Jump to content
Arquitectura.pt


O ArchiCAD 12 está aí


Guest Victor@ArchiCAD@Infor

Recommended Posts

Ah, a caneta...hehehe

Não compres nada que não seja Wacom. Para além de não precisar de pilha dentro da própria caneta (fundamental) é de longe a tecnologia mais robusta e avançada que se pode comprar.

Aconselho uma Wacom Bamboo, porque é barata (abaixo dos 100€) e tem 4 teclas programáveis e zoom integrado na mesa. Costuma haver na Fnac, e podes escolher a preto ou a branco. Esta última fica fine com o mac ;)

Se não trabalhas em desenho á mão levantada deves ir para o modelo menor, A6, mesmo que tenhas monitores grandes (eu uso um cinema display de 30" com um side kick de 17" e chega perfeitamente), porque nós queremos fazer pequenos gestos coma mão e não grandes com o braço.

Conta com uma frustrante semana de adaptação, mas uma vez lá nunca mais vais querer saber do miserável roedor. Tal como passar do Autocad para o Archicad :)

Link to comment
Share on other sites

Essa coisa da caneta parece interessante. Sempre desejei ter um monitor do tamanho de um estirador Olaio, onde pudesse desenhar em cima, com uma caneta. Acho que já não falta muito. Quanto ao resto da discussão, sinto-me como se estivesse num restaurante a saborear um Barca Velha de 99, enquanto os senhores da mesa do lado discutem se o Esporão é melhor que o Quinta do Carmo ;)

Link to comment
Share on other sites

Lichado: Esse estirador já existe, é desenvolvido pela Microsoft, e custa uma pipa de massas. No entanto, tenho imensas dúvidas que seja útil, para alguém como nós, trabalhar em grandes superfícies com gestos largos. O nosso trabalho é mais de precisão, de clicar no sítio milimétricamente certo, e para isso é melhor a ponta dos dedos que o ombro/cotovelo. O Tom Cruise a fazer gestos largos com os braços á frente de um monitor/parede no Minority Report é cinematográficamente belo, mas agora imagine o que seria passar 10 horas por dia a fazer gestos daqueles... Nuno: As canetas têm vários níveis de pressão, o que permite fazer linhas com espessuras variáveis em programas de desenho. Também há as que têm reconhecimento de inclinação da caneta, mas essas são bastante mais caras. Nenhuma dessas funções é útil para quem trabalha com um cad. Nós queremos clicar em pontos, não traçar linhas.

Link to comment
Share on other sites

Para o desafio que está lançado sugiro que apareçam na "disputa" os seguintes softwares falados neste topico:

ArchiCAD
VectorWorks
Allplan
Revit
Autocad

P.S.
Interessante, os primeiros 3 da lista acima são todos do Grupo Nemetschek

Link to comment
Share on other sites

Lichado:

Esse estirador já existe, é desenvolvido pela Microsoft, e custa uma pipa de massas.

No entanto, tenho imensas dúvidas que seja útil, para alguém como nós, trabalhar em grandes superfícies com gestos largos.

O nosso trabalho é mais de precisão, de clicar no sítio milimétricamente certo, e para isso é melhor a ponta dos dedos que o ombro/cotovelo.

Nenhuma dessas funções é útil para quem trabalha com um cad. Nós queremos clicar em pontos, não traçar linhas.


Sim, mas tenho saudades de ver o edifício todo com um tamanho decente à minha frente, e poder debruçar-me apenas sobre uma pequena parte a resolver um detalhe, e afastar-me outra vez a olhar para o edifício, sem ter de deixar a roda do rato a fumegar
Link to comment
Share on other sites

Sim, mas tenho saudades de ver o edifício todo com um tamanho decente à minha frente, e poder debruçar-me apenas sobre uma pequena parte a resolver um detalhe, e afastar-me outra vez a olhar para o edifício, sem ter de deixar a roda do rato a fumegar


È por isso que eu não uso rato... e um monitor de 30" ;)
Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Os Gurus de Gestão dizem frequentemente que as empresas inovadoras não despendem tempo nem recursos a defender o passado, não gastam nem um tostão com um nado morto, não gastam dinheiro a fazer com que um cadáver deixe de cheirar mal.

Dizem que cortar com o passado pode por si só libertar recursos, principalmente o mais caro de todos – pessoas capazes, para trabalhar naquilo que é novo.

Se uma empresa não tiver o discernimento de chegar à simples conclusão que o seu produto, processo ou serviço se tornou obsoleto ... podem crer que mais tarde ou mais cedo o seu concorrente irá fazê-lo!

Entre revit –vs- archicad; Autodesk –vs- Graphisoft/Nemetschek é precisamente isso que está a acontecer.

A Autodesk teve o discernimento de chegar à conclusão que não era com tecnologia q possuía q iria chegar lá. Mudou de estratégia! Investiu numa nova tecnologia – no Revit, soube reconhecer sua potencialidades. Aos poucos vão abandonando processos e produtos antigos (ADT) e com esse golpe magestral de GESTÃO preparam-se para liderar o mercado BIM nos próximos anos/décadas.


Pelo andar da carruagem, a Graphisoft/Nemetschek não vai ser capaz de impedir que seja o seu próprio concorrente mais directo (Autodesk) a demosntrar por A+B que o seu produto ArchiCAD está definitivamente obsoleto.

