Jump to content
Arquitectura.pt


tatlin

Membros
  • Posts

    387
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Posts posted by tatlin

  1. GENOA PORT, ITALY, GENOA, 1997 OMA

    Imagem colocada

    Imagem colocada

    Imagem colocada

    Imagem colocada

    The port of Genoa is the geophysical condition, beautifully located on the slopes of the coastal mountains the city overlooks the Mare Ligure and the harbour. There the steep seashore forces the city and the harbour to coexist on the same stretch of coast. Result is the historical city in front of an ever modernising harbour: nostalgia facing the pure contemporary condition. So we realised that no conventional waterfront rehabilitation could be the answer.


    As by magic the economic growth of South East Asia has forced the re-emergence of Genoa as an important European harbour. This is the incentive for a drastic change in the scope and the ambition. Our plan proposes an aggressive welcome to the new condition: the further improvement of the harbour, preparing quays for more berth and the newest logistics for ships, cranes, trains and lorries. At the same time our plan proposes to reclaim Genoa’s relationship with the seaboard.

    After the outward expansion of the post war era Genoa is forced to expand and improve on actually occupied territory. Genoa has the chance - almost non existent in Italy - to restructure an area central in the city, important to both civic life and economic activity.

    We propose a combination of manipulations; efficient infrastructure and logistics restructure a former infrastructure clot, freeing land for new program. Mutual exchange of territory between city and harbour improve conditions for development. The introduction of port related manufacturing and assemblage allows the city to generate income from the passing flow of commodities between sea and hinterland.


    http://www.oma.eu/index.php?option=com_projects&view=project&id=556&Itemid=10

    Muito provavelmente a melhor solução para reduzir o impacto do terminal de cruzeiros.
  2. Foreign Office Architects Yokohama International Port Terminal Este terminal de cruzeiros tem uma a vantagem de colocar os navios na perpendicular em relação a margem, o Siza fez um com o mesmo esquema para a Grécia, penso que aplicado em Lisboa ajudaria a evitar o forte impacto que vão ter uns quantos navios de 3000 passageiros em fila, isso sim uma autentica muralha opaca.

  3. A cidade que acolhe os JO de 2012 é Londres, o orçamento das proximas olimpiadas é bastante mais leve que os 30 mil milhões de dolares dos JO de Pequim que diga-se de passagem superam em muito o custo do Euro 2004, da Expo, da nova ponte sobre o Tejo, ponte Vasco da Gama e novo aeroporto de Lisboa juntos (!):D e tenho a impressão que poderiamos colocar ai o investimento do TGV. Aqui vão umas imagens do estadio olimpico de londres para 2012 desenhado se não estou em erro pelo famigerado Peter Cook (pessoalmente gostava mais da anterior proposta) http://www.construction-int.com/images/industrynews/London-Olympic-Stadium.jpg http://www.bdonline.co.uk/Pictures/468xAny/v/m/s/grab2.jpg

  4. Caros colegas do forum aqui vão umas fotos para esclarecer melhor as coisas. Neste caso tratam-se de umas fotos da ponte bar acabada de ser lavadinha especialmente para a foto, mais tarde coloco as outras pontes. Esta ultima foto mostra um problema de manutenção, o lixo e a agua estão a infiltrar-se entre a estrutura vermelha em aço dos bancos e o tampão em plastico, segundo o homem que faz a limpeza não há forma de retirar essa sujidade dos bancos,infelismente estava com pressa e esqueci-me de tirar fotos de dentro da ponte para o exterior.

  5. Imagem colocada

    A desculpa dada para as demolições destes edificios costuma ser a forte presença de amianto na construção, no entanto não cola muito porque no ocidente também se usava amianto e entre demolir e reabiliatar optou-se quase sempre pela segunda opção, veja-se o caso do edificio da comição europeia em Bruxelas.
    O engraçado é que da RDA pelo que me dizem só estão a deixar os edificios de habitação colectiva, os equipamentos publicos estão todos a ser demolidos va-se la saber porque. espero que não estejam a alterar o legado e a paisagem da RDA para dizerem que aquilo era uma coisa bem diferente da realidade.
    Apesar das criticas ao aspecto deste edificio, pincipalmente ao exterior, pessoalmente gosto dele principalmente do interior. Talvez hoje não se perceba bem mas este edificio tinha um aspecto muito moderno, optimista e festivo quando foi construido. Num libro da tashen sobre propaganda ou design da ex RDA tem um postal do lobby da altura da sua construcção que exibe bem o genero de imagem que este palacio refletia.
  6. Ricardo tu conheces, não estas é a ver qual é. Este edificio é o que fica no outro extremo da avenida dos aliados em relação a camara municipal la em baixo perto da estação de Sº Bento e que possui uma farmacia do lado de quem sobe para os Clerigos. Como estou em Lisboa a estudar pensava que essas obras já tinham acabado. Lembro-me de no ano passado o Siza na conferencia da trienal de Liaboa ter criticado muito essas obras de requalificação no Porto. Vamos la ver no que isto vai dar.

