Jump to content
Arquitectura.pt


Porto | Sea Life Center | Balonas projectos


Dreamer

Recommended Posts

Imagem colocadaPorto vai ter um 'Sea Life Center'Imagem colocada

O Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, acompanhado pelo Vice-Presidente, Álvaro Castello-Branco, e pelo Vereador do Urbanismo e Mobilidade, Lino Ferreira, apresentou hoje o projecto "Sea Life Center" para a cidade do Porto. Trata-se de um "Centro de Vida Marinha", a instalar junto ao Parque da Cidade. Desta forma, promove-se a requalificação da fachada virada para a Praça Gonçalves Zarco, onde, actualmente, existem edifícios em mau estado de conservação, ruína e terreiros irregulares a céu aberto.Imagem colocadaImagem colocada

"Este tipo de equipamento, a construir de raiz, tem, necessariamente, repercussões na economia local. Reabilitamos a zona, alargamos a zona verde do Parque da Cidade, mas mais importante damos ânimo aos agentes económicos. Cinco ou seis investimentos deste tipo são suficientes para levantar o ânimo do País", afirmou Rui Rio, destacando o interesse lúdico, académico e turístico do Sea Life Center .

Trata-se de um investimento de cerca de 10 milhões de euros, a ser realizado pelo Grupo Merlin, com sede em Londres. Terá cerca de 1300 metros quadrados de área coberta onde se poderá encontrar desde os peixes mais vulgares a algumas espécies de tubarões e muitas outras espécies marinhas, em cenários recriados propositadamente para esse efeito e de acordo com as características dos locais onde estão inseridos.

Ao mesmo tempo, o município impôs ao promotor a construção de uma área de lagos e jardins, com cerca de 4.500 metros quadrados, na face adjacente do equipamento, alargando-se assim o perímetro do Parque da Cidade e garantindo uma transição paisagística harmoniosa entre o novo edifício e a zona do parque já hoje existente.

Pela importância educativa que terá, a sociedade promotora será obrigada também a disponibilizar à CMP 2500 bilhetes por ano, por forma a garantir que todos os alunos das escolas do Ensino Básico, geridas pela autarquia, tenham oportunidade de visitar o Sea Life Center antes de concluir o 1º Ciclo.

Maior atractividade para o Porto

O investimento conta com uma candidatura ao QREN, tendo em conta o particular interesse que a instalação deste equipamento na cidade do Porto tem para o país. O Sea Life Center vai criar 100 postos de trabalho directos e terá abertura prevista para Fevereiro de 2010.

Na próxima reunião do Executivo será proposta a cedência dos terrenos, por quatro anos, à sociedade promotora, em direito de superfície. A partir de 1 de Janeiro de 2014, a mesma sociedade terá de pagar uma renda anual à autarquia de 20 mil euros, actualizados consoante a inflação. "Quando deixar de ser presidente quero deixar a Câmara com receitas e não com despesas", afirmou Rui Rio.

"O Sea Life Center será um equipamento que - a par de muitos outros que a cidade já dispõe em pleno funcionamento, como seja o Museu de Serralves, a Casa da Música ou o Rivoli - reforçará fortemente a atractividade do Porto e da sua Área Metropolitana", acrescentou o Presidente da CMP.

Vídeo com extractos das declarações do Presidente da CMP

Link:
http://www.cm-porto.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=cmp.stories/9704

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

Este projecto Vai ser construído de raiz, na zona marítima do Parque da Cidade, ao fundo da avenida da Boavista, atrás do café Bela Cruz.


[attach]4264[/attach]


[attach]4263[/attach]


Reportagem RTP:
http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=354267&tema=32

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

Câmara do Porto aprovou ontem a cedência de um terreno próprio e de um segundo, que irá comprar por 760 mil euros


A construção do Sea Life Center no Porto, infra-estrutura semelhante ao Oceanário de Lisboa, mas de menor dimensão, só avançará se os promotores deste investimento conseguirem obter fundos comunitários no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN). Esta condição sine qua non foi sublinhada ontem pelo vereador da CDU, Rui Sá, na reunião do executivo da Câmara do Porto. "Se o QREN não aprovar, o investimento não vai para a frente", avisou.


Apesar de considerar este oceanário positivo, o autarca comunista apresentou mais reservas sobre o mesmo. Reservas essas que o levaram a abster-se na votação sobre a cedência de um terreno camarário para a sua instalação e a compra de um segundo, por parte do município, no valor de 760 mil euros, que será também cedido. Prevê-se que o oceanário do Porto surja num ponto adjacente ao Parque da Cidade, virado para a Praça de Gonçalves Zarco e a inauguração está prevista para Fevereiro de 2010.


Apesar da abstenção de Rui Sá, a cedência/compra de terrenos mereceu os votos favoráveis do restante executivo camarário, incluindo a totalidade dos vereadores do PS, que, não obstante, tinham concordado com o vereador comunista.


