Jump to content
Arquitectura.pt


Tenho que pagar ao arquitecto por me ter feito o estudo prévio???


Recommended Posts

"Por isso Ark é tudo uma questão de sobrevivência e penso que a ordem tem obrigação de fazer um encontro nacional e convocar os media para divulgar as estatísticas sobre a profissão do arquitecto em Portugal!" eu acho muito bem a tua ideia Gupyna. de facto é necessário o sr. bastonário João Belo Rodeia se transformar numa figura pública tal como o é o bastonário dos médicos ou advogados. Os arquitectos, e a ordem em particular, continua com a sua vocação intelectual, de grupo à parte e ainda não percebeu que é preciso actuar. civicamente, como um órgão nacional de defesa não só dos seus como do país creio que este não é o espaço para o fazer (nem o tópico muito menos) mas já era altura de pedir ao sr. arqto. joão belo redeia que venha a público, uma entrevistazita num jornal, uma crónica num canal de notícias. uma actuação qualquer em defesa da causa, nem que fosse do ordenamento do território, só... é engraçado perceber que só o presidente da mesa (souto moura) levanta temas relacionados com a ordem em entrevistas generalistas... arquitectos, vamos deixar o anonimato.......

Link to post
Share on other sites
  • Replies 97
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Isto realmente existe gente para tudo.. Em termos legais e objectivos o que podemos ou devemos fazer?

e que bem resolvido......... voltando ao assunto em causa. um amigo meu de infância que é arquitecto, fez um estudo prévio para um escritório de outro amigo de infância que é webdesigner. ele gostou do projecto, mas o orçamento não era o que ele teria pensado. agarrou nos desenhos (tudo entre amigos, claro) e foi falar com um tipo que fazia umas obrinhas domésticas. ou seja, como o estudo não tinha pormenores construtivos, não sentiu que o trabalho tivesse sido feito. o amigo arquitecto desabafou-me muito depois bastante desiludido que nunca esperava que um amigo nosso fosse capaz de pensar da mesma forma que tantos clientes desprezíveis, sobretudo tendo ele um negócio que funciona da mesma forma. portanto quando até um amigo nos faz esse tipo de rasteiras, só tenho que entender que a sociedade em geral tenha esse tipo de dúvidas, o estranho é que com clientes estrangeiros isso nunca aconteceu.. deve ser cultural.

Link to post
Share on other sites

Ha aqui uma questao, que nos diz respeito a todos, e que os clientes, pensam que o arquitecto so ca esta para tornar a coisa legal, e isso deve-se em grande parte a alguns dos nossos colegas arquitectos, e a uma enormedade de engenheiros, agentes tecnicos e desenhadores que trabalham por esse pais fora, e pior ainda a uma enormedade de arquitectos que trabalham em camaras e teem as sua "panelilhas" e comissoezitas com construtores e afins. so ha uma solucao, primeiro, o estado tera que exigir exclusividade dos arquitectos (assim como ja vai exigindo dos medicos)

Link to post
Share on other sites
e ... quando os arquitectos não se entendem com os seus clientes

Sendo este um forum sobre Arquitectura e muito participado pela "classe", acho singular que seja alguém "de fora" a despoletar esta discussão sobre clientes vs arquitectos.

A questão apresentada é muito pertinente, se entendida desta forma:
Se eu (cliente) entender que o projecto apresentado (pelo arquitecto) não corresponde à minha encomenda, como proceder ? Não pagar é uma solução ?

Havendo uma proposta/contrato, mesmo que não subscrito por ambas as partes
que prevê uma adjudicação (neste caso 20% do total), ao ser liquidada, concretiza, até em termos legais, um compromisso entre cliente e arquitecto. Daí a relevância da Adjudicação.

Numa eventual rescisão/denúncia ou mera suspensão deste compromisso, uma proposta/contrato deve sempre referir a forma de penalizar quem tomou essa decisão e indemnizar quem dela vier a ser prejudicado. Por exemplo, exigindo um pagamento parcial da fase em curso. Parece razoável.

