Jump to content
Arquitectura.pt


tiagorocha

Membros
  • Content Count

    16
  • Joined

  • Last visited

  1. Julgo que não se cansou. Foi meu professor à quatro anos atrás e ainda por lá anda, a tentar desmascarar os edifícios apresentados nas aulas através do seu prático e funcional discurso, com um pouco de humor à mistura como não podia faltar.
  2. Qualquer espaço de representação simbólica, seja em que país for, é um lugar turístico cheio de pessoas a fotografar, etc.
  3. Cobertura em zinco, tipo "camarinha". Apesar de ser cara, é bastante sustentável, numa altura em que tanto se fala disso.
  4. Julgo que não, então se não é tocada é música para quem?
  5. Continuo a dizer e penso que, não podemos chamar arquitectura ao processo projectual da mesma uma vez que ela não é traduzida fisicamente, nem sequer é vivida para quem é feita, para as pessoas, para a sociedade. Por outro lado, se assim fosse, teriamos de chamar arquitectura às cidades ideais de Yona Friedman. "A arquitectura é o jogo sábio, glorioso e magnífico de volumes sob a luz do sol." – Corbusier. Arquitectura não é construção, mas precisa dela. "A arquitectura é o jogo sábio, glorioso e magnífico de volumes sob a luz do sol." – Vitrúvio. A arquitectura não é construção, nem precis
  6. marco1, não percebo quando dizes que "...dai que para mim arquitectura é construção mesmo que não materializada...". No meu entender, arquitectura é para as pessoas na medida em que esta é inserida na sociedade e sem ela não existe arquitectura, tanto para aquele que a encomenda, como para aqueles que admiram, que coabitam com ela, que mantêm relações com ela pelo simples facto de ela fazer parte das formas do nosso espaço. Quando muito, aquela "arquitectura não materealizada" que tu falas pode ser chamada de "processo projectual". Cumprimentos.
  7. Julgo que quando falámos aqui de "construção", não se trata do verbo empírico de contrução mas do sentido físico da palavra. Deste modo, não há arquitectura sem construção. A existência de vivências não se traduz em arquitectura, mas a relação destas através de formas construídas torna-se arquitectura. Arquitectura é espaço público e deve ser entendida como um produto cultural na medida em que não existe arquitectura sem pessoas.
  8. Obviamente que Arquitectura é construção, agora não é simplesmente construção. Como aí alguém dizia, um projecto de arquitectura não é arquitectura, mas sim o processo. No entanto para ser arquitectura necessita do espaço, tempo, percurso...ou seja, na Arquitectura existe a 4ª dimensão, a temporal, em que esta é vivida e usufruida pelos ocupantes ou por aqueles que a apreciem, porque arquitectura é Pública. Assim sendo a arquitectura tem que ser percorrível, não se trata portanto de um projecto nem de uma maquete ou até de um desenho tridimensional.
  9. atelier Topos, de Braga, deve ter alguma coisa sobre Ponte de Lima, já que fizeram o Hotel do Golfe e estão a fazer outro perto do centro da vila, junto à ponte "nova".
  10. Acho esta questão da sustentabilidade e as suas teorias muito dicotómicas. À partida, a primeira questão da "sustentabilidade", como o nome me parece indicar, faz-me pensar que ,desde logo, ser sustentável é resistir pelo maior periodo de tempo. Parece-me o factor mais importante e económico que muitas pessoas parecem esquecer-se. No entanto isto dá pano para mangas...inclusivamente , no limite, à extinção da nossa profissão. Não massacrando muito, esta discussão poderia continuar por inúmeros caminhos.
  11. Caro joão pedro, eu acho que o problema é com tudo...eu não consigo encontrar nada de positivo nesta obra, nem mesmo o impacto sobre os praticantes. Quando eu me referio ao sítio não é só no sentido da característica física do lugar mas de todo o seu carácter histórico e cultural. no entanto digo também "Arquitectura é para as pessoas e sendo um edifício religioso não me parece ter quaiquer referências com esta mesma arquitectura", referindo-me neste caso não só ao programa e exigências de um edifício religioso como à resposta arquitectónica dada. Apesar de tudo sinto-me um pouco desconfortáve
  12. Bom, para os que dizem que é arte, talvez seja "kitsch"... Arquitectura é para as pessoas e sendo um edifício religioso não me parece ter quaiquer referências com esta mesma arquitectura. Criar um edifício de excepção ou mesmo "símbolo" paga-se caro, para o bem e para o mal. A meu ver, neste caso para o mal. Apenas mais uma referência, trata-se de uma pseudo arquitectura que tanto poderia estar implatada ali como noutro lugar.
  13. todo o mundo preocupado apenas com as questões energéticas....compreendo... mas as plantas falam por si....até os gato fedorento reparam...
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.