Jump to content
Arquitectura.pt


Ricardo Guerra

Membros
  • Content Count

    54
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by Ricardo Guerra

  1. Gostei das tuas imagens e acho que estás no bom caminho. Usas bem as texturas mas acho que não deves ter medo de "queimar" propositadamente algumas partes das imagens aumentado o contraste entre luz e sombra para toda a imagem ganhar mais realismo. Nos interiores idem, acho que deverias experimentar exagerar na luz a entrar pela sala e observares o efeito. Por vezes a observar o que acontece mesmo na realidade é a melhor ajuda para fazer bons renders, sobretudo porque existem mesmo cores ao sol que simplesmente estão queimadas.
  2. De facto Kaz, oiço dizer que para trabalhar com o max é preciso mesmo afinar bem os setings senão não existe maquina que resista, de momento estou a trabalhar com o vray para sketchup e uso como 1º motor o irradiance map e como 2º o light cache, até agora foi o que consegui de melhor entre rapidez e qualidade. Reconheço que o vray para sketchup está longe da possibilidade de optimização em termos de afinação e aproveitamento de hardware em relação ao vray para max só que de momento e para estar legal não existe $$$ para mais.
  3. Obrigado Bio Arquitecto pelo teu comentário, só acerca de um ano e meio é que comecei a utilizar o displacement com maior eficiencia e de forma a não prolongar muito o tempo de render até então e como nesta imagem fazia apenas "bump" preparando a imagem que iria mapear como bump, tornando-a 1º a preto e branco e depois aumentando os contrastes para obter melhores resultados no bump. Depois que comecei a dominar melhor o displacement uso-o mais para relva e tecidos como disseste.
  4. Sim a versão mais recente custa +/-799€, as duas primeiras versões beta do vray para sketchup eram gratuitas embora com alguns bugs, acho que já só se apanham em sites de 3d e de plugins, salvo erro versão 0.0.11? Não tenho a certeza
  5. Obrigado Dreamer, como reparaste, o blog ainda é muito recente, já estou a melhorar alguns dos aspectos e vou começar por desenhar os borders e algumas imagens para os links. Mais uma vez obrigada.
  6. Obrigado pelo comentário gibag, o facto de ter ficado escuro foi para enfatizar o efeito de profundidade por um lado e para não pormenorizar mais no modelo, de facto o que se vê na imagem é mesmo e apenas o que está modelado. Para interiores só costumo modelar o que vai aparecer na imagem para poupar recursos. Outra coisa que me interessa saber é se um render destes com sketchup+vray feito em 2 minutos e pouco acham muito ou pouco tempo em termos de settings. O meu pc é um quadcore com uma quadro de 256 e 4 gb de ram, vista ultimate 64 bits
  7. Já á algum tempo que não vinha cá e posso-vos dizer que ando muito satisfeito com as nossas aquisições de software. Temos usado o blender somente para cenários mais complicados, de resto estamos a usar o zwcad, muito bom mesmo, 399€, tem visual lisp, express tools, blocos, trabalha com xrefs e rasters, hatch etc etc se não estiverem atentos parece mesmo autodesk. Só comprámos a versão standart, pois só precisamos dos desenhos a 2d, usamos o sketchup para levantar tudo e rendeizar com vray ou yafray com o blender. este pacote é simpático, estável e barato, fica um posto de trabalho por +/- 399(zwcad)+799(vray para sketchup)+grátis(blender)+grátis(yafray) openoffice para folhas de calculo, texto, tabelas e afins(grátis) á só somar Confesso que brevemente e como já alguns disseram, iremos acabar por adquirir o max porque é mesmo muito mais rápido e um pouco mais fiável para animação.
  8. Nesta imagem mais do que o realismo do render, quis transmitir um conceito, foi um estudo prévio que realizamos e precisámos de "convencer" o cliente não só para realizarmos o projecto mas principalmente porque sabíamos que seriamos contactados para outros trabalhos se este corresse bem, e assim aconteceu. Postei outra imagem com um interior de uma sala que aí sim queríamos que fosse o mais próximo possível da realidade visto que a intenção seria de fazer flyers promocionais deste mesmo empreendimento. Muito obrigado pelas críticas construtivas, ajudam mesmo a melhorar o trabalho.
