Jump to content
Arquitectura.pt


Habitação Uni-Familiar / Remodelação


Recommended Posts

Gostaria de ouvir Opiniões acerca deste projecto que realizei recentemente, no atellier: ARQELITE - Arquitectura e Engenharia Lda. Albufeira.

DESCRIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO DA
PROPOSTA PARA A EDIFICAÇÃO
Tendo em conta o estado degradado em que se encontra a moradia, conforme se pode constatar nas fotos, optou-se pela remodelação total da moradia, ficando a mesma beneficiada com a referida remodelação.
Para melhor elucidação se anexa os desenhos pintados com as cores convencionais, bem como os desenhos definitivos para melhor apreciação.
A moradia após a remodelação será constituída por um T4 e disporá das seguintes divisões:
R/chão: Entrada coberta, distribuição, cozinha, despensa, lavandaria, sala, sala de refeições, três quartos, quatro instalações sanitárias e terraços cobertos.
1º. Andar; Um quarto, uma instalação sanitária e um terraço coberto.

INDICAÇÃO DA NATUREZA E
CONDIÇÕES DO TERRENO
O terreno é de natureza árido, com algumas árvores de grande porte, as quais serão mantidas, o terreno tem uma ligeira inclinação a Norte.


INSERSÃO URBANA E PAISAGISTICA
DA EDIFICAÇÃO
Tendo em atenção à zona envolvente em que está inserido o prédio, enveredou-se por uma solução tendo em conta vários factores como sejam: As legítimas pretensões do proprietário, a perfeita adaptação ao terreno, a melhor orientação panorâmica, sem menosprezar a volumetria e localização existente, enveredou-se para um conceito verdadeiro para a época, obviamente que a côr branca tem a sua quota principal, mas não se prescindiu para alguns revestimentos o emprego de pedra, bem como a utilização de perfis metálicos.


IMAGENS DE PROJECTO:





MAQUETES VIRTUAIS:




Obrigado e aguardo comentários,
Link to comment
Share on other sites

Gostaria de ouvir Opiniões acerca deste projecto que realizei recentemente, no atellier: ARQELITE - Arquitectura e Engenharia Lda. Albufeira.

DESCRIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO DA
PROPOSTA PARA A EDIFICAÇÃO
Tendo em conta o estado degradado em que se encontra a moradia, conforme se pode constatar nas fotos, optou-se pela remodelação total da moradia, ficando a mesma beneficiada com a referida remodelação.
Para melhor elucidação se anexa os desenhos pintados com as cores convencionais, bem como os desenhos definitivos para melhor apreciação.
A moradia após a remodelação será constituída por um T4 e disporá das seguintes divisões:
R/chão: Entrada coberta, distribuição, cozinha, despensa, lavandaria, sala, sala de refeições, três quartos, quatro instalações sanitárias e terraços cobertos.
1º. Andar; Um quarto, uma instalação sanitária e um terraço coberto.

INDICAÇÃO DA NATUREZA E
CONDIÇÕES DO TERRENO
O terreno é de natureza árido, com algumas árvores de grande porte, as quais serão mantidas, o terreno tem uma ligeira inclinação a Norte.

[ATTACH]4928[/ATTACH][ATTACH]4929[/ATTACH]
INSERSÃO URBANA E PAISAGISTICA
DA EDIFICAÇÃO
Tendo em atenção à zona envolvente em que está inserido o prédio, enveredou-se por uma solução tendo em conta vários factores como sejam: As legítimas pretensões do proprietário, a perfeita adaptação ao terreno, a melhor orientação panorâmica, sem menosprezar a volumetria e localização existente, enveredou-se para um conceito verdadeiro para a época, obviamente que a côr branca tem a sua quota principal, mas não se prescindiu para alguns revestimentos o emprego de pedra, bem como a utilização de perfis metálicos.


IMAGENS DE PROJECTO:

[ATTACH]4932[/ATTACH]
[ATTACH]4931[/ATTACH]
[ATTACH]4930[/ATTACH]

MAQUETES VIRTUAIS:

[ATTACH]4933[/ATTACH]
[ATTACH]4934[/ATTACH]

Obrigado e aguardo comentários,
Link to comment
Share on other sites

Gostaria de ouvir Opiniões acerca deste projecto que realizei recentemente, no atellier: ARQELITE - Arquitectura e Engenharia Lda. Albufeira.

DESCRIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO DA
PROPOSTA PARA A EDIFICAÇÃO
Tendo em conta o estado degradado em que se encontra a moradia, conforme se pode constatar nas fotos, optou-se pela remodelação total da moradia, ficando a mesma beneficiada com a referida remodelação.
Para melhor elucidação se anexa os desenhos pintados com as cores convencionais, bem como os desenhos definitivos para melhor apreciação.
A moradia após a remodelação será constituída por um T4 e disporá das seguintes divisões:
R/chão: Entrada coberta, distribuição, cozinha, despensa, lavandaria, sala, sala de refeições, três quartos, quatro instalações sanitárias e terraços cobertos.
1º. Andar; Um quarto, uma instalação sanitária e um terraço coberto.

INDICAÇÃO DA NATUREZA E
CONDIÇÕES DO TERRENO
O terreno é de natureza árido, com algumas árvores de grande porte, as quais serão mantidas, o terreno tem uma ligeira inclinação a Norte.

[ATTACH]4928[/ATTACH][ATTACH]4929[/ATTACH]
INSERSÃO URBANA E PAISAGISTICA
DA EDIFICAÇÃO
Tendo em atenção à zona envolvente em que está inserido o prédio, enveredou-se por uma solução tendo em conta vários factores como sejam: As legítimas pretensões do proprietário, a perfeita adaptação ao terreno, a melhor orientação panorâmica, sem menosprezar a volumetria e localização existente, enveredou-se para um conceito verdadeiro para a época, obviamente que a côr branca tem a sua quota principal, mas não se prescindiu para alguns revestimentos o emprego de pedra, bem como a utilização de perfis metálicos.


IMAGENS DE PROJECTO:

[ATTACH]4932[/ATTACH]
[ATTACH]4931[/ATTACH]
[ATTACH]4930[/ATTACH]

MAQUETES VIRTUAIS:

[ATTACH]4933[/ATTACH]
[ATTACH]4934[/ATTACH]

Obrigado e aguardo comentários,
Link to comment
Share on other sites

É uma pena não ser possível aproveitar as ruínas. Nesse sentido, pelo que é apresentado, não será uma remodelação do existente, mas algo novo, daí não perceber a expressão "[...]a melhor orientação panorâmica, sem menosprezar a volumetria e localização existente[...]".

São necessárias algumas fotografias da envolvente para se perceber o enquadrar do edifício no terreno.

Pelo que dá a perceber, o terreno é bastante plano e a habitação está ligeiramente elevada em relação a ele.

Volumetricamente e do ponto da organização interior, aparentemente funciona, ainda que talvez seja possível levantar algumas questões relativamente à zona de serviço e quanto ao enquadramento da piscina, mas mais importante para já é ter ficado smpeceber o que significa a expressão "[...]enveredou-se para um conceito verdadeiro para a época[...]".

Gostava ainda de ver mais imagens do lado norte, porque aí a informação é escassa.

Compreendo que sendo a informação escassa, alguma destas opiniões possa ser injusta, ou facilmente desmontável, por isso vou aguardar pela tua resposta e pela restante informação.

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

É uma pena não ser possível aproveitar as ruínas. Nesse sentido, pelo que é apresentado, não será uma remodelação do existente, mas algo novo, daí não perceber a expressão "[...]a melhor orientação panorâmica, sem menosprezar a volumetria e localização existente[...]".

São necessárias algumas fotografias da envolvente para se perceber o enquadrar do edifício no terreno.

Pelo que dá a perceber, o terreno é bastante plano e a habitação está ligeiramente elevada em relação a ele.

Volumetricamente e do ponto da organização interior, aparentemente funciona, ainda que talvez seja possível levantar algumas questões relativamente à zona de serviço e quanto ao enquadramento da piscina, mas mais importante para já é ter ficado smpeceber o que significa a expressão "[...]enveredou-se para um conceito verdadeiro para a época[...]".

Gostava ainda de ver mais imagens do lado norte, porque aí a informação é escassa.

