Jump to content
Arquitectura.pt


TiCo

Moderadores
  • Posts

    3,036
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by TiCo

  1. http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=754264&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+ddUltimas+%28As+%C3%BAltimas+not%C3%ADcias%2C+an%C3%A1lises+e+coment%C3%A1rios+
  2. http://p3.publico.pt/cultura/arquitectura/15032/aprender-ser-arquitecto-na-india
  3. Desconhecia essa informação :) Algo a ter em conta quando propuserem a utilização do produto!
  4. Eu aconselho, sempre que possível a ir ao gabinete! Quando se envia um CV, acaba-se sempre por encostar num canto ou não ligar muito ao email, "é mais um". O falar com as pessoas permite-te que geres uma empatia, te mostres interessado no trabalho e no escritório (convém ir com a lição estudada), te apercebas do tipo de pessoas/ambiente com quem vais lidar e, acima de tudo que aprendas a 'vender' aquilo que melhor sabes fazer ;) Relativamente a teres menos custos, podes sempre ter um 'livro' para apresentação do portefólio, mas depois o envies por email para não deixares o suporte físico.
  5. Eu também iria propor o Corian, mas não se encaixa nas tuas possibilidades, e nem na parte do baixo custo, ehehe :) Mas o tradicional, Cerâmico, será o que melhor se encaixa nas tuas possibilidades, o Metálico poderá ser outro.
  6. Concordo com as opiniões acima. Apesar de nunca ter trabalhado em grandes ateliers, tive colegas meus que o fizeram e noto também as diferenças acima referidas, são colegas muito voltados para a apresentação, concursos, softwares, etc., também têm uma cultura mais alargada a nível das ultimas referências da profissão, mas depois não sabem o suficiente para lidar com o cliente/obra/técnicos das especialidades/legislação/politica/economia/câmara, etc., etc. De uma maneira genérica uns são ratos de laboratório, outros andam no terreno. Cada um tem os seus aspectos bons e os lados maus, a escolha poderá depender muito daquilo que pretendes para o futuro, ou então aproveitares a oportunidade para teres uma experiência num gabinete maior. Um bom arquiteto só é reconhecido com 60-70 anos por isso há muito que experienciar até lá :) Boa sorte na tua escolha :)
  7. Ideial 'genial' quando falta espaço para a banheira
  8. Boa tarde Erazor, realmente, em Portugal não temos muita tradição em construir soluções de vãos em harmónio. De qualquer das formas, podes sempre perguntar ás empresas de extrusão de alumínio que soluções te podem oferecer e consequentemente preços. Chamo a atenção que no orçamento a escolha do tipo de vidros influencia o custo e consequentemente a térmica ;) Deixo aqui estas soluções da "Extrusal" (têm mais): http://www.extrusal.pt/index.php?id=36&prt=5 http://www.extrusal.pt/index.php?id=36&prt=6 e da Maciça (madeira): http://www.macica.pt/por_har.html
  9. Boa Tarde Uhanam, da experiência que eu tenho, esses valores vão do 8 ao 80, não há uma tabela no mercado, depende sempre do 'kit de unhas' que tens, depende do que o cliente quer em termos finais de apresentação, custos do material (software necessário, investimento em hardware), etc. Já vi num mesmo trabalho orçamentos desde os 100€ aos 10.000€, mas é uma questão de comparares o teu género de trabalho com o que se vê no mercado e dares um preço que aches justo para o trabalho e despesas que vais ter. Uma das falhas dos cursos de arquitetura é esta, não ensinarem nada de gestão ;)
  10. Será isto que procuras? http://www.grupososoares.eu/index.php?cat=78&item=292 http://www.kawneer.com/kawneer/portugal/pt/product_category.asp?cat_id=1705 A imagem que colocaste apresenta caixilho, se reparares existe uns parafusos nos prumos que separam os vidros.
  11. Se houver os cuidados necessários (manutenção) porque não usar como solução? Parece-me a mim, e falo de cor porque também não encontrei a solução construtiva dos ARX, que seja uma solução não muito perene, se no dia-a-dia se vê as paredes babadas e sujas com a má construção e não utilização dos materiais correctos em simples padieiras...
  12. Projeto da Estação de Serviço Sacor em Matosinhos, 1967, desenhado por Siza Vieira.
  13. http://www.publico.pt/economia/noticia/iniciada-na-china-construcao-daquele-que-sera-o-edificio-mais-alto-do-mundo-1600947
  14. Em Portugal ainda são raros os casos de demolição, existe pouca sensibilidade/cultura do espaço e da urbanidade! Não se promove a resolução de muitos problemas, inclusive sociais, com alterações espaciais e urbanísticas! Infelizmente é assim, tanto que, quando há um projeto de 'demolição', serve sempre para abertura de telejornais! A mudança, nem que seja para melhor, é uma doença terrível nos portugueses... : Mas são as minhas opiniões, e a realidade com que eu lido diariamente, que não impede de haver outros profissionais, com outras experiências mais positivas e que as possam partilhar também, nomeadamente dos grandes centros urbanos :)
  15. Não, existe preferência principalmente pelo portefólio que apresentas :)