Porém na actividade profissional quotidiana, muitas vezes este procedimento contratual é reduzido a uma proposta técnica de prazos e €€€€, e pouco mais. Especialmente em projectos de pequena dimensão, "aligeira-se" esta parte e ... depois surgem situações como esta. Porém, convenhamos, médicos, advogados, economistas, engenheiros, procedem precisamente da mesma forma ...

A intenção de rescindir um contrato/acordo de prestação de serviços de arquitectura, pela parte dum cliente, não tem necessariamente que derivar do desrespeito pela profissão, da desvalorização do trabalho intelectual e artístico, da irrelevância do papel do arquitecto na sociedade, da miserabilidade de país. Este é o discurso corporativo que se ouve há muitos anos, mas que pouco contribuiu para a mudança.

Concluindo, se o Arquitecto trabalhou deve ser remunerado.
Se for um profissional idóneo, tentará de forma mais acertiva corresponder às expectativas do cliente (superá-las até), trabalhando sobre uma nova versão de estudo prévio ou sobre a fase seguinte.
Se o cliente for razoável, deve reconhecer as capacidades do técnico, os méritos do projecto e participar critica e positivamente no seu desenvolvimento.
Se de todo for impossível uma relação de empatia e confiança entre ambos, então há que "negociar" o fecho deste compromisso, porque aparentemente a proposta/contrato não prevê outra solução.

bom cliente > bom arquitecto > bom projecto


Nota: O detalhe da "entrega" ou "aprovação" do projecto, como referência para a liquidação dos honorários, também merece reflexão, mas fica para outra oportunidade.
Link to post
Share on other sites

Acrescentando ainda ao que foi referido pelo PCArq, se o cliente e o arquitecto não se entenderem existe (felizmente) o livro de reclamações, que deve ser visível, isto é, se o atelier estiver constituido como "empresa".

" O Conselho Directivo Regional do Norte informa que, no próximo dia 6 de Janeiro de 2008, entra em vigor o Decreto-Lei n.º 371/2007, de 6 de Novembro , alterando o Decreto-Lei n.º 156/2005, de 15 de Setembro, que estabelece a obrigatoriedade de disponibilização do livro de reclamações a todos os fornecedores de bens ou prestadores de serviços que tenham contacto com o público em geral.

Deste modo, informamos todos os Colegas que, face à nova legislação, têm os arquitectos com escritório fixo ou empresas que prestam serviços de arquitectura que dispor de Livro de Reclamações.

As reclamações resultantes da prestação de serviços por arquitectos serão obrigatoriamente remetidas para a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Salienta-se que para além do livro de reclamações, é necessária a afixação em local bem visível e com caracteres facilmente legíveis pelo utente, de um letreiro com a seguinte informação: «Este estabelecimento dispõe de livro de reclamações». É ainda necessário indicar a identificação completa e a morada da entidade reguladora responsável pelo seguimento das queixas na área em causa (ASAE)."

Site da Ordem dos Arquitectos

Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

A mensagem de Ricardo praticamente resume o topico. Sofro aqui muito disso, após duras e honerosas custas passei a enviar uma minuta de contrato a cada cliente, expondo os custos envolvidos e multas por ambas as partes. Então quando algum "ixperto" vem com uma de desentendido, que é só um "rascunho" peço que o cidadão leia "clausula 9 paragrafo 2". Vá qualquer um a um médico diga-lhe que está doente exponha o caso e ao final da consulta digue "olha doutor, irei consultar outro profissional e caso opte por tratar-me contigo lhe pago esta consulta".

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

eu bem gostava de ir de ir a um belo restaurante pedir um bom prato com um bom vinho, e depois de me servir, virar-me para o empregado e dizer

" olhe afinal o vosso prato não me agrada, logo, não pago"
obrigado até á proxima...


desculpa mas nao posso concordar com essa comparaçao porque nao tem nada haver! a realidade é que quando vamos a um medico, advogado etc, so o facto de entrarmos no seu gabinete ja estamos a pagar nem se seja para apenas tirar uma duvida, por isso com um arquitecto nao deveria ser diferente!
Link to post
Share on other sites

Oh joelM, ainda bem que pensas assim porque penso da mesma maneira. Há uma coisa chamada, ironia, bastava ler o seguimento do post...;) O meu comentario, é mesmo nesse sentido, de que pedem ao arquitecto um trabalho e se nao gostarem não pagam...não é minimamente correcto...