Infelizmente a Graphisoft com o ArchiCAD optou pela via da inovação com vistas curtas. No passado, há umas décadas atrás foram inovadores sim, mas não tiveram a percepção do mercado ... e tudo o que provavelmente criaram hoje está a ser muito bem aproveitado pelo mercado do seu concorrente mais directo.

Na Graphisoft quando inovaram, não souberam acompanhar o mercado, não souberam responder o mercado, pelo contrário, impuseram o mercado com regras restritivas agarradas às suas ideias favoritas, obrigando arquitectos por exemplo a serem programadores e a perceberem obrigatoriamente de scripts para fazer coisas banais de projecto, não souberam actualizar o produto ArchiCAD e foram alimentando durante esses anos todos negócios paralelos de add-ons de forma completamente injustificada. Agora, só lhes resta correr atrás dos prejuízos que eles próprios causaram.

Mais não digo :D

Link to comment
Share on other sites

É curiosa, esta ideia tão difundida (e defendida) que o ArchiCad é um produto obsoleto, ultrapassado. Que o seu código esclerosado não permite a inovação, contrariando frontalmente as evidências - multiprocessadores nesta versão, integração do Plotmaker em versões anteriores, e muitas outras coisas que diziam impossíveis de implementar sem reescrever todo o código. É curioso que esta ideia seja defendida por quem defendia há menos de meia dúzia de anos que o Autocad era o expoente máximo do Cad, e que a modelação no projecto (que outras empresas já praticavam há mais de 20 anos) não fazia sentido. É curioso que estas mesmas pessoas defendam que o Revit é inovador, quando a sua génese em 2000 foi reconhecidamente uma cópia do Archicad. É também curioso a fúria (na falta de melhor palavra) com que se ataca o ArchiCad e a Graphisoft, alegando sempre enormes imperfeições mas nunca especificando nenhuma. É curioso também considerar a Autodesk uma empresa inovadora, quando as suas práticas comerciais são monopolistas, quando a sua única estratégia de fundo é comprar tudo o que se mexe e secar o mercado à volta, quando não se vê, da parte desta, uma única ideia original. É curioso, finalmente, que se confunda frequentemente publicidade com informação, e se deixe embalar pelo mantra dos vendedores, sem procurar a verdade factual. Isso sim é ter vistas curtas. É curioso...

Link to comment
Share on other sites

Caro refs,

Tens que devolver a tua "Bola de Cristal" pois veio com defeitos!
Com esse teu vaticinio devo concluir que és dos que acham que ser "velho" ser experiente é ser inutil, um peso morto, não interessa. É pegar nos nossos pais e mete-los num Lar, pior coloca-los logo no cemiterio. Partindo desse raciocinio, a Apple e o Mac OS X não deveria exisitir, velho caduco muito antigo. O proprio MS Windows tambem com mais de 25 anos, isso sem falar no Unix e no Linux. Outra, a Ford, a Mercedes, os aviões Boeing as turbinas da General Electric e da Rolls Royce, cuja tecnologia tem 50 anos tambem deveriam não exisitir, são tecnologias antigas. Tu nunca contratarias o Albert Einstein para trabalahr contigo. Muito menos o Siza Vieira para fazer um projecto. São "...recursos a defender o passado, não gastam nem um tostão com um nado morto, não gastam dinheiro a fazer com que um cadáver deixe de cheirar mal..."
Não te esqueças que tu, numa altura na tua vida também serás "velho". Gostaria de saber o que pensarás na altura. Penso que te desculpamos por seres jovem e ainda não teres tido tempo de vida nem experiencia para olhares para os softwares da idade do ArchiCAD, 26 anos, portanto é (ArchiCAD) um jovem como tu, com muito ainda para inovar, conforme temos assitido ao longo dos ultimos anos. Por isso acho que te devias informar melhor sobre as inovações do ArchiCAD nas ultimas versões.
Não te esqueças que muitos softwares morrem á nascença. O AutoCAD Revit acabou de nascer. Não confundas ter dinheiro com capacidade de sobrevivencia. Já assistimos a algumas empresas com dinheiros a falirem. Por isso.

Meus senhores participantes deste forum, ficam a saber que o refs acha que tudo o que é "velho" (neste caso com 26 anos) deve acabar. Queres ver mais inovação do ArchiCAD e por onde ele anda tambem agora, analisa o Vico Software http://www.vicosoftware.com/

VIVAM OS JOVENS, MATEM OS VELHOS!!!

Os jovens é que sabem tudo, são os softwares mais recentes que devem sobreviver. Só os jovens é que são "...pessoas capazes, para trabalhar naquilo que é novo..." Os que tenham mais de 25 anos, deve-se simplesmente ilimina-los. Por isso Acabem com os Sistemas Operativos da Microsoft, o Linux o MAC OS, tem mais de 25 anos.

Caro Refs, não és tu nem a Autodesk como AutoCAD Revit que passará a certidao de obito do ArchiCAD.
El número de nuevas licencias de ArchiCAD ha aumentado un 108%
http://www.archicad.es/compania/ultima_noticias/gsspa08.html

Não é pela Autodesk tem dinheiro que consegue impor um softrware como o AutoCAD Revit ao mercado. O Chelsea F.C. tem muito dinheiro mas isso não lhe faz ganhar campeonatos.
Felizmente o mercado CAD/BIM evoluiu, os utilizadores estão muito mais informados, não se deixam levar por monopolios, nem empresas monopolistas. Procuram mais a potencialidade da ferramenta do que a marca.
Basta observar que só em Portugal os ateliers de maior sucesso, são todos utilizadores de ArchiCAD.

