torre enorme construída pelos descendentes de Noé, com a finalidade de tocar os céus e adorar deuses falsos. Jeová, irado com a ousadia humana, teria feito com que todos os trabalhadores da obra começassem a falar em idiomas diferentes, de modo a que não se pudessem entender, e assim, acabaram por abandonar a sua construção. Foi este episódio que, segundo a Bíblia, explica a origem dos idiomas na humanidade." Ao longo das três histórias passadas em línguas e continentes diferentes, existe um forte problema de comunicação. A japonesa não comunica porque é muda, os mexicanos e os americanos também não se entendem durante o filme todo... Babel é o nome de um mito que explica a origem dos idiomas na humanidade. Agora focando apenas a personagem da miúda Japonesa que referiste: ao longo do filme percebemos que ela é uma pessoa muito carente e perturbada, e o facto de viver no silêncio não vive conformada e precisa de chamar a atenção. Acho que Alejandro González Iñárritu esteve mais uma vez muito bem, aliás, é dos meus realizadores preferidos.
  7. Ora aqui está um projecto com preocupações ambientais e financeiras, um serviço que já existe no estrangeiro e agora também em Portugal. Para quem estiver disposto a partilhar uma viagem: http://www.deboleia.com/
  8. Não há regras no modo de fazer um projecto... para além de todos os métodos que já referiram aqui, temos também que pensar em PDM, RGEU, Decretos de Lei, etc.
  9. Sou completamente apologista das energias alternativas. Por acaso as ventoinhas eolicas não me têm incomodado estéticamente, muito antes pelo contrário, ás vezes são uma rotura na monotonia de uma paisagem neutra (e ninguém pode ficar indiferente à sensação de estar junto delas em funcionamento, é algo único!). Mas concordo contigo quando dizes que é preciso ter cuidado com o aspecto estético das energias alternativas... quando estas são feitas em grande massa como tem estado a acontecer, à que começar a pensar também na sua estética e planeamento.
  10. Olá GinSoakedBoy. Porque achaste o Babel assim tão estranho? O que não entendeste? Achei que os momentos de violência e os momentos calmos estiveram no momento exacto. Eu faço parte do grupo dos que adoraram o filme como já deves ter percebido. :)
  11. "O mítico CICLO CREMASTER de Matthew Barney foi considerado pelo New York Times como «um marco de ambição, afirmação e provocação para a arte do novo século». Este ciclo, que levou nove anos a completar cinco filmes, termina de forma brilhante com uma sequência de 31 minutos no final de CREMASTER 3 chamado «THE ORDER». Neste “The Order”, uma corrida que desafia a morte até ao topo do Museu Guggenheim, Matthew Barney é um aprendiz vestido de soldado escocês em busca de redenção Maçónica. Antes de defrontar o lendário escultor Richard Serra, que atira Vaselina Liquefeita pelas rampas do Guggenheim abaixo, Barney tem de ultrapassar uma trupe de escuteiras dançarinas de sapateado, um duelo entre duas bandas hardcore, uma modelo lindíssima que se transforma numa chita, e um jogo de lançamento do tronco com um cordeiro esfolado, num estonteante espelho do que é este fantástico “CICLO CREMASTER”." "Cremaster - o termo que designa o músculo de tensão dos testículos -, é composto por cinco filmes que mostram o universo peculiar que consagrou o artista plástico. Entre seres mitológicos, metamorfoses corporais, combates rituais, showgirls, bandas “hard-core”, paisagens apocalípticas e cenários como o Bronco Stadium, o Guggenheim de Nova Iorque ou o Chrysler Building, são filmes que abarcam todas as artes, desde o teatro à ópera e à música. Centrada na representação do corpo, a obra de Barney é uma exploração dos limites da actividade performativa do corpo, visto como um processo de metamorfose infinita. Neste processo, o artista põe em causa a divisão em géneros (masculino/feminino), espécies (humano, animal, mitológico, fantástico) e estados (orgânico, inorgânico, fluido)." Bizarro? Bom, provavelmente só quem tiver uma mentalidade mais aberta é que conseguirá ver o Ciclo. Matthew Barney para além de um grande realizador é um grande artista plástico. Só por curiosidade, para os fãs da cantora islandesa Bjork, eles são casados e podem encontrá-los em Drawing Restraint 9, outro que considero muito bom. “Drawing Restraint 9 não é um filme, e antes que se criem expectativas de tal, é melhor deixá-lo claro desde início. Drawing Restraint 9 é um objecto de arte, que usa o cinema como veículo, tirando partido da imagem e do som. Só assim se pode entender a ausência de enredo, de ritmo e de personagens."
  12. Adoro cinema e é impossível eleger apenas um quando existem vários que eu considero de grande qualidade. Aqui vai uma pequena amostra: Baraka, Ron Fricke - http://www.imdb.com/title/tt0103767/ Lost Highway, David Lynch - http://www.imdb.com/title/tt0116922/ Mon Oncle (1958), Jacques Tati - http://www.imdb.com/title/tt0050706/ Cremaster Cycle, Matthew Barney - http://www.imdb.com/keyword/cremaster-cycle/
  13. 250 EUROS?!?! Que abuso! A Ordem devia depositar lá as minhas mensalidades que não sei para onde vão...
  14. Esta moradia foge sem dúvida à casinha típica com beirado. Experimentaram a conjugação de materiais diferentes do habitual para uma moradia e na minha opinião resultaram bem. Gostei também de alguns momentos de luz. Resultado final: Satisfaz bastante.
  15. Compreendo o que queres dizer com isso, mas por vezes o portfolio é só isso mesmo, uma etiqueta... Digo isto porque em alguns locais onde tive entrevistas de trabalho não quiseram vê-lo porque muitos já têm a noção que o portfolio é uma capa. Contudo ainda há empresas que guiam-se por aí. Existem outras que fazem testes para perceberem se o perfil do candidato ajusta-se à empresa, o que parece-me bem... e há outras (que devem estar em maioria) em que só entras com o "Factor C". :)
  16. Olá AnaS. Quando comparei esses dois locais de ensino, referia-me ás disciplinas, podes compara-las: https://fenix.ist.utl.pt/publico/showExecutionCourseSites.do?degreeID=18&showTwoSemesters=true&method=listSites http://www.lis.ulusiada.pt/cursos/bolonha/ciclos_2006_2007/arquitectura/1_ciclo/default.htm Poderás constatar que o Instituto Superior Técnico tem um ensino mais técnico (físicas, durabilidade de materiais, matemáticas) do que na Universidade Lusíada de Lisboa, que é a única que tive contacto, e onde a meu ver tem outras prioridades. É claro que essas disciplinas vão influenciar todas as outras e toda a tua base estrutural de ensino. Ao contrário do que Kandinsky disse, existem rótulos e etiquetas, principalmente nos primeiros anos de trabalho após o curso.
  17. Eu já fui a cafés, lojas de roupa e até dentista com esse conceito... barbearia também acho interessante, porque não? Acho que não existe espaço onde não haja espaço para consumir cultura.
  18. Embora a Ordem dos Arquitectos seja só uma, a formação nas Universidades variam. Como é um curso muito completo e diversificado, as universidades acabam por dar prioridades a matérias diferentes. O curso de arquitectura no Instituto Superior Técnico é muito diferente da Universidade Lusíada. Quando as empresas têm preferência na formação por certas universidades é porque essas poderão enquadrar-se mais na empresa... até acho que faz algum sentido.
  19. O local de intervenção foi junto de uma zona histórica em Chachapoyas (Peru). Resumidamente tinhamos que criar um museu, um albergue e uma ligação à zona histórica. Aconselho-te a ver o site deles, é interessante observar propostas de vários países do mundo e as várias influências. Equipas portuguesas já ganharam alguns prémios... dá uma vista de olhos, vale a pena. :)
  20. Participei no concurso de ideias deles para KUELAP2007. Valeu a pena pela experiência embora o resultado final tenha sido prejudicado por causa da falta de tempo... Segundo eles todas as propostas irão ficar online apartir do dia 1 de Abril. :)
  21. Acho que acima de tudo existe uma grande vontade de fazer arquitectura... JAG, deixa-me dizer-te que não concordo contigo quando disseste: "Gostava de ser arquitecto, mas devido as vida que temos, nem sempre é possivel ser aquilo que gostamos..." ... principalmente quando ainda tens 23 anos... há sempre uma maneira! :)
  22. SVA

