Jump to content
Arquitectura.pt


Lisboa | Parque Mayer | Concurso


Participaste no Concurso do Parque Mayer?  

69 members have voted

  1. 1. Participaste no Concurso do Parque Mayer?

    • Sim
      5
    • Nao
      65


Recommended Posts

Concurso de Ideias: novas soluções para o Parque Mayer

O plano de pormenor do Parque Mayer, que irá sair do concurso de ideias, prevê a requalificação da escola politécnica em Museu e a construção de uma residência.

A intervenção no Parque Mayer e zona envolvente contempla a «reorganização e reabilitação dos edifícios da escola politécnica, vocacionando-os para um Museu de História Natural e Ciência e um conjunto residencial e hoteleiro vocacionado, entre outros, para investigadores e professores estrangeiros convidados», revelou à Lusa fonte da autarquia.

O concurso de ideias para o Parque Mayer foi lançado pelo presidente da Câmara, António Costa (PS), que abandonou o projecto idealizado pelo arquitecto Frank Gherry, e destina-se a seleccionar as cinco melhores propostas e respectivas equipas técnicas. Ainda durante a campanha eleitoral, António Costa, rejeitou «projectos megalómanos» para o Parque Mayer e defendeu que a sua requalificação deveria ser feita em articulação com o Jardim Botânico e a zona pedonal da Avenida da Liberdade.

As equipas seleccionadas participarão depois num concurso limitado de onde sairá a equipa que elaborará o plano de pormenor para aquela zona, em colaboração com os serviços camarários.

Os projectos vão incidir sobre a área que compreende os edifícios do Parque Mayer, do Jardim Botânico, da antiga Escola Politécnica e área envolvente. No total, são cerca de 14 hectares, numa zona delimitada pelas ruas do Salitre, Nova de São Mamede, da Escola Politécnica, Praça do Príncipe Real, Calçada da Patriarcal, Rua da Alegria, Praça da Alegria e Travessa do Salitre.

Os projectos devem promover a «valorização e dinamização do espaço do Parque Mayer e do jardim Botânico» e prever a «criação de um conjunto de infra-estruturas culturais, complementares do Cine-Teatro Capitólio». O Capitólio será «reconvertido à sua traça original, como âncora futura de todo o espaço», e os novos equipamentos destinar-se-ão ao teatro, música, artes plásticas, recreio, lazer, restauração e comércio. A intervenção deverá considerar «uma componente de espaço verde que permita a articulação do Parque Mayer com o Jardim Botânico e que equacione o seu prolongamento visual sobre o Vale de Alcântara».

Os projectos devem salvaguardar o «ambiente e carácter» do Jardim Botânico e também promover a reabilitação dos edifícios envolventes, «estabelecendo uma nova relação com o vazio central» constituído pelo jardim e o Parque Mayer.

O plano deverá prever ainda «um conjunto de percursos panorâmico e atravessamentos pedonais que definam as relações a implementar com o tecido urbano envolvente, privilegiando a ligação entre a Praça da Alegria e a Rua do Salitre e a Avenida da Liberdade e a Escola Politécnica». O plano deve prever também um estacionamento para residentes, nomeadamente na área junto à Rua da Escola Politécnica. O primeiro classificado no concurso receberá um prémio de 10.000 euros, o segundo classificado 7.500 euros, o terceiro, quarto e quinto classificados serão premiados com 2.500 euros.

Fonte: Revista Imobiliária
Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...
  • Replies 54
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Alteração da data de abertura do concurso de ideias para o Parque Mayer


Encontra-se ainda a decorrer o concurso público para Concepção de Ideias para o Parque Mayer, Jardim Botânico, Edifícios da Politécnica e Área Envolvente, promovido pela Câmara Municipal de Lisboa. Recentemente o acto público de abertura das propostas a concurso foi adiado para o dia 28 de Janeiro de 2008, às 10 horas.

O que a Câmara Municipal de Lisboa pretende é recolher projectos de concepção de ideias para a posterior formulação de um programa urbanístico-arquitectónico que fará parte integrante dos termos de referência de um plano de pormenor para a área de intervenção identificada, lançando o concurso público de ideias para seleccionar quem irá fazer o plano de pormenor daquela zona.