    Imagem colocada

  7. Bom aquilo que deste designer mais me interessa é a aplicação de sistemas/logicas proprios dos organismos naturais para o mundo do desenho de productos, isto indo além da simples inspiração organica dos anos 50, por exemplo o retirar volume de um objecto tornando-o menos pesado e mais resistente, etc.... Gostei particularmente da ideia do veiculo, que é melhor explicada no video, embora não acredite que seja um projecto vá em frente....

  8. RITA Deixa-me só dar-te uma dica...
    Terminei o curso à 4 anos e embora esteja a ser muito complicado, vou-me safando.
    Mas eu já andei por todo o lado e garanto-te, o interior do país tem falta de arquitectos.
    Além dos malfadaos estágios a custo zero, o problema tb passa pelo facto de ninguém querer sair das grandes cidades.
    Boa sorte e não desistas


    Deixa-me dar o exemplo da minha vila com oito mil habitantes, umas 2000 familias ficando a 90 kilometros de Viana do Castelo e 50 de Vigo, esta terra tem 1 arquitecto...... E 5 pessoas a estudar arquitectura prontas para regressar, eu sou uma delas e já ando a ver se encontro ateliers no estrangeiro....... Isto esta mal em todo o lado...;)
    Bom boa sorte nesta guerra.
  9. Imagem colocada

    Não vi a primeira imagem mas da para ver que o projecto mudou um pouco, será que o conceito inicial também mudou ou só foi uma mudança para se ajustar melhor a um orçamento mais apertado? Lembra-me a Casa da Música que originalmente era para ser toda em vidro com o intuito de destruir a dualidade entre interior/exterior puiblico/semi-publico e passou para betão branco devido a restrições orçamentais, mudando as intenções originais dos arquitectos.
  10. E a nova basilica em Fatima é da Paula Santos... E o CCB é do Manuel Salgado......... Todo o arquitecto estrangeiro que queira participar num concurso em Portugal tem de arranjar um atelier portugues para tratar da papelada e muitas vezes os ateliers nacionais chamam outros internacionais de renoma para participar em concursos locais. Acontece o mesmo com o Siza em Espanha tanto para o hospital de Toledo como para as avenidas que esta agora a remodelar em Madrid, onde foi convidado por gabinetes locais a participar nos concursos e ninguem lhe retira a autoria dos projectos só por ser em parceria. Não conheço o projecto que ganhou, mas penso que ao ser mostrado a público vai estar impregnado com todas as marcas e influencias de outras obras dos SANAA.

  11. Numa deambulação pelas conferencias ted encontrei este designer que me pareceu muito interessante, até para lá da area especifica do design. Espero que gostem

    Perfil do homem no wikipedia
    http://en.wikipedia.org/wiki/Ross_Lovegrove

    Conferencia TED no YouTube
    [ame="

    "]YouTube - TEDTalks: Ross Lovegrove (2005)[/ame]

    Site
    http://www.rosslovegrove.com/

    Entrevista na wallpaper
    http://www.wallpaper.com/interiors/ross-lovegrove-interview/1770

    Imagem colocada

    Imagem colocada

    Imagem colocada
  12. Deinhac penso que o R|L se limitou a fazer uma pequena piada sem intenção de ofender ninguem.
    Bom eu ainda sou estudante de arquitectura, por isso não sei nada do que é um arquitecto estar sentado em frente a um cliente, mas já deu para ver que existe um grande divorcio entre os dois, este topico é importante para confirmar isso mas também para criar uma ponte de entendimento entre as duas partes.

    no forum das obras, os empreiteiros são bastante mais acessiveis que os arquitectos!!! (ai agora!! ;))

    A diferença entre um enpreiteiro e um arquitecto é que o arquitecto percebe de arquitectura o emprenteiro percebe de negocios:p.
    Se não gostou das obras do Carlos Castanheira e do http://www.bakgordon.com/ nem da casa do Herrero
    Veja se esta aqui corresponde mais as suas espectativas.
    Jorn utzon house
    Imagem colocada



    Imagem colocada

    http://www.pushpullbar.com/forums/attachment.php?attachmentid=38293&stc=1&d=1204589497
  13. Demolição é a palavra que, nos últimos dias, mais surge associada ao bairro do Aleixo. O PortugalDiário descobriu um projecto que poderia «salvar» as cinco torres com vista para o Douro. Em Dezembro de 2007, a arquitecta Ana Lima, na altura ainda finalista da Universidade do Porto, propôs, uma solução mais económica do que a demolição e que manteria os moradores onde eles querem ficar: no Aleixo.

