Jump to content
Arquitectura.pt


alexelos

Membros
  • Posts

    40
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by alexelos

  1. Boa noite a todos. Estou a projectar um edificio e surgiu-me uma dúvida ao desenhar a escada principal. A minha dúvida prende-se com o facto de a escada ter ou não no seu nucleo a famosa bomba para ventilação e iluminação. Será que a referida bomba tem que ser construida mesmo no nucleo da escada? ou será que em alternativa podemos construir um ducto "buraco" para ventilação ao longo de todo o desenvolvimento da escada mas posicionado em local diferente dentro da caixa das escadas? É que neste projecto, faz toda a diferença por uma questão de espaço. A escada é enclausurada e totalmente interior não sendo possivel abrir qualquer vão para o exterior. Em anexo segue um pdf com o desenho das escadas. Resumindo, a minha duvida é a de saber se posso ou não construir a escada sem a referida bomba. Agradecia que me ajudassem Obrigado. caixa de escadas.pdf
  2. Estou a projectar um edificio onde vai existir um apartamento T1, só que a área é um pouco reduzida e necessitava de fazer o acesso á cozinha, passando pela sala. Será que é possivel passar pela sala???. Na legislação de segurança incêndios anterior, não éra permitido este acesso, mas agora não sei se pode ser, será que alguem aqui do forum poderia esclarecer? Obrigado a todos.
  3. Por favor alguem que ajude a esclarecer esta dúvida. Imaginem um edificio composto por 3 pisos, com duas fracções por piso ( 6 fracções). Qual é a forma mais correta de identificar as fracções quando fazemos a constituição da propriedade horizontal, ou seja: Fracção "A" situada no 1º esquerdo e fracção "B" situada no 1º direito???? a) esta identificação faz-se estando nós de frente para o edificio. OU :p identificamos as fracções do r/chão estando nós ainda no exterior do edificio e de frente para ele como sendo a fracção esquerda e a fracção direita e as restantes são identificadas já no interior do edificio, no momento em que subimos a escadaria principal???? Qual será então a forma mais correta será que existe alguma legislação sobre este assunto? Ja executei propriedades horizontais das duas maneiras que descrevi anteriormente e nunca tive problemas em nenhuma Câmara Municipal nem na Conservatória. Se poderem dar a vossa opinião seria optimo. um abraço a todos.
  4. Sim é possivel, o ideal é que nestas situações em que temos "meios pisos", a diferença de cotas piso a piso não seja inferior a 0.60 /0.70 m, pois valores inferiores por vezes provocam desconfigurações no sistema digital do elevador responsáveis por controlar as posições de chegada e de partida do mesmo, não conheço nenhum caso em que isto tenha acontecido, mas foi o que me transmitiu o fornecedor de elev. aqui da zona. Como no teu caso tens uma diferença de cota de 1.80m penso que não vais ter problemas.
  5. Caros Amigos. Estou com uma dúvida que gostava de ver esclarecia em relação a elevadores que é o seguinte: Como sabem, o ( DL-163 acessibilidades ) diz que a cabine do elevador deve ter as dimensões minimas de 1.10m x 1.40m. Agora imaginem o seguinte, tenho que fazer o projecto de um edificio de 5 pisos, onde me dá bastante jeito que a entrada e saída do elevador nos dois primeiros pisos se processe de frente para a maior dimensão 1,40m e que nos restentes pisos a entrada e saída do mesmo elevador se faça segundo a menor dimensão 1,10m. Pois a minha grande dúvida é se na verdade a legislação permite que, uma pessoa em cadeira de rodas possa entrar nesse elevador num piso em que o acesso é feito segundo a menor dimensão. O DL-163 fala nas dimensões da cabine mas em nada se refer á entrada nos elevadores com dois ou mais acessos, ou seja a 180º e a 90º. Se poderem dar uma ajuda agradecia.
