Jump to content
Arquitectura.pt


Arkial

Membros
  • Posts

    58
  • Joined

  • Last visited

Posts posted by Arkial

  1. Imagem colocada


    Na penúltima página do “Boletim dos Arquitectos” cuja edição é da responsabilidade da actual direcção da Ordem dos Arquitectos, publica-se um texto de Nuno Portas intitulado: “O Parque Escolar e os Concursos de Arquitectura – uma opinião“. Não procurarei, neste texto, rebater o apelo de Nuno Portas, profissional e académico que estimo, embora os factos em que se sustenta revelem, no mínimo, alguma desactualização sobre o que é comum entender-se como políticas de transparência e bom governo ou sobre os procedimentos administrativos sobre os quais escreve.
    Contudo, não posso deixar de notar que, a publicação deste artigo, no qual se apela à não subscrição de uma petição que, curiosamente, a Ordem dos Arquitectos não subscreve, noticia ou divulga é extremamente relevante.
    Não me choca a opinião de Nuno Portas, que compreendo, e até aprecio a frontalidade. O que me choca é que a actual direcção da Ordem dos Arquitectos (com excepção de um ou outro dirigente) não tenha a coragem política de assumir a sua tentativa de silenciar e desqualificar a petição e, consequentemente, não tenha a frontalidade de se colocar ao lado da Parque Escolar na subscrição dos seus procedimentos – será que a OA não concorda só com alguns ajustes?
    A publicação do artigo de Nuno Portas contra a petição sem sequer se aventar a possibilidade de um contraditório, tem um significado político determinante que o comunicado rotundo do seu presidente não consegue esconder.
    A actual direcção da Ordem dos Arquitectos há muito que fez a sua escolha de classe e, apesar de um ou outro sinal contrário desenvolvido às custas de uma minoria de dirigentes activos com boas intenções, revela, a cada passo e a cada silêncio, o seu lado da barricada.
    Também por isso, a petição, subscrita por inúmeros cidadãos (muitos deles arquitectos), primeiro silenciada e agora desqualificada pela Ordem, assume-se como uma pedrada no charco, sendo entendida (e bem!) pela maioria dos dirigentes da Ordem dos Arquitectos como uma ameaça.
    Porém, não nos esqueçamos que a gula é um pecado capital.

    fonte:http://5dias.net/2010/03/15/ordem-dos-arquitectos-procura-desqualificar-peticao-sobre-os-ajustes-directos-da-parque-escolar/

    Pessoal toca a assinar a petição: http://www.peticao.com.pt/parque-escolar
  2. Imagem colocada

    Ao cuidado da Polícia Judiciária


    A Câmara Municipal de Matosinhos (CMM) em parceria com a empresa de construção imobiliária FDO, pretendem edificar na freguesia de Lavra um plano de urbanização sob a designação FDO nº21/08.
    Este projecto será constituído por 20 prédios com três pisos (cave, r/c e dois pisos). Da totalidade dos prédios, 16 terão um afastamento entre si de aproximadamente 10 metros, enquanto que os restantes 4 apenas terão um afastamento de 4 metros.
    Este enorme empreendimento imobiliário ficará situado no lugar de Cabanelas na freguesia de Lavra em terrenos de cariz rural.
    É um verdadeiro atentado imobiliário!

    Por se ter tido acesso ao referido projecto e aos contornos que envolveram todo o negócio, foi possível constatar a existência de graves problemas merecedores de uma profunda investigação judicial.

    Passemos então a apresentar os aspectos merecedores dessa investigação judicial:

    1ª - A empresa FDO com o apoio da CMM, comprou em Cabanelas - Lavra diversos terrenos a lavradores por meia dúzia de euros dizendo que se pretendia construir uma estrada municipal (N531). Os agricultores foram também informados que caso não os vendessem seriam posteriormente expropriados.
    Todavia os propósitos eram também outros!
    Pretendiam para além da construção da estrada, edificar 20 prédios com três pisos numa área essencialmente rural
    Justifica-se uma investigação aos valores de compra e venda dos terrenos onde vai nascer este loteamento


    2ª – Como é que uma empresa adquire todos os lotes aos lavradores para efectuar essa construção (projecto de construção disponível na CMM – FDO nº21/08), quando o plano director municipal (PDM) ainda não foi aprovado e como tal não possibilita esse tipo de construção. De acordo com o PDM para essa zona apenas seria possível haver construções de um piso.