Link to post
Share on other sites

Olá, sou engenheiro civil e nós na nossa profissão também nos deparamos com coisas do género, nos nossos estudos prévios também não nos querem pagar por mil e uma razões. O caso mais caricato que me aconteceu foi um tipo que me pediu uma assinatura para uma obra de colocação de andaime, ou seja, a assinatura do termo de responsabilidade pela execução do andaime e que não me queria pagar, porque dizia que era só uma assinatura e que assinar não dava trabalho nenhum. Uma pessoa fica sem palavras e não sabe o que há-de responder. Mas eu disse assim: "Então se não dá trabalho, assine o senhor..." e ele: "Ah, mas eu não posso assinar porque eu não tenho um curso, tem que ser um engenheiro, etc, etc..." e eu: "então tire o curso!"

Link to post
Share on other sites

Luis Raposo Alves: Bem respondido! kwhyl: Não existe bastonário da Ordem dos Arquitectos, o João belo Rodeia é presidente. Marco Silva: Tem mesmo de pagar o serviço prestado até à data. Um conselho para a posteridade, ver o portfolio não é suficiente, um bom arquitecto distingue-se também pela satisfação do cliente, a comunicação é essencial.

Link to post
Share on other sites
  • 2 months later...

Pessoal, a Arquitectura e os Arquitectos debatem-se com um sério problema em relação ao trabalho que se propoem fazer e que defendem, ou seja debatem-se contra a ignorancia e falta de cultura de um povo.
" A ARQUITECTURA FEITA A SÉRIO NÃO DÁ DINHEIRO " a maioria dos clientes entende um projecto como dois riscos que se fazem num qualquer computador, com um simples carregar de um botão quando assim é está tudo dito.
Eu já tive um "CLIENTE" que no tempo dos e$cudos me pediu para lhe fazer um estudo para um edificio ai até 5 contos foi mesmo assim estou a transcrever por isso não se admirem se aparecerem uns iluminados a perguntar se teem que pagar alguma coisa polo més que Voces estiveram a trabalhar para eles.

IMAGINEM

Grande parte da Arquitectura está mais o menos assim:

Cliente:- Senhor Arquitecto eu quero fazer uma casa, não tem por aí umas revistas para tirarmos umas ideias?

Arquitecto: - Revistas? sim até tenho mas eu faço-lhe uma casa perssonalizada.

Cliente: - Uma casa quê???

Arquitecto : - Faço-lhe uma casa a seu Gosto, com um programa á sua medida?

Entretanto o Arquitecto foi medir o terreno e inteirar-se da sua localização e marcou uma reunião na Câmara para esclarecer assuntos do interece do dono da obras.
Foi á Câmara com o seu carro gastou a sua gasolina e perdeu o seu tempo, veio para o seu gabinete que lhe custa 750,00€ por més fez um estudo num papel que teve que comprar.
Estando o estudo "alinhavado" mandou o desenhador ao qual paga 900,00 € por més passar o desenho a limpo para mostrar ao cliente isto porque lá no escritório existe um computador que custou 1500,00€ e porque existe softwer legal que custou 10 000,00 € para poder ter a porta aberta.
Depois disto tudo o Arquitecto, dá uma ultima vista d'olhos ao trabalho e chama telefonicamente o cliente para vir ver o serviço.
O CLIENTE ENTRA NO ESCRITÒRIO E:

_ Cliente:- olha para o papel e diz então Senhor Arquitecto a casa não tem telhado??

Arquitecto.- Sabe eu proponho-lhe uma casa diferente daquilo que normalmente se faz por aí este tipo de Arquitectura é uma mais valia para o investimento que o Senhor Vai fazer.

Cliente: É uma mais Quê???

Arquitecto:- Mais Valia.

Cliente._á olhe senhor Arquitecto não sei se a minha mulher vais gostar "disso" assim sem telhado ela até quer um telhadinho na entrada.

O cliente leva o papel com os dois riscos para a mulher ver e dias depois.