    Signo

    Sou uma curiosa e não uma entendedora do assunto e acho que já cometi uma gafe quando disse anteriormente no fórum que o signo era a nossa "máscara"... encontrei um artigo na net que diz que o ascendente é que é: " Seu ascendente é o signo que está surgindo no horizonte no momento em que você nasceu. Ele irá definir o "eu" que o mundo exterior vê e o modo como você se expressa. Na maioria das vezes, seu signo solar e seu ascendente são diferentes, e é por isso que seu ascendente é uma "máscara", ou seja, as atitudes e opiniões que tem e mostra para o mundo são disfarces e uma maneira que você encontra de esconder sua verdadeira personalidade. O seu signo ascendente se manifesta de diversas formas, pode ser nas roupas que usa, no seu corte de cabelo, na maneira como fala. Note como tudo isso são apenas questões exteriores e de aparência, é a forma como você se mostra para o mundo. O ascendente reflete não só sua personalidade que os outros acham em você, mas também quem você gostaria de ser e as habilidades e talentos que você estará desenvolvendo por toda sua vida. " http://www5.estrelaguia.com.br/bin/pg_dinamica.php?id_pag=16 O ascendente corresponde à hora e minutos exactos que nascemos. Eu calculei o meu já há muitos anos através de livros... mas agora com a net tudo é mais imediato... e parece que no site que eu indiquei dá para calcular... :)
  23. A subtracção do modelo tradicional resultou muito bem, gostei! Tal como o asimplemind, estou curiosa para ver como é que se vai materializar. :)
  24. SVA

    Signo

    Ganhei um fã... brincadeirinha Sou Virgem com ascendente em Capricórnio e apesar de não ter garantias se isso é relevante para a minha personalidade ou não, o que é certo é que existem muitas coincidências... Ah, e já agora, ouvi dizer que o ascendente é mais importante que o signo porque representa aquilo que tu és mesmo, enquanto o signo é o que os outros vêm em ti.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.