  6. Certo concordo que as escadas não tenham focinho e que sejam acessiveis mas a dúvida é o seguinte: Existe já um percurso acessivel, desenhado no plano de acessibilidades com recurso ao elevador. Se o construtor mandar construir a escada principal do edificio com focinho, será que a visturia para a concessão da licença de utilização feita pela câmara poderá chumbar o edificio, ou não o pode fazer dado que já existe um percurso acessivel pelo elevador??. Não sei se o Pedro Barradas conhece o "Guia Ilustrado de Acessibilidade e Mobilidade" não me lembro agora do link mais tarde ponho aqui mas refere o sitado guia que a secção 2.4 esclarece que se trata de escadas incluidas em percursos acessiveis, ora a meu ver esta escada não esta incluida no percurso acessivel ou seja pelo menos eu não a conciderei quando desenhei o percurso acessivel será que estou correcto?? Para mim já não se trata de uma questam de crer construir a escada com focinho até porque já disse ao construtor para mandar cortar as pedras de modo a que as escadas sejam acessiveis é mesmo por uma questão de esclarecimento obrigado. O link do tal guia e penso eu http://www.engenhariadereabilitação.net/arquivos/Guia-mobilidade.pdf
  7. Alguem aqui do forum pode dar uma ajudinha para esclarecer dúvida? é o seguinte: Fiz o projecto para um edificio de 4 pisos e elaborei o respectivo plano de acessibilidades. Nesse plano de acessibilidade fiz o percurso acessivel com recurso a um elevador, que atinge os vários níveis com chegada ao respectivo patamar onde é possivel a rotação de 360º para as cadeiras de rodas. a entrada nas várias fracções do edificio, bem como o percurso acessivel destro destas, está tudo de acordo com o D-lei 163/06 de 8 de agosto. A dúvida surge quando o construtor pretende revestir a escada principal do edificio com pedra "granito" e me pergunta se pode mandar cortar a pedra que reveste o cobertor do degrau, um pouco mais larga por forma a que esta fique com uma saliencia de 2 ou 3 cm em relação ao espelho do referido degrau. No D-lei 163 secção 2.4, mais propriamente no ponto 2.4.6 diz que os degraus das escadas não devem possuir elementos salientes nos planos de concordância entre o espelho e o cobertor. Uma vez que o percurso acessivel que desenhei utiliza o elevador para vencer os desnivel piso a piso, será que a escada principal do edificio terá que ser obrigatóriamente acessível
  8. revê esse pé direito de 1,35m do quarto de vestir pois não está de acordo com o (RGEU), não sei de momento qual o artigo, para teres uma divisão habitável com cobertura inclinada,tens que ter na parte mais baixa, um pè direito de 2,00m a 0,30m do dessa parede mais baixa.
  9. Pedro, é verdade já li o diploma e é isso, basta apenas uma unidade de alojamento ser acessivel, obrigado. jà agora aproveito para questionar o seguinte, no que se refere a empriendimentos turisticos, mais propriamente hoteis, o DL 39/2008 de 7 de março que regula o funcionamento deste estabelecimenmtos, diz a determinada altura que não é necessário existir no próprio estabelecimento estacionamentos para os hospedes desde que nas próximidades existam estacionamentos. Alguem me sabe informar se esses estacionamentos, apesar de não estarem contidos no terreno do hotel, terão que ser privativos deste, ou basta que sejam públicos?? Obrigado a todos que me possam ajudar.
  10. Caros Amigos estou com um projecto de um hotel em mãos e estou com uma dúvida que gostaria de esclarecer que é a seguinte: Na construção de um hotel novo, é obrigatório que todas as casas de banho privativas dos quartos sejam acessiveis a pessoas com mobilidade reduzida?? ou será que se podem tornar acessiveis apenas uma percentagem de todos os banhos?? Agradecia resposta muito obrigado
  11. se fizeres esses calculos vais ver que o preço/hora do teu escritório já te fica a ti por +- 10€ / hora, agora vê quanto terás de cobrar ao teu cliente. se cobrares ao cliente só 10€/hora, so estás a ganhar para as despesas.
