Jump to content
Arquitectura.pt


tatlin

Membros
  • Posts

    387
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by tatlin

  1. 1- Não teria mas, isso não invalida a sua importancia e qualidade; 2- Projecto A, embora o B beneficie mais os propositos da igreja, em termos de qualidade arquitectonica o A é bastante melhor.
  2. Oi alguem me poderis dizer o preço aproximado de uma "box culvert" com as dimenções aproximadas de 3 metros de altura 3 a 4 de largura e profundidade variavel? Já procurei na net em empresas ligadas a construcção de peças em betão armado pré fabricado mas as marotas não colocam os preços nos catalogos. Já agora para quem não sabe o nome mas pode conhecer a peça é disto que estou a falar: Desde já um muito obrigado:)
  3. [ame=" "]YouTube - Mies Van Der Rohe[/ame] :knockout::lol2:
  4. Parece pouco e mal feito. Basicamente o que se vêm é um pavimento com uns motivos "chapa 5" e uma também muito banalzita iluminação, não digo que seja erro do arquitecto, mas esta rua merecia melhor. Faz-me lembrar a antiga avenida dos Aliados cheia de retalhos.
  5. Porquê meu Deus? Porquê?.....:desesp::bored: Em termos de imagem e montagem tem de facto parecenças com a manga sem no entanto atingir toda a dinamica e intensidade desta. Não sei se sentem o mesmo que eu, mas, em cada três filmes destes manos há sempre dois que dão vergonha de ver :horrible:
  6. Por acaso de humidades ainda não percebo nada, mas esta solução não tem ar condicionado ou outro sistema de tradicional, os esritorios são espaços que ao serem utilizados geram o seu proprio calor, o aquecimento é por assim dizer gratuito. O aquecimento no Inverno é feito pelo aproveitamento do calor libertado por computadores, impressoras, etc... Sobre se isto gera humidades não sei responder nunca me falaram de humidades na universidade nem li sobre isso em libros, se alguem conhecer bibliografia sobre o assunto gostava de saber.
  7. Não sei se isto ajuda, mas, á pouco tempo assisti a uma conferência do engenheiro Guilherme Carrilho da Graça sobre arquitectura sustentável nesta conferência falou-se sobre tudo do caso dos escritórios. O mal dos escritórios num clima como o português onde existe uma grande amplitude térmica com Invernos frios e Verões muito quentes, é que neste género de programa estão integrados vários elementos que ajudam a aquecer o edifício como por exemplo todos os aparelhos electrónicos, computadores impressoras etc... Isto é um problema sobre tudo no Verão e a solução para isto pode dificultar a tarefa de manter o edifício quente no Inverno Assim ao tentarmos proteger o edifício da entrada de calor pela exposição solar no verão colocando isolamento térmico estamos também a reter no interior o calor gerado pelos computadores etc... Isto pode acontecer também num Inverno mais quente como foi o inicio deste ultimo. Como solução para este problema (pelo que percebi da ultima fila do auditório) o recomendável segundo este engenheiro para um edifício de escritórios em Portugal seria, aberturas (janelas) viradas a Norte com vidro duplo, isolamento térmico na cobertura para impedir o calor proveniente da exposição solar, que aqui é de quase 90º no Verão e deixar as paredes livres de isolamento térmico para que o calor gerado dentro do edifício possa dispersar-se para o exterior. Assim no verão as janelas são abertas deixando entra ar fresco para o escritório o que ajuda a arrefece-lo, o isolamento na cobertura impede a entrada de calor pela exposição solar e o calor gerado no interior é dispersado para o exterior devido a falta de isolamento térmico nas paredes, no Inverno as janelas são fechadas e o calor é gerado pelo aproveitamento do calor gerado pelos aparelhos electrónicos. Astrid isto não é o que se usa mas o que se deveria usar segundo este engenheiro. Colegas de forum gostava de saber qual a vossa opinião sobre esta solução.