  9. eu costumo usar o sketchup e vray para sketchup tambem blender com yafray só trabalho em 3ds em ateliers pois no nosso ainda não temos budjet para tal. Não costumo muito mexer depois do render só mesmo para colocar pessoas e alguma vegetaçao e para isso uso o paint.net que é free
  10. Fica aqui o link para o blog. Deixo a votação á vossa consideração para além dos comentários serem sempre bem vindos, obrigado. http://www.noticiasdearquitectura.blogspot.com noticiasdearquitectura@gmail.com
  11. Parabéns pela imagem. O que usas ara as plantas?, Clipmaps?
  12. Gostei bastante das imagens Insight no entanto e na minha modesta opinião aqui vão o que julgo serem alguns conselhos. Tenta tirar algum do brilho nas paredes, de facto, o reboco areado fino pintado a branco, não costuma ter brilho mas apenas algum relevo "bump" Podes adicionar algum bump na água para simular algum movimento se não for essa a intenção tudo bem mas parece ainda muito "espelho". Trabalha com um pouco mais de definição nas sombras e terás melhores resultados junto dos objectos. Um pequeno truque é não deixares os objectos colados ao chão mas sim 0.5cm do chão forçando um sombra que resulta num maior realismo. Gostei muito mesmo dos interiores só terás de ter maior cuidado para não deixar quaimar a luza junto dos brancos, se trabalhares melhor as sombras e o ambiente terás melhor qualidade na luz sem queimar os brancos. De resto estás de parabéns.
  13. Interior de uma Sala/Copa. Custou-me muito até conseguir trabalhar a cor no interior mas acho que valeu pelo resultado final consegui. Todas as vossas opiniões serão bem vindas.
  14. Obrigado pelos comentários, ajudam mesmo muito a melhorar coisas que no meio do trabalho até nos esquecemos. Tens razão gibag, as pessoas foram colocadas depois com o paint.net , e acho que exagerei no efeito "glow" e acabei por queimar o céu. Esta imagem no evermotion.org teve elogios mas criticaram muito a água, talvez mais transparente e mais clara fosse mais real.
  15. Imagem Tridimensional, digam a vossa opinião, Obrigado desde já pela atenção dispensada.
  16. obrigado pela vossa votação. A primeira versão do vray para sketchup foi grátis, depois tornou-se paga mas é um pacote relativamente barato para renderização. Sketchup -> grátis / Sketchup Pro -> 399?€ Vray - > 499?€ Também trabalha ás mil maravilhas com o google sketchup que é grátis.
  17. Sim é verdade que o max atér agora vence em muito softwares similares, no entanto, se pensarmos que ja passamos se calhar milhares e milhres de horas com um unico software não poderemos querer que de um dia para o outro dominemos outro. Por isso sou tão contra ao dominio das principais marcas que conhecemos e que, sim senhora, são softwares muito bem desenvolvidos e estáveis, só pretendia dizer que existem alternativas bem mais economicas e "quase" ao mesmo nível para quem souber e dedicar algumas horas de exploração do novo software. Eu por exemplo sempre usei max com cad da autodesk enquanto trabalhei em ateliers, mas tive de repensar quando abri o meu próprio atelier puro e simplesmente porque não há hipotese nem capacidade financeira que resista ao príncipio. Então comecei a investigar sobre software alternativo e descobri que havia programas muito identicos e ao mesmo tempo estaveis, pagos tambem mas até 10 a 20 vezes mais baratos, como o caso do sketchup, vray para sjetchup, zwcad, yafray para blender, blender, open office etc etc. Quanto ao blender, acho que finalmente percebi que é um verdadeiro motor tridimensional ao alcance de quem saiba domina-lo, principalmente porque é um open source e as capacidades de o aumentar são ilimitadas basta como acontecia já com a programação em srcipt do max aprender agora um pouco da linguagem utilizada no blender. Ou seja nós próprios podemos mesmo criar as nossas ferramentas e plugins.