  12. O 3d é daquelas coisas que ou não se sabe fazer e então dizemos ao cliente que não fazemos. Ou então sabemos mesmo fazer e ai temos que cobrar o justo valor. Eu hoje já vou fazendo uma coisas em 3d com boa qualidade, mas para o conseguir fazer tive que aprender pagando a 75€/hora ao formador isto se estive-se incluido numa turma ou 100€/hora se com aulas particulares, alem disto, aprender 3d quer muita dedicação, muita hora perdida, enquanto os outros já estão a dormir, nós ainda estamos á frente dos computadores a dar cabo da vista, alem disso necessitar ter softwer profissional e legalizado por exemplo (3dsmax +- 6.000€, vray +- 800€, photoshop +- 3000€ muitas librarias de objectos, boas máquinas para os renders e muito mais mas mesmo muito mais) Por isso um edificio com 15 fracções " modelação, aplicação de materiais, iluminação e estudo de sombras mais meia duzia de imagens interiores e exteriores não faço a coisa por menos de 3000 a 4000€ ou então não vale a pena. E se o projecto não tiver qualidade, então não vale mesmo a pena fazer 3d isto na mina modesta opinião
  13. Atensão Arquitectos qd derem as vs propostas de honorarios não esquecer de especificar o que essa proposta inclui e o que está excluido. Não esqueçam que para muita boa gente o projecto é tudo aquilo que está inerente á construção de uma casa ou de um edificio. Por isso é bom que na proposta digam que não se inclui: -Direcção técnica. -Ficha técnica da habitação. -Propriedade horizontal. -Taxas pagas pela apreciação e certificação de projectos ou da construção, no caso da acustica. - etc. etc. etc. É que muitos "clientes", tambem são "artistas" e depois fazem-se de desentendidos e no preço que voces lhes deram, tambem querem que fique incluido, aquilo que não foi esclarecido. Por isso olho bem aberto na hora de dar horçamentos. se necessário demorem uma semana a dar horçamento, para terem tempo para se enteirarem daquilo que vai ser necessário para o licenciamento, não esquecer que quase todos os trabalhos são diferentes. E não esqueçam que no final ainda é necessário pedir a licença de utilização e instruir o processo para a requerer á Câmara municipal ainda se gastam +- 250€ sem ter qualquer lucro, mas o "cliente" se não for alertado para isto, vai dizervos que quando pediu horçamento foi com tudo o que é necessário para fazer a casa. Eu inclusivamente dei-me ao trabalho de fazer uma folha que anexo aos horçamentos que dou, e onde ao longo dos anos tenho acrescentado todos os custos imprevistos que surgem e que nós nem nos lembramos deles na hora de dar as propostas, á frente desses " serviços imprevistos" ponho o custo que normalmente me custam para os realizar e alerto o cliente que se surgirem imprevistos, estes são pagos á parte de acordo com folha anexa. E assim tenho-me "safado de algumas questões problemáticas.
  14. A esta situação ( cozinha + sala, sala + cozinha etc). chamamos nós cá na zona o carnaval das tipologias, ou seja: T1 disfarçado de T2, T2 disfarçado de T3 e por ai fora, a tua imaginação é o limite????.
  15. Guida-td. Não te deves preocupar só com as plantas deves primeiro ler a legislação sobre esse tipo de estabelecimentos e depois comprienderás melhor as plantas. No entanto especifica melhor o que necessitas pode ser que se arranje qualquer coisa.
  16. O mal é que a maioria dos clientes veem o projecto como um custo e não como um investimento. A maioria dos "construtores que tambem já foram Padeiros em Venezuela" o que querem é papeis metidos na Camara Municipal para que lhes dê direito a levantar uma licença, para começarem a construir o mais rápido possivel. Aqui na zona são todos uns churões e quando mandam fazer um trabalho, a primeira coisa que fazem é pedir logo desconto antes ainda de conhecerem o orçamento, ou então fazem chantagem psicológica, começam logo por dizer que veem do escritório de fulano que já lhe fez um bom preço.~Mas eu já nem lhes ligo. Só lhes digo se querem um projecto teem que pagar o justo valor, se querem umas cópias com umas plantas adaptadas ao vosso terreno, eu não faço apesar de dar mais dinheiro. Tambem um dos males que degrada o "Negócio dos projectos", é o facto de ali na esquina haver sempre um Arquitecto, Engenheiro ou Desenhador a fazer mais barato e como para a maioria dos clientes é tudo projectos quer sejam bons ou maus então " quanto mais barato melhor" eu já ando nisto á 23 anos e só conheço um cliente que sabe dar valor a um bom projecto, mas sabem porquê?. Porque neste momento entrou em conflito com o Tècnico que "PRODUZ" os projectos mais baratos cá da zona, então teve que mandar fazer de novo projectos que já estávam aprovados e prontos a construir. Mas pelos novos projectos pagou agora quase o dobro daquilo que pagou ao técnico que levava mais barato. Só que agora está a chegar á conclusão que na verdades os projectos mais caros, porque demoram mais tempo a serem concebidos, mais pensados, graficamente mais intereçantes, em vez de ter 8 apartamentos tem 10 e todos muito melhores, finalmente chegou á conclusão que os tais projectos baratos lhe estavam a sair muito caros. Pois é o unico construtor que eu conheço agora a pensar assim. É certo que existem mais mas penso que são uma minoria. Tambem aqui os Arquitectos sentem na pele muitas injustiças que é terem dado um orçamento para fazerem um bom trabalho, o cliente optou por um mais barato e não tem conhecimento técnico/profissional para ver a diferença e tu que te preocupas em fazer bom trabalho não tens projectos para fazer e o outro que é mais "barateiro" tem lá no escritório uma linha de montagem donde saíem 10 projectos por dia. Injustiças.........Injustiças quem as não tem?????
