Jump to content
Arquitectura.pt


Batoteira nos Trabalhos de Casa


Recommended Posts

  • Replies 112
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

A outra geração como dizes, apodera-se do poder de persuasão que detém para manipular eventualmente estas massas, facilmente moldaveis. Mas isso é outra questão. E a questão aqui é da conscientização de fazeres algo que te ajuda e enriquece a nivel de sabedoria, ou a astucia de passar por cima desse factor, ignorando-o e sabendo que isso pode fazer falta. Se passam sozinhos ou não o dia, eu nem vou por aí, porque a minha infancia foi sempre na rua a brincar dps das aulas, ás vezs estava sosinha em casa, porque tinha mesmo que ser e não deixei de ser quem sou... A questão é esta, não querem mesmo saber, não se importam...

Link to post
Share on other sites

Márcio, mas não se pode descartar os pais dessa equação, porque é a eles que em primeira instância cabe dar educação... Depois acontecem casos como um que ainda hoje vi nos noticiários, em que um míudo bateu na professora, a mãe foi chamada à escola e ainda teve mais que dizer aos professores, agredindo-os verbalmente... Costumo dizer que os pais são muitas vezes piores que os filhos... não lhes dão educação e desautorizam quem ainda a quer dar... então qual é que acaba por ser a geração rasca?... Noto muitas vezes que de geração para geração a educação vai "amansando", muitas vezes os pais não querem que os filhos passem pelo que eles passaram, o que até é legítimo, mas acabam por não saber dar a volta ao assunto...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

Tudo isto tem a haver com as gerações... A geração antes da minha era um pouco mais problemática, pois talvez porque os país que tinha acabado de sair de uma revolução davam mais liberdade... Na minha geração as coisas era mais organizadas mais rédea curta, pois os pais eram aqueles eram novos quando se deu a revolução e os pais deles ainda eram da velha guarda... Na actual geração os pais são daquela geração onde a liberdade era a palavra de ordem, o que faz as crianças hoje tornarem-se ainda mais problemáticas, devido a terem liberdade demasiada hoje em dia... Como é lógico em tudo há excepções... Outra situação é os professores, que em muitos casos não foram ensinados para dar aluas... mas escolheram isso por falta de emprego...

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to post
Share on other sites

Quando era criança, brincava na rua, com os meus amigos, levava-os para casa, etc... e em casa não estava mais ninguém, pelo menos até às 18:30. Jogavamos À bola, andavamos de bicicleta, jogavamos vezes sem conta os mesmos jogos de tabuleiro, os mesmos jogos de computador... enfim, outros tempos... Tico, não deixas de ter alguma razão, pelo menos numa fatia dos casos, mas isso não é motivo para os pais desautorizarem quem muitas vezes ainda tenta dar alguma educação...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

E isso Dreamer...

Conheço muitos pais que dão verdadeira atenção aos filhos... e também tem os seus trabalhos.

Hoje em dia as crianças não brinca entre elas na rua... nem nas casas uns dos outros... Agora vão todos para casa para falarem uns com os outros no MSN...
Este nova geração, nem de informática percebem. Só sabem mandar email's, mexer (mal) no Word e falar no MSN, andar pelo Hi5 e inventar blogs... isto para eles é informática... sem falar dos videojogos.
Isto entre outras coisas...

Eu antes ia para a escola a pé... os meus irmãos vão de carro. Não sou contra isso, mas isto ira diminuir o conviveu entre os colegas de escola...

Ainda ontem, eu estava a ir para o trabalho, e um grupo de jovens com os seus 17-18 anos, andavam aos papeis para tentar perceber com iam chegar ao local da visita de estudo... Nem sabiam se tinha entrado na autocarro correcto... andavam a pedir info ao motorista.
A Internet... podia ter ajudado... ou não? Mas a Internet, só serve para os email e Hi5...

Enfim... é a futura geração... cabe a nós, ter filhos para criar outro tipo de geração... mas ate la... vai haver ai uns 10/20 anos que o país vai andar aos papeis...

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to post
Share on other sites

Pois bem. A decisao do superior foi que eu devia dar Bom ao aluno. Pois ele mostrou que sabe fazer o trabalho em Word, sabe copiar da internet, colar no word, modificar o tipo de letra, colocar imagens pois revela que uma imagem vale mil palavras, que soube enviar pela internet via email, que ficou a saber mais qualquer coisa sobre o tema do trabalho, ... enfim. O facto de ele ter feito plagio era um mero pormenor, pois se tratava de um aluno que entregou o trabalho dentro do prazo.:). E mais como o aluno colocou na bibliografia a pagina donde copiou tudo revela que ele era honesto e nao batoteiro.:p. Ainda fiquei mal visto por ter duvidas sobre o aluno. Eu eh que era muito exigente. Estes alunos ja estao muito avancados... se ele faz plagio e nao sabe personalizar eh um problema do prof de portugues. E todos aqueles alunos que tiveram negativa por nao atingirem os objectivos pedidos tenho que lhes dar positiva por terem entregue o trabalho. Trabalhos esses que no qual ... nao valem uma positiva honesta. Trata-se duma escola publica. A grande politica educativa eh passar os alunos que trabalhem por mais maus que ele sejam.;) Vou dar-lhe Suficiente Mais. E a nota final ainda vai ser um 4.

