Jump to content
Arquitectura.pt


Habitação Uni-Familiar / Remodelação


Recommended Posts

Emanuel, enquanto membro da equipa, obrigado pelas felicitações. Quem está de fora tem sempre algo a menos, mas quem melhor que o Emanuel para nos transmitir esse sentido do lugar, a vivência do terreno, a poética (ou não) da ruína?... Vejo-o a si com essa poética, mas sem realmente revelar muito sobre o lugar e as razões das opções tomadas. Estando nós de fora de todo o processo, caberia a si tentar levar-nos um pouco mais dentro... Como já disse antes, ficarei à espera de uma resposta mais aprofundada e completa para tecer mais comentários. Tenho no entanto pena que não seja objectivo na análise às opiniões que foram expressas.

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

Penso que o Emanuel não precisa de estar constantemente a fazer citações de ícones académicos e a falar por frases feitas por vezes mal aplicadas e subjectivas para se referir a uma moradia com piscina num prédio rústico.. sobretudo se ela já é acompanhada da memória descritiva para a câmara que todos (ou quase) sabemos o que vale. A minha opinião sincera acerca do projecto: - a planta do piso 0 à partida parece bem desenhada, só com uma análise cuidada vemos que as casas de banho das suites estão um bocado encaixadas à pressão, sobretudo se atendermos à área da habitação. a zona de entrada e cozinha também me parece adaptada de outra planta e muito pouco pensada, se bem que gostei do estendal escondido atrás do churrasco (não estou a brincar, acho bem aproveitado) - não entendo a necessidade do piso 1, parece um local de observação para o nadador salvador da piscina, ou seja, uma pretensão a rondar o fálico. mas acredito que seja uma pretensão do cliente e aparentemente resolvida em cima do joelho. pode ser bastante mais trabalhado. - as paredes de pedra parecem-me kitch, trasladadas de outros projectos de outros arquitectos, mas tirá-las agora seria um tiro no pé, são a única coisa que sustenta o projecto. - o pilar metálico no sketchup engana, espero que seja mesmo metálico, senão era péssimo. e presumo que seja imprescindível. a localização nem é má de todo. - a piscina a fazer esquina com parede de pedra é uma forma engenhosa de impedir a circulação para a zona de quartos, mas permite a natação até à zona de quartos, o que dá no mesmo. além de que fazer uma fundação daquela parede numa esquina da piscina é suicídio. - a sala... os clientes vão dividi-la de forma diferente daquela que é descrita nas plantas, acho eu, por isso aquela distribuição de paredes (tendo em conta o mobiliário e aberturas para o exterior) pode não ser a mais vantajosa, mas isso são coisas ultra-discutidas com os clientes, com certeza. - vão ter que aparecer desníveis ou terraplanagens brutais porque no sketchup o terreno difere bastante das fotos. para esclarecer, estamos a falar de um edifício banal, não entendo onde foi aplicada toda a teoria de almanaque que sobeja nos comentários subsequentes, mas ainda assim merece reflexão, o que já não é mau.

Link to post
Share on other sites

Penso que o Emanuel não precisa de estar constantemente a fazer citações de ícones académicos e a falar por frases feitas por vezes mal aplicadas e subjectivas para se referir a uma moradia com piscina num prédio rústico.. sobretudo se ela já é acompanhada da memória descritiva para a câmara que todos (ou quase) sabemos o que vale. A minha opinião sincera acerca do projecto: - a planta do piso 0 à partida parece bem desenhada, só com uma análise cuidada vemos que as casas de banho das suites estão um bocado encaixadas à pressão, sobretudo se atendermos à área da habitação. a zona de entrada e cozinha também me parece adaptada de outra planta e muito pouco pensada, se bem que gostei do estendal escondido atrás do churrasco (não estou a brincar, acho bem aproveitado) - não entendo a necessidade do piso 1, parece um local de observação para o nadador salvador da piscina, ou seja, uma pretensão a rondar o fálico. mas acredito que seja uma pretensão do cliente e aparentemente resolvida em cima do joelho. pode ser bastante mais trabalhado. - as paredes de pedra parecem-me kitch, trasladadas de outros projectos de outros arquitectos, mas tirá-las agora seria um tiro no pé, são a única coisa que sustenta o projecto. - o pilar metálico no sketchup engana, espero que seja mesmo metálico, senão era péssimo. e presumo que seja imprescindível. a localização nem é má de todo. - a piscina a fazer esquina com parede de pedra é uma forma engenhosa de impedir a circulação para a zona de quartos, mas permite a natação até à zona de quartos, o que dá no mesmo. além de que fazer uma fundação daquela parede numa esquina da piscina é suicídio. - a sala... os clientes vão dividi-la de forma diferente daquela que é descrita nas plantas, acho eu, por isso aquela distribuição de paredes (tendo em conta o mobiliário e aberturas para o exterior) pode não ser a mais vantajosa, mas isso são coisas ultra-discutidas com os clientes, com certeza. - vão ter que aparecer desníveis ou terraplanagens brutais porque no sketchup o terreno difere bastante das fotos. para esclarecer, estamos a falar de um edifício banal, não entendo onde foi aplicada toda a teoria de almanaque que sobeja nos comentários subsequentes, mas ainda assim merece reflexão, o que já não é mau.