Em causa está uma área de cerca de 14,6 hectares, que abrange o Parque Mayer, o Jardim Botânico e os edifícios da Antiga Escola Politécnica. O plano de pormenor deverá garantir a articulação do velho recinto de espectáculos com o Jardim Botânico e a Avenida da Liberdade, de modo a que possa funcionar como o "epicentro da renovação urbana desta importante área da cidade".

De acordo com o texto da proposta, o novo Parque Mayer deverá assumir-se como um pólo de desenvolvimento de actividades lúdicas e culturais (teatro, cinemas, artes plásticas, música e lazer), mas também constituir um "objecto arquitectónico de referência", que introduza um "conceito renovado de lazer" na Avenida da Liberdade e Praça da Alegria.

Foi já no passado dia 20 de Novembro que este concurso foi lançado, podendo as propostas ser entregues até 25 de Janeiro de 2008, até às 16 horas, a data limite para a obtenção dos documentos é 18 de Janeiro de 2008.

margarida duarte

Link to post
Share on other sites
  • 4 weeks later...

John Utzon, obra pouco conhecida?


Ok. Expliquei-me mal. Houve um concurso para a Opera de Sidney. E na altura que eu saiba Jorn Utzon soh ficou conhecido depois de ter ganho o concurso. Antes de ele fazer a Opera de Sidney ninguem o conhecia.

Eis a obra de Utzon antes de Opera de Sidney:

Water tower in Svaneke, Bornholm, Denmark, 1949-1951
Architect's own house, Hellebæk, Denmark, 1950-1952
Middelboe house, Holte, Denmark, 1953-1955 utzon, middelboe house, holte, june 2007>image
Kingohusene, courtyard housing in Elsinore, 1956-1960 jørn utzon, architect: kingohusene courtyard houses, helsingør 1956-1960>image
Elineberg Housing, Helsingborg, Sweden, 1954-1966. Built by Swedish partners Erik and Henry Andersson ARTON / jørn utzon, architects: elineberg helsingborg 05 (1954-66)>image
Planetstaden housing project in Lund, Sweden, 1956-1958. Built by Swedish partners Erik and Henry Andersson.

Assim de repente... conhecem alguma?
Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

Lisboa: Concurso ideias para Parque Mayer recebeu 30 propostas

O concurso de ideias para o Parque Mayer recebeu trinta propostas, sendo os melhores projectos escolhidos dentro de cerca de três semanas para servirem de base ao plano de pormenor para aquela zona.


«Foram apresentadas trinta propostas, o que é demonstrativo do interesse das pessoas, já que este foi um concurso aberto», disse à Lusa o vereador do Urbanismo na Câmara de Lisboa, Manuel Salgado (PS).
O prazo para apresentação de candidaturas ao concurso de ideias para o Parque Mayer e a zona envolvente, incluindo o Jardim Botânico e as escolas politécnicas, terminou hoje.
O júri do concurso, presidido pelo arquitecto Nuno Teotónio Pereira, deverá tomar uma decisão dentro «duas a três semanas», prevê Manuel Salgado, apesar de não existir um calendário fixo para a tomada de decisão.
«Após a decisão, julgo que em um mês teremos condições para apresentar em Câmara os termos de referência para o plano de pormenor«, afirmou o vereador.
Num processo à parte, está igualmente a decorrer o concurso público de engenharia e arquitectura para a reabilitação do teatro Capitólio, conforme o projecto original do arquitecto Cristino da Silva.
«O arranque do plano de pormenor vai coincidir com a escolha da equipa que vai reabilitar o Capitólio», acrescentou Manuel Salgado.
Os projectos apresentados ao concurso de ideias incidem sobre a área que compreende os edifícios do Parque Mayer, do Jardim Botânico, da antiga Escola Politécnica e área envolvente.
No total, são cerca de 14 hectares, numa zona delimitada pelas ruas do Salitre, Nova de São Mamede, da Escola Politécnica, Praça do Príncipe Real, Calçada da Patriarcal, Rua da Alegria, Praça da Alegria e Travessa do Salitre.
Os projectos devem promover a «valorização e dinamização do espaço do Parque Mayer e do jardim Botânico» e prever a «criação de um conjunto de infra-estruturas culturais, complementares do Cine-Teatro Capitólio».
Diário Digital / Lusa 25-01-2008 18:05:00

Mera curiosidade.