Cliente: Ó Senhor Arquitecto eu e a minha mulher não percebemos nada disto sabe não conceguimos ver onde ficava a cozinha.
nós aqui na sala queremos uma lareira.

Arquitecto: Aí não é a sala é a garagem.

Cliente: pois esta a ver não percebemos nada disto.

Arquitecto : """"EStou""" Feito""" com este tipo"" tanto tempo perdido para nada.

Cliente:-Olhe Senhor Arquitecto não me leve a mal mas eu e a minha mulher decidimos ir falar com um senhor lá da terra que tambem faz umas plantas, ele fez a planta da casa do nosso vizinho e nós gostamos muito dessa casa, até já deixou chumbada no muro junto á garagem, uma argola em ferro para prender o cão e nos gostamos disso sábe sr. Arquitecto.
Já agora sr. Arquitecto nós não lhe devemos nada pois não não chegou a fazer a planta.
Então muito obrigado, mas olhe sr.Arquitecto se nós tivermos algum problema quando estivermos a construir a casa esteja descançado que agente não se esquece de Você.

Arquitecto: Não Não você não me deve nada ( entre dentes ""F.... da P...")
E assim vai a maior parte das Arquitecturas meus AMIGOS

Um Abraço

Link to post
Share on other sites

... adianto que a Estória acima... também apresenta um Arquitecto que, mais uma vae iniciou o seu relacionamento comercial com o "potêncial" cliente, erradamente: - Sem Proposta de honorários; - Sem haver lugar a ajudicação (€€€ de entrada); - Sem se inteirar convenientemente e objectivamente dos desejos e aspiraçãos do dono de obra (e da Mulher!!!!) para a sua Casa nova... Espero, que os mais novos ou inexperientes nestas lides, tirem as devidas ilações e se protegam deste tipo de situações... são correntes para os mais incautos... Negócios, são negócios, Mas os negócios tem q ser logo esclarecidos desde a 1º reunião.... Estmos nesta vida, para (também) ganhar dinheiro... ( O arquitecto tem a sua vida, a sua familia, os seus sonhos.. materiais)

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites

É muito importante para a dignificação da nossa profissão ser rigoroso com estas questões e nunca prometer uns esquiços e desenhos de borla, porque isto baixa automaticamente a nossa qualidade do ponto de vista do cliente e este vai sentir-se à vontade para exigir aquilo que bem entender. O ideal é fazer um contrato logo de inicio, mas sei que isto afasta logo uma série de potenciais clientes.

Link to post
Share on other sites

um arquitecto para quem trabalhei enquanto estudante dizia, amigos e familia ou não se faz o projecto ou se cobra a dobrar porque a "solicitação, persistência, maçada" é maior! * isto para dizer que muitos "amigos e/ou familiares" querem borlas! Apesar de saberem o que tu fazes...!

Link to post
Share on other sites

O mal é que a maioria dos clientes veem o projecto como um custo e não como um investimento. A maioria dos "construtores que tambem já foram Padeiros em Venezuela" o que querem é papeis metidos na Camara Municipal para que lhes dê direito a levantar uma licença, para começarem a construir o mais rápido possivel. Aqui na zona são todos uns churões e quando mandam fazer um trabalho, a primeira coisa que fazem é pedir logo desconto antes ainda de conhecerem o orçamento, ou então fazem chantagem psicológica, começam logo por dizer que veem do escritório de fulano que já lhe fez um bom preço.~Mas eu já nem lhes ligo. Só lhes digo se querem um projecto teem que pagar o justo valor, se querem umas cópias com umas plantas adaptadas ao vosso terreno, eu não faço apesar de dar mais dinheiro. Tambem um dos males que degrada o "Negócio dos projectos", é o facto de ali na esquina haver sempre um Arquitecto, Engenheiro ou Desenhador a fazer mais barato e como para a maioria dos clientes é tudo projectos quer sejam bons ou maus então " quanto mais barato melhor" eu já ando nisto á 23 anos e só conheço um cliente que sabe dar valor a um bom projecto, mas sabem porquê?. Porque neste momento entrou em conflito com o Tècnico que "PRODUZ" os projectos mais baratos cá da zona, então teve que mandar fazer de novo projectos que já estávam aprovados e prontos a construir. Mas pelos novos projectos pagou agora quase o dobro daquilo que pagou ao técnico que levava mais barato. Só que agora está a chegar á conclusão que na verdades os projectos mais caros, porque demoram mais tempo a serem concebidos, mais pensados, graficamente mais intereçantes, em vez de ter 8 apartamentos tem 10 e todos muito melhores, finalmente chegou á conclusão que os tais projectos baratos lhe estavam a sair muito caros. Pois é o unico construtor que eu conheço agora a pensar assim. É certo que existem mais mas penso que são uma minoria. Tambem aqui os Arquitectos sentem na pele muitas injustiças que é terem dado um orçamento para fazerem um bom trabalho, o cliente optou por um mais barato e não tem conhecimento técnico/profissional para ver a diferença e tu que te preocupas em fazer bom trabalho não tens projectos para fazer e o outro que é mais "barateiro" tem lá no escritório uma linha de montagem donde saíem 10 projectos por dia. Injustiças.........Injustiças quem as não tem?????