O quê?
"...(Autodesk) a demosntrar por A+B que o seu produto ArchiCAD está definitivamente obsoleto..."

Beijing Olympic TV Transmission Tower Designed with ArchiCAD
http://www.graphisoft.com/company/press_zone/Beijing_Olympic_TV_Transmission_Tower.html

Caro jovem refs, não te metas em "guerras" que não dominas. Prepara-te primeiro e depois vai á luta. Há pois... és jovem e como só o que é novo "sobrevive", nunca conseguirás teres argumentos suficientes.
Já agora, se o AutoCAD Revit conseguir chegar ao 25 anos de existencia... será que tambem será "...definitivamente obsoleto...". Pois nessa altura deve ter aparecido o FutureBIM da megamilionária empresa FUTURE.

Ahahah estes Jovens!


Os Gurus de Gestão dizem frequentemente que as empresas inovadoras não despendem tempo nem recursos a defender o passado, não gastam nem um tostão com um nado morto, não gastam dinheiro a fazer com que um cadáver deixe de cheirar mal.

Dizem que cortar com o passado pode por si só libertar recursos, principalmente o mais caro de todos – pessoas capazes, para trabalhar naquilo que é novo.

Se uma empresa não tiver o discernimento de chegar à simples conclusão que o seu produto, processo ou serviço se tornou obsoleto ... podem crer que mais tarde ou mais cedo o seu concorrente irá fazê-lo!

Entre revit –vs- archicad; Autodesk –vs- Graphisoft/Nemetschek é precisamente isso que está a acontecer.

A Autodesk teve o discernimento de chegar à conclusão que não era com tecnologia q possuía q iria chegar lá. Mudou de estratégia! Investiu numa nova tecnologia – no Revit, soube reconhecer sua potencialidades. Aos poucos vão abandonando processos e produtos antigos (ADT) e com esse golpe magestral de GESTÃO preparam-se para liderar o mercado BIM nos próximos anos/décadas.


Pelo andar da carruagem, a Graphisoft/Nemetschek não vai ser capaz de impedir que seja o seu próprio concorrente mais directo (Autodesk) a demosntrar por A+B que o seu produto ArchiCAD está definitivamente obsoleto.

Infelizmente a Graphisoft com o ArchiCAD optou pela via da inovação com vistas curtas. No passado, há umas décadas atrás foram inovadores sim, mas não tiveram a percepção do mercado ... e tudo o que provavelmente criaram hoje está a ser muito bem aproveitado pelo mercado do seu concorrente mais directo.

Na Graphisoft quando inovaram, não souberam acompanhar o mercado, não souberam responder o mercado, pelo contrário, impuseram o mercado com regras restritivas agarradas às suas ideias favoritas, obrigando arquitectos por exemplo a serem programadores e a perceberem obrigatoriamente de scripts para fazer coisas banais de projecto, não souberam actualizar o produto ArchiCAD e foram alimentando durante esses anos todos negócios paralelos de add-ons de forma completamente injustificada. Agora, só lhes resta correr atrás dos prejuízos que eles próprios causaram.

Mais não digo :D

Link to comment
Share on other sites

Oh Sr. Victor do ArchiCAD da Infor, q pelos vistos já foi um grande defensor/vendedor da Autodesk e até do AutoBAD :D ... nem me vou dar ao lixo de lhe responder.

Infelizmente já não tenho muito tempo para perder com essas discussões. Se quiser manter um diálogo construtivo e comunicar pacificamente, ordeiramente e sem stress nem irritações, nem falta de educação ... tudo bem. Para o resto, não conte comigo.

Sobre "Velhos e Novos", Como a verdade foi completamente deturpada pelo Sr. Victor do ArchiCAD da Infor, faço aqui um pequeno esclarecimento:
É tão errado os jovens pensarem q podem substituir a experiência dos mais velhos, como é absolutamente errado também os velhos pensarem o mesmo dos jovens. A virtude está no meio, ou seja na conciliação entre os dois mundos. Não sei onde queria chegar com a sua deturpação, quando fui eu próprio a dizer q tudo o q provavelmente o ArchiCAD ajudou a criar até hoje, está a ser muito bem aproveitado e aperfeiçoado pelo seu concorrente mais directo ...

Só lhe digo que não sou propriamente um novato nessas andanças e não cai nessa discussão de pára-quedas. Já ando a discutir isso há bué! Por sinal até direito a censura passei a ter em certos blogs de archicadistas.

Já me habituei aos ataques pessoais e agressivos dos archicadistas. Já fui alvo de violentos ataques em vários fóruns por apenas os ter confrontado com verdade.

Até lhe digo mais, já vi "experts" em ArchiCAD mentirem descaradamente e de forma até doentia, só para rebaterem as verdades que eu estava a dizer ... está registado (fórum é lixado ... ). O escandaloso é q akilo q eu dizia q o ArchiCAD não fazia e que teimavam em afirmar q eu é q era um nabo em ArchiCAD (e de facto sou! até de Revit sou!) e q não percebia patavina do assunto e tal ... foi anunciado logo no mês seguinte, como sendo uma das grandes novidades da versão 11 (ou 10?) do AC ... está registado (fórum é lixado ... )

Mas eu já me habituei. Na falta de argumentos, toca a repetir a música, "vcs não percebem nada disto, não pescam nada, são ignorantes, blá, blá, blá, blá" ... e de facto sou cada vez mais ignorante do AC.