    Como é que os “carros andam à frente dos bois”, isto é, como é que a empresa FDO tem tudo negociado e projectado antes do PDM estar aprovado?  
    Justifica-se mais uma vez que se investigue! 


    3ª - O processo FDO nº21/08 e respectivo PIP 192/06 foram literalmente “colados” no plano de pormenor em estudo.
    Tal situação é completamente anormal atendendo a que o dito processo deu entrada na CMM em 2006 e o plano actual de pormenor já o contempla.
    Isto é o que se chama um “plano por encomenda”
    Para uma melhor interpretação junta-se em anexo uma cópia desse mesmo projecto.
    Justifica-se investigar porque é que tal situação ocorreu!



    4ª - Existe um gravíssimo conflito de interesses entre a CMM, a empresa construtora FDO e a Arquitecta que projectou o loteamento. O projecto de loteamento foi executado pela Arquitecta Ana Paula Petiz que é mulher do Director Municipal do Urbanismo – Arquitecto Luís Miranda.Esta Arquitecta não é sequer funcionária da FDO nem da CMM.
    Como é que isto é possível?
    Ver nome que se encontra escrito no canto do lado direito do referido projecto
    Justifica-se investigar este grave conflito de interesses!

    5º - O acordo e a conivência entre a empresa FDO e a CMM é tão visível que desses 20 prédios, 16 serão para venda a custos controlados e os restantes 4 destinados a habitação social e entregues à Matosinhos HABIT.
    O negócio está bem visível!


    Face a estes 5 pontos parece ser evidente a necessidade de uma profunda investigação a todo este negócio que envolve a CMM e a empresa FDO. Para além disso, salienta-se que esta empresa imobiliária também parece estar envolvida num caso semelhante com a Câmara Municipal da Maia. Esse caso encontra-se em processo de investigação judicial.
    Ficamos aguardar novos desenvolvimentos.

















    Texto e documentos enviados por Carlos Andrade

    fonte: http://leixao.blogspot.com/2010/03/1911.html
  3. Precisa ou não, existem ai uns artistas que fazem certificações à distancia com base nas declarações do director técnico de obra, isto é de rir ... Neste País um engenheiro ainda assina projectos de arquitectura, quanto mais alguém perceber a importância de um projecto de execução. Essas percentagem de que falas reportam a antiga tabela de honorários publica já extinta, que inclui todos os projectos de especialidades + execução, infelizmente quase impraticável em obras privadas. Nuno não te esqueças de mostrar a casa depois e de convidar o pessoal para uma churrascada :p

  4. felizmente ainda há gabinetes onde não é bem assim...


    Dá-lhe tempo, quando começarem a ver os outros a ganhar concursos com preços de saldo á pala dos novos escravos rapidamente se vão adaptar, como sabes a única tabela de honorários publica de projectos desapareceu e cada vez o preço é um factor relevante para ganhar concursos ...

    pk escreves com uma letra tão Pequena ? :p
  5. A vantagem é que se fizeres o projecto de execução vais ter documentos que provam o que se pretende para a tua obra e o risco de haver lugar ás ditas alterações são menores uma vez que está tudo documentado ao nível de desenho, referências medições etc Como é que vais pedir orçamentos se não sabes o que vai ser aplicado ? Como é que vais ter orçamentos justos se os próprios empreiteiros não sabem o que tu e o teu arquitecto querem ? Vais ter orçamentos com pavimentos de 8 euros e outros de 80 ... Não te esqueças que no decorrer da obra tens de contratar um director técnico que verifique que a obra está a ser executada de acordo com o projecto, o teu arquitecto é a pessoa ideal para esta tarefa se tiver disponibilidade para tal, uma vez na qualidade de coordenador tem em mente todas as especialidades intervenientes e vai conseguir uma excelente compatibilização de tudo. Vais ter de contratar um técnico de segurança em obra, tu como dono de obra és responsável pela segurança de todos os intervenientes na obra, e se parecem lá os senhores do ACT as multas começam nos 2000 euros.:p No final tens a ficha técnica de habitação, o certificado energético e a o ensaio acústico. Acho que não me esqueci de nada XD