Link to post
Share on other sites

Olá a todos...
Eu sou de Albufeira, e devo dizer que numa terra onde se constroem aberrações dignas de serem demolidas no minuto a seguir. Como estas:
(por favor abram e analizem as fotos...)


Com tudo isto, posso dizer que estou feliz por alguem conseguir, fazer algo com uma linguagem completamente diferente, melhor pensada, e com mais qualidade. Acho que devemos criticar o projecto em si na sua organização até que o Emanuel tenha disponibilizado mais informações sobre a localização. Pelo que me apercebi o lote é enorme... e tendo uma ruina acho bem feito, aproveitá-la. Pelo que me percebi tambem, algumas das paredes da ruina são aproveitadas para a casa a nivel estrutural, e não estou a ver onde isso é kitsch.

"O kitsch é um termo de origem alemã (verkitschen) que é usado para categorizar objetos de valor estético distorcidos e/ou exagerados, que são considerados inferiores à sua cópia existente."

No meu entender, as fotos que mostrei aplicam-se LARGAMENTE a esta definição, e penso que o projecto em questão está longe dela. :)

miesogeno,

a zona de entrada e cozinha tambem me parece adaptada de outra planta


Não percebi o teu ponto de vista...é adaptada de onde?:nerd:

Quanto ao sketchup... não gosto de programas que trabalham por rectas até nas curvas...

Resumindo, penso que num local onde se faz o chamado "House-Tunning" esta casa é uma dádiva. :(
Link to post
Share on other sites

ok nuno, nesse caso, como há coisas muito más vamos balizar por baixo... e padrõezinhos? eu estou a discutir arquitectura que foi apresentada aqui, nada de mais. mas outro dia poderemos discutir essas casas que apresentaste e outras ainda melhores que tenho por aqui, mas numa perspectiva puramente psiquiátrica. a palavra kitsch.. pegando na tua wikipedia "(os objectos) São frequentemente associados à predilecção do gosto mediano e pela pretensão de, fazendo uso de estereótipos e chavões que não são autênticos, tomar para si valores de uma tradição cultural privilegiada." eu apliquei-a à parede de pedra, não ao edifício como um todo, se bem que até poderia fazê-lo. é uma fórmula que alguns arquitectos utilizam para "chumbar" a casa ao terreno, mas alguns sabem fazê-lo. e segundo percebi, todo o existente é demolido, essas paredes surgem como uma alegoria e não como uma memória, o que neste caso tira o sentido ao argumento utilizado pelo autor. a planta adaptada porque quando entras na cozinha funciona tudo muito bem, mas as implicações que tem na sala e no seu recorte são só uma consequência, quando a sala deveria ser um espaço privilegiado no desenho da planta. o hall foi tratado como um espaço sobrante e aquela porta de cozinha logo ali na entrada parece uma porta de despensa, não tem nada a ver com a forma como foi tratada a passagem para a zona de quartos. mas não é preciso verbalizar isto tudo, não te parece simplesmente mal adaptado? o desenho tem que falar por si.

Link to post
Share on other sites

As vossas "opiniões" são sempre bem vindas só assim podemos ir aprendendo constantemente ao longo da nossa vida, mais com uns menos com outros. Contudo se uma opinião fosse dona da "razão", bastava fazer um protótipo e generalizava-se a "ideia".