Para além do indispensável sucesso da candidatura ao QREN, Rui Sá apresentou mais dúvidas em relação a este projecto de uma subsidiária do grupo de origem britânica Merlin, dono de parques de diversões em vários países europeus. Nomeadamente, a referida cedência do direito de superfície, por 30 anos, de um terreno camarário e de outro que a autarquia irá adquirir por 760 mil euros. "Além de ceder isto, a câmara disponibiliza-se a fazer uma série de obras, como demolições e terraplenagens, que não está descriminado o custo", acrescentou.


Nos cálculos do comunista, a Câmara do Porto vai dar mais do que está previsto receber - 20.000 euros/ano, a partir de 2014. Valor que Rui Sá fez questão de repartir, recordando que se trata de 16.000 euros mais 20 por cento de IVA. "Objectivamente, é um mau negócio do ponto de vista contabilístico, uma vez que a câmara vai pagar mais do que vai receber", resumiu. Rui Sá recordou ainda o projecto do Sport de infra-estruturas desportivas, o queimódromo e uma pista de aviões, que acrescentou não saber se é provisória, para afirmar: "Preocupa-me que aquela zona do Parque da Cidade comece a ser salpicada por um conjunto de equipamentos sem haver um plano global."


Por seu turno, a vereadora do PS Palmira Macedo disse "secundar" o que foi exposto por Sá e acrescentou mais uma reserva ao projecto: "A câmara ainda tem a obrigação de manter e vigiar a zona envolvente e assim estamos todos de acordo que os 16.000 euros estão aquém das despesas." Mas o também socialista Francisco Assis ressalvou que o PS vê o oceanário com bons olhos: "Do nosso ponto de vista, é um bom investimento para a cidade do Porto."


Na resposta à oposição, o vereador do Urbanismo, Lino Ferreira, começou por explicar que ainda não é possível avançar com mais informações concretas sobre este empreendimento, conforme pediu a oposição, porque o promotor não é proprietário dos terrenos e, por essa razão, não pode apresentar um projecto. Quanto às demolições e terraplenagens que a infra-estrutura irá exigir, o autarca ressalvou que não é certo que as mesmas sejam feitas a expensas da câmara, mas sim "em condições a acordar com o promotor".


Sobre limpeza e segurança, Lino Ferreira considera que será a mesma que normalmente é dispensada a um espaço público. "Não existe nenhuma acção especial", garantiu. O autarca acrescentou ainda que as condutas de gás e electricidade já existem naquela zona e que o gás está a 150 metros.

O vereador Rui Sá diz que este é um "mau negócio" para a câmara, que vai pagar mais do aquilo que vai receber


Link:
http://jornal.publico.clix.pt/default.asp?url=%2Fmain%2Easp%3Fpage%3D18%26dt%3D20080716%26id%3D13786719%26c%3DB%26web%3DEI

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

pergunto-me porque :icon_censored: quer o Porto um oceanario? ver peixinhos em jaulas de água não traz cultura a ninguém, o parque da cidade não precisa de mais atractivos, mas a baixa precisa, e o dinheiro, mal canalizado pergunto-me se o turismo vai ganhar com isto. se o tipo de braga que quer ver peixinhos enjaulados não os vai ver a lisboa e não chega, já que o suburbano de gondomar não quer ver, mas vem, porque é novidade e depois dá um saltinho á praia comer um ola com a família e o cão.... bem, afinal, o ocenario é bom, vai tirar mais 4 mecos do arrabida shoping, 2 do gaia, 1 do norte, e 4 gunas do parque nascente sedentos de conseguírem partir o vidrinho e criar uma cascata o pedro balonas é que se safa, um arquitecto que se sabe mexer, admiro-o muito

Link to comment
Share on other sites

pergunto-me porque :icon_censored: quer o Porto um oceanario?

bem, afinal, o ocenario é bom, vai tirar mais 4 mecos do arrabida shoping, 2 do gaia, 1 do norte, e 4 gunas do parque nascente sedentos de conseguírem partir o vidrinho e criar uma cascata


espaço lúdico é que é...e com um bocado de jeito quando tiver feito tira mais meia duzia do shopping bulhao...

shopping bulhao...ai meu deus ainda soa mais estranho escrito do que pensado...

o projecto até pode ser interessante, só é pena é so vermos iniciativas destas nesta zona da cidade...
Link to comment
Share on other sites

eu acho que isto e importante, quantas crianças ja foram ao oceonario de lisboa, pelo menos da minha geração muitas, agora terao oportunidade de visitar um semelhante mais vezes, mais potenciais biólogos marinhos, e como há cerca de 500 anos, Portugal tem de se virar para o mar. A água gera vida, vida gera movimento e movimento gera dinheiro. :(

Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...
  • 1 month later...
Oceanário em construção junto ao Parque da Cidade
Máquinas preparam terreno para o Sea Life. Obra começou este mês
CARLA SOFIA LUZ

O oceanário do Porto está em construção, junto ao Parque da Cidade e à Praça de Gonçalves Zarco. A obra começou este mês com as máquinas a prepararem o terreno para a execução das fundações. O Sea Life Center abrirá até Fevereiro de 2010.