  18. Obrigado desde ja pela tua atenção, mas em muito me ajudas a tirar de facto algumas das minhas duvidas, e ajudaria quem tiver estas conversas, pelo menos comigo, porque é algo que acho muito importante sobretudo nos dias que correm. Não pretendo ser fundamentalista sobre nenhuma das correntes teóricas comtemporaneas, só que apenas duvido de que precisemos assim tanto da questão do lugar para fazer arquitectura, simplesmente pela razão de que o lugar hoje é e sempre será mutável. Julgo certo dizermos de que o lugar definse-se por um contexto onde o tempo e a sua história estão presentes mas acho que pela geometria poderemos com precisão defeni-lo reconhecendo-o. O filosofo, o poeta, o musico e os artistas em geral diferem do arquitecto, acredito eu, pela unica razão de que é ele "arquitecto" o único capaz de reconhecer uma geometria existente e traduzi-la em sentimento, espaço e poesia. Por esta razão, dizia de que se cinrcunscrevessemos o problema do lugar e do seu reconhecimento á geometria encontrariamos aí, talvez a solução. Não pelas razões de Eisemen nem pelas de Koolhas mas simplesmente por ter a certeza de que a Arquitectura só o é pela tradução de ideias e conceitos em geometria.
  19. Sim estamos de acordo com o facto do trabalho de implantação e as preocupações que envovem conferirem ao "objecto" a particularidade de integração naquele lugar. De facto este é um dos pontos de que não puderemos fugir para a produção de arquitectura. Mas admitindo isto, tambem poderemos admitir o estudo de tipologias de lugar e correspondentes tipologias de projecto que com a metedologia necessária á sua implantação respondem de um modo geral aos lugares em geral. Lembro-me dos textos de Pedro Gadanho que tinha qualquer coisa a ver com isto, "projectos especificos para os ugares em geral" e projectos gerais para lugares especificos" que tocam muito o que estamos a falar penso eu. Se restringirmos o reconhecimento do lugar ao lugar geometrico aí então a possibilidade de encontrar geometrias tipo de lugares é maior. É claro que as condicionantes de localização e da região em causa como já desde vitruvio sabemos, não poderão ficar de parte não possibilitando assim a produção de objectos encerrados em si mesmo. O que dizer nas emergentes propostas de casas modelares e de propostas pré fabricadas em que a unica preocupação é mesma a implantação que muitas vezes não fazem a adaptação necessária para o lugar em termos de arquitectura.
  20. Concordo com a ideia de que em qualquer nova obra se "semi-constroi" parte do lugar que já existia criando um novo. No entanto em minha opinião existem projectos que servem aquele lugar e só esse mesmo lugar e outros que da mesma forma que "respondem" ao lugar para onde foram pensados ainda teem a capacidade de poderem ser utilizados como soluções "tipo" para outros lugares. Vejamos dois projectos de contraste por exemplo e que da mesma forma poderiam responder a outros lugares de caracteristicas comum como a casa da cascata do Wirght e a Villa Savoy do Corbusier. Uma, a primeira, quase que nasce da mesma forma que cresceu no tempo o lugar e a outra a segunda, pousa no lugar de forma magistral como se sempre la existisse. Não será dificil imaginarmos a potência destes dois projectos num qualquer outro lugar mas é-me dificil acreditar nos muitos dos projectos que hoje se fazem em que se tenta assegurar como satisfatorio de que foram pensados para "ali". Quero com isto dizer que de um certo modo podemos concluir de que existem projectos "atitudes" que respondem ao lugar "constexto" onde se inserem e nada mais que isso ainda que a tarefa seja dificil e de muito apreço para quem o consegue, mas que existe a possibilidade de pensarmos em sistemas de pensamento que nos possibilitam o suporte para produzirmos soluções tipo que com a devida adaptação respondem igualmente ao lugar onse inserem. E até porque se assim não fosse, não querendo confundir linguagem em arquitectura com método, em teoria se para cada lugar em arquitectura só pudesse existir uma obra dita "arquitectura" unica e exclusiva, esta não se poderia repetir em nada a outra num outro lugar e nos mais variados mestres e sobretudo os actuais facilmente percebemos de que isso nao se verifica.