Link to post
Share on other sites

PS: Já agora, eles escreveram em algum lado a fonte, ao "estilo" de uma bibliografia?... porque se sim a questão é diferente e não tão grave...


Este deu-se ao trabalho de fazer isso porque o Pai dele eh muito esperto e faz os possiveis para tramar os professores exigentes. Se eu desse negativa ao aluno no final do ano com certeza o pai dele viria ao conselho pedagogico dizer que o filho dele copiou o que estava na pagina, modificou o portugues e no final colocou na bibliografia a pagina que tinha copiado e assim o miudo merecia positiva. Enfim, no final do ano o pai do miudo vai ter uma surpresa... nao vou ser eu que vou chumbar o rapaz...:p
Link to post
Share on other sites

JAG: A ideia eh boa. Mas os pais ficam a saber. Envergonhar alunos ah frente dos outro eh mau. Pois pode levar o miudo a ficar sem auto-estima, a ficar traumatizado e a ter os pais ah perna. No final os pais sabem tudo e telefonam aos directores de turma a contar o sucedido.

Link to post
Share on other sites

pois JVS.. e assim é a educação em Portugal.


Ana...é assim a educação em algumas escolas do País...maioritariamente públicas...no meu colégio isso jamais seria feito dessa maneira. Atenção, e antes que comecem a dizer mal, não tenho nada contra as escolas públicas (a minha mãe é professora numa!), mas a verdade é que, por aquilo que vejo e por aquilo que a minha mãe me conta, cada vez mais estou convencida que existe de facto uma grande diferença entre algumas escolas públicas e alguns colégios privados... embora a balança pese mais para um dos lados

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

Márcio Ferreira: Depois de ter lido os trabalhos de alguns alunos pois os outros ainda estao por entregar comecei a falar com eles sobre os trabalhos entregues. Ensinei-lhes como se deve elaborar o trabalho e tentei pressiona-los a usarem as palavras deles para explicar o que estava no texto que eles retiram da net. Quanto as orais... o problema eh nao haver tempo. No ano passado fiz isso aos alunos e eles cairam excepto um... houve um que copiou o que estava na pagina e eu perguntei-lhe que era fulano tal e o que era uma abreviatura... o rapaz nao sabia... a sorte desse rapaz foi ter sido corrigido por outro professor... noutra turma do ano passado houve um que pegou no trabalho dum amigo, mudou o tipo de letra, imprimiu e entregou-me. O pior eh que jah tinha entregue ao amigo o trabalho e assim nao tinha modo de comparar os dois... o amigo tinha Muito Bom e ele ficou com Satisfaz Menos. Eh como diz um colega, estes miudos sao muito esperto e tem os pais a apoiar esta desonestidade. Dar aulas eh quase uma Guerra contra este tipo de criminalidade... eh jogar com estrategias e com tacticas que visam a evitar este tipo de situacoes. O que mais me trama eh o sistema educativo que estah viciado e que corrompe e ajuda a corromper. E os professores veem isto a piorar dia para dia e nao podem fazer nada pois as ordem de cima eh deixar andar... e depois o povao olha para eles como uma cambada de inuteis. Numa reuniao via o olhar da representante dos pais na reuniao de turma. O olhar era de desprezo pelos professores... E agora veio um estudo da UE que diz que Portugal eh o pais com mais repetentes... eh mau... o que fazer? Facil. Manda-se esses alunos para um curso profissional e ai resolve-se o problema. Deixa de haver repetentes.

Link to post
Share on other sites

Pior que isso são os pais que preferem que o filho passe, mesmo sem cumprir os requesitos mínimos, do que ficar mais um ano a aprender aquilo que já devia ter aprendido... depois eles acabam por não ter as bases nos anos seguintes, as notas continuam a ser más e as dificuldades enormes... mas para os paizinhos só interessa que eles passem... De à alguns anos para cá comecei a notar uma diferença muito grande. No tempo em que andava no preparatório, perguntavam-me se tinha passado, hoje por vezes pergunta-se por quantas negativas se teve, como se ter 1 ou 2 negativa(s) fosse "normal"... já que mesmo que a criança diga que as teve, as pessoas não as recriminam como "no meu tempo" (esta expressão sôa mesmo mal)... A primeira negativa que tive num teste, a francês, talvez no 7 ou 8 ano, senti-me verdadeiramente envergonhado ao entregar o teste para o meu pai assinar, e levei na cabeça... antes e a partir daí, nunca tive negativas no final dos periodos... hoje as coisas parecem ser em muitos casos bem diferentes...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites
Dreamer, isso não é nada, ontem o meu irmão vinha-me a contar que o vizinho já tinha uma "colecçãozinha" de negativas como se fosse a coisa mais normal do mundo, mas o miúdo continua a jogar Xbox, continua a ver desenhos animados de manhã á noite, continua a andar de bicicleta na rua até tarde como se nada fosse. O importante é que o menino passe!