  6. Antes de mais os meu parabéns pois tens bom gosto :p É verdade podes fazer de 2 formas: Projecto de arquitectura - Licenciamento Câmara Projecto de arquitectura + Projecto de execução - Licenciamento Câmara e Pormenores detalhados do que vai ser executado / construído Sinceramente acho que os acabamentos são irrelevantes para efectuar um orçamento do projecto de arquitectura, afinal o que o arquitecto vai criar são espaços, o que se vai lá colocar a seguir pouco afecta o nosso trabalho. 7-10 % estás a falar com as especialidades incluídas certo? Porque o Nuno pediu valores para o projecto de arquitectura.

  7. uuhhhh....Arkial, esqueceste de mencionar um pequeno pormenor....n basta apenas estar na camara, tens que estar integrado no partido que controla a camara, e se possivel ser director de departamento do urbanismo ou entao na melhor das hipoteses ser amigo do director do departamento de urbanismo ou amigo do presidente de camara.

    Then you´ll be a rock star in the star system of architecture...


    Mas ele tem de começar assim, só depois é que poderá criar essas ambições :p
  8. Obrigado OA por obrigares esta malandragem a estagiar , se não fosse a OA esta malandragem ficava em casa sem fazer nenhum, ai ai meninos ou se portam mal ou então a OA dá tau tau Dass o português é mesmo medricas, vem uns *****s que querem um tacho á nossa pala exigir estágios ridículos e não vejo ninguém contra isso !!!!!!!!!! Prepara-te que quando fores procurar emprego só vais ver gabinetes à procura de estagiários para xular...

  9. Estamos na era do HD do panorâmico do 3D do 1080 p, e por isso acho que as fotos deviam ser maiores de forma a evidenciar o teu trabalho. O site obviamente tb devia estar em Português :p De qualquer forma tens ai fotos mto interessantes, quando ganhar dinheiro nos projectos v me lembrar de ti para fotografar. Cumps

  10. Bom dia!
    Aproveitando o tópico , como sou novo por aqui peço desculpa se o faço no sitio errado, gostaria de saber quanto é fica (aproximadamente e só para ter uma idea de valores) um projecto de arquitectura de uma moradia plana (como o terreno tem um declive a ideia será fazer uma cave quase rés do chão para garagem e arrumos e uma salinha com acesso ao jardim e em cima 3 quartos, 1 escritorio e sala e cozinha amplas.
    Como temos cerca de 1500 m2 para construção o espaço não falta e por isso não sei bem qual a area a utilizar.
    Eu sei que podem existir muitas variáveis, mas gostava de saber com que valores vou ter que lidar e daí este pedido de ajuda :p
    Obrigado pelo atenção dispensada e se precisarem de mais informação para melhor me responderem é só pedir.
    Obrigado mais uma vez
    Nuno C.


    Era bom dares a ideia do valor que tens disponível para executar a construção de forma a definir as áreas e ai encontrar o valor para o teu projecto.

    De qualquer forma os compartimentos que pretendes, e partindo do principio que vais fazer uma casa normal penso que 220 / 240 m2 são suficientes.

    Bem o preço é relativo, mas conta aí com + - 3% do valor da construção.

    Cumps
  11. Antes de mais acho ridículo que as universidades continuem a obrigar o uso exclusivo do autocad nos curriculos, cada 1 deve ser livre de usar o software que considera ser melhor. Não se pode comparar coisas diferentes, o archicad foi criado para os arquitectos, toda a sua programação foi concebida na "nossa" linguagem, o autocad e generalista como já foi mencionado. Eu costumo dizer que no archicad não se desenha, constrói-se :p Relativamente ao sistema operativo não sei a que erros te referes no win, básicamente são sistemas diferentes, não vais notar diferenças ao nível de velocidades etc Obviamente que os computadores mac seduzem pelo seu design embora os seus componentes nomeadamente gráficas e processadores deixam um bocado a desejar.

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.