Jump to content
Arquitectura.pt


Ajudem-me por favor...


Recommended Posts

Eu sou estudante, 1º ano de Arquitectura, da Universidade Lusíada de Angola... E estou neste momento a fazer, na cadeira de arquitectura I, um projecto que consiste num cubo de 10m de aresta, cubo este em que não poderei usar escadas para circulação vertical, mas sim rampas. E eu gostaria que alguém me ajudasse, dizendo-me qual é a largura mínima, para que numa rampa passe uma cadeira de rodas (portadores de deficiências motoras) e uma pessoa normal, ao mesmo tempo. Agradeço muito a quem me poder ajudar.:(

Link to post
Share on other sites

o que sei é que corredores de acesso para pessoas com deficiência motora devem ser de 1,5 metros (falei com pessoas que conhecem a legislação e aplicam-na todos os dias em tudo o que fazem). mas é como dizem, o melhor será ver a legislação angolana a esse respeito. outra coisa que tenho a dizer é que estás no 1º ano. as coisas ainda são muito abstractas, terás mais que tempo para conhecer as legislações e aplicá-las! aproveita enquanto podes dar asas à tua imaginação, se os professores requerem-se que respeitasses um regulamento teriam mencionado :(

Link to post
Share on other sites

Leonor, 1,50 ? não vi isso em lado nenhum, vejo sim corredores com 1,2, quanto muito o patamar de arranque e de chegada é que deve ter no minimo 1,5 de profundidade e os tais 1,2 de largura. Por outro lado imaginação... mas se é para cadeira de rodas , ou dá ou não dá. Como o Petrucces sujere, o Metric Handbook é um optimo auxiliar.

Link to post
Share on other sites

Leal, uma cadeira de rodas passa bem apartir de 80 cm, mas convêm meter um pouco mais, em Portugal há agora um decreto lei sobre acessibilidades e que tem uma série de normas a cumprir. Em Angola há que ver qual a legislação nesse sentido.


é pah... desculpem lá.. mas tenho mesmo que me meter :(

Eu tenho um irmão numa cadeira de rodas, e tenho que dizer que 80cm não pode servir para referencia! Ele sozinho nunca passa numa porta com menos de 1,20m! se for ajudado passa em 80cm mas sozinho nunca.. porque a cadeira tem 76,5cm e ele precisa de pelo menos 20 a 30 cm para cada lado para empurrar as rodas com os braços, já pra não falar que o percurso de uma cadeira de rodas é semelhante ao de um caiaque, é um pouco mais sinuoso!
Link to post
Share on other sites

Não se esqueçam que uma cadeira de rodas é sempre uma cadeira de rodas seja em portugal, angola ou outro canto qualquer. A legislação foi feita para uma melhor prática, neste caso em termos de acessibilidades. Estive a poucos dias a fazer uns planos de acessibilidades exigidos desde a algum tempo nas câmaras municipais para licenciamento. Posso dizer que o mínimo estabelecido para moradias na largura das rampas é de 90cm, e não te esqueças da inclinação, máximo 6%. Mas lá está, o que importa é funcionar bem, e como em tudo, tenta perceber e estudar o funcionamento das coisas para poderes fazer bem. A partir daí dás largas a tua imaginação :(

Link to post
Share on other sites

Leonor, 1,50 ? não vi isso em lado nenhum, vejo sim corredores com 1,2, quanto muito o patamar de arranque e de chegada é que deve ter no minimo 1,5 de profundidade e os tais 1,2 de largura. Por outro lado imaginação... mas se é para cadeira de rodas , ou dá ou não dá. Como o Petrucces sujere, o Metric Handbook é um optimo auxiliar.


tens razão, fui verificar no regulamento de acessibilidade e as rampas devem ter sempre valores superiores a 1,2 metros.

mas ainda não percebi porque tanta história em volta deste assunto. pelo que sei a colega tem que fazer um trabalho que consiste num cubo e rampas, percebo existir esta preocupação pela acessibilidade condicionada, mas num 1º ano não me parece lógico já que é algo tão abstracto.