Não me podem acusar de não ter tentado experimentar os softwares ... tentei várias vezes o AC (e continuo atento às novas versões), o ADT, Bentley Arch (antes Triforma) e inclusive o Revit na versão 6 (?) ... nenhum me tinha convencido antes, até ter conhecido o Revit 9, quando já me tinha definitivamente "resignado" a investir no CAD do ADT, por ter chegado à triste conclusão q afinal BIM não passava de um projecto de boas intenções ... :)

Hoje infelizmente constato que o AC correndo atrás dos prejuízos, está a tentar acoplar todos os módulos importantes de projecto (ponto positivo), q até há bem pouco tempo sempre funcionam como add-ons e que versões após versões, preocupam-se mais em ir ler wishlists de Revit e colocar coisas q o Revit não tem e não faz, em vez de se preocuparem mais em satisfazer as suas próprias wishlists e pedidos há muito feitos pelos seus users.

Link to comment
Share on other sites

O velho tuque "da teoria da conspiração" como diria Maxwell Smart o Agente 86 da CONTROL.
Sindroma "calimero"
Tens alguma coisa contra ex vendedores da Autodesk?
Tambem achas que quem vendia Fiat não pode vender Ferraris?
É isso?
Portanto o Cristiano Ronaldo só pode jogar no Manchester nunca pode voltar ao Sporting?
Mais uma teoria do nosso amigo refs.
Já agora, não percebo alguns dos participantes neste forum, que ao invés de se defenderem com argumentos validos, defendem-se sentido-se ofendidos, e alegando ataques pessoais. Que sensiveis! Se tivesse que estar numa batalha de certeza que não seriam estes o camarada que gostaria de ter ao meu lado.
Até parece naqueles jogos de futebol em que basta um leve toque, para o adversario cair para o chão e dizer ao arbrito que lhe partiram a perna.
Isso é falta de experiencia... de experiencia de vida, não de ArchiCAD.
Até podes ter a carta de condução, mas isso não faz de ti um condutor de formula 1.


Oh Sr. Victor do ArchiCAD da Infor, q pelos vistos já foi um grande defensor/vendedor da Autodesk e até do AutoBAD :D ... nem me vou dar ao lixo de lhe responder.

Infelizmente já não tenho muito tempo para perder com essas discussões. Se quiser manter um diálogo construtivo e comunicar pacificamente, ordeiramente e sem stress nem irritações, nem falta de educação ... tudo bem. Para o resto, não conte comigo.

Sobre "Velhos e Novos", Como a verdade foi completamente deturpada pelo Sr. Victor do ArchiCAD da Infor, faço aqui um pequeno esclarecimento:
É tão errado os jovens pensarem q podem substituir a experiência dos mais velhos, como é absolutamente errado também os velhos pensarem o mesmo dos jovens. A virtude está no meio, ou seja na conciliação entre os dois mundos. Não sei onde queria chegar com a sua deturpação, quando fui eu próprio a dizer q tudo o q provavelmente o ArchiCAD ajudou a criar até hoje, está a ser muito bem aproveitado e aperfeiçoado pelo seu concorrente mais directo ...

Só lhe digo que não sou propriamente um novato nessas andanças e não cai nessa discussão de pára-quedas. Já ando a discutir isso há bué! Por sinal até direito a censura passei a ter em certos blogs de archicadistas.

Já me habituei aos ataques pessoais e agressivos dos archicadistas. Já fui alvo de violentos ataques em vários fóruns por apenas os ter confrontado com verdade.

Até lhe digo mais, já vi "experts" em ArchiCAD mentirem descaradamente e de forma até doentia, só para rebaterem as verdades que eu estava a dizer ... está registado (fórum é lixado ... ). O escandaloso é q akilo q eu dizia q o ArchiCAD não fazia e que teimavam em afirmar q eu é q era um nabo em ArchiCAD (e de facto sou! até de Revit sou!) e q não percebia patavina do assunto e tal ... foi anunciado logo no mês seguinte, como sendo uma das grandes novidades da versão 11 (ou 10?) do AC ... está registado (fórum é lixado ... )

Mas eu já me habituei. Na falta de argumentos, toca a repetir a música, "vcs não percebem nada disto, não pescam nada, são ignorantes, blá, blá, blá, blá" ... e de facto sou cada vez mais ignorante do AC.

Não me podem acusar de não ter tentado experimentar os softwares ... tentei várias vezes o AC (e continuo atento às novas versões), o ADT, Bentley Arch (antes Triforma) e inclusive o Revit na versão 6 (?) ... nenhum me tinha convencido antes, até ter conhecido o Revit 9, quando já me tinha definitivamente "resignado" a investir no CAD do ADT, por ter chegado à triste conclusão q afinal BIM não passava de um projecto de boas intenções ... :)

Hoje infelizmente constato que o AC correndo atrás dos prejuízos, está a tentar acoplar todos os módulos importantes de projecto (ponto positivo), q até há bem pouco tempo sempre funcionam como add-ons e que versões após versões, preocupam-se mais em ir ler wishlists de Revit e colocar coisas q o Revit não tem e não faz, em vez de se preocuparem mais em satisfazer as suas próprias wishlists e pedidos há muito feitos pelos seus users.