  17. existe um memorando do LNEC que trata este assunto investiga em Lnec.
  18. Autopilat. se ainda for a tempo dá uma vista d,olhos e vê se ajuda: -DLnº133-A-97, de 30 de maio. -Portaria 426/2006, de 2 de maio (Programa PARES). -Despacho Normativo nº 99/89. -DL nº 30/89, de 24 de Janeiro. - Despacho Normativo nº 131/84. -DL nº 414/98 de 31 de dezembro ( segurança contra incendios em edificios escolares)????. DL nº 123/97. Aconselho-te a ir á segurança social fala lá com o chefão que aprecia os projectos certamente vais ficar mais ilucidado quanto á legislação e organização processoal. Já agora se no programa estiver previsto ATL, pede lá na Segurança Social, um "memorando" feito lá por eles, que ajuda bastante. se necessitares mais alguma coisa e se eu poder ajudar daá um tók ( alexelos1@hotmail.com) não esquecer lei 60/2008 etc. etc. segurança contra incendios, Dl 163 acessibilidades e todos os outros PDMs e regulamentos lá da zona.
  19. Pessoal, a Arquitectura e os Arquitectos debatem-se com um sério problema em relação ao trabalho que se propoem fazer e que defendem, ou seja debatem-se contra a ignorancia e falta de cultura de um povo. " A ARQUITECTURA FEITA A SÉRIO NÃO DÁ DINHEIRO " a maioria dos clientes entende um projecto como dois riscos que se fazem num qualquer computador, com um simples carregar de um botão quando assim é está tudo dito. Eu já tive um "CLIENTE" que no tempo dos e$cudos me pediu para lhe fazer um estudo para um edificio ai até 5 contos foi mesmo assim estou a transcrever por isso não se admirem se aparecerem uns iluminados a perguntar se teem que pagar alguma coisa polo més que Voces estiveram a trabalhar para eles. IMAGINEM Grande parte da Arquitectura está mais o menos assim: Cliente:- Senhor Arquitecto eu quero fazer uma casa, não tem por aí umas revistas para tirarmos umas ideias? Arquitecto: - Revistas? sim até tenho mas eu faço-lhe uma casa perssonalizada. Cliente: - Uma casa quê??? Arquitecto : - Faço-lhe uma casa a seu Gosto, com um programa á sua medida? Entretanto o Arquitecto foi medir o terreno e inteirar-se da sua localização e marcou uma reunião na Câmara para esclarecer assuntos do interece do dono da obras. Foi á Câmara com o seu carro gastou a sua gasolina e perdeu o seu tempo, veio para o seu gabinete que lhe custa 750,00€ por més fez um estudo num papel que teve que comprar. Estando o estudo "alinhavado" mandou o desenhador ao qual paga 900,00 € por més passar o desenho a limpo para mostrar ao cliente isto porque lá no escritório existe um computador que custou 1500,00€ e porque existe softwer legal que custou 10 000,00 € para poder ter a porta aberta. Depois disto tudo o Arquitecto, dá uma ultima vista d'olhos ao trabalho e chama telefonicamente o cliente para vir ver o serviço. O CLIENTE ENTRA NO ESCRITÒRIO E: _ Cliente:- olha para o papel e diz então Senhor Arquitecto a casa não tem telhado?? Arquitecto.