Jump to content
Arquitectura.pt


tipos de abertura en officinas en portugal?


Recommended Posts

Prezados senhores, Desculpa que escribe en espanol pero no conosco portugues... Yo soy una doctoranda en la universidad de Hamburgo, alemanha y me dedicas de conforto termico y visual en oficinas. Para mi investigacion neccesito saber que tipos de abertura de janelas son lo mais tipico en oficinas (sin ar-condicionado!) en Portugal? Abertura normal, oscilo batente, correr, guilhotina, basculante, projectante, pivotante? Y que serian tipicos angulos de apertura durante el dia y la noite? Me alegraría mucho de ajuda (en portuges esta bien). Astrid

Link to post
Share on other sites

oficina refere-se a edifício de escritórios. No entanto quanto a essa questão não estou muito familiarizado com a realidade em Portugal. Penso que no geral, todos os edifícios de escritórios estão equipados com ar condicionado e que deverão ser muito raras as excepções. Mas penso que isso dependerá do tipo de edifício. Num edifício novo, o mais certo é usar-se ar condicionado em vez de janelas de abrir. Quando se trata de escritórios em edifícios reabilitados, as janelas surgirão de acordo com o existente. Um exemplo de um edifício de escritórios com janelas que abrem é o Edifício Burgo do Eduardo Souto de Moura. Para além do ar condicionado, cada piso tem janelas pivotantes que abrem para o exterior. Em livros do Souto de Moura é possível encontrar informações sobre isso

Link to post
Share on other sites

muito obrigada, o edificio burgo es un interessante exemplo. que eu investiga son possibilidades de evitar ou reduzir ar condicionado en edifício de escritórios no comparacao de clima de Hamburgo/alemanha e portugal. uma aspecto e ventilacao natural... conheces outros exemplos para edificios com janelas que abrem? e que tipo de abertura es?

Link to post
Share on other sites

A redução da utilização de sistemas de ar-condicionado tem de se promover por uma maior implementação de sistemas passivos de controlo de temperatura. Sinceramente não vejo o tipo de abertura dos vãos como uma fórmula para resolver uma tipologia, que neste caso são escritórios.

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites
Não sei se isto ajuda, mas, á pouco tempo assisti a uma conferência do engenheiro Guilherme Carrilho da Graça sobre arquitectura sustentável nesta conferência falou-se sobre tudo do caso dos escritórios. O mal dos escritórios num clima como o português onde existe uma grande amplitude térmica com Invernos frios e Verões muito quentes, é que neste género de programa estão integrados vários elementos que ajudam a aquecer o edifício como por exemplo todos os aparelhos electrónicos, computadores impressoras etc... Isto é um problema sobre tudo no Verão e a solução para isto pode dificultar a tarefa de manter o edifício quente no Inverno
Assim ao tentarmos proteger o edifício da entrada de calor pela exposição solar no verão colocando isolamento térmico estamos também a reter no interior o calor gerado pelos computadores etc... Isto pode acontecer também num Inverno mais quente como foi o inicio deste ultimo.
Como solução para este problema (pelo que percebi da ultima fila do auditório) o recomendável segundo este engenheiro para um edifício de escritórios em Portugal seria, aberturas (janelas) viradas a Norte com vidro duplo, isolamento térmico na cobertura para impedir o calor proveniente da exposição solar, que aqui é de quase 90º no Verão e deixar as paredes livres de isolamento térmico para que o calor gerado dentro do edifício possa dispersar-se para o exterior. Assim no verão as janelas são abertas deixando entra ar fresco para o escritório o que ajuda a arrefece-lo, o isolamento na cobertura impede a entrada de calor pela exposição solar e o calor gerado no interior é dispersado para o exterior devido a falta de isolamento térmico nas paredes, no Inverno as janelas são fechadas e o calor é gerado pelo aproveitamento do calor gerado pelos aparelhos electrónicos.
Astrid isto não é o que se usa mas o que se deveria usar segundo este engenheiro.
Colegas de forum gostava de saber qual a vossa opinião sobre esta solução.
Link to post
Share on other sites

não é que eu perceba muito mas não resultará a total ausência de isolamento térmico nas paredes na formação de possíveis humidades? Porque no Inverno o edifício será aquecido de forma artificial através do ar condicionado e essa ausência fará com que perca eficiência térmica no sentido de reter o calor... pa, elucidem-me se faz favor porque agora tb fiquei curioso com esta possibilidade! :)

Link to post
Share on other sites

não é que eu perceba muito mas não resultará a total ausência de isolamento térmico nas paredes na formação de possíveis humidades? Porque no Inverno o edifício será aquecido de forma artificial através do ar condicionado e essa ausência fará com que perca eficiência térmica no sentido de reter o calor... pa, elucidem-me se faz favor porque agora tb fiquei curioso com esta possibilidade! :)


Por acaso de humidades ainda não percebo nada, mas esta solução não tem ar condicionado ou outro sistema de tradicional, os esritorios são espaços que ao serem utilizados geram o seu proprio calor, o aquecimento é por assim dizer gratuito. O aquecimento no Inverno é feito pelo aproveitamento do calor libertado por computadores, impressoras, etc... Sobre se isto gera humidades não sei responder nunca me falaram de humidades na universidade nem li sobre isso em libros, se alguem conhecer bibliografia sobre o assunto gostava de saber.
Link to post
Share on other sites

Também mas não só... Em locais onde possam existir determinadas pontes térmicas o contacto entre o ar quente do interior com o ar frio do exterior pode provocar o surgimento de fungos e humidades. Por isso é que falamos actualmente inclusive de sistemas de caixilharias com corte térmico e vidro duplo. A ideia é que o estrato que se encontra em contacto com o exterior nunca toque o estrato da parede interior. Digo isto pelo que aprendi das minhas aulas de sistemas construtivos. No fundo existe sempre esta dualidade: por um lado temos de tentar isolar o edifício no sentido de este ter uma boa eficiência térmica, por outro temos de encontrar soluções eficazes de ventilação dos espaços para que o ar se regenere... se estiver errado digam.

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.