Aqui no forum quem participou neste forum levante o dedo no ar.
Link to post
Share on other sites

pode ser que desta vez se consiga impor alguma seriedade e dignidade em todo este processo... finalmente uma câmara que submete a concurso público um dos mais significantes espaços da cidade... ainda bem que houve coragem para abandonar projectos megalómanos de umbigos eleitorais, que nada mais queriam senão ver o seu nome inscrito nos anais da cidade. se desde princípio tudo isto tivesse em mente a verdadeira ideia de reabilitar a cidade há muito que teríamos aquele espaço recuperado... sem termos de passar 10 anos a vê-lo decrépito.

Link to post
Share on other sites

Que pena!:tired:


Bilbao era uma cidade da treta! (sorry Bascos)

Uma obra prima de arquitectura (relativamente pequena, diga-se!) conseguiu alterar completamente toda a dinâmica da cidade, ao ponto de ser hoje um dos pontos mais visitados de toda a Espanha! ... é obra!

Numa das avenidas mais lindas do mundo (sim, a Avenida da Liberdade!) ... o Ghery iria com certeza fazer catapultar Lisboa para o paraíso! ... enfim politiquices! :icon13:

A ver vamos quem será o Arquitecto-mor cá do burgo a fazer as honras da casa ...
Link to post
Share on other sites

o concurso era público e internacional... por isso, se os arquitectos-mor dos outros burgos quisessem entrar poderiam fazê-lo... assim como todos nós. o paraíso tb tem as suas maçãs envenenadas... e provincianas. e o conceito de obra-prima é deveras discutível... ainda bem que aquela dita era pequena; porque ver uma cidade cheia de obras primas assim é realmente chato. :p

Link to post
Share on other sites

Bilbao era uma cidade da treta! (sorry Bascos)

Uma obra prima de arquitectura (relativamente pequena, diga-se!) conseguiu alterar completamente toda a dinâmica da cidade, ao ponto de ser hoje um dos pontos mais visitados de toda a Espanha! ... é obra!

Numa das avenidas mais lindas do mundo (sim, a Avenida da Liberdade!) ... o Ghery iria com certeza fazer catapultar Lisboa para o paraíso! ... enfim politiquices! :icon13:

A ver vamos quem será o Arquitecto-mor cá do burgo a fazer as honras da casa ...


é perguntar aos utilizadores do edificio do MIT nos EUA desse mesmo senhor que mete agua por tudo onde é lado e que lhe valeu um processo em tribunal! parece que as "obras primas" tambem metem agua! acho muito bem darem a hipotese a arquitectos que apesar de nao terem nome conhecido poderem mostrar o que valem num concurso publico!
Link to post
Share on other sites

"Arquitectos eh uma classe fantastica. Muito elitista com o nariz para cima... a deitar o outro ao chao e atirar-se para cima dele... enfim..." Não haja dúvida!

ANGELofDEATH se fores leigo na matéria ... até percebo o teu comentário. Mas se fores licenciado em arquitectura, acho que vais ter de repetir o 1º ano XD

Se a obra mete água, então a culpa é do arquitecto?! ... muito bem! :clap:

Se quiseres, faço-te uma listagem de obras normalíssimas e "ortogonais" em Portugal que metem água por dentro e por fora ... falo de edifícios recentes, muitos na zona do parque das nações, com caleiras dissimuladas no tecto (junto às lajes de betão) a colectar literalmente a quantidade de água metida ... e como sempre ... a culpa é do arquitecto (coitado do arquitecto estúpido! nabo! incompetente!) :p

A diferença é que lá fora, os projectistas são obrigados a ter seguro de projecto $$$ (cá já começamos tb a ouvir falar disso ...), algo muito apetecível por sinal, pelos construtores e donos de obra.

Quando há problemas na execução, o valor desse seguro transforma-se no "el dorado" dos donos de obra ... OPA's de todo o lado!

Existem problemas de execução em todos os projectos de arquitectura que eu conheço ... até na execução de um simples telheiro ... e quantas vezes não temos de andar à batatada no estaleiro por causa disso :p ... é normalíssimo! faz parte do processo!

