Jump to content
Arquitectura.pt


Viana do Castelo | Coliseu de Viana do Castelo | Eduardo Souto Moura


Recommended Posts

Viana: Construção de Coliseu desenhado por Souto Moura retomada em Julho

A construção do Coliseu de Viana do Castelo, suspensa há três meses, poderá ser retomada em julho, anunciou hoje o presidente da Câmara, tendo em conta a abertura do concurso para candidatar a obra a fundos comunitários.

A garantia de José Maria Costa surgiu no dia seguinte ao do lançamento do aviso de candidaturas, pelo Programa Operacional Regional do Norte (ON2), num concurso que poderá financiar em 85 por cento, com fundos comunitários, a construção daquele equipamento desenhado por Eduardo Souto Moura.

Por falta de dinheiro, a Câmara decidiu suspender, em fevereiro, a construção, avaliada em 12 milhões de euros, e numa altura em que tinha investido já mais de metade dessa verba, através de recursos próprios.

“Depende do consórcio [construtor] e da capacidade de afetar recursos no imediato, mas provavelmente teremos alguns trabalhos preparatórios já durante o mês de julho, mas não a obra em pleno”, apontou o autarca.

A construção do Coliseu de Viana - que já foi “Pavilhão Multiusos” e agora passa a “Centro Cultural” -, é uma das quatro obras que a Comunidade Intermunicipal do Alto-Minho candidatou à bolsa de mérito de 200 milhões de euros, disponibilizada pelo ON2 pa

ra as entidades que atinjam os patamares mais elevados de contratualização de investimento.

Com o financiamento comunitário praticamente garantido - para equipamentos de coesão local -, o autarca admite reunir com a empresa encarregue da construção até ao final do mês, para definir uma reprogramação dos trabalhos e a nova data para a conclusão de uma obra que já foi iniciada em 2007.

“Temos entre oito a nove meses de obra para executar. Vamos ver se ainda é possível encurtar este prazo, mas tudo depende do consórcio”, admitiu ainda.

Até final do mês a Câmara conta formalizar a candidatura junto do ON2 a estes fundos do QREN, decorrendo depois um prazo máximo de trinta dias até que a mesma seja admitida e a empreitada possa ser retomada com garantia de financiamento comunitário.

O equipamento está a ser construído a 7,5 metros da marginal do rio Lima, com um recinto para a prática desportiva e outras atividades 3,44 metros abaixo do nível do solo. Isto obrigou à colocação de bombas de extração de água para impedir infiltrações.

Terá capacidade para todo o tipo de modalidades desportivas e espetáculos mas também feiras e festivais de gastronomia e uma lotação máxima de 4.000 pessoas.




in http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=48313


Construção do Coliseu de Viana do Castelo desenhado por Souto Moura retomada em julho
25/05/2011 00:02
A construção do Coliseu de Viana do Castelo, suspensa há três meses, poderá ser retomada em julho, anunciou o presidente da Câmara, tendo em conta a abertura do concurso para candidatar a obra a fundos comunitários.


Por falta de dinheiro, a Câmara decidiu suspender, em fevereiro, a construção, avaliada em 12 milhões de euros, e numa altura em que tinha investido já mais de metade dessa verba, através de recursos próprios.

O Coliseu de Viana - que já foi “Pavilhão Multiusos” e agora passa a “Centro Cultural” -, terá capacidade para todo o tipo de modalidades desportivas e espetáculos mas também feiras e festivais de gastronomia e uma lotação máxima de 4.000 pessoas.


in http://www.antena-minho.pt/noticias.php?n=51188



Viana: Autarcas do Alto Minho declaram "apoio unânime" à construção do Coliseu e permitem retomar da construção

Lusa
15:47 Quinta feira, 16 de junho de 2011

Viana do Castelo, 16 jun (Lusa) - Os autarcas do Alto Minho declararam hoje o "apoio unânime" ao financiamento do Coliseu de Viana do Castelo o que permitirá desbloquear a construção de uma obra parada desde fevereiro, por falta de dinheiro.

Reunidos em Viana do Castelo, os restantes nove presidentes de Câmara do distrito declararam o "interesse regional" na construção do equipamento, que será gerido em rede e articulado com a gestão dos restantes espaços culturais da região.

A construção do Coliseu, agora denominado de Centro Cultural de Viana do Castelo, foi suspensa pela Câmara em fevereiro, alegando falta de dinheiro para continuar com os trabalhos. Entretanto, através de uma candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM), a obra deverá, finalmente, ter fundos comunitários garantidos, dado o interesse no equipamento demonstrado por todas as autarquias.



Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/viana-autarcas-do-alto-minho-declaram-apoio-unanime-a-construcao-do-coliseu-e-permitem-retomar-da-construcao=f655923#ixzz1RePD57zb
Link to post
Share on other sites
  • Replies 53
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Viana: Autarquia anuncia apoio comunitário de 10,1 ME para acabar Coliseu

A Câmara de Viana do Castelo anunciou hoje ter garantido um financiamento comunitário de 10,5 milhões de euros para a obra do Coliseu, avaliada em 13,1 milhões, permitindo a retoma definitiva da construção, entretanto suspensa.

“Esta aprovação permitirá agora avançar com a obra, sendo esta uma excelente notícia para Viana do Castelo”, sublinha o município, em comunicado, informando que a Autoridade de Gestão do ON2 avalizou este financiamento, que corresponderá a uma comparticipação de 80 por cento do total.

