Jump to content
Arquitectura.pt


m a r g a r i d a

ESTIG - IPBeja | Nuno Montenegro

Recommended Posts

Novas instalações da ESTIG - IPBEJA no campus universitário da cidade. autoria do arquitecto Nuno Montenegro


Em Novembro de 2004 foi assinado um Contrato de Desenvolvimento Institucional entre o Instituto Politécnico de Beja e o Ministério da Ciência, Inovação e Ensino Superior, no qual se contempla a construção das instalações definitivas da ESTIG.
Este Contrato marca o compromisso formal pela Tutela com um processo iniciado em 1991 pela cedência do terreno para a construção pela Câmara Municipal de Beja, e já há muito reclamado por toda a comunidade académica da ESTIG.

O projecto das instalações definitivas foi concluído em Janeiro de 2006, e, após a sua revisão, foi finalmente entregue, em junho de 2006 no Gabinete de Gestão Financeira do Ensino Superior.
Esta data marca o fim do processo referente à ESTIG e IPB, sendo os desenvolvimentos futuros apenas dependentes da Tutela, nomeadamente a autorização de abertura de concurso para a sua construção.

http://www.estig.ipbeja.pt/novasinstalacoes

Assim sendo, decidi ir dar uma espreitadela a esse novo edifício. as imagens que vos apresento são de minha autoria. uma vez que não sou fotógrafa profissional, peço desculpa caso algumas imagens não estejam com a nitidez perfeita ou o enquadramento correcto. devido ao limite maximo de 10 anexos, colocarei as fotografias assim que seja possivel.

tanto as plantas do construido, como as plantas do projecto completao foram encontradas no site da ESTIG - Instituto Politécnico de Beja

apenas um pequeno apontamento de um dos electricistas que lá estava a trabalhar e que fez o favor de mostrar o edifício por dentro: "aquele azulinho...aaahh, é que pronto, né?!... é assim um bocadinho à moço pequeno, mas pronto...tá bonito, tá bonito. ê cá gosto!" :D

outra coisa que os estudantes dizem, a propósito da sua rampa: "txi mãe, uma pessoa vai ter que mamar um pequeno almoço reforçado e acordar uma hora mais cedo só para fazer aquela rampa!!" :D


Localização


Plantas do edifício já construído






Plantas da obra completa - a última imagem diz respeito ao anfiteatro (anf = anfiteatro)




margarida duarte

Share this post


Link to post
Share on other sites
o interior do edifício é tal e qual as fotos mostram. os corredores sao completamente brancos (chão, paredes, tecto) so em zonas de estar é que surge o preto (caixas de saída, gabinetes privados e a zona de trabalho do pessoal de apoio de educação) e nas zonas destinadas aos alunos surge o azul muito claro (acesso às salas, algumas paredes..).

mas sim, de facto tanto branco poe causar alguma confusão e na altura de chuvas não acredito que o branco se mantenha (vai ficar tudo pateado!!) mas numa zona onde no verão atinge facilmente os 42...44 graus e mesmo na primavera começa a ficar bastante calor, até é bastante agradavel. mesmo a opção da cor azul creio que tenha a ver com isso mesmo. (relação do azul com as aplicações que se dá a essa mesma cor no sul do pais, nas habitações e mesmo em marrocos)

margarida duarte

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, está à 1 º vista um edificio interessante, no entanto e de repente, apetece-me fazer os seguintes reparos: -Existe um excesso a proliferação de silhuetas humanas... o edificio será durante o uso povoado de humanos verdadeiros... ficava giro na maquete.. mas num edificio utilizado por pessoas!?!.. tenho as minhas dúvidas. - O branco e o excesso de depuração de soluções, vão trazer problemas de manutenção e longevidade construtiva de diversas situações.. por exemplo. nos vãos de passagem a salas, sujeitos a pancadas; a escadaria interior e o seu pseudo-corrimão?!?... -O deposito de gás, fica a "matar" junto aquele acesso do edificio :D - Aquelas guardas... de "protecção" na rampa... é giro... mas deveriam ser complementadas por paineis em vidro... são um perigo. Parece-me resolvido o edificio, como um objecto efémero, sem ter em conta o uso, as pessoas, a ergonomia, a segurança, os custos de manutenção... às nossas custas. possielemente pareço um velho rezingão.. mas existem opções de projecto que não podem ser tomadas de ânimo leve... sem pensar nas consequências. Os edifícios, publicos e não publicos, são para persistirem razoavelmente incólumes vários anos.. não me parece o caso. Gostava de ler outras opiniões... eu, se tiver tempo tenho de ir lá dar uma "saltada"...


Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dá-me impressão que o edifício foi projectado como se fosse um museu e não uma escola superior, em relação às soluções construtivas. Tenho alguma experiência em projectos de equipamentos públicos e parece-me acertado quando o Pedro refere a questão da durabilidade dos edifícios. Um edifício desta natureza vai ter um tráfego intenso, muito uso ,pouco cuidado por parte dos utentes e manutenção questionável. Para além daquilo que já foi referido, a falta de rodapés, lambrim, soco, etc irá a breve prazo deixar marcas e sulcos nas paredes, difíceis de resolver. Prevejo muitas alterações ao edifício dentro de poucos anos sujeridas pela administração da escola, e aí é que vai ser complicado gerir estas situações com os projectistas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, está à 1 º vista um edificio interessante, no entanto e de repente, apetece-me fazer os seguintes reparos:
-Existe um excesso a proliferação de silhuetas humanas... o edificio será durante o uso povoado de humanos verdadeiros... ficava giro na maquete.. mas num edificio utilizado por pessoas!?!.. tenho as minhas dúvidas.
- O branco e o excesso de depuração de soluções, vão trazer problemas de manutenção e longevidade construtiva de diversas situações.. por exemplo. nos vãos de passagem a salas, sujeitos a pancadas; a escadaria interior e o seu pseudo-corrimão?!?...
-O deposito de gás, fica a "matar" junto aquele acesso do edificio :D
- Aquelas guardas... de "protecção" na rampa... é giro... mas deveriam ser complementadas por paineis em vidro... são um perigo.

Parece-me resolvido o edificio, como um objecto efémero, sem ter em conta o uso, as pessoas, a ergonomia, a segurança, os custos de manutenção... às nossas custas.

possielemente pareço um velho rezingão.. mas existem opções de projecto que não podem ser tomadas de ânimo leve... sem pensar nas consequências.
Os edifícios, publicos e não publicos, são para persistirem razoavelmente incólumes vários anos.. não me parece o caso.

Gostava de ler outras opiniões... eu, se tiver tempo tenho de ir lá dar uma "saltada"...



Não poderia estar mais de acordo, esse aspecto limpo vai ser de pouca dura....

Share this post


Link to post
Share on other sites
isso foi logo algo que comentei, mal vi o edificio.. vai ficar todo patinhado, em pouco tempo. so o facto de eu lá ter estado, tive a oportunidade de deixar as minhas marcas das solas dos ténis!

estive lá novamente no passado sábado com o João Morgado. o comentario dele foi: "lol..este usou os materiais todos na sua construçao! diz -me lá que material é que aqui não está.."

concordo plenamente com o pedro barradas.

margarida duarte

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.