Existem inúmeros arquitectos (psiquicamente fracos) q detestam ir às obras por terem medo de enfrentar esse ambiente perigoso e característico de estaleiro, uma autêntica "fábrica de guerra"!, onde inclusive morrem pessoas!

... Agora imaginem na execução dos complexos projectos do Gehry ... upa upa ... :nervos:

Link to post
Share on other sites

Mensagem Original de refs
ANGELofDEATH se fores leigo na matéria ... até percebo o teu comentário. Mas se fores licenciado em arquitectura, acho que vais ter de repetir o 1º ano :p

Se a obra mete água, então a culpa é do arquitecto?! ... muito bem! :clap:
(...)
e quantas vezes não temos de andar à batatada no estaleiro por causa disso XD ... é normalíssimo! faz parte do processo!
(...)
Existem inúmeros arquitectos (psiquicamente fracos) q detestam ir às obras por terem medo de enfrentar esse ambiente perigoso e característico de estaleiro, uma autêntica "fábrica de guerra"!, onde inclusive morrem pessoas!


as discussões sérias e adultas escusam de se servir de lugares comuns para se legitimarem... não haveria necessidade do comentário jucoso e fácil se a teoria defendida fosse defensável!

algumas notas imparcias:
1. quando as obras metem água a culpa pode ser de muita gente: dono de obra, empreitieiro, ficalização... e tb do arquitecto, como é óbvio:
. dono de obra: se fizer valer algumas exigências contraproducentes
. empreiteiro: se não souber executar bem os trabalhos a que se propõe
. fiscalização: se for negligente na sua incubência de "fiscalizar"
. arquitecto: se não souber como se constroi, se não souber pormenorizar; o que convenhamos acontece... várias vezes
2. os seguros de projecto existem, é verdade. e as indemenizações também. talvez seja por existir essa responsabilização que "lá fora" alguns arquitectos conscientes só fazem execução quando realmente estão preparados para isso
3. "andar à batatada no estaleiro" não é normal... e não deveria fazer parte do processo
4. os estaleiros ainda não são nenhum cenário do "mad max"... só os maus o são.
5. sim os projectos do gehry podem ser interessantes e constituir mais valias para as cidades onde são construídos... assim como qualquer projecto dum anónimo recém-formado, desde que responda categoricamente às questões que se lhe põem. não precisamos todos de pertencer ao "star- system" para reabilitar as cidades. bastará sermos verdadeiros com a nossa consciência profissional e não pendermos sermos para o lado mais fácil.
6. por fim... e presumo que era essa a questão...
ainda bem que se optou por um concurso público internacional de ideias...
o sector público - estado, autarquias e afins - a isso está obrigado.
o debate sério, justo e baseado na igualdade de oportunidades assim o exige... e o dinheiro dos contribuintes também. e a classe só sairá credebilitada com este tipo de acções.
Link to post
Share on other sites

Bem, estamos a desviar completamente da questão essencial ... Não vou alimentar essa polémica. Enquanto cá dentro, andamos a discutir uns com os outros, quem faz isto, quem faz aquilo, Gehry sim, Gehry não (ele que vá ao concurso competir com os recém-licenciados :p ); enquanto discutimos se o aeroporto é na Ota ou no deserto dos camelos da margem sul (Alcochete jamais!), se o TGV vai ao norte ou ao sul, se sócrates é engenheiro ou não, etc, etc ... Os espanhóis vão-nos mostrando como é q é! ... vão fazendo! Vão construindo não um, mas vários mega aeroportos em Madrid, em Barcelona, etc; vão juntando as cidades todas com TGV, vão construindo obras de arquitectura de referência internacional, convidando e valorizando arquitectos tanto nacionais como estrangeiros, ... sem complexos! Portugal tem inúmeros grandes mestres de arquitectura tb! todos sabem quem são?! Mas é precisamente essa mentalidade tacanha de "discriminação negativa", q faz com q arquitectos como Siza ou Souto não tenham obras de vulto, por exemplo na Cidade de Lisboa! Porque será?! Quem diz Siza, Souto, também diz Gehry, diz Norman Foster, diz Haidid, etc ... Existem projectos e projectos. Uns, por vários motivos, são mais estratégicos q outros! Em toda a parte do mundo é assim. A Arquitectura passou a ser encarada como um investimento económico, como valor! Trazer o Gehry para Lisboa seria um bom investimento na recuperação dessa zona degradada como de toda a cidade de Lisboa! Por favor, não usem e abusem da falácia da transparência e da igualdade de oportunidade nos concursos públicos ... c'mmon! Francamente sinto-me muito mais prejudicado e estou muito mais preocupado com os mini-concursos (diários/semanais/mensais), "restritos" e ultra-secretos, lançados pelos amiguinhos das inúmeras direcções gerais q proliferam por aí ... para os amigos da situação, esses sim acobertos de toda a espécie de máfia e patifaria! ... Esses sim, poderiam trazer oportunidades para todos! Estou a falar dos simples concursos selecção/admissão de candidatos (dominado por cunhas e compadrios!): estou a falar de simples concursos de levantamentos arquitectónicos; estou a falar de pequenos, médios e grandes projectos das instituições públicas, etc, etc O Parque Mayer requer uma intervenção estratégica, com um nome sonante (SIM!) de arquitectura à escala planetária! ... e penso q o Gehry cumpria todos esses requisitos. Deixemos de demagogias e de bota-baixismos ...