Mas como costumo dizer "cada casa é um caso".

É facil criticar sem dúvida pois a arquitetcura é uma arte suscetível a todas as criticas. Daí a liberdade de expressão.

Nós falando como "arquitecto" procuramos sempre o caminho mais correcto e mais sensato a nosso ver para "darmos" alguma qualidade ao espaço. Pois se estamos nesta profissão e somos profissionais da mesma temos sem duvida que "amar" esta disciplina.

Não vejo os "objectos" como uma mera marca de imagem de cada arquitecto mas sim como um resultado final de uma análise de um estudo, ideias, tempo, dedicação compreensão e paixão.

Foram citadas palavras como "...Balizar por baixo...Padrõezinhos...".

A minha pergunta é será que estamos a banalizar ou a seguir um caminho correcto para a nossa sociedade? não é isso que nós "arquitectos" lutamos todos dias?

Afirmações sem ter o minimo de conhecimento da realidade e confirmar como verdade, sem ter a certeza..."é crime".

As paredes em pedra não são um mero "kitsch" como se afirmou mas sim "uma memória" deixada para afirmar um passado existente nesse mesmo local. Não sao mera construção, nem houve uma demolição total da ruina, deixou-se vestigios. Depois de uma análise profunda conclui-se que existiriam paredes "mestras" que faria algum sentido deixar uma "marca".

A maquete virtual não tem qualquer qualidade sem dúvida, também considero o sketchup um programa "abonecado" como costumo dizer. Contudo dá para perceber a volumetria e como funcionam alguns volumes, planos, cheios e vazios. Neste caso deu para voces perceberem "alguma coisa", apesar de haver algumas lacunas diferentes do resultado final.

So usei este programa porque não tinha conhecimentos suficientes relativamente a outro. Neste momento começei a trabalhar em Revit.

Mais um vez obrigado pelos comentários.

Abraços

Link to post
Share on other sites

Emanuel, as criticas de certa forma são sempre boas e quando nos sujeitamos a elas até é bom para uma autoavaliação. Eu pela minha parte mantenho tudo o que disse, e embora possa parecer algo desagradável, analizo as observações do miesogeno ao projecto como interessantes e algo acertadas. Como é evidente podemos sempre melhorar os nossos projectos. Quanto aos 3Ds, não é por ai que se possa comentar a qualidade do projecto, por isso é algo que pode ser melhorado mas não fundamental.

Link to post
Share on other sites

Emanuel, criticar é-me fácil, projectar é mais penoso e tira-me anos de vida. sou apenas dono da minha opinião. tenta retirar da minha dissertação apenas aquilo com que concordares obviamente, acho que foi por isso que aqui meteste o teu projecto. mas uma ressalva: o "balizar por baixo... e padrõezinhos?" referia-se às fotos apresentadas pelo nunomiguelneto para dizer que o teu projecto era o que se queria em portugal, eu respondi que não podemos ter aquelas fotos como termo de comparação para o que queremos para a arquitectura portuguesa. quanto à parede de pedra entendi mal, fiquei com a noção de que não podiam ser salvas e por isso seriam reconstruídas. ainda assim admitamos que é uma fórmula um pouco vulgarizada nos nossos dias. daqui a uns anos será mais óbvio.

Link to post
Share on other sites

Tambem reconheço que a minah comparação foi um bocado rasca... mas tens que compreender o meu desespero por encontrar uma casa sem azulejos ou sem telhas ou sem bonecos em pedra cada vez que saio de casa... Irrita-me tanto que quando vi este projecto dei pulos de alegria!!!

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...
  • 2 months later...

boas, necessitei de colocar aqui a minha crítica, até para eu aprender com este caso, pois não vejo nesta intervenção a ideia de remodelação, o que concluo é que essa ideia foi reportada para um sentido de construcção e elaboração de ideias, as quais devem seguir alguma regra da ruína, mas no caso final como se identifica nas imagens virtuais, não consigo identificar os elementos da ruina na ideia proposta. desculpem se o erro esteja a ser meu, mas estou aqui também para aprender... contudo felicito o emanuel pela oportunidade em expor o trabalho e esclarecer as nossas duvidas! cumprimentos

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.