  16. Olá joao.gomes, antes de mais bem-vindo aqui à 'nossa' humilde casa. :-) Relativamente à tua questão, aquilo que te posso dizer, é muito simplesmente o seguinte, se gostas mesmo de arquitetura e queres seguir a área, tens de começar a refletir em ir para o estrangeiro, em Portugal nos próximos anos não há nada a fazer nesta área. Se esta for uma questão já interiorizada por ti, posso dizer-te que não é bem a Faculdade que faz o arquiteto, mas sim a curiosidade, a experiência, o trabalho árduo que faz um excelente profissional. A vida académica, tem uma percentagem ínfima no construir da tua carreira, antigamente fazia mais sentido porque não existiria informação ao dispor das pessoas, hoje em dia é mais a capacidade de trabalhar que está em causa, até onde estás disposto a estudar e a querer evoluir :-) Mas é a minha opinião :-)
  17. Da experiência que eu tenho os materiais 'verdes' de barato nada têm, antes pelo contrário, são caríssimos, isto talvez porque em Portugal conseguimos ter materiais de elevada qualidade a preços muito acessíveis! Outro aspecto, é a qualidade/durabilidade/fiabilidade destes materiais reciclados, sendo materiais compostos, e caríssimos em comparação com os materiais 'puros' 'naturais', que este sim, têm uma qualidade, durabilidade e fiabilidade iniludível, não têm qualquer razão de serem postos como possível escolha para um cliente que faz o investimento da vida dele! Se falarmos de um cliente, que faz só 'mais um' investimento, ou um espaço temporário, ou que seja realmente o primeiro objectivo dele, aí sim poderemos entrar por esse caminho. Mas isto nada é mais simples que a antiga questão do papel reciclado! Conclusão: ninguém usa, e porquê? é exactamente a mesma resposta, é caro, tem uma grande falta de qualidade, e de durabilidade! Infelizmente é assim!
  18. Na minha opinião, a primeira abordagem deveria ser feita por um Engenheiro de forma a avaliar correctamente a estrutura do edifício em estudo e também dos vizinhos, para depois se poder proceder à melhor forma de resolver o problema!
  19. (...) In: http://dre.pt/pdf2sdip/2012/12/241000000/3976039762.pdf
  20. in: http://www.elmundo.es/elmundo/2012/12/10/ciencia/1355137874.html
  21. Portuguese architects Barbosa & Guimarães have recently completed a Multipurpose Pavilion in Lamego, a small city in the North of Portugal. The project is located in a hilltop overlooking the city, next to a monumental 18th century complex and the city's fair space. Coated in granite, a typical stone used in construction in the area, the building is integrated in the hillside, using the site's natural inclination to nullify its volume. A striking, cantilevered cor-ten steel volume projects above the main entrance, which links the lower plaza to another located at the top of the building. Here is also located an outdoor amphitheatre. The architects redesigned the site limits, establishing a new relationship with the surrounding streets and giving a new orientation to the park. According to the architects, the new multipurpose pavilion, along with the park and surrounding fair grounds, "have significantly reinforced and upgraded the public space of the city of Lamego." The pavilion features an arena and foyer with a 50-metre span and ceiling height of 10 metres, along with a multipurpose room and an auditorium for 120 people, shower facilities and changing rooms. An underground parking is also planned, with four underground floors. --------------------------------------------------------- Barbosa & Guimarães Architects: Lamego Multipurpose Pavilion Site: Lamego Client: Lamego Renova Competition: 2006 Project: 2006 - 2008 Construction Period: 2009 - 2012 Architects: Barbosa & Guimarães; José António Barbosa, Pedro Lopes Guimarães Collaborators: Miguel Pimenta, Paula Fonseca, José Marques, Henrique Dias, Filipe Secca, Mafalda Santiago, Raul Andrade, Pablo Rebelo, Paulo Lima, Ana Campante, Ana Carvalho, Ana Mota, Daniela Teixeira, Eunice Lopes, Nuno Felgar, Rui Grangeio Structural engineering: JFA, José Ferraz Hydraulic engineering: DHV, Dias da Costa Electrical engineering: RGA, Joaquim Silva Heating & Gas: RGA, Pedro Albuquerque HVAC: RGA, Pedro Albuquerque Contractors (partnership): Irmãos Cavaco, Gabriel A. S. Couto, Francisco Pereira Marinho & Irmãos s.a. Site supervision: José Cruz --------------------------------------------------------- Links: http://www.domusweb.it/en/news/lamego-multipurpose-pavilion/ http://www.barbosa-guimaraes.com/recent-projects/lamego-multi-purpose-center/ http://www.josecamposphotography.com/lamego-multiproposal-pavillion/
  22. Na minha opinião, essas questões passam muito pelo tipo de cliente e com a forma como apresentamos e conseguimos apelar à sensibilidade arquitetónica dele. Porque se no programa proposto, temos ou não limites financeiros, quanto a mim isso não é impeditivo de criar sistemas construtivos novos, fazer experiências, dar largas à imaginação, obviamente terá de ser sempre dentro dos objectivos e do programa proposto pelo cliente (financeiro, politico, económico, forma, função...). É preciso ter consciência que a limitação financeira não é impedimento para uma arquitetura de qualidade.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.