Link to comment
Share on other sites

Oh Sr. Victor do ArchiCAD da Infor ... você também é lixado pá! :D Não tenho nada contra vendedores de marca A ou B ... afinal de contas, na vida todos nós acabamos sempre por ser vendedor, certo? Só lhe keria dizer q enquanto andava de um lado para o outro, de marca A para marca B ... eu já andava nisto a tentar perceber a equação "CAD + GIS = BIM" (independentemente da marca dos softwares) e tentando aplicar na prática esse conceito em empresas de construção civil por onde passei :) ... Estou no BIM pq senti a sua necessidade, não pq está na moda. Penso q mto provavelmente vc tirou-me mal a fotografia ... Repare, no seu último post escreveu 165 palavras apenas para utilizar expressões como: - velho tuque - "teoria da conspiração" - Sindroma "calimero" - marcas de automóveis - jogadores de futebol - clubes de futebol - "Que sensiveis!" - batalha - jogos de futebol - partir perna - falta de experiencia de vida - carta de condução, - condutor de formula 1 Convenhamos, estamos aki para trocar opiniões e ideias sobre BIM e seus softwares, de forma produtiva. Não lhe fica nada bem, principalmente no seu papel assumido de vendedor de ArchiCAD da Infor ... Por acaso já lhe passou pela cabeça q posso ser um potencial comprador de AC? ;) Já lhe disse, para discutir ideias de forma construtiva conte cmg ... um ab.

Link to comment
Share on other sites

Presumo que "discutir ideias de forma constructiva" e "Se quiser manter um diálogo construtivo e comunicar pacificamente, ordeiramente e sem stress nem irritações, nem falta de educação ... tudo bem. Para o resto, não conte comigo" seja compatível com:

Até lhe digo mais, já vi "experts" em ArchiCAD mentirem descaradamente e de forma até doentia,


Ou seja, o refs entende que uma discussão ordeira e constructiva é quando ninguém o insulta mas ele insulta os outros.

Dualidade de critérios que, não me admirava, também fosse utilizada na avaliação de softwares...
Link to comment
Share on other sites

Eu iniciei a minha carreira profisional em 1987 com o AutoCAD 2.5 e desde sempre estive ligado primeiro como utilizador dos softwares de CAD/CAM/CAE e depois ligado a varios revendedores de software CAD. Por isso como vês já lá vão 21 anos. Eu sou da geração do Spectrum 1978. A não ser que estejas na pré-reforma provalvelmente ainda andavas na primaria já eu estava a usar computadores.
O facto de ser responsavel pela filal em Lisboa da Infor, distribuidor do ArchiCAD em Portugal, não me impede de expressar a minha opinião e nada fica mal, desde de defenda com coerencia o produto que represento.
Quando quiseres comprar o ArchiCAD, podemos falar, e podes ter a certeza que te farei um preço extraordinario. Podes contactar-me para o vsilva@infor.pt para te enviar uma proposta. Por o contacto ter sido por aqui pelo forum, ofereço-te a formação.


Oh Sr. Victor do ArchiCAD da Infor ... você também é lixado pá! :D

Não tenho nada contra vendedores de marca A ou B ... afinal de contas, na vida todos nós acabamos sempre por ser vendedor, certo?

Só lhe keria dizer q enquanto andava de um lado para o outro, de marca A para marca B ... eu já andava nisto a tentar perceber a equação "CAD + GIS = BIM" (independentemente da marca dos softwares) e tentando aplicar na prática esse conceito em empresas de construção civil por onde passei :) ... Estou no BIM pq senti a sua necessidade, não pq está na moda.

Penso q mto provavelmente vc tirou-me mal a fotografia ...

Repare, no seu último post escreveu 165 palavras apenas para utilizar expressões como:
- velho tuque
- "teoria da conspiração"
- Sindroma "calimero"
- marcas de automóveis
- jogadores de futebol
- clubes de futebol
- "Que sensiveis!"
- batalha
- jogos de futebol
- partir perna
- falta de experiencia de vida
- carta de condução,
- condutor de formula 1

Convenhamos, estamos aki para trocar opiniões e ideias sobre BIM e seus softwares, de forma produtiva. Não lhe fica nada bem, principalmente no seu papel assumido de vendedor de ArchiCAD da Infor ... Por acaso já lhe passou pela cabeça q posso ser um potencial comprador de AC? ;)

Já lhe disse, para discutir ideias de forma construtiva conte cmg ...


um ab.