Compreendo que sendo a informação escassa, alguma destas opiniões possa ser injusta, ou facilmente desmontável, por isso vou aguardar pela tua resposta e pela restante informação.

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

Bem uma vez que está aqui postado, é susceptivel de ser criticado. Assim parece-me um projecto vulgar sem nada de muito relevante. Pessoalmente daria outra localização á piscina, assim como eliminaria aquelas grandes paredes em pedra, que só estão como que a limitar quer a vista quer o aproveitamento solar. O piso superior se calhar merecia um aproveitamento mais rico. De resto como disse e sendo honesto, parece-me um exercicio vulgar e correcto em termos de organigrama funcional.

Link to comment
Share on other sites

Bem uma vez que está aqui postado, é susceptivel de ser criticado. Assim parece-me um projecto vulgar sem nada de muito relevante. Pessoalmente daria outra localização á piscina, assim como eliminaria aquelas grandes paredes em pedra, que só estão como que a limitar quer a vista quer o aproveitamento solar. O piso superior se calhar merecia um aproveitamento mais rico. De resto como disse e sendo honesto, parece-me um exercicio vulgar e correcto em termos de organigrama funcional.

Link to comment
Share on other sites

no sentido do pavimento parece-me que seria mais interessante um pavimento unico da sala para a piscina, assim como a materialidade das paredes de pedra se deveria ou manter similar ao pavimento, ou ser completamente difrente (ou seja pedra e madeira). o facto do volume principal se encontrar interrompido exactamente ao meio e um pouco disturbante...

Link to comment
Share on other sites

no sentido do pavimento parece-me que seria mais interessante um pavimento unico da sala para a piscina, assim como a materialidade das paredes de pedra se deveria ou manter similar ao pavimento, ou ser completamente difrente (ou seja pedra e madeira). o facto do volume principal se encontrar interrompido exactamente ao meio e um pouco disturbante...

Link to comment
Share on other sites

Respondendo a algumas duvidas relativamente a proposta apresentada começo por dizer que a volumetria "teve" eventualmente que ser mantida como forma original, visto o terreno estar insirido em reserva agricola nacional

A sua forma plana e os volumes simples resultam funcionais para o edificio ao mesmo tempo que respeitam a envolvente e contribuem, por meio da sua contenção, para ordenar o frequente caótico espaço seja rural ou urbano. Surge como uma segunda natureza "como refere Fernando Tavora". Resulta de um estudo profundo desde o conceito ao enquadramento da envolvente, organização funcional, conforto, qualidade plastica e espacial, estrutura, materiais sitema de construção, detalhe construção, aspectos biofisicos.

Os elementos verticais em pedra onde marcam uma horizontalidade na paisagem representam a existencia, a "marca" de que houve algo pré-existente. Contudo a preservação de ruinas é sempre um resultado de uma analise profunda, não somos "obrigados " a preservar algo que depois de uma analise verifica-se a inexistência de qualquer qualidade.

Em portugal ainda se tem aquela ideia que o antigo é que tem qualidade, mas isso é susceptivel a criticas e a uma análise profunda sobre o "objecto".

o Plano que marca a "ruptura" do volume principal tem como função principal marcar a distinção entre espaços "Zona publica", "Zona privada",quer seja no interior ou exterior, reforça tambem a noção de entrada, funcionando como um eixo de deslize para quem entar no espaço e resulta como um elemento "Decorativo", com um significado histórico.

A localização da piscina esta estrategicamente colocada, visto a maneira de viver do "cliente", contudo está inserida na zona social "área de lazer" e tira o melhor partido da incidência solar, usufruindo assim das melhores horas de calor.


Zeitgeist "espírito do tempo" a arquitectura tem q ter essa qualidade, sermos verdadeiros seja no conceito no processo construtivo e mesmo nos materiais.

o nosso caro colega Mies andou a sua vida á procura da "essência da verdade", em livros de filosofia, se queremos dar alguma qualidade ao nosso espaço "fisico" temos que seguir essa linha de pensamento.

