Jump to content
Arquitectura.pt


Museu do Futurismo Italiano


Recommended Posts





Ponho aqui um dos meus ultimos projectos. Consiste num museum para o movimento artistico dos futuristas italianos. O projecto consiste de zonas administrativas, armazem e recepcao no piso inferior, no piso seguinte uma sala para exposicoes temporarias, um cafe e a entrada para a exposicao principal (elemento cubico do edificio de 3 pisos + 2 intermedios); a circulacao e feita de modo q as pessoas passem primeiro pela exposicao temporaria e depois para a permanente passando pelo cafe que serve de "threshold" entre od dois elementos.

O conceito e baseado em alguns estudos sobre os proprios futuristas em especial a sua relacao e percepcao do tempo e tb com o conceito de memoria; sendo que da memoria usei a ideia de que existem dois tipos de memoria uma transiente de tempo mais curto e outra perene mais duradoura. A sala de exposicoes temporarias relaciona-se com a ideia de memoria transiente enquanto a exposicao permanente com a memoria perene; o cafe serve de filtro entre as duas salas e tb tipos de memoria, as memorias transientes sao filtradas tornando-se perenes conforme o grau de importancia que lhe atribuimos.

Em baixo esta um excerto do conceito que tive de apresentar
(desculpem a falta de acentuacao mas o teclado q uso nao tem acentos, e o ingles e porque estou a estudar nos estados unidos)

Deixem a vossa opiniao
Obrigado




"The museum will be divided into 3 main areas, a service area which is the functional component of the project, everything needed for the building to function; and 2 galleries, one for a permanent exposition and another for temporary expositions.


Conceptually the museum is a depository of memories. My initial propositions on the ideas of earth and memory was that earth contained all past memories and as time went on layers would accumulate and new memories were added. (Not fully
conscience of it) I was also studying the visual perception of these layers and memories, with the sculpture box exercise and also with the small structure exercise al-dough the small structure was also introducing the spacial experience of
what this perception could be. The Italian futurists were obsessed with the idea of constant renewal, that everything should be in constant progress,
art, architecture, culture, society, etc. They referred to museums and academies as cemeteries, that these were not
the places of intellectual progress but places that glorified the past, that artists should lay flowers below the Gioconda.
I believe that these statements were not against the artists of the antiquity, Gioconda was the most forward thinking and intellectually advanced achievement of its time. I believe that the Futurists believed that being tied to tradition and the repetition of the methods, ideas and even styles were degrading to Man, “This constitutes the clumsiest display of reciprocal plagiarism ever manifested by any civilization.” (Enrico Prampolini, The Futurist ‘Atmosphere-structure’ - Basis for an Architecture 1914-15) that Man’s rightful place was in his own time and he should think, produce and progress in



his time.
Personally I agree to great extend with these futurist aspirations, but I also believe that our progress is based
on our pass, that we would not be able to move forward if we didn’t have an acquired and/or inherent past knowledge.
Therefore the museum will act as a mechanism. The main compartment is the permanent gallery and this is the depository of memories, the temporary gallery will act as the production center for future memories, the expositions in this gallery will
be for contemporary artists that contribute to the progress of their art-form and by doing so to the progress of mankind.
When their production becomes obsolete it can be moved into the permanent gallery and become a memory. As the service areas feed the museum for functional purposes, the temporary gallery feeds the permanent gallery for conceptual purposes.
As for its relationship to the site and the city. As a public building it should have an urban gesture towards the
city. Due to the nature and history of the site which have been explored. I still keep the notion that the project, in an urban scale, should begin to reestablish the connections of the city that were interrupted by the expressway, but it is not my intention to mend or heal the lost connections, it should not be a blind return to what existed prior to the expressway but a proposition of what those connections should be today in our time.

Definitions of the museum spaces

Mundane - “of or pertaining to this world or earth as contrasted with heaven; worldly; earthly.”
The mundane spaces of the museum constitute the connection to the city, the connection to the earth/ground. Programmatically it is were are located all the service areas pertaining to the activities of human life.

Transient - “existing briefly; temporary.”
Gallery of temporary exhibits. Pertains to the concept of sort term memory.

Transitional - “movement, passage, or change from one position, state, stage, subject, concept, etc...”
Transitional space between galleries. Pertains to the transitional phenomenon from sort term to long term memory.


Perennial - “lasting for an indefinitely long time; enduring”


Gallery of permanent exhibits. Pertains to the concept of long term memory."
Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Caro Mark, Antes de mais tenho que lhe dizer que sou do 1ºano e portanto qualquer comentário meu ao seu projecto seria mesmo muito"ingénuo" (será o melhor adjectivo?). Por mim está bastante bom (só vi as imagens... não li o texto), mas é como lhe digo, não posso fazer uma grande crítica :D Gostava de lhe perguntar sobre o ensino nos EUA: Como é? Que diferenças sente do ensino em Portugal e aí? Quais as vantagens e quais as desvantagens? Agradeço-lhe a sua atenção, DreamSpaces Girl