Link to comment
Share on other sites

MK, Peço desculpa se essa expressão " Até lhe digo mais, já vi "experts" em ArchiCAD mentirem descaradamente e de forma até doentia" estiver no limite da grosseria ... Agora qdo o (re)leio reconheço q poderia ter sido menos indelicado ... é o q dá escrever "em directo". Não era essa a intenção. Mas nada q se compare aos "disparos" q tenho sido alvo! :D Tento ser justo nos critérios ... e já o disse noutro fórum, fikei surpreendido com algumas das boas novidades do ArchiCAD V12. Eu era um dakeles q achava q mto provavelmente a tecnologia de suporte desse software não permitisse algumas das coisas q vi e q gostava de ter no Revit. Qdo referi à tecnologia obsoleta e ao corte com o passado, estava a referir-me mais à autodesk do q à Graphisoft. É preciso ter "guts" para cortar/descontinuar com um dos produtos prata da casa e investir numa nova tecnologia desenvolvida ainda por cima fora de casa. Poucas empresas são capazes de fazer isso ... é um risco enorme, temos de reconhecer isso. Na Graphisoft, se calhar a tecnologia existe e quiçá até em demasia, agora com a aquisição por parte da Nemetschek (Vector e Allplan) ... o mundo todo está à espera da estratégia q vão seguir e parecendo q não isso pode causar alguma instabilidade nos users das várias tecnologias. A autodesk apostou forte e pelos vistos estão preparados para liderar esse sector (BIM) se não houver reacção dos outros fabricantes. Basta ver a evolução do número de licenças, pesquisas na net, fóruns, etc, etc ... isso ninguém pode esconder.

Link to comment
Share on other sites

MK,
Peço desculpa se essa expressão " Até lhe digo mais, já vi "experts" em ArchiCAD mentirem descaradamente e de forma até doentia" estiver no limite da grosseria ... Agora qdo o (re)leio reconheço q poderia ter sido menos indelicado ...


Chamar alguém de mentiroso descarado e doente, mesmo que não se identifique quem (ou principalmente quando não se identifica quem) difícilmente se pode considerar no "limite da grosseria", pelo menos segundo a educação que eu recebi.

Aliás, duvido que o Refs o fizesse na cara de alguém, uma vez que fazendo-o, sujeitava-se a levar uns sopapos.

Nessa óptica, das duas uma:
Ou me chamou de mentiroso descarado a mim, e aí pode ter a certeza que não o desculpo, ou então chamou a outra pessoa, cobardemente não identificada, e aí não tem que me pedir desculpa.

Adiante.

Quanto aos "guts" que atribui à Autodesk por comprar um software (Revit) e descontinuar outro, eu não chamo coragem, chamo sobrevivência.

A Autodesk manteve ao longo dos anos que o Autocad era o software ideal para arquitectos, mesmo apesar de existirem outros melhores (ArchiCad).

Fê-lo porque óbviamente ganhou muito mais dinheiro com isso. Um utilizador de um software BIM faz o trabalho de 3 desenhadores CAD, pelo que se ganha mais dinheiro a vender programas de desenho que de modelação. Vendem-se 3 vezes mais licenças.

A alteração de estratégia recente, com a aquisição do Revit em 2002, deveu-se ao facto de a Autodesk concluir (eles de burros não têm nada) que não conseguia continuar a impingir ADT's e quejandos como software BIM, e verem os seus clientes migrarem para outras plataformas (Bentley, Graphisoft, Nemetschek).

Sabendo que não poderiam continuar a espremer a galinha dos ovos de ouro (Autocad) por muito mais tempo, decidiram comprar um software recente, cópia do ArchiCad, e vendê-lo como tendo sido eles que tinham inventado o BIM.

Eles, que andaram 20 anos a dizer mal dos outros programas BIM!

Tudo bem, do ponto de vista da Autodesk, esta estratégia deu frutos, eles são o colosso que são porque actuam desta maneira.

Mas os estragos, ao nível dos utilizadores, são monstruosos:

Fruto desta política, e durante mais de 20 anos, a esmagadora maioria dos gabinetes usou o AutoCad, com as consequências desastrosas agora reconhecidas pelos utilizadores Revit: falta de coordenação, falta de rigor, erros, omissões, etc., etc., etc.

Acompanhando as aquisições que a Autodesk tem feito nos últimos anos, a sua agenda torna-se clara, e eles nunca a negaram: Possuir a maioria do mercado AEC, em termos de software, e poder assim ditar as regras (veja-se a título de exemplo o escândalo que é a adopção cega, por parte do Estado Português, do formato .DWF como norma).

Esta estratégia, mais uma vez, vai no interesse dos accionistas (as acções da Autodesk valem uma pipa de massas) mas não dos utilizadores.

Assim como no passado, com o desastroso Autocad em cada computador, também a situação de monopólio a que a Autodesk ambiciona não será certamente no interesse dos utilizadores, que ficarão limitados a uma solução apenas, one size fits all, sem poderem escolher outros softwares mais adequados para a sua situação específica.

No entanto, não estamos nos anos 80. Hoje em dia as pessoas têm acesso à informação de uma forma mais directa, são mais cépticos quanto ao que os vendedores lhes dizem (escaldaram-se com o AutoCad), e os monopólios são mais difíceis de implementar. As pessoas estão mais atentas, não são tão fáceis de enganar com sound bytes.

Ou, lendo alguns dos comentários aqui, talvez não...
Link to comment
Share on other sites

É curiosa, esta ideia tão difundida (e defendida) que o ArchiCad é um produto obsoleto, ultrapassado. Que o seu código esclerosado não permite a inovação, contrariando frontalmente as evidências - multiprocessadores nesta versão, integração do Plotmaker em versões anteriores, e muitas outras coisas que diziam impossíveis de implementar sem reescrever todo o código.

É curioso que esta ideia seja defendida por quem defendia há menos de meia dúzia de anos que o Autocad era o expoente máximo do Cad, e que a modelação no projecto (que outras empresas já praticavam há mais de 20 anos) não fazia sentido.