A história é feita de "objectos" com valor real na sua actualidade,

Link to comment
Share on other sites

Respondendo a algumas duvidas relativamente a proposta apresentada começo por dizer que a volumetria "teve" eventualmente que ser mantida como forma original, visto o terreno estar insirido em reserva agricola nacional

A sua forma plana e os volumes simples resultam funcionais para o edificio ao mesmo tempo que respeitam a envolvente e contribuem, por meio da sua contenção, para ordenar o frequente caótico espaço seja rural ou urbano. Surge como uma segunda natureza "como refere Fernando Tavora". Resulta de um estudo profundo desde o conceito ao enquadramento da envolvente, organização funcional, conforto, qualidade plastica e espacial, estrutura, materiais sitema de construção, detalhe construção, aspectos biofisicos.

Os elementos verticais em pedra onde marcam uma horizontalidade na paisagem representam a existencia, a "marca" de que houve algo pré-existente. Contudo a preservação de ruinas é sempre um resultado de uma analise profunda, não somos "obrigados " a preservar algo que depois de uma analise verifica-se a inexistência de qualquer qualidade.

Em portugal ainda se tem aquela ideia que o antigo é que tem qualidade, mas isso é susceptivel a criticas e a uma análise profunda sobre o "objecto".

o Plano que marca a "ruptura" do volume principal tem como função principal marcar a distinção entre espaços "Zona publica", "Zona privada",quer seja no interior ou exterior, reforça tambem a noção de entrada, funcionando como um eixo de deslize para quem entar no espaço e resulta como um elemento "Decorativo", com um significado histórico.

A localização da piscina esta estrategicamente colocada, visto a maneira de viver do "cliente", contudo está inserida na zona social "área de lazer" e tira o melhor partido da incidência solar, usufruindo assim das melhores horas de calor.


Zeitgeist "espírito do tempo" a arquitectura tem q ter essa qualidade, sermos verdadeiros seja no conceito no processo construtivo e mesmo nos materiais.

o nosso caro colega Mies andou a sua vida á procura da "essência da verdade", em livros de filosofia, se queremos dar alguma qualidade ao nosso espaço "fisico" temos que seguir essa linha de pensamento.

A história é feita de "objectos" com valor real na sua actualidade,

Link to comment
Share on other sites

"Zeitgeist "espírito do tempo" a arquitectura tem q ter essa qualidade, sermos verdadeiros seja no conceito no processo construtivo e mesmo nos materiais."

E quanto ao espirito do lugar? desapareceu com as ruinas?
Acho que o projecto ta um pouco mal fundamentado, talvez mais algumas imagens possam ajudar a esclarecer todas as duvidas levantadas.
Parabens pela coragem de expor o teu trabalho.
Link to comment
Share on other sites

"Zeitgeist "espírito do tempo" a arquitectura tem q ter essa qualidade, sermos verdadeiros seja no conceito no processo construtivo e mesmo nos materiais."

E quanto ao espirito do lugar? desapareceu com as ruinas?
Acho que o projecto ta um pouco mal fundamentado, talvez mais algumas imagens possam ajudar a esclarecer todas as duvidas levantadas.
Parabens pela coragem de expor o teu trabalho.
Link to comment
Share on other sites

Deveria ser sempre interessante e cativante para os membros do arquitectura.pt a colocação de trabalhos sejam eles a nivel académico ou professional. Nao devemos ter "medo" de ser criticados de modo algum é sempre bem vinda a critica, desde que seja fundamentada com argumentos validos. Por vezes a critica surge por um juizo de "valores pessoal" e "intrasmissível", e ai sim torna-se susceptível a criticas. A exposição dos trabalhos expostos é sempre limitada pois por vezes as imagens, desenhos, esquissos ou maquetes "nunca" são suficientes para um esclarecimento total do projecto. A essência do lugar, nunca é sentida em imagens dai a análise ser um pouco limitada. Para um critica ser bem fundamentada temos que conhecer "minimamente" o local, programa, exigências e as condicionantes. A arquitectura tem q ser sentida tem q nos tocar no nosso intimo, fazer estremecer a nossa emoção o nosso sentimento, assim referia "Alberto Campo Baeza". Todos os nossos sentidos fazem parte de uma análise do lugar. Tais sentidos que numa análise apenas fundamentada em imagens e desenhos se torna limitada e escassa. Ruina Vista da ruina Obrigado pelas criticas expostas são sempre bem vindas como referi acima. E ja agora parabéns aos fundadores do site, pelo trabalho realizado. Espero brevemente continuar a expor os trabalhos realizados.