  8. Há já algum tempo vi uma entrevista do Rem Koohlaas ao Charlie Rose sobre os seus mais recentes projectos onde o arquitecto holandês diz ter declarado guerra ao típico arranha-céus de um andar tipo reproduzido na vertical do princípio a fim. Assim este arquitecto procura novas formas de organizar e conceber esta tipologia um exemplo desta procura é a famosa sede da CCTV. CCTV - TV STATION AND HEADQUARTERS «Skyscraper The tragedy of the skyscraper is that it marks a place as significant, which it then occupies and exhausts with banality... This banality is twofold: in spite of their potential to be incubators of new cultures, programs, and ways of life, most towers accommodate merely routine activity, arranged according to predictable patterns. Formally, their expressions of verticality have proven to stunt the imagination: as verticality soars, creativity crashes. (...) Concept Instead of competing in the hopeless race for ultimate height - dominance of the skyline can only be achieved for a short period of time, and soon another, even taller building will emerge - the project proposes an iconographic constellation of two high-rise structures that actively engage the city space: CCTV and TVCC. A new icon is formed... not the predictable 2-dimensional tower 'soaring' skyward, but a truly 3-dimensional experience. The consolidation of the TV program in a single building allows each worker to be permanently aware of the nature of the work of his co-workers - a chain of interdependence that promotes solidarity rather than isolation, collaboration instead of opposition. The building itself contributes to the coherence of the organization.» TORRE BICENTENARIO RAK CONVENTION AND EXHIBITION CENTRE «What is left to be invented when it comes to the creation of a landmark? So far the 21st century – in a desperate effort to differentiate one building from the next – has been characterized by a manic production of extravagant shapes. Paradoxically, the result is a surprisingly monotonous urban substance, where any attempt at ‘difference’ is instantly neutralized in a sea of meaningless architectural gestures. This project represents a final attempt at distinction through architecture:not through the creation of the next bizarre image, but through a return to pure form. Invented long ago, both the sphere and the bar explicitly abandon claims to formal invention or ‘originality’. (The sphere even existed before man itself…) Yet both geometries still continue to feed the architectural imagination: perfectly autonomous shapes, within their bounds the promise of a perfect world – made possible only by the seamless integration of engineering. In spite of their apparent simplicity the sphere and the bar could come to represent a milestone in the construction of the new RAK and provide it with a powerful universal symbol: Western and Eastern, futuristic and primordial, contemporary and timeless.» Em obra: DE ROTTERDAM Procura-se criar uma cidade vertical com o aglomerar de diferentes funções que se beneficiem mutuamente, assim entre outros exemplos, os escritórios podem utilizar as salas de conferências do hotel, e as habitações podem beneficiar dos ginásios e serviços de catering entre outras possibilidades. HYPERBUILDING «Although initially the concept of a Hyperbuilding seems irrevocably linked to societies of hyper-development, on closer inspection, the advantages of hyper concentrated structures and programs, are more evident in societies undergoing the drastic upheaval of modernisation at full force, in other words, the Hyperbuilding may be less credible in the almost "completed" urban conditions of, for instance Japan or America, where strictly speaking it would have little significant qualities to add, than in a developing condition where the virtues of the hyperbuilding, the provision of an enormous controllable critical mass, could be a demonstrable advantage. If this hypothesis is true it would follow that it would be interesting to play down rather than play up, the technical aspect of the hyperbuilding. Although the hyperbuilding is clearly the 'next step’, it should not be confused with high-tech. It will only work if we can combine the visionary ambition of the hyper-scale with a de-escalation of its technicity, with a degree of elementary simplicity. (...) ProgramTo preserve the quality of the environment and the necessary proximity between home and work space (200.000 people commuting every day), the hyperbuilding is proposed to be a self contained city without being disconnected from the surrounding urban dynamic. SpaceTo achieve urban variety and complexity, the building is structured as a metaphor of the city: towers constitute streets, horizontal elements are parks, volumes are districts, and diagonals are boulevards. (...) Structure It can be read as the integration of several buildings into a larger whole. The different elements support each other in every sense: architecturally, they form an integrated complex; technically, issues of stability, access, circulation and servicing are organised collectively; urbanistically, the entire building becomes an urban quarter of a new kind.»
  9. A maqueta esta muito boa na representação realista, suponho que se trate de um cenario de teatro, a perspectiva acelerada esta muito interessante.:clap: Estou a ver que as condições de trabalho na Russia são ligeiramente diferentes das portuguesas, para melhor:( Zinaida espero ver mais topicos sobre arquitectura russa e obrigado por partilhares as tuas experiências do outro extremo da Europa.
  10. Marco1 Atelier Embaixada, são ai uns oito jovens arquitectos que se juntaram.
  11. Uns arranha ceus não ficam nada mal para dramatizar um skyline, o erro é que se constroem nos sitios errados basta ver a torre do Foster ou o predio coutinho. Sobre as Amoreiras, a grande vantagem que trazem a cidade é a tal dramatização do skyline pelo acentuar da colina onde se encontram. Ainda sobre o prédio coutinho gostava de saber quanto da horizontalidade caracteristica de Viana do Castelo não vem do contraste com esse "mono".