É curioso que estas mesmas pessoas defendam que o Revit é inovador, quando a sua génese em 2000 foi reconhecidamente uma cópia do Archicad.

É também curioso a fúria (na falta de melhor palavra) com que se ataca o ArchiCad e a Graphisoft, alegando sempre enormes imperfeições mas nunca especificando nenhuma.

É curioso também considerar a Autodesk uma empresa inovadora, quando as suas práticas comerciais são monopolistas, quando a sua única estratégia de fundo é comprar tudo o que se mexe e secar o mercado à volta, quando não se vê, da parte desta, uma única ideia original.

É curioso, finalmente, que se confunda frequentemente publicidade com informação, e se deixe embalar pelo mantra dos vendedores, sem procurar a verdade factual. Isso sim é ter vistas curtas.

É curioso...




pelo que percebi a conversa de um modo geral é archicad vs revit,
o archicad foi a minha primeira ferramenta 3d isto em 1998.
entretanto passei por 3d studio, sketchup, rhino, blender, "freewares", bla, bla ,bla,bla...e revit claro
e nessas passagens todas chego sempre à mesma conclusão, a melhor e mais completa ferramenta para um arquitecto é sem dúvida o archicad.
agora o archicad tem que se lhe diga muito, para atingir um nivel compativel com o que o software archicad oferece, é preciso uma grande dedicação e sobretudo aplicação sobretudo pelo interface do software.
a minha opinião é essa mesmo para quem quiser a mais completa ferramenta de arquitectura é escolher o archicad, agora atenção é preciso dedicação para ver o que realmente esse programa consegue fazer, e que é deveras muito.
eu neste momento trabalho únicamente em 3d studio mas por uma questão de método de trabalho que institui, para o lindo funcionamento do mercado português, e por outras exigências além da arquitectura.
tive o prazer de trabalhar com o arq. Miguel Krippahl apenas duas semanas e nessas apenas duas semanas consegui descobrir situações que nunca imaginei que o archicad conseguisse alcançar, e atenção já tinha para trás 4 anos de archicad.
outra situação que vim descobrir depois, foi a evolução do artlantis que neste momento consegue resultados fantásticos em poucos minutos, isto claro sabendo aplicar texturas/rgbs principalmente, etc.
deixo um abraço ao Miguel e que nos continue a mostrar o que o archicad consegue fazer.
cumprimentos
Fernando Gabriel
Link to comment
Share on other sites

Miguel... Em todas as tuas intervenções anteriores referentes à Autodesk eu vejo-me "forçado" a aceitar, compreender e até partilhar.

Tudo o que dizes é obvio e como tal nada há a dizer sobre isso, excepto, e passo a transcrever algo que já disse anteriormente noutro fórum:

"É pá tudo faz parte de uma evolução natural.

Não acredito que o futuro passe pela compra do Archicad que já foi comprado por um gigante. Mas uma coisa é certa... Se hoje o Revit e o 3ds MAX é o futuro, amanhã será outro software que a Autodesk vai comprar e mais tarde integrar e desenvolver, isto porque chegará o dia em que o revit já é velho e não terá como evoluir. Basta ver-se o caso do archicad que está no mesmo caminho. Se por um lado tem a experiência de 25 anos, pelo outro tem o peso da idade e de 25 anos de alterações e adições ao código.

É como um texto de português. Se escrevermos um livro num ano o resultado é bom, mas se demorarmos 20 anos o resultado pode não ser tão bom e acaba por ser uma manta de retalhos.

O software do futuro ainda não existe e será uma coisa que será criada daqui a uns anos de raíz... Faz parte do processo normal e natural de evolução. Nós só temos é de estar preparados para a mudança e para que essa mudança seja feita de forma simples e sem dor..."
(podem ver mais informações e o contexto original aqui: http://www.revitpt.com/forum/index.php?topic=974.25)

Agora em relação aos softwares. É lógico que os tempos de autocad já lá vão. É também lógico que a cada versão Archicad que vai saindo o mesmo ganha mais qualidade e robustez. Mas a questão não é essa. Segundo li nestas páginas anteriores, o próprio Miguel Kripalh já "migrou" de Archicad para VICO (não posso afirmar a total veracidade desta afirmação e o Miguel poderá esclarecer qual o papel do VICO na sua mecânica de trabalho - ou não seja o maior conhecedor de VICO e qui'ça Archicad em Portugal - não é provocação é a constatação de factos). Ora sendo verdade, ele próprio enquanto arquitecto e coordenador de projectos de arquitectura sentiu necessidade de mudança, ou mesmo não sentindo necessidade, aproveitou a oportunidade.

E é assim que o mundo da informática se move. Há uns anos atrás poucos eram aqueles que sabiam o que era um computador Apple ou Macintosh. Hoje em dia são peças de design incriveis, reconhecidas mundialmente e até cobiçadas por muita gente. É a evolução dos tempos, e a Microsoft que se cuide ou cai por terra.