Link to post
Share on other sites

O mal é que a maioria dos clientes veem o projecto como um custo e não como um investimento.


Tocaste no ponto certo, geralmente em portugal os projectos são baratos, feitos rapidamente e pouco definidos. (não é comum pedirem-nos projectos de execução, com o argumento de serem muito caros) e por melhor que esteja um projecto de licenciamento, um construtor dá-lhe sempre a volta a seu favor.

Resultado: As indefinições são como mel para os empreiteiros. É aí que eles extraem o máximo lucro e o dono de obra nada pode fazer porque as coisas não estão devidamente definidas e pormenorizadas.

Espero que as mentalidades um dia se alterem porque entre pagar mais 5mil € para ter um projecto de execução que dá as devidas garantias e ter de pagar mais 50 mil € durante a obra por indefinições de projecto, é facil tirar conclusões.

Sei que em países do Norte da Europa é dado todo o tempo necessário para desenvolver e discutir os projectos, e depois a obra é executada dentro dos prazos e orçamentos previstos.
Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

Considero que deva pagar pla Adjudicação e talvez parte do estudo previo, visto que nao o concluiu, nao estando ao seu gosto... Mtas dos clientes que procuram arquitectos apenas querem uns riscos para dar entrada na Camra e terem a Licença de construção, mas esses riscos sao fruto de algum trabalho. Concordo com Pedro Barradas, o mal esta nalguns profissionais da nossa area que nunca foram claro com os clientes e lhe explicaram as coisas Se nao esta contente com o trabalho dele, pode ser por nao haver compreensao do que pretendia inicialmente, ou fala com ele e chegam a um ponto ou escolhe outro, la por lhe ter adjudicado nao necessita de ficar vinculado a ele.

Link to post
Share on other sites

la por lhe ter adjudicado nao necessita de ficar vinculado a ele.


Não é assim tão simples Vanda,
O Código dos Direitos de Autor incide sobre projectos e obras de arquitectura mesmo que inacabados. Portanto um cliente ao desvincular-se de um arquitecto e contratar outro para continuar o projecto, das duas uma, ou obtem autorização do primeiro para continuar o projecto original ou faz outro projecto novo.
Os clientes normalmente, desconhecem esta situação.
Link to post
Share on other sites

Pois é caros colegas....assim acontece muitas das vezes, confiamos nas pessoas, não as chateamos com as burocracias de assinar contratos de prestações de serviços, e no final:desaprovado:....fica o boneco no portfólio para recordação e já não é nada mau.....
Um conselho: Façam assinar logo de inicio o contrato e cobrem logo uma percentagem na adjudicação....20% no mínimo....



Eu no inicio tambem nao o fazia e as pessoas assustam se com o preco q é falado à posterior, ag mudei de estrategia e faço sp uma proposta de honorarios onde o cliente tem de assinar e compromete-se com o que foi acordado, e tem de estar todas as condiçoes escritas, nao va o cliente esquecer-se, pode acontecer..
Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.