no meu 1º ano tive que trabalhar com cubos também, mas nem sequer tinham escala! só medidas standard para todos.

se calhar seria melhor a colega explicar o enunciado.
Link to post
Share on other sites

Eu nisto tenho que ser sincero, nunca olho a regulamentos para tomar a minha decisao final. basta observar, rampas de 6% são boas para subir a pé, uma pessoa sem grande preparação fisica consegue subir estas rampas numa cadeira de rodas mas com um esforço grande. o que me parece injusto! ja para nao falar do percurso sinuoso que faz ao subir. tipo zig-zag.

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Uma de prof. Estás no 1º ano. Deixa para já os regulamentos angolano, português, sueco ou japonês, ou qualquer outro ... Pega em ti e visita um hospital, um centro de deficientes, uma escola, uma rua ... e tira as tuas notas, faz os teus esquiços e concerteza chegarás a conclusões. Confronta depois o que tiveres com um bom manual de ergonomia/dimensionamento (o New Metric Handbook ou Neufert) ou até com uma legislação ( a portuguesa pode servir ) e depois ... ... deixa o lápis e a cabeça fazerem o resto do trabalho. boa sorte

Link to post
Share on other sites

Num trabalho académico do 1ºano, eu acho que não se deveriam olhar para os regulamentos, decretos, e outros tais.... mas sim estimular a liberdade criativa do aluno. Vais ter tempo para queimar a cabeça com os "regulamentos", em que alguns chegam a ser absurdos!!! Sobre as barreiras arquitectónicas na arquitectura deveria ser outro tópico! Porque como o Nuno refere é um assunto sério.

Link to post
Share on other sites

ola futuro colega eu também fiz um trabalho semelhate com o teu no meu primeiro ano de arquectetura (universidade lusiada de lisboa) e o que eles pretendiam e que nos enquanto alunos do primeiro ano vejamos as coisas de forma abstracta ter uma boa leitura do local que vais intrevir observar o local com olhos de ver os cubos depois serao colocados de forma mudar o espaço em questao tendo relação com as coisas que achas-te mais importantes no espaço de intrevençao mas sem escadas sem regras de certa forma nao bloqueis a tua visao com regras pois o primeiro ano da-nos essa possibilidades de voltar a ver o mundo como criancas. jogar com dimençoes de escalas enfim abre o teu horizonte eu adorei o meu primeiro ano e espero que aproveites o mais que poderes boa sorte: ps: teras muito tempo para preocupar com as regras ao longo do curso por isso agora vive esse momneto

Link to post
Share on other sites

Bem, se forem aos manuais de ajuda nestas coisas poderam ver que a questão não é tão simples. Uma passagem para cadeira de rodas, tem de ter no minimo 90cm de largura. Isto é o minimo regulamentado. Depois tens de ter muito cuidado com as zonas de quebra/curva. As cadeiras de roda precisão de um raio minimo de 1,5m para conseguirem dar a volta. Caso ainda tenhas duvidas de como fazer a coisa, consulta a legislaão de assecibilidades portuguesa. A legislação Angolana é em grande parte retirada da legislação Portuguesa, por isso podes-te guiar pela a nossa. Boa sorte para o trabalho

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Concordo com os colegas ao indicar a livre criação, pois entendo que só assim existe um desenvolvimento do sentido de apuração do jovem arquiteto. Basear-se em regras pré postas tão só queima etapas que devem ser contempladas para uma formação melhor. Mais valido será tomar emprestado uma cadeira de rodas em um hospital e percorrer alguns locais com a mesma, e em ultimo caso entrevistar usuários das mesmas, afinal não é porque as regras existem que sejam satisfatórias.

Link to post
Share on other sites

Uma vez perguntei a um professor meu o que me aconselhava a ler para me orientar melhor na minha formação como arquitecto e ele pura e simpelsmente deu-me uma resposta muito sábia : TUDO. Ou seja, generalizando, tudo é importante temos é que fortalecer e desenvolver os nossos filtros.

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.