  21. O vray não é gratis, mas tanto como o sketchup como a 1ª versão do vray para sketchup que tem menos opções de parametros ainda continuam disponiveis para download de forma gratuita senão estou em erro. Eu pessoalmente estou a dar-me muito bem com o sketchup e vray para sketchup, pois obtenho bons resultados de um modo geral e de uma forma rápida. É claro que se precisar de mais pormenor e principalmente em cenas exteriores não ha duvida que o 3D Studio é Rei em questões de Realidade Virtual, para não falar em animação. Julgo que as principais diferenças e embora o vray para sketchup já permita o Bump mapping e o Displace Map bem como o controlo de Causticas o 3Dstudio tem muito mais variadade de efeitos e possibilidades ao nivel do controlo das texturas principalmente no Mix Mapping e nas mascaras para combinações de opacidade e materiais encandescendes.
  22. Eu por acaso tenho uma opinião ligeiramente diferente, hoje em dia na comunidade GNU licence ageement, já existe software com qualidade superior e gratuito para uso pessoal e a preços 70% abaixo dos da autodesk. A saber, Progecad, quem gosta de autocad não notará a diferença, Blender quase o mesmo que 3DStudio mas gratuito, YafRay - o mesmo que o Vray mas gratuito. Depois na lista para mim dos mais uteis e ao mesmo tempo mais acessiveis para atelier temos o Sketchup, Vray para Sketchup, processamento com o Open Office (Gratuito), e acho que dentro do open source ainda existe algo muito identico e quase igual ao Photoshop. Com isto tudo ajuda saber que 99% destes programas são compativeis com linux e não precisam do windows o que nos torna possivel investir isso sim em bom hardware e deixar quase de lado as despesas com o software. Mais dia menos dia as versões anteriores dos softwares mais caros hoje, serão gratuitos puro e simplesmente porque se não o forem, deixarão de ter utilizadores que saibam usar o software que produzem.
  23. 50% certo Pedro Barradas. Para vos tirar as duvidas, isto foi modelado e texturado em sketchup. o Motor de renderização foi o vray para sketchup. No vray utilizei o Irrandiance Map e Light Cache com ajustes na abertura de camera e velocidade.
  24. Concordo, da ideia de lugar poderemos falar sobre quase tudo em arquitectura mas poderemos especificar o tema ao contexto onde se insere cada obra, ou seja, definindo o lugar. Acho que poderemos definir o lugar como, a relação ou o que existe da relação entre as "coisas" que o limitam ou o definem. Para mim teremos de estar sempre á volta, para fazer arquitectura, de três factores essenciais:- Lugar- Matéria-Programa Sobre materialidades e programa parece-me de que não poderemos definir regras de aplicação ou uso pois estariamos sempre de alguma maneira a limitarmo-nos e a castrar a imaginação e poder criativo de qualquer um. Mas sobre o lugar que é algo "exterior" á obra poderemos chegar a várias conclusões que hoje e sempre marcaram as várias linguagens e até escolas de arquitectura no mundo inteiro. Uma das minhas convicções, admitindo erro possivel, é de que, custa-me a acreditar de que uma obra de qualidade dependa de um lugar de qualidade, se é que poderemos falar de lugares bons ou maus visto que hoje chegamos á definição e identificação dos "não lugares". Ora admitindo a existencia de não lugares e de lugares, e de que segundo a escola do porto, o lugar pre-destina a obra de arquitectura no sentido de que é deste que ela terá de partir para ser legitimada como tal, facilmente poderia afirmar de que uma obra de arquitectura dependerá sempre e em primeiro lugar se o contexto onde se insere, pelo menos, se elevar a lugar. Por outro lado a mesma escola, diz-nos que, para se elevar uma construção qualquer á obra de arquitectura, ela terá forçosamente de construir um lugar, (construir a relação entre as "coisas" que o limitam ou o definem") o que neste ponto eu concordo senão não estava a acrescentar nada de novo. Mas parece-me já, que existe um paradoxo nesta ideia de lugar e obra. Por um lado admite-se de que do lugar nasce a obra, por outro, esta só é apreendida se construir um novo lugar. Como ou em que estado fica o Lugar Existente antes da Obra se passa a ser outro "Novo" ?
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.