- Sabe eu proponho-lhe uma casa diferente daquilo que normalmente se faz por aí este tipo de Arquitectura é uma mais valia para o investimento que o Senhor Vai fazer. Cliente: É uma mais Quê??? Arquitecto:- Mais Valia. Cliente._á olhe senhor Arquitecto não sei se a minha mulher vais gostar "disso" assim sem telhado ela até quer um telhadinho na entrada. O cliente leva o papel com os dois riscos para a mulher ver e dias depois. Cliente: Ó Senhor Arquitecto eu e a minha mulher não percebemos nada disto sabe não conceguimos ver onde ficava a cozinha. nós aqui na sala queremos uma lareira. Arquitecto: Aí não é a sala é a garagem. Cliente: pois esta a ver não percebemos nada disto. Arquitecto : """"EStou""" Feito""" com este tipo"" tanto tempo perdido para nada. Cliente:-Olhe Senhor Arquitecto não me leve a mal mas eu e a minha mulher decidimos ir falar com um senhor lá da terra que tambem faz umas plantas, ele fez a planta da casa do nosso vizinho e nós gostamos muito dessa casa, até já deixou chumbada no muro junto á garagem, uma argola em ferro para prender o cão e nos gostamos disso sábe sr. Arquitecto. Já agora sr. Arquitecto nós não lhe devemos nada pois não não chegou a fazer a planta. Então muito obrigado, mas olhe sr.Arquitecto se nós tivermos algum problema quando estivermos a construir a casa esteja descançado que agente não se esquece de Você. Arquitecto: Não Não você não me deve nada ( entre dentes ""F.... da P...") E assim vai a maior parte das Arquitecturas meus AMIGOS Um Abraço
  20. Kas reforçando o que eu disse num poste anterior ao qual você respondeu e mostrou alguma indignação ao conteudo da minha afirmação. Continu-o a dizer aos novos arquitectos é perferivel arriscarem e abrirem o vosso próprio gabinete venham para o mercado " há trabalho para todos" desde que não queiram fazer e participar só em obras de referencia, façam tambem os pequenos projectos, legalizações! porque não? atraz delas veem tambem os bons projectos. Os Arquitectos vão fazer os bons projectos de borla para os grandes gabinetes permitindo a estes terem sempre capacidade de resposta deixando desta forma o cliente satizfeito, se Vocês Os Arquitectos não forem trabalhar para esses gabinetes, eles não vão conseguir fazer todo o trabalho e então o trabalho excedente vai começar a chegar tambem aos vossos proprios gabinetes. Não sou Arquitecto sou apenas desenhador, trabalho para Arquitectos e Engenheiros fornecendo serviços de desenho e imagem para Arquitectura Engenharia e Construção,se eu consigo manter um pequeno gabinete trabalhando para outros e sou um simples desenhador, porque é que Vocês Os Arquitectos não aode conseguir??? E é isso mesmo existem gabinetes, que oferecem estagios porque o trabalho apertou e é mais barato pôr Arquitectos a " trabalhar de borla sendo mais pomposo dizer-se a estagiar" do que pôr um desenhador ou homem dos recados com alguma esperiencia. ABRAM OS OLHOS "AMIGOS NOVOS ARQUITECTOS"
  21. Uma vez que não existe regulamento do loteamento. Deverá desenvolver o seu projecto com base nos parametros urbanisticos indicados no PDM dessa zona, que certamente se referem aos afastamentos e indices de ocupação e de utilização etc. O que Você pretende é certamente alterar a geometria do poligono de implantação e não a sua área, se assim não for e não sendo eu Arquitecto, penso que a Câmara Municipal representada pelo Tècnico que o atendeu, está a cometer a maior castração ao poder criativo dos Arquitectos, pensando assim, não são necessários Arquitectos, a Câmara pode mandar fazer um só projecto, tirar cópias e vende-las ao balcão. Como já eu disse não sou Arquitecto, mas entendo o poligono de implantação como sendo um elemento que condiciona com um valor máximo, a área possivel de ocupar por uma construção num dado terreno e não a sua geometria quadrada, rectangular ou em L.
