Jump to content
Arquitectura.pt


Santa Maria da Feira | Centro de Criação para o Teatro e Artes da Rua | Bernardo Rodrigues


JVS

Recommended Posts

Centro de Criação para o Teatro e Artes da Rua quer servir a região Norte

Por Mariana Albuquerque - jpn@icicom.up.pt

Publicado: 05.06.2009 | 14:39 (GMT)

Marcadores: Artes , Cultura , Festivais , Norte , Santa Maria da Feira , Teatro

Se for aprovado pelo QREN, o projecto para o Centro de Criação para o Teatro e Artes da Rua promete criar, em Santa Maria da Feira, um "espaço multidisciplinar na região Norte".

A "imaterialidade", o "imaginário" e a "sustentabilidade" são as palavras-chave do projecto do arquitecto Bernardo Rodrigues para o Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua (CCTAR). A candidatura do CCTAR ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) foi apresentada no dia 30 de Maio, em Santa Maria da Feira, no âmbito do Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua.

De acordo com Renzo Barsotti, director artístico do Imaginarius, o CCTAR "vem colmatar a quase inexistência de espaços de criação multidisciplinar na região Norte". O "objectivo específico", adianta, "é o de criar as condições de encontro com o mercado e de fomentar a ligação com outros sectores estratégicos da economia regional" como "a indústria local, o artesanato, o turismo e as novas tecnologias". O centro surge, assim, como "um lugar de encontro da produção e do consumo da criação artística para o espaço público".

Caso seja aprovado pelo QREN, o projectoprojecto será construído na margem de um lago na Pedreira das Penas, no centro de Santa Maria da Feira, e contará com vários pisos, estando o inferior reservado a apartamentos e residências artísticas. "O edifício proposto assume a vontade da rua e seu significado social, ao elevar-se do solo num loop concêntrico", afirma, ao JPN, o arquitecto Bernardo Rodrigues.

Com "esta nova infra-estrutura" o cruzamento entre "grandes e confirmadas companhias e de artistas nacionais internacionais" encontra "outras condições e perspectivas", acrescenta, ao JPN, o director artístico do Imaginarius.

in http://jpn.icicom.up.pt/2009/06/05/centro_de_criacao_para_o_teatro_e_artes_da_rua_quer_servir_a_regiao_norte_.html

Link to comment
Share on other sites

mais uma escultura... é pejorativo...


Não era de todo essa a intenção, de insultar ou ser depreciativo, por isso o meu reparo!

A minha "formação" apesar de ter sido feita na mesma Faculdade do Bernardo Rodrigues não enveredou pelo mesmo carácter plástico e escultural da arquitectura por ele apresentada.

"Escultura s. f. arte de esculpir; obra esculpida; uma das artes plásticas cujo meio de expressão é o volume e a forma."
Link to comment
Share on other sites

  • 7 months later...
Projecto

Imaginação e Imaginário

24 Janeiro 2010

Versátil Implantado numa antiga pedreira, o centro apresenta uma forma fluida e orgânica espiralada. E, elevando-se do chão, liberta a rua para uma praça coberta, funcionando como concha acústica potenciada pelo revestimento de cortiça

Para Santa Maria da Feira está prevista a construção de um Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua (CCTAR) da autoria do arquitecto Bernardo Rodrigues, que procura consolidar a importância da cidade enquanto palco de um importante Festival Internacional de Artes de Rua, o Imaginarius, mas também atrair outras áreas criativas, como a arquitectura, o design ou a fotografia. O edifício procura espelhar as ambições criativas da iniciativa e ser, ele próprio, um exemplar de imaginação, um elemento icónico da paisagem urbana da cidade e um local de referência cultural no Norte do país.

Segundo as palavras do seu director, o futuro CCTAR "intensificará a relação com o território e a comunidade iniciada pelo festival, numa prospectiva que pretende potenciar ao máximo a criatividade local. Por outro lado, ambiciona também ser um espaço aberto, além da cidade, à Região Norte, reforçando a capacidade de gerar e de estabelecer relações entre estas, proporcionando novas ideias para conteúdos de valor expressivo e comercial".

Bernardo Rodrigues intitulou o edifício de Opera Magma, e, como é frequente nas suas obras, conferiu um enorme valor cénico ao projecto, que vai de encontro aos propósitos do próprio programa de Centro de Artes Criativas. Implantado no centro da cidade, numa antiga pedreira abandonada para a qual está prevista a criação de um lago artificial, o edifício apresenta uma forma fluída e orgânica espiralada, um loop que é uma metáfora do dinamismo das actividades de rua e do palco. Por outro lado, ao elevar-se do chão, liberta a rua para a criação de uma praça coberta e o edifício funciona assim como uma concha acústica, situação enfatizada pelo revestimento a cortiça. As placas de cortiça, para além do seu excelente desempenho acústico, permitem ainda a colocação de cartazes e panfletos alusivos aos espectáculos em curso.

Finalmente esta forma espiralada, mais próxima dos reinos animal ou vegetal do que da arquitectura conhecida, projecta o edifício para um mundo etérico e de fantasia, para o imaginário, aludindo assim ao Festival imaginarius, que se realiza nesta cidade há mais de dez anos e é actualmente um dos grande atractivos da cidade.

