Jump to content
Arquitectura.pt


Matosinhos | Restaurante / bar | Alvaro Leite Siza


Recommended Posts

Restaurante / Bar - Matosinhos - Alvaro Leite Siza
2001

A criação de um Restaurante-Bar e Discoteca no interior de um antigo armazém, pretende ser um equipamento de apoio à habitação e serviços previstos no Plano de Urbanização de Matosinhos Sul. Por outro lado, pretende-se manter a memória da imagem física, característica da Matosinhos Sul Industrial dos séculos XIX e XX, que de resto, está em rápido desaparecimento .
Com este programa, que permite manter a preexistência física do edifício, salvaguarda-se a escala urbana da Praça da Fonte, que tem como contraponto o edifício Acia e a sua escala monumental .
Como é sabido, a habitação construída e a construir nesta zona da cidade, prevê estacionamento subterrâneo para residentes . Além disso as avenidas que se interceptam na rotunda , têm grande escala e desenvolvimento, permitindo vasto estacionamento de apoio aos inúmeros serviços, além da habitação .
A criação de um Restaurante-Bar Discoteca na proximidade de duas discotecas (Estado Novo e Traga Luz ), funcionará como dinamizador destes espaços, já que as pessoas poderão aparcar os seus carros na proximidade, jantar, conviver no bar, e depois seguirem a pé para as discotecas.
O edifício preexistente situa-se no gaveto da Av. Vila Garcia de Arosa e da Av D. Afonso Henriques, na zona chamada de Matosinhos Sul.

A proposta deste estudo prevê uma intervenção que não vai alterar a imagem e morfologia exterior do edifício. Também não vai alterar o pórtico estrutural e a cobertura existente, antes pelo contrário, este estudo organiza e sistematiza a estrutura existente remodelando e alterando apenas o espaço interior .
A proposta organiza-se a partir de um eixo definido pelo centro da rotunda-praça e pela mediatriz do arco de circunferência da fachada do armazém . A obra consiste na criação de um novo volume encerrado dentro do antigo (uma casa dentro da casa ), recriando no interior, dois átrios e um novo passeio que duplica o passeio público. Isto faz com que o movimento de pessoas durante o funcionamento do Restaurante-Bar Discoteca, seja para lá da fachada existente. Pretende-se não alterar o funcionamento da área exterior do domínio público. A criação de novos átrios exteriores, no interior do armazém, decorre também da necessidade de isolar e insonorizar a nova caixa interior , dentro da qual se organiza todo o programa. A partir de dois átrios diferentes, acede-se por duas portas, a dois espaços semelhantes e simétricos, articulados entre si por uma área de distribuição com pé-direito duplo. Estas duas ordens ortogonais interceptam-se no palco , conferindo a este espaço, a articulação de planos de maior expressividade e proporcionando uma forma hexagonal à pista de dança, o que é bom pela centralidade, quer controlando a organização do espaço, bem como a qualidade acústica.
Ao fundo, na confluência das duas zonas de Restaurante e de Bar ficam os diferentes serviços: cozinha , copas , arrecadações , instalações sanitárias do público e do pessoal.
Tanto o restaurante, como o bar desenvolvem-se em dois pisos sobrepostos que comunicam através de escadas que organizam outros dois átrios interiores de distribuição.

Prevê-se também a criação de uma rampa que permite um fácil acesso a deficientes ao piso superior.
Importa também referir o esquema de evacuação de emergência , composto por dois percursos longitudinais, ao eixo dos dois volumes paralelepipédicos no enfiamento das saídas para o exterior. Existe ainda uma grande galeria de saída de emergência, a partir dos serviços até ao átrio exterior de entrada do bar. Esta galeria é completamente encerrada com portas corta-fogo e com fechaduras anti-pânico. Com esta organização dá-se integral cumprimento à exigência de tripla saída de emergência para o exterior.
Todos os materiais são pobres, já que se trata de uma obra particular, para um cliente com perspectiva comercial. Assim sendo, utilizou-se calcário semi-rígido, madeira de pinho e pladurs, mas que desta forma associados resultam de forma a conseguir retirar a expressão que se pretendia da luz.
Existem desfasamentos nas paredes que proporcionam uma caixa de ar, onde se encontram todas as infra-estruturas de apoio técnico: insuflação de ar, cablagens e todo o tipo de electricidades e materiais de absorção acústica, criando também as pretendidas condições para iluminar indirectamente todo o ambiente.
No tecto da pista de dança e nas clarabóias encontram-se igualmente escondidas as condutas de extracção do ar; a torção destas clarabóias deve-se à orientação, configuração e aproveitamento máximo da cobertura preexistente, que se teve que manter obrigatoriamente.
“As cores suscitam emoções” (Wolfgang Goethe).

É importante a presença da cor. Ela cria estímulos e diferentes emoções consoante as diversas situações.

A luz e ambiente da discoteca podem, através de um percurso, ou seja, através do tempo, irem-se transformando e ganhando inúmeras expressões. É ir buscar o nosso eu, associado ao nosso estado de espírito, que oscila e transporta essas mesmas emoções para o exterior, procurando que se leia e sinta através do espaço a personalidade e o fluir das emoções que ali se vão gerando. O espaço exprime-se como se tivesse alma.
Gostava de ter ido mais longe e ter associado o sistema informático que conduz e transforma a luz, aos ritmos, intensidades e variações da música, cheios e vazios, som e ausência de som, luz e ausência de luz, mas as limitações económicas não permitiram fazê-lo.
É efectivamente possível pintar através da arquitectura, como é possível também esculpir a forma e o espaço através desta actividade.
Neste caso a cor surge a partir da luz e assim está impregnada no ar, no vazio, no espaço (essência da arquitectura), só depois de projectando nos limites ou superfícies.
É possível transformar o ambiente a cada momento, com milhões de possibilidades.

Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada Imagem colocada

Fonte: EuropaConcorsi

Abraços
Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

As fotos estão um pouco confusas. Só depois de observá-las por uns 2 minutos é que pude perceber que eram duas fotos que foram unidas. Ou melhor, que tentaram ser. Da próxima vez, utilize um programa chamado "Panorama Factory". Ele une as fotos automaticamente, gerando panorâmicas muito bem feitas. Sobre o projeto, eu não sei bem qual a concepção de um bar/restaurante aí em Portugal, mas no Brasil, isto mais parece um night club! Com umas varas de inox no meio do salão e umas vadias deslizando neles, isso daria um belo puteiro!! Mas está bem legal! Saudações brasileiras!

Link to post
Share on other sites

já estou a ver a publicidade "comece e acabe a noite no restaurante-bar e discoteca de matosinhos!! oh yeee" lol
se a ideia é suscitar emoções e sensações através da cor...parece que a coisa vai corer bem, porque isto tem cor a dar com pau! talvez por não estar habituado a bares e discotecas com este ambiente...parece-me esquesito à primeira, mas estou como o kandinsky, gostava de ver pessoas ali no meio para ver como ficava o ambiente e a vivência do espaço.

Link to post
Share on other sites

eu tenho a sensação de que isto é o Estado Novo... uma discoteca, portanto. Realmente não tenho a certeza porque das 4 ou 5 vezes que estive no EN akilo estava, evidentemente atestado de pessoal :s... Mas se for, acho q é a melhor discoteca do Porto em termos de layout. E curiosamente, cheia funciona muito menos apimbalhada do que nestas fotos.

Link to post
Share on other sites

sim.. isto parece-me a discoteca da zona industrial de matosinhos! :p só lá fui umas 3 ou 4 vezes mas sinceramente não se algumas das que fui seria esta. Mas respondendo ao Thiago: isto não se trata de um bar onde se bebe uma cerveja e se fala com os amigos, é mesmo discoteca para dançar por isso tá um bocado folclórica. A opção dos varões metálicos também não é má! :s

Link to post
Share on other sites

O EN não é de certeza, porque a menos que as alterações tivessem sido profundíssimas, o espaço é muito diferente... mas esta também não sei onde é... PS: Rotunda... talvez o Mantra... mas não conheço a disco, só o restaurante...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Eu gostava de ter uma ideia do exterior antes de seguir para o interior, mas n vou a Matosinhos de propósito para beber um copo e ver a envolvente enquanto espero numa fila para ser revistado por um gorila com a 4ª classe (4º ano actualmente). Contudo o interior à primeira vista, parece a loja da U N Benetton, mas temos de ser modestos porque as fotos enganam, sabem bem do que estou a falar (escrever) quantas vezes acontece surpresas boas e más aquando de visitas físicas a obras e mesmo o quanto somos enganados pelas fotos "ideais" de capa de revista?

Link to post
Share on other sites

Bem, como café ou restaurante não estou lá muito certa acerca de tanta cor... mas se for como dizem com a funcionalidade de 'discoteca', talvez a coisa fique mais composta. E concordo aí com algumas pessoas que falam em ver o mesmo espaço, mas já habitado com pessoas e secalhar com mobiliario (nao muito, se é que é uma discoteca). Imaginei a explosão alucinante que deve causar tanta cor, àqueles que beberão qualquer coisa a mais, e fumarão coisas menos próprias. Deve tar uma dinâmica do caraças.

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...
  • 2 months later...

Acho que essas imagens não chegam para se podere comentar de um modo correcto o "desenho" do espaço. Apesar de não ser muito o meu estilo... pois sou mais adepto do estilo "designer" (brancos, pretos, cinzas... e muita simplicidade...) acho que o espaço ate poderá estar interesante. Eu escolhia outros elementos para decorar o local (falo da mobilia...). Mas acho que a distribuição dos mesmo esta bem feita. Mas acho que a nivel arquitectonico... era interesante ver-se os desenhos.

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to post
Share on other sites
  • 4 months later...
é o mantra...funciona como um espaço multifuncional...nao é tao mau como parece nas fotos..mas acho que nas noites de confusao ha um certo descordenamento das pessoas..isto porque o restaurante é em cima, o bar e discoteca em baixo...e se jantas tarde, a certa altura ouves o barulho que vem de baixo...mas nao é mau de todo...
Link to post
Share on other sites
  • 6 months later...
  • 1 month later...

Epá não sabia que já tinham feito a recuperação do bar que ardeu´há uns anos o Meia Culpa!!! LOlolololololl Ou será um strech do bar passerelle?? Talvez as cores e o espaço sem nada causem esta frieza underground, com imagens de senhores "barões" de charutos em punho a pedir um MCmenu BIG NASTY com meninas a deslizar pelos varões!!!

Link to post
Share on other sites
  • 5 months later...
  • 1 year later...

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.