    Para o presidente da câmara do Porto, a reabilitação do bairro é «um desperdício de dinheiro». Às vozes discordantes que se ouvem contra a orientação camária, surge um projecto capaz de requalificar e não destruir o Aleixo. Mais espaço, luz e uma melhor disposição interna são apenas alguns dos pontos abordados por Ana Lima no seu projecto de licenciatura, que lhe valeu uma menção honrosa na sexta Bienal Ibero-Americana de Arquitectura e Urbanística.
    «Demolir e voltar a construir fica mais caro», esclarece a arquitecta ao PortugalDiário, que se inspirou no trabalho de uma dupla de arquitectos franceses, Lacaton & Vassal, e apresentou um projecto que poderia revolucionar as torres do Aleixo.
    Deparou-se com falta de informação e pouca colaboração, por parte da câmara, na altura em que realizava o projecto. Mas os entraves não a demoveram de abraçar esta ideia.
    Rui Rio «não gosta dos pobres»
    O outro lado do Aleixo

    As paredes degradadas, que tendem a deixar cair pedaços sobre quem passa na rua, seriam substituídas por fachadas modernas; a criação de amplos halls de entrada, a duplicação dos elevadores e profundas alterações na cave, que passaria a dispor de lojas com acesso ao exterior, mudariam a cara do Aleixo e permitiriam demonstrar uma real preocupação com o espaço e a comodidade dos habitantes.
    «Este projecto procura não violentar as populações que lá vivem e que já tiveram de se mudar uma vez, da Ribeira para o Aleixo. O projecto procura trabalhar para as populações».
    «Os pobres não têm direito a ter vista para o rio»
    Rio Fernandes, geógrafo e professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, explicou ao PortugalDiário a visão que tem da proposta da Câmara do Porto. «Primeiro vejo o projecto como uma solução para um erro cometido no passado. Segundo como uma alteração política de Rui Rio e terceiro com apreensão, porque ninguém esclarece, não há informação».
    De acordo com Rio Fernandes, é importante respeitar a vontade das pessoas: «Quem quer ficar devia poder ficar». O professor considera que este tipo de solução apenas aumenta a desigualdade social. «As classes mais altas situam-se junto ao rio, ou seja, na zona ocidental da cidade, as classe mais baixas concentram-se na parte oriental do distrito, porque os pobres não têm direito a ter vista para o rio», ironizou.
    Pobres de um lado, ricos do outro, igual a violência
    Rio Fernandes salientou ainda o facto de há já muito tempo, pelo menos desde meados de 1970, que nenhum tipo de habitação social é construída na zona da Foz, de Leça da Palmeira, ou seja, na zona ocidental e que cada vez mais surgem bairros deste tipo em, por exemplo, Gondomar e Fânzeres, na zona oriental da cidade.
    «A demolição pode ser um "óptima" oportunidade de juntar pobres a pobres e ricos a ricos promovendo uma assimetria social, uma dualidade que pode resultar, como já aconteceu em outros países (Brasil), num aumento da violência».
    O geógrafo alerta para o perigo da «segregação» social, quando «a cidade é uma mistura: não se pode resolver o problema num sítio e criar-se noutro».


    http://diario.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/11597509

    http://diario.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/11597508

    http://diario.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/11597507
  14. «Pólo de Serralves desenhado por japonesa de culto». Kazuyo Sejima é a autora do projecto do New Museum of Contemporary Art de Nova Iorque.

    Só consegui este pequeno excerto de uma notica que saiu no publico a uns dias, mas é suficiente para dar conta de que o novo polo de serralves em Matosinhos vai ser da alturia do atelier SANAA, tendo ganho a arquitectos como Lacaton e Vassal, Souto moura, entre outros.
  15. Deixo aqui um especialista em casas rústicas :

    Portefólio: Clique aqui !

    e-mail : pm@pm.gov.pt


    Porreiro Pá ;)


    Esse desenhador anda muito ocupado. Estou a lembrar-me de dois arquitectos que fazem uma boa fusão entre o tal rustico que procura e o moderno, um é o bak gordon http://www.bakgordon.com/ o outro é o carlos castanheira.


    Já agora podia dizer se aquilo que procura é algo semelhante a isto?
    è esta a sua ideia de rustico ou tem uma idea dirigida para outro lado?
    Casa em Maiorca, Espanha - Juan Herreros Arquitectos
    Imagem colocada

    Imagem colocada
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.