O CCTAR tem, contudo, um programa muito preciso e definido, que permitirá a realização de espectáculos, seminários e workshops nacionais e internacionais. Com os seus 2400 metros quadrados de área bruta de construção, distribuídos por três pisos, destina-se a albergar residências de artistas - dois apartamentos e cinco camaratas de quatro camas -, salas de ensaios e ateliers de dança, música, fotografia, arquitectura, teatro, design, entre outras expressões artísticas, num total de 500 metros quadrados, um salão principal com 800 metros quadrados e uma biblioteca, com 100 metros quadrados, para além de áreas técnicas e de apoio.

Para além da do forte "imaginário" do projecto do arquitecto Bernardo Rodrigues, o CCTAR contará com importantes consultores internacionais, como a companhia catalã La Fura dels Baus, o fotógrafo italiano Oliviero Toscani, o húngaro Ernõ Rubik, inventor do cubo mágico, e Eugenio Barba, fundador da companhia dinamarquesa Odin Teatret.

Tags: Artes, Arquitectura

http://dn.sapo.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=1477624&seccao=Arquitectura
Link to comment
Share on other sites

Não era de todo essa a intenção, de insultar ou ser depreciativo, por isso o meu reparo!

A minha "formação" apesar de ter sido feita na mesma Faculdade do Bernardo Rodrigues não enveredou pelo mesmo carácter plástico e escultural da arquitectura por ele apresentada.

"Escultura s. f. arte de esculpir; obra esculpida; uma das artes plásticas cujo meio de expressão é o volume e a forma."


não mas a minha intenção era mesmo depreciativa;)
Link to comment
Share on other sites

  • 5 months later...

Centro de Criação para o Teatro e Artes da Rua quer servir a região Norte

Se for aprovado pelo QREN, o projecto para o Centro de Criação para o Teatro e Artes da Rua promete criar, em Santa Maria da Feira, um "espaço multidisciplinar na região Norte".

A "imaterialidade", o "imaginário" e a "sustentabilidade" são as palavras-chave do projecto do arquitecto Bernardo Rodrigues para o Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua (CCTAR). A candidatura do CCTAR ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) foi apresentada no dia 30 de Maio, em Santa Maria da Feira, no âmbito do Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua.

De acordo com Renzo Barsotti, director artístico do Imaginarius, o CCTAR "vem colmatar a quase inexistência de espaços de criação multidisciplinar na região Norte". O "objectivo específico", adianta, "é o de criar as condições de encontro com o mercado e de fomentar a ligação com outros sectores estratégicos da economia regional" como "a indústria local, o artesanato, o turismo e as novas tecnologias". O centro surge, assim, como "um lugar de encontro da produção e do consumo da criação artística para o espaço público".

Caso seja aprovado pelo QREN, o projecto será construído na margem de um lago na Pedreira das Penas, no centro de Santa Maria da Feira, e contará com vários pisos, estando o inferior reservado a apartamentos e residências artísticas. "O edifício proposto assume a vontade da rua e seu significado social, ao elevar-se do solo num loop concêntrico", afirma, ao JPN, o arquitecto Bernardo Rodrigues.

Com "esta nova infra-estrutura" o cruzamento entre "grandes e confirmadas companhias e de artistas nacionais internacionais" encontra "outras condições e perspectivas", acrescenta, ao JPN, o director artístico do Imaginarius.

Edifício do Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua da Feira

A proposta assinada pelo arquitecto Bernardo Rodrigues aposta na versatilidade e assume-se como uma metáfora do conceito de artes de rua.

O Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua (CCTAR) de Santa Maria da Feira, que surgirá na desactivada pedreira das Penas no centro da cidade, cria a sensação de looping e foi concebido para funcionar como palco tanto no espaço interior como exterior. “O edifício é, todo ele, concebido como um palco. É uma metáfora do próprio conceito de teatro de rua”, adianta Bernardo Rodrigues, autor do projecto de arquitectura. “A superfície da cobertura pode ser usada como palco ou espaço para o público”, sublinha. A versatilidade é um dos conceitos que imperam.

O CCTAR terá três pisos e cerca de 2400 metros quadrados, 500 dos quais destinados a salas de ensaios e ateliers de dança, música, fotografia, arquitectura, teatro, design, entre outras expressões artísticas. A infra-estrutura terá ainda um salão principal com 800 metros quadrados, uma biblioteca e residências para artistas: dois T2 e cinco camaratas de quatro camas.

Além de ter sido concebida para ser usada na apresentação de espectáculos, a estrutura terá também um revestimento exterior que deverá incluir placas de cortiça para permitir a colocação de gadgets associados às performances. “Quando o edifício levanta e faz uma curva, há uma praça que fica coberta e que faz uma espécie de concha acústica”, revela Bernardo Rodrigues. As condições de audição foram estudadas ao pormenor. Para a concretização do projecto, duas escolas primárias serão demolidas, após a construção de um centro escolar, criando-se uma nova praça.

A companhia catalã La Fura dels Baus, o fotógrafo italiano Oliviero Toscani – autor de conhecidas campanhas publicitárias -, o inventor do cubo mágico, o húngaro Ernõ Rubik, e Eugenio Barba, fundador da companhia dinamarquesa Odin Teatret, são alguns dos já anunciados consultores do CCTAR.

A construção do CCTAR, cujo projecto global ascende a cinco milhões de euros, depende da aprovação de uma candidatura ao QREN, no âmbito da criação de um cluster de indústrias criativas na região Norte. O projecto do CCTAR prevê a realização de residências nacionais e internacionais de artistas de diferentes áreas e gerações e a promoção de cursos de pensamento criativo para executivos.

in http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=985452&page=2

Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.