  12. ANGELofDEATH Hoje gostava de ter uns bons arranha ceus em Belem para fazerem uma sombrinha:p
  13. Os meu url's http://act365.com/martin/singapore/FinancialDistrict.jpg Panama city Singapure O teu url http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/bd/Atl_skyline.JPG ATL????? :)
  14. Eu estou em exames o que torna dificil a preparação de um novo topico, se inicias-ses tu eu depois acrescentava umas torres, pode ser?:)
  15. :pDune e 2001 são os filmes que mais vi, no total para cada um pelo menos mais de 500:icon_yikes: vezes, não os considero os melhores filmes de sempre mas, não sei porque, estes são os que mais gostei de ver a determinada altura da minha vida, por esses 13-16 anos, via os em tempo de aulas depois de chegar cansado da escola todos os dias uteis deitava-me no sofá primeiro via um e depois se ouvesse tempo e cabeça via outro (na minha terra não havia muito para se fazer:tired::bored:) sem reparar ao longo de uns anitos devo ter atingido o valor que referi acima. A determinada altura já sabia os dialogos de cor e também me acontecia como tu Against saia-me mais facilmente uma frase de um filme do que uma semelhante em portugues e de facto tem mais pinta. Hoje apesar de serem excelentes filmes não os consigo ver.:vomit2:;)
  16. há uma coisa que não parece que vai funcionar bem no Dubai. As supreficies horizontais, este edificio é todo ele superficies horizontais que são optimas para acumular areia do deserto (razão pela qual o burj tem superficies tão planas e verticais), e esta deve ser optima para encravar as pás das helices da energia eolica.
  17. Portuguese deviamos fazer um topico sobre os edificios em altura mais arrojados dos ultimos tempo:)
  18. Fui humilhantemente apanhado:knockout:. Portuguese tivestes de ir às propriedades das fotos para saber de que cidades se tratavam, as fotos foram encontradas pelo motor de busca de imagens do google procurando por "financial district", são duas fotos que poderiam pertencer a uma mesma cidade apesar se serem duas cidades completamente opostas em termos geograficos culturais e sociais, gostava de repetir este ponto, nada nestas fotos nos indica as particularidades geograficas sociais e culturais destas cidades. A fazer-se uma coisa assim no Porto ou em Lisboa estavamos a por estas cidades mais genericas e parecidas com um conjunto de outras que optaram pelos caminhos que defendes e que carinhosamente se costuma chamar "sindrome de Manhattan". Ao contrario do que normalmente se diz a globalização procura a diversidade e a autenticidade o que prejodica qualquer cidade que tente aparentar-se com as demais atraves da imitação de uma imagem de sucesso. Talvez o sucesso turistico de Lisboa como cidade de cruseiros se deva ao ""atraso"" que possui relativamente a outras cidades que se apressaram a fazer um financial district e por ai fora, caindo na "sindrome de Manhattan", o proprio Dubai de que tanta gente diz mal procura nas suas contrucções mostrar a diversidade nem que seja em termos quantitativos para atrair turistas e as atenções das pessoas (ver filme "play time" de Jacques Tati). Já pensastes porque é que os paises do terceiro mundo têm, sempre que podem, a sua Manhattan como o caso do Panama? No filme "o costureiro do Panama" talvez encontres uma razão para isso acontecer. Eu também adoro edificios em altura e ando todo com o periodo que vivemos fertil em imaginação para este tipo de construcção em cidades como Paris, Moscovo, S. Petersburgo, etc.. Como tu, o Siza e o Manuel Graça Dias eu também penso que Lisboa poderia ter os seus, agora vir dizer que predio em altura=desenvolvimento/boa arquitectura/etc... Esta muito, muito, muito longe da realidade, se assim fosse o Cacém e a Amadora eram as terras mais desenvolvidas do pais:nervos:... Sobre novas obras em Lisboa penso que se calhar as conheces melhor tu do que muita gente que por aqui anda, por isso não contes com muitas novidades até porque por aqui, exceptuando as noticias da frente ribeirinha, as coisas andam um pouco paradas.
  19. Tudo a bem do progresso da Mota Engil, Soares da Costa, Casais.... Apesar do comentario até sou apoiante do TGV
  20. Parece uma escultura qualquer no Nevada de um artista plastico fugido de NY nos anos 70:p.
  21. Penso que ainda não apareceu aqui a margueira do Richard Rogers Já agora Portuguese consegues dizer-me que cidade é esta? http://act365.com/martin/singapore/FinancialDistrict.jpg :)
  22. Vitor nina A mensagem do Pedro Ribeiro vai no sentido de se procurar ter uma arquitectura mais "autentica" "para quê manter a fachada se o interior é moderno" a minha mensagem tem exactamente a mesma posição só que vista de um modo diferente "se é para manter a fachada então o miolo deveria ser mantido com os melhoramentos possiveis".O Pedro Ribeiro quis aqui dizer que se deve evitar uma situação de falsidade na baixa do Porto, pelo menos foi isso que retirei da mensagem. Eu defendo o mesmo.
  23. Estou agora a ouvir o third dos Portishead: We carry on [ame="http://www.youtube.com/watch?v=gfyNO1E4Wj4"]YouTube - Portishead-We Carry On-Official Vid[/ame] Brutal já não ouvia um som assim a muito tempo
  24. Projectos destes já se falam a um montão de tempo na pratica ainda não foi contruido nenhum a não ser os dos metabolitas japoneses, do qual este é o maior exemplo e ouvi dizer que infelismente o vão demolir por não corresponder as expectativas.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.