Link to comment
Share on other sites

Deveria ser sempre interessante e cativante para os membros do arquitectura.pt a colocação de trabalhos sejam eles a nivel académico ou professional. Nao devemos ter "medo" de ser criticados de modo algum é sempre bem vinda a critica, desde que seja fundamentada com argumentos validos. Por vezes a critica surge por um juizo de "valores pessoal" e "intrasmissível", e ai sim torna-se susceptível a criticas. A exposição dos trabalhos expostos é sempre limitada pois por vezes as imagens, desenhos, esquissos ou maquetes "nunca" são suficientes para um esclarecimento total do projecto. A essência do lugar, nunca é sentida em imagens dai a análise ser um pouco limitada. Para um critica ser bem fundamentada temos que conhecer "minimamente" o local, programa, exigências e as condicionantes. A arquitectura tem q ser sentida tem q nos tocar no nosso intimo, fazer estremecer a nossa emoção o nosso sentimento, assim referia "Alberto Campo Baeza". Todos os nossos sentidos fazem parte de uma análise do lugar. Tais sentidos que numa análise apenas fundamentada em imagens e desenhos se torna limitada e escassa. [ATTACH]4962[/ATTACH] Ruina [ATTACH]4963[/ATTACH] Vista da ruina Obrigado pelas criticas expostas são sempre bem vindas como referi acima. E ja agora parabéns aos fundadores do site, pelo trabalho realizado. Espero brevemente continuar a expor os trabalhos realizados.

Link to comment
Share on other sites

parabens pela coragem de expor o teu trabalho epelas tuas palavras sinceras. olhando outra vez para as tuas imagens acho que o modelo em sketchup nao te favorece muito o projecto, eu nao gosto muito desse programa acho um pouco rudimentar, e bom para analisar algumas solucoes e fazer um modelo rapidamente mas para "vender" o projecto aos outros um bom desenho ou uma aguarela e muito melhor. Eu sou muito defensor do desenho, do esquisso e de outras ferramentas manuais acho que transmitem melhor a expressao do projecto e a tal essencia do lugar, mas isso sao as minhas preferencias, mas acho que talvez muitas das criticas se devem mais ao teu modelo do que a realidade do projecto. De qualquer maneira e sempre melhor receber algumas criticas aqui do pessoal do que nao receber nenhumas, continua a expor eu sempre que puder deixo uns bitaques!

Link to comment
Share on other sites

parabens pela coragem de expor o teu trabalho epelas tuas palavras sinceras. olhando outra vez para as tuas imagens acho que o modelo em sketchup nao te favorece muito o projecto, eu nao gosto muito desse programa acho um pouco rudimentar, e bom para analisar algumas solucoes e fazer um modelo rapidamente mas para "vender" o projecto aos outros um bom desenho ou uma aguarela e muito melhor. Eu sou muito defensor do desenho, do esquisso e de outras ferramentas manuais acho que transmitem melhor a expressao do projecto e a tal essencia do lugar, mas isso sao as minhas preferencias, mas acho que talvez muitas das criticas se devem mais ao teu modelo do que a realidade do projecto. De qualquer maneira e sempre melhor receber algumas criticas aqui do pessoal do que nao receber nenhumas, continua a expor eu sempre que puder deixo uns bitaques!

Link to comment
Share on other sites

Emanuel, enquanto membro da equipa, obrigado pelas felicitações. Quem está de fora tem sempre algo a menos, mas quem melhor que o Emanuel para nos transmitir esse sentido do lugar, a vivência do terreno, a poética (ou não) da ruína?... Vejo-o a si com essa poética, mas sem realmente revelar muito sobre o lugar e as razões das opções tomadas. Estando nós de fora de todo o processo, caberia a si tentar levar-nos um pouco mais dentro... Como já disse antes, ficarei à espera de uma resposta mais aprofundada e completa para tecer mais comentários. Tenho no entanto pena que não seja objectivo na análise às opiniões que foram expressas.

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.