  22. Kaz, então tudo bem? Kas eu sinceramente não pretendo entrar em polémicas com aquilo que eu postei inicialmente. Não discordo de Você quando diz que é a lei " do barco que se afunda e então salve-se quem poder". Este Pais está mesmo assim "Salve-se quem poder". Pois então temos que nos agarrar a qualquer coisa, se assim não for só se salvão os outros. Já cá ando á 45 anos e bem á vontade, metade da minha vida, só tenho visto os espertos a salvarem-se. Eu assim Como Você tambem ambicionava e ambiciono uma atitude Profissional digna, mas cheguei á conclusão, baseando-me na dignidade que todos os dias nos entra porta dentro, que essa dignidade não me alimenta os filhos nem a restante familia e dado que ninguem nem o Nosso Governo me Paga Mensálmente por eu ser mais ou menos digno, então resta-me tentar o "salve-se quem poder". Eu sou um defensor dos bons costumes, da boa moral e da melhor éctica, mas só isto na verdade não me tem posto na mesa o necessário pão e leite para sustentar a familia. Kas vou aqui arriscar e tentar adivinhar a sua idade eu diria que Você terá entre os 25 e os 32 anos desculpe se me enganei nem me leve a mal de daquilo que vou dizer a seguir: " Para compriender o que eu disse atraz o Kas terá de ter pelo menos mais 5 anos e ter a seu cargo esposa e dois filhos e um ordenado comum á maioria dos Portugueses, mas aqui bastava só o ordenado ser bem melhor e ás tantas tambem eu mudava a minha maneira de pensar: Quando eu digo para abrirem gabinetes, porque se ganha mais de 1500,00 € não é que se deva cobrar pela legalização do muro esse valor, mas é uma comparação em relação aos Arquitectos que andaram 1/4 da sua vida a estudar com bastantes sacrificios e falo com conhecimento, pois conheço alguns. E para quê? Para irem trabalhar quase de borla para os grandes gabinetes? Isto é uma contradição, esses Arquitectos não montam os seus próprios gabinetes porque normalmente teem medo ou receio de não dar certo, mas vão para esses gabinetes trabalhar e aí sim, dá, pois com aquilo que estão a produzir e pelo facto de não receberem aquilo que merciam estão a pagar ou a ajudar a pagar as despesas desses gabinetes. Eu não sou Arquitecto, mas preferia montar o meu próprio gabinete e fazer 2 ou 3 legalizações por més que certamente ganhava mais que os 1500,00€. Uma "LEGALIZAÇÃO BEM FEITA" carece de um Profissional Arquitecto tão ou mais informado doque se for para fazer um projecto de raíz. Numa legalização há quase sempre obra a fazer, isto porque se foi feita ilegalmente é necessário adapta-la a uma nova realidade e o dono da obra terá que se "moldar" a essa realidade e ai entra a colaboração imprescindivel do Arquitecto. Mas se não lhes quizeremos chamar legalizações, chamemos-lhes reformulações ou reabilitações de edificios que não sendo a mesma coisa é parecido. A legalização de uma garagem por exemplo não é feita só com a apresentação de um "projecto" na Câmara Municipal, um Arquitecto, antes de aceitar um trabalho de legalização, deverá olhar para o objecto a legalizar e ditar as suas próprias regras e principios para o fazer, não sendo Arquitecto, penso que estes profissionais não deverão compactuar com legalizações " descuidadas" para evitar as tais obras licenciadas por de baixo da mesa como o Kaz falou e muito bem, mas elas são licenciadas pelos Arquitectos que normalmente estão a apreciar os projectos nas Câmaras Municipais salvo raras excepções. Uma legalização, na verdadeira acepção da palavra, pode ser tão ou mais estimulante que fazer um projecto totalmente novo. Por isso Kas não tenha problemas em fazer legalizações, só terá que as fazer bem feitas estando deste modo a contribuir para o melhoramento da paisagem Arquitectonica do Nosso Pais que tanto necessita. E deverá cobrar por essas legalizações o justo valor pelo seu trabalho e conhecimento tècnico sem o qual o dono de Obra não concegue atingir a legalidade. Não sendo os Arquitectos a abrir gabinetes para tambem resolverem estes problemas de "legalização de muros, garagens etc." estão a deixar espaço para outros técnicos o fazerem. E lembrem-se que depois do projecto de legalização de um muro, pode vir o projecto da tão esperada moradia ou edificio para esse terreno que tinha um muro clandestino, isto é por mim afirmado com conhecimento de causa. peço desculpa por ter exagerado na resposta e por não corrigir o texto. Até breve Alexelos.
  23. Oi Aislan T.bem? Tenho seguido um pouco o seu trabalho la no archpro os meus parabens tembem trabalho com autocad, max e vray mas ainda não chegue ao seu nível. Um Abraço. Quanto á imagem está optima parabens.
  24. Pessoal deixem lá os C.V. e venham mas é para o mercado abrir gabinetes há mercado para todos desde que não queiram fazer ou colaborar só em obras de referência, essas já estão controladas pelos grandes gabinetes. Um muro, uma garagem, a legalização de uma moradia etc. tambem carecer de projecto logo tambem se pode ganhar dinheiro fazendo estes pequenos projectos e vos garanto que ganharam mais que os miseros 1500 €/mes. Mas tenham atenção é preciso engolir muito sapo e fazer bem as contas antes de aceitar este tipo de "trabanho". Uma abraço e sejam felizes.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.