Para finalizar, quero salientar que o que me move não é a empresa que está por detrás dos produtos, mas a qualidade dos produtos em si. E como eu tanto tenho afirmado, o archicad é uma boa alternativa ao autocad e ao cad em geral, mas ainda não é um software BIM capaz de rivalizar com outros como o revit e o allplan, que estão muito à sua frente quer em funcionalidades, quer em termos de limitações. O VICO estará à frente destes últimos enquanto software all-in-one, composto por vários softwares de valor acrescentado que permitem mais funcionalidades. Perde nas limitações que ainda tem, mas ganha nas funcionalidades. Amanhã aparecerá outro, se calhar desenvolvido por arquitectos e engenheiros com objectivos concretos e necessidades ainda maiores (como aconteceu com o revit e no inicio da história do archicad, segundo reza a história), que vai suplantar os outros quer em termos de funcionalidades quer em termos de facilidade de utilização quer em termos de limitações à criatividade do criador.

Tudo o que atrás é dito é apenas e só uma opinião pessoal e nada mais que isso. Não sou dono da razão, sou apenas e só alguém que não tem medo de mudanças (aliás aceito-as com facilidade, e adapto-me às minhas necessidades) e procura estar atento e não perder o barco da evolução - a evolução não é só estar e usar o mais recente, é ser capaz de optimizar os nossos processos, melhorar as nossas performances e estar à altura de fazer melhor em menos tempo, sem ter que fazer as coisas várias vezes.

Por último repito o que tenho dito - em última análise, o melhor software é aquele que melhor dominamos ou estamos dispostos a dominar, e aquele que melhor responde às minhas necessidades.

Link to comment
Share on other sites

como diz o Miguel, e foi a primeira situação que me ocorreu ao pegar em revit é que o revit é uma cópia muito insossa"" do que o archicad já fazia em 1997 na versão 6 a qual foi a primeira em que trabalhei se não estou errado na versão, talvez fosse a 5, já lá vão alguns anos. acho que ninguem pode dizer que o archicad não foi a primeira ferramenta comercial, a trabalhar em tempo real em conjunto 2d e 3d, ou BIM ou como quiserem descrever. cumprimentos

Link to comment
Share on other sites

Tudo o que dizes é obvio e como tal nada há a dizer sobre isso, excepto, e passo a transcrever algo que já disse anteriormente noutro fórum:
"É pá tudo faz parte de uma evolução natural.
Não acredito que o futuro passe pela compra do Archicad que já foi comprado por um gigante (...) Nós só temos é de estar preparados para a mudança e para que essa mudança seja feita de forma simples e sem dor..."
(podem ver mais informações e o contexto original aqui: http://www.revitpt.com/forum/index.php?topic=974.25)


Caro Rui

Sendo muito interessante essa citação retirada do Forum que tu administras, não terá sido concerteza proferida por mim.

Basta ler as primeira duas palavras para constatar que não fui eu que escrevi isso.

Se foste enganado ou se pretendendes enganar, fica a informação que eu não sou, nem posso ser, autor desse texto.

Quanto á minha alegada "evolução" para o VICO Constructions, é puro disparate.

Uso o Archicad em concepção e projectos, e o VICO Construction em planeamento e gestão de obra. São softwares com um campo de acção diferente, embora complementar.

A tua afirmação é equivalente a dizer que alguém evoluiu do Word para o Excel: Desprovida de sentido.

Quanto à única questão de verdadeiro interesse na tua intervenção (interessante porque não se centra na minha pessoa), a relevância do fabricante/comercializante do software que constitui o nosso ganha pão, estou em total desacordo contigo.

Saber quem é a empresa, quais os seus objectivos, as suas prioridades, as suas estratégias, é absolutamente essencial para podermos avaliar da adequabilidade do software.

E quanto à Autodesk, já expressei claramente a minha opinião, e qual o impacte que julgo ter no utilizador comum.
Link to comment
Share on other sites

pelo que percebi a conversa de um modo geral é archicad vs revit (...)
cumprimentos
Fernando Gabriel


Viva Fernando
O tema é Archicad 12, o Revit aparece porque há gente que não consegue ler nada sobre o Archicad sem introduzir ruído na discussão.

Chama-se contra-informação, e aparentemente tem resultado.
Link to comment
Share on other sites

Viva Fernando
O tema é Archicad 12, o Revit aparece porque há gente que não consegue ler nada sobre o Archicad sem introduzir ruído na discussão.

Chama-se contra-informação, e aparentemente tem resultado.


pois tem...eu apercebi-me disso, foi mesmo pôr o dedo na ferida :D
pois o tópico é mesmo o lançamento do Archicad v12.
é um habito por este cantinho portugês, essa caracteristica, e eu assumo que por vezes é de fácil contágio"", mas basta tentar ser racional e deixar do dito clubismo.
como já disse sou arquitecto, acho que a melhor ferramenta no mercado para arquitectura é o archicad sem nenhuma dúvida, mas atenção eu não uso o archicad por isso não estou aqui para defender"" o que é meu"", apenas tentar saber o que o archicad v12 tras de novo, e estar a par da evolução.
cumprimentos
Link to comment
Share on other sites

pois o tópico é mesmo o lançamento do Archicad v12. (..) apenas tentar saber o que o archicad v12 tras de novo, e estar a par da evolução.
cumprimentos


Estou a preparar um artigo para a próxima CadProject (que deve sair lá para Outubro) sobre o Archicad 12. Tenciono fazer uns testes de rapidez à nova capacidade de utilizar os multiprocessadores (única em softwares BIM), entre outras coisas.

Lamento saber que não usas o Archicad, e gostaria de saber qual a tua desculpa :D
Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.