Link to post
Share on other sites

as discussões sérias e adultas escusam de se servir de lugares comuns para se legitimarem... não haveria necessidade do comentário jucoso e fácil se a teoria defendida fosse defensável!

algumas notas imparcias:
1. quando as obras metem água a culpa pode ser de muita gente: dono de obra, empreitieiro, ficalização... e tb do arquitecto, como é óbvio:
. dono de obra: se fizer valer algumas exigências contraproducentes
. empreiteiro: se não souber executar bem os trabalhos a que se propõe
. fiscalização: se for negligente na sua incubência de "fiscalizar"
. arquitecto: se não souber como se constroi, se não souber pormenorizar; o que convenhamos acontece... várias vezes
2. os seguros de projecto existem, é verdade. e as indemenizações também. talvez seja por existir essa responsabilização que "lá fora" alguns arquitectos conscientes só fazem execução quando realmente estão preparados para isso
3. "andar à batatada no estaleiro" não é normal... e não deveria fazer parte do processo
4. os estaleiros ainda não são nenhum cenário do "mad max"... só os maus o são.
5. sim os projectos do gehry podem ser interessantes e constituir mais valias para as cidades onde são construídos... assim como qualquer projecto dum anónimo recém-formado, desde que responda categoricamente às questões que se lhe põem. não precisamos todos de pertencer ao "star- system" para reabilitar as cidades. bastará sermos verdadeiros com a nossa consciência profissional e não pendermos sermos para o lado mais fácil.
6. por fim... e presumo que era essa a questão...
ainda bem que se optou por um concurso público internacional de ideias...
o sector público - estado, autarquias e afins - a isso está obrigado.
o debate sério, justo e baseado na igualdade de oportunidades assim o exige... e o dinheiro dos contribuintes também. e a classe só sairá credebilitada com este tipo de acções.




eu parti do principio que quem frequenta este forum tem o minimo de conhecimento e anda minimamente informado sobre as noticias de arquitectura mas tou a ver que me enganei por isso passo a explicar, o edificio em questao do MIT mete agua nao por problemas construtivos mas sim por questoes de projecto visto o senhos ghery ter-se esquecido que no local onde foi construido o edificio neva bastante e o edificio acumula neve em muitas partes, o que faz com que tenha grandes infiltrações de agua! neste momento esta a decorrer um processo em tribunal contra o senhor ghery ao qual ate ele ja admitiu que realmente um projecto daqueles nao se pode prever todos os pormenores (afirmação do senhor ghery).
Link to post
Share on other sites

Angel, já percebemos q a obra não mete água, mas sim neve (gelo) ... e so what? Se o Gehry tivesse metido um beirado à maneira e uma cobertura com inclinação de 45%, de certeza q não haveria problema :p Agora pergunto: mas o q isso tem a ver com o concurso de ideias para o Parque Mayer? ... Se ao menos nevasse em Lisboa, aí sim, teríamos de reconhecer q faria todo o sentido essa preocupação, certo? Só espero q o projecto vencedor não seja apenas "mais um" e q faça a diferença q Lisboa tanto precisa!

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.