Jump to content
Arquitectura.pt


Guimarães | Restauro da igreja de São Sebastão | José Manuel Ribeiro


JVS

Recommended Posts

Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, inaugura hoje, durante a Eucaristia das 17h30, o restauro da igreja paroquial de São Sebastião - também conhecida como "Igreja das Dominicas" - no centro histórico de Guimarães. Na ocasião, o Arcebispo Primaz procederá à bênção do altar, uma peça em mármore desenhada (tal como a cátedra, o ambão, a estante e a credência do presbitério) pelo padre e arquitecto José Manuel Ribeiro. Este acto litúrgico oficial ocorre poucos dias após a apresentação pública da segunda fase de inventariação dos bens patrimoniais religiosos da Arquidiocese de Braga, que esta e o Instituto de História e Arte Cristãs, em colaboração com os museus Alberto Sampaio (Guimarães) e Municipal da Póvoa de Varzim, vão levar a cabo em várias igrejas - entre elas, a de São Sebastião -, no intuito principal de criar uma base de dados.
Foto,
Publicado a 03-01-2009


http-~~-//www.diariodominho.pt/sim/biblioteca/fotografia/(copia)sebastiao.jpg

in http://www.diariodominho.pt/imagens_dia.php?codigo=817

Arcebispo de Braga inaugura restauro da igreja de S. Sebastião
2009-01-03

J.F.

O arcebispo de Braga inaugura hoje o restauro da igreja de S. Sebastião ("dominicas"), no centro histórico de Guimarães. Os trabalhos começaram em Março de 2006 e custaram 300 mil euros.

Além da recuperação do conjunto patrimonial, o investimento contemplou a aposta num circuito de vídeo "para evitar os amigos do alheio", justifica o pároco José Antunes.

O interior da igreja que o arcebispo de Braga D. Jorge Ortiga inaugura hoje nada tem a ver com o passado, segundo o pároco. O altar, a cátedra, o ambão, a estante e a credência do presbitério, peças desenhadas pelo padre e arquitecto José Manuel Ribeiro, estão de cara lavada. "O restauro trouxe à luz do dia todo o esplendor original da talha, que se encontrava apagada pelas sucessivas intervenções anteriores", explica.

A igreja de São Sebastião ocupa o antigo convento de Santa Rosa de Lima, que começou a ser moldado em finais do século XVII - a sua construção chamou a Guimarães mestres oriundos de vários pontos do norte do país -, extinto enquanto tal a 9 de Março de 1888, com o falecimento da última religiosa.

Em 1892, a destruição da primitiva igreja que ladeava as muralhas da cidade, a paróquia aloja-se na igreja do Templo das Dominicas. De fora da paróquia ficou toda a restante estrutura do convento e sua cerca, cedida pelo Governo à Câmara Municipal. Aos olhos de quem a visita, tal "espaço aberto sem rei nem roque", nas palavras do pároco, "está numa situação de iminente ruína, chegando a pôr em risco todo o valor patrimonial da igreja".

in http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Braga&Concelho=Braga&Option=Interior&content_id=1066149

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.