Link to post
Share on other sites

Obrigado pelo comentario, n importa q ano estejas gosto sempre de ouvir diferentes prespectivas sobre o trabalho q faco. Quanto ao ensino nos estados unidos n sei bem como lhe responder, no meu caso especifico estou aqui um bocado devido a diversas circunstancias, comecei a estudar na lusiada e depois fiz transferencia para uma univercidade em Boston, Boston Architectural College. Nao acho q o ensino seja melhor, em Portugal temos excelentes professores e os curriculos das faculdades pelo que conheco tb sao muito bons (claro q nem tudo e perfeito e algumas coisas podia ser melhores) portanto acho q a nivel academico o ensino nos estados unidos n e melhor, a maior vantagem para mim em estudar aqui e q o programa da minha faculdade permite-nos estar a trabalhar a tempo inteiro num escritorio de arquitectura em quanto estudamos e por cada 100 horas de trabalho a escola atribuinos 1 credito academico, portanto permite teres uma experiencia completamente diferente, por um lado tens a porcao academica do curso e pelo outro a practica e tens de lidar com a realidade do mercado. Outra vantagem e poderes estar exposto a muita coisa mesmo noutras universidades, tenho ido a varias conferencias no MIT ou em Harvard e ouvir os grandes nomes da arquitectura mundial, Koolhas, Peter Eisenman, Rafael Moneo, e outros menos conhecidos mas q muitas vezes sao bem mais interessantes. Mas no fim acho q a educacao nesta area e um pouco aquilo q nos proprios fazemos dela, em Portugal temos excelentes professores e estamos tb cada vez mais expostos a outros mundos e ideias de outros sitios, ainda no outro dia vi a conferencia do siza na casa da musica do escritorio onde trabalho em Boston. Portanto o melhor concelho q posso dar e escolheres uma boa escola em q possas aproveitar ao maximo a experiencia. Boa sorte pro teu curso PS: da uma vista de olhos na AA em Londres, e ha varios sites sobre todas as faculdades disponiveis aqui nos estados unidos se percisares de alguma informacao mais especifica sobre algum curso aqui manda-me um mail e eu tento arranjar.

Link to post
Share on other sites

Caro Mark, Eu é que agradeço muito pela sua resposta ao meu comentário :D É sempre bom ouvir quem tem experiências diferentes das nossas para podermos fazer as nossas escolhas mais conscientemente! Aliás, temos sempre a ideia de que em Portugal é sempre pior que no estrangeiro, e como pude verificar não é a sua opinião. Agradeço-lhe muito pelo seu testemunho. Irei concerteza dar uma vista de olhos pelos site das faculdades. Muito obrigada pela sua disponibilidade em me ajudar! Muito agradecida, DreamSpaces Girl :D

Link to post
Share on other sites
  • 4 months later...

Caro Mark, tal como a DreamSpaces Girl, o meu grau de conhecimento de arquitectura ainda não me permite atribuir uma crítica 'séria' ao projecto, mas gostei bastante :margarida_beer: Só uma pergunta, se me permite, essa transferência foi feita por algum tipo de bolsa académica ? É que embora eu goste do ensino de Arquitectura por cá ( também estou pela Lusíada ), gostaria de alargar os meus horizontes , e esse exemplo de trabalhar a tempo inteiro ( e fora de Portugal )é porreiríssimo . Cumprimentos

Link to post
Share on other sites

Primeiro que tudo, qualquer critica e sempre bem vinda e, e sempre seria. A arquitectura n pode nem deve ser so apreciada por arquitectos mas por todos. Por isso independentemente do grau ou da area em q estejas nao tenha medo de expor as tuas opinioes, muitas vezes ao criticar colegas meus que eu aprendo mais sobre eu proprio sobre o meu trabalho. Quanto ao curso, eu estava na lusiada com uma bolsa de merito, tinha tudo pago desde que mantivesse uma media de 16, como acabei com 15,6 nao me renovaram a bolsa!! (burocracia no seu melhor!) e como tb nao tinha possobilidades de pagar do meu proprio bolso procurei uma alternativa tanto dentro de Portugal como no estrangeiro. Encontrei esta univercidade em Boston (Boston Architectural College) que e acreditada, quando acabar posso fazer os exames de admicao ao AIA, e tb o programa academico tem uma componente practica, fazendo com que os alunos procurem um emprego a tempo inteiro onde trabalham das 9 as 5 (8 as 6) e tem aulas a noite. Nao e tudo uma maravilha, tenho muitas criticas ao projecto academico da escola, mas algo que aprendi muito rapido tanto aqui como na Lusiada e que temos de ser nos proprios a tirar partido do curso para explorar o que for mais relevante para nos proprios A maioria dos profesores deixam-te fazer isso mesmo e ate te vao encentivar, outros (por dor de cotovelo ou falta de inteligencia) vao se opor e fazer-te a vida um inferno, mas se cumprires os requesitos da disciplina tb nao te podem chumbar e podes sempre contestar a nota (embora nao te aconcelho por experiencia propria). A muito boas escola por todo o mundo mas nem sempre produzem os melhores alunos nem os melhores arquitectos. O mais importante e que ganhes competencia em projecto, um processo no qual tu acredites e que estejas aberto a desenvolver sem dogmas, aprender que a arquitectura tem de ser algo com valor implicito. Nao sei em que anos estas, nem quero parecer que estou a pregar pro coro, mas na minha experiencia, chegou um momento que comecei a preceber o que queria fazer da arquitectura, que valor tem para mim e aquilo que a mim me interressa explorar como arquitecto, quando encontrares isso, depois o curso, o trabalho, as competicoes sao tudo pretextos para explorares isso. Nesse aspecto a arquitectura e uma profissao muito solitaria. Quanto a escolas fora de Portugal deixo-te algumas sugestoes: AA Londres; ETH Zurich; Copper Union New York; e se te interresa estar mais perto de casa ve as univercidades em Madrid e Barcelona, as escola de Barcelona tem fama de serem muito boas em urbanismo e as de Madrid em edificacoes. Boa sorte pro teu curso, se precisares de alguma informacao sobre alguma escola em Boston e so perguntar. Cumprimentos

Link to post
Share on other sites
  • 1 year later...

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.