Dos 13,1 milhões de euros previstos para a construção deste equipamento, da autoria de Eduardo Souto Moura, à Câmara de Viana do Castelo corresponderá uma fatia total de cerca de 2,6 milhões.

A autarquia suspendeu a construção em fevereiro, alegando falta de verbas para continuar os trabalhos, numa altura em que tinha já investido mais de seis milhões de euros, apenas com recursos próprios dado que a obra não tinha sido enquadrado em qualquer fundo comunitário.

Os nove restantes autarcas do distrito declararam o “apoio unânime” ao financiamento daquela obra, tendo em conta o “interesse regional” do equipamento, que será gerido em rede e articulado com a gestão dos restantes espaços culturais da região.

A obra foi lançada em 2007, ainda com Defensor Moura na liderança da Câmara, mas sem qualquer garantia de financiamento comunitário.

Agora denominado de Centro Cultural de V

iana do Castelo, a obra foi alvo em junho de uma candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM) à Bolsa de Mérito promovida pela gestão do ON2 e recebeu a confirmação de fundos comunitários, dado o interesse no equipamento demonstrado por todas as autarquias.

“É um ato de solidariedade de todos os municípios que, acima de tudo, reconhecem o interesse da região neste equipamento”, admitiu o presidente da CIM, Rui Solheiro.

Desde a suspensão da construção que, fruto do acordo amigável com o empreiteiro, que a autarquia paga mensalmente 25 mil euros pela manutenção dos estaleiros da obra.

“Dado que o mês de agosto não é muito bom para fazer obras e logo naquela zona [marginal] da cidade, a nossa perspetiva é retomar a obra em setembro”, explicou José Maria Costa, o autarca de Viana.

Nesta altura ainda estão previstos nove meses de trabalho até à inauguração, no verão de 2012.

Construído a 7,5 metros da marginal do rio Lima e com um recinto para a prática desportiva e outras atividades culturais e económicas, 3,44 metros abaixo do nível do solo, poderá receber feiras e festivais de gastronomia.

A capacidade do equipamento será de cerca de duas mil pessoas sentadas, podendo o número aumentar para 2.700 em eventos com público a assistir de pé.

Está em curso o desenvolvimento de um protocolo com a Fundação de Serralves para assegurar exposições temáticas naquele espaço.




in http://www.correiodominho.pt/noticias.php?id=50802
Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Viana: Martifer não retoma construção do ex-Coliseu sem estarem garantidos “pressupostos”

O grupo Martifer, responsável pela construção do ex-Coliseu de Viana do Castelo, obra suspensa pela autarquia em fevereiro, disse que “não estão reunidos os pressupostos” para retomar hoje os trabalhos, como estava previsto.

A informação foi hoje avançada à Agência Lusa por fonte da Martifer, no dia para o qual o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, tinha anunciado o retomar dos trabalhos.

“Hoje não será, com toda a certeza. Não estão reunidos os pressupostos para retomar os trabalhos de construção, o que não quer dizer que isso não possa acontecer em breve”, adiantou a mesma fonte.

A 22 de agosto, José Maria Costa anunciou que o recomeço da construção da obra do antigo Coliseu, agora denominado Centro Cultural de Viana do Castelo, estava previsto para 05 de setembro e a conclusão dos trabalhos para julho de 2012.

“Houve um período em que o consórcio construtor esteve a fazer a aquisição de equipamento e materiais mas, a partir de 05 de setembro, os trabalhos reiniciam”, disse o autarca.

Hoje, a obra permanecia deserta, tal como últimos meses, mas a Martifer não comenta se na origem deste atraso estarão problemas de pagamento dos trabalhos.

“São assuntos, naturalmente, do foro interno da negociação entre as duas entidades”, disse a fonte.

Contactado pela Lusa, o autarca José

Maria Costa insistiu que apenas a Câmara, “enquanto dona da obra” pode “falar sobre os trabalhos” e que tem a garantia do reinício das obras no dia de hoje.

“Acordámos isso na semana passada com o presidente do consórcio responsável pela obra”, sublinhou o autarca.

A Câmara suspendeu a obra em fevereiro, alegando falta de verbas para continuar os trabalhos, numa altura em que tinha já investido mais de seis milhões de euros apenas com recursos próprios.

Entretanto, foi garantido um financiamento comunitário de 10,5 milhões de euros, permitindo a retoma definitiva da construção, com uma comparticipação de 80 por cento.

Dos 13,1 milhões de euros previstos para a construção deste equipamento da autoria de Eduardo Souto Moura, à Câmara corresponderá uma fatia total de cerca de 2,6 milhões.

Desde a suspensão da construção que, fruto do acordo amigável com a Martifer, a autarquia assumiu a responsabilidade de pagar mensalmente 25 mil euros pela manutenção dos estaleiros da obra.

Construído a 7,5 metros da marginal do rio Lima e com um recinto para a prática desportiva e outras atividades culturais e económicas, o espaço poderá receber feiras e festivais de gastronomia.

A capacidade do equipamento será de cerca de duas mil pessoas sentadas, podendo o número aumentar para 2.700 em eventos com público a assistir de pé.


in http://www.correiodominho.pt/noticias.php?id=52944
Link to post
Share on other sites
  • 11 months later...

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.