Hoje já não se usa a expressão passar ou reprovar! É anti pedagógico!:p Agora tem que se usar expressões como "ficou retido"... Bah...
Link to post
Share on other sites

Oh... Eles nao precisam de se preocupar. O aluno que eu disse que tinha feito plagio passou o Sexto ano com 4 negativas a portugues, a matematica e mais em duas disciplinas e o miudo pode muito bem continuar a ter negativa a portugues e a matematica ateh ao Nono Ano como se nada fosse.

Link to post
Share on other sites

Depois vão para os fóruns do Exames.org barafustar com o sistema de acesso ao ensino superior... que é injusto, que as médias são discriminatórias, que todos os alunos têm direito a estudar e uma série de outras desculpas para a falta de empenho. Há que criar hábitos de trabalho logo desde novos... PS: Fiquei de boca aberta quando soube que há imensos miúdos a fazer trabalhos de grupo via Messenger. No meu tempo íamos para casa uns dos outros durante um dia inteiro... (ficávamos 4 horas a jogar Megadrive e 1 a fazer o trabalho). :p

Link to post
Share on other sites

PS: Fiquei de boca aberta quando soube que há imensos miúdos a fazer trabalhos de grupo via Messenger.


Uma desculpa que os meus alunos dizem para nao fazer o trabalho eh nao terem meio para fazer os trabalhos porque cada um mora em zonas diferentes... logo essa forma de fazer trabalho eh excelente. Tenho que dizer isso aos meus alunos. O problema eh que os pais que controlam proibem os filhos de usar a internet com medo que eles vao para o messenger brincar e desconcentrarem... enfim.
Link to post
Share on other sites

JVS acho que fizeste bem em tentar explicar aos alunos como devem fazer um trabalho. Devo dizer-vos que mesmo na universidade existem pessoas que continuam a copiar da internet... através de um simples copy- paste, sem qualquer modificação nos textos... há dias numa apresentação oral uma colega leu uma página imprimida dum site de internet. Como o trabalho nao era para entrega, era apenas um trabalho simples de pesquisa em casa e para lermos na aula à turma, o professor não soube da aldrabice... no final o seu discurso foi: "Muito bem.. gostei". Enquanto que eu andei a pesquisar e a fazer um texto meu para nada... nao recebi elogio nenhum! lol margarida sim é verdade... as privadas (secundárias) a nível de ensino estão um pouco melhores... O problema é que os alunos das privadas são uma minoria... a maioria não tem condições económicas para frequentar uma privada. contudo penso que nem sempre é assim...

Link to post
Share on other sites

Ontem entrei em confronto verbal com o melhor aluno da turma. Por dois motivos: 1 . O aluno tinha gravado o trabalho no Office 2007. 2 . Eu nao tenho Office 2007 e nao consigo abrir os ficheiros gravados em Office 2007. Disse ao aluno para ele gravar numa versao mais antiga. Ele encolheu os ombros que nao ia gravar numa versao mais antiga pois ja tinha entregue o trabalho e isso era problema meu. Disse tambem que fosse abrir o trabalho num computador com Office 2007. Foi surreal... lembrei-me na altura dum prof do 5 ano que eu tive. Uma coisa era ignorar e outra era teimar em ignorar, ser arrogante e prepotente... o miudo reagiu... com mais arrogancia e prepotencia... mas lah se acalmou e foi ver se conseguia gravar numa versao mais antiga... nao consegue e joga a carta suprema que salva esta arrogancia dos nossos jovens... os pais. Os pais ja devem ter ligado ao director de turma a fazer queixa de mim... por ter sido rispido com o miudo e por ser incompetente pois nao consigo abrir o trabalho. E como tal vou ser pressionado a dar-lhe um 5 no final do ano. Os outros mataram-se a rir da situacao... era algo espantoso... o melhor aluno a ser cascado a frente dos outros... mas tambem levaram a parte deles... Enfim... estou tramado. Nao estou? Acabei de oferecer ao miudo um CINCO no final do periodo e nem preciso de ver os testes e os trabalhos.

Link to post
Share on other sites

Erm... Essa tua escola é algo bizarra... Na minha escola (e pronto não foi a tanto tempo quanto isso) não podíamos enfrentar um professor, íamos para a rua e com uma visita ao conselho directivo. Eu também era aluna de 5's (e merecidos, não como esses que és obrigado a distribuir) e uma vez tive a infeliz ideia de confrontar uma prof, e fui para a rua e fui parar ao conselho directivo! E não houve papá nem mamã a acalmar a situação! E agora pelo que o meu irmão me conta, a situação é semelhante. Não há cá paninhos quentes nos meninos, fizeram asneiras são tratados dessa forma, o professor é de certa forma "defendido" pelo sistema, e não o aluno. Provavelmente não o vai chumbar (porque hoje em dia ninguém chumba), mas não lhe vai dar um 5!!

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.