De menor dimensão do que o equipamento instalado na capital lisboeta, o futuro oceanário nascerá da iniciativa privada da sociedade britânica Merlin Entertainments Limited. Em colaboração com a Câmara do Porto, que cedeu os terrenos em direito de superfície por 30 anos, o Sea Life terá diferentes aquários com animais marinhos e de água doce, como estrelas-do-mar, cavalos-marinhos, raias e tubarões, integrados em cenários adequados aos locais de onde as espécies em exposição são originárias.

A ligação do edifício com 1300 metros quadrados, desenhado pelo arquitecto Pedro Balonas, ao Parque da Cidade será assegurada por uma área de lagos e de jardins com 4500 metros quadrados que, na prática, prolongará o espaço verde (para uma zona ocupada por casas antigas - a maioria em estado de degradação). O investimento global estimado ascenderá a 10 milhões de euros.

O equipamento poderá beneficiar de comparticipação financeira da União Europeia. Em cooperação com a sociedade britânica, foi apresentada uma candidatura pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal aos fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional.

Prevê-se que o oceanário crie 100 postos de trabalho. A empreitada de construção arrancou este mês e é possível que o centro fique concluído antes do prazo estimado, ou seja, Fevereiro de 2010. Recorde-se que, à data da apresentação do Sea Life Center, apontava-se para um prazo máximo de 18 meses para a construção e para a entrada em funcionamento do pequeno oceanário.

Em contrapartida pela cedência do terreno, a Merlin Entertainments pagará 20 mil euros anuais (actualizável de acordo com a inflação) a partir de 2014 e disponibilizará, por ano, 2500 bilhetes para os estudantes das escolas do Primeiro Ciclo do Ensino Básico do concelho.

A empresa detém equipamentos semelhantes em diversos países europeus, nomeadamente no Reino Unido, na Alemanha, em França e em Espanha.

Link:
http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=1036402

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

O:)Laboratório Internacional de Nanotecnologias e Centro de Ciência Viva.

a propósito da curiosidade "qual o arquitecto?", posso esclarecer que a m+w zander tem um parceiro em portugal; e como sabemos e vem sendo habitual neste tipo de parcerias fica com o trabalho (quase)todo... e se tiver tratamento preferencial por parte dos decisores ainda melhor, dá sp jeito ateliers bem posicionados juntos das autarquias. facilitam o diálogo :) o parceiro neste caso é o atelier "bmm arquitectos" (traduzido "balonas.menano.mörschel). não foi este atelier que ganhou o projecto do novo hospital de braga ?? olhe que sim, olhes que sim, ahaha ;)

Link to comment
Share on other sites

  • 4 months later...

pergunto-me porque :icon_censored: quer o Porto um oceanario?

ver peixinhos em jaulas de água não traz cultura a ninguém, o parque da cidade não precisa de mais atractivos, mas a baixa precisa, e o dinheiro, mal canalizado

pergunto-me se o turismo vai ganhar com isto. se o tipo de braga que quer ver peixinhos enjaulados não os vai ver a lisboa e não chega, já que o suburbano de gondomar não quer ver, mas vem, porque é novidade e depois dá um saltinho á praia comer um ola com a família e o cão....

bem, afinal, o ocenario é bom, vai tirar mais 4 mecos do arrabida shoping, 2 do gaia, 1 do norte, e 4 gunas do parque nascente sedentos de conseguírem partir o vidrinho e criar uma cascata

o pedro balonas é que se safa, um arquitecto que se sabe mexer, admiro-o muito


eu acho que pode tirar muita gente...mas a questão é que isto é um projecto bom para o Porto porque além das pessoas de cá, o Norte todo virá cá ter em vez de ir a lisboa. creio que é um projecto muito bom mesmo. eu próprio pretendo ir lá dar uma vista de olhos com o meu Amor.
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

de facto este sea life é muito fraquinho... ainda não entrei, e pelo que ouvi dos preços dos bilhetes nem dá vontade de entrar. mas por fora, aquelas forma dura, esquizoide, trespassada por umas curvas...não consigo formular um juízo qualitativo disto. o sítio era bestial, uma rótula entre a av.Boavista e a marginal, que podia ser apreendido de todos os lados pela sua proximidade com a rotunda, o que fazia dele uma peça para ser visualizada pelo carro. só me resto um comentário, que oportunidade tão bem perdida mas á má arquitectura já estamos habituados, mas era necesário aquele letering antiquado à lá junk food dos anos 90?

Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.