Jump to content
Arquitectura.pt


[Curiosidade] Qual é a parte mais chata na Arquitectura?


JAG

Recommended Posts

Boas, E sempre interesante o que cada um acha ser mais chato na Arquitectura. Eu nao sou arquitecto, nem estudo para o mesmo, como muitos ja devem de saber. Mas gostaria de saber o que para voces é o mais chato de fazer na arquitectura. Obrigado... :)

Josué Jacinto - Mais Fácil
My web: maisfacil.com | soimprimir.com | guialojasonline.maisfacil.com

Link to comment
Share on other sites

Para mim o mais chato, ainda na fase do projecto, é depois de "tudo" decidido, perder-se ainda o tempo a preparar o processo para a câmara, aquelas coisas buricráticas, normalizar os desenhos, fichas estatisticas, etc, etc, etc...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to comment
Share on other sites

A parte mais chata??? é muitas vezes receber!!!:) estão sempre cheios de pressa, mas quando chega a hora da verdade... perdem a pressa toda!!!


Foi o que me veio logo à cabeça quando li o tópico, mas não o escrevi para não passar por ganancioso; mas é bem verdade, infelizmente!
Uma possível solução para o "problema": contrato assinado + guias de entrega + notas de honorários, e mesmo assim....
Link to comment
Share on other sites

  • 4 months later...

?! há quem diga que a arquitectura só começa quando a desenhas de forma rigorosa. Dou muito mais razão a isso. A arquitectura é a "ideia construída" como Campo Baeza refere. Não é apenas um rabisco, ou esquisso. Um esquisso é uma ferramenta de trabalho anterior ao desenho rigoroso mas a arquitectura nem sequer acaba no desenho rigoroso, há tanto mais para além disso..

Link to comment
Share on other sites

?! há quem diga que a arquitectura só começa quando a desenhas de forma rigorosa. Dou muito mais razão a isso. A arquitectura é a "ideia construída" como Campo Baeza refere. Não é apenas um rabisco, ou esquisso. Um esquisso é uma ferramenta de trabalho anterior ao desenho rigoroso mas a arquitectura nem sequer acaba no desenho rigoroso, há tanto mais para além disso..

Link to comment
Share on other sites

Existe também a chatice que é quando o cliente nos diz "não gosto", ou pior que isso durante a apresentação do projecto dizem "gosto muito sim senhor" e depois vão para casa e no dia seguinte o cliente aparece-nos a dizer "ah! a minha esposa, não gosta muito disto ou daquilo. Eu até gosto, mas ela não gosta nada. Diz ela que não está para limpar tanto vidro." lololol Ah e também quando " o meu vizinho tem esta cornija em pedra junto ao beirado e está muito bonito." Também é muito complicado quando " ah! eu quero isto assim, ou assado", e nó perguntamos "E então porquê?", ao que nos respondem "ah e tal, não sei, mas vai ficar muito bonito." A maioria das vezes os clientes não sabem para que servem as coisas (por vezes alguns técnicos também não), mas querem-nas nas suas casas.

Link to comment
Share on other sites

Existe também a chatice que é quando o cliente nos diz "não gosto", ou pior que isso durante a apresentação do projecto dizem "gosto muito sim senhor" e depois vão para casa e no dia seguinte o cliente aparece-nos a dizer "ah! a minha esposa, não gosta muito disto ou daquilo. Eu até gosto, mas ela não gosta nada. Diz ela que não está para limpar tanto vidro." lololol Ah e também quando " o meu vizinho tem esta cornija em pedra junto ao beirado e está muito bonito." Também é muito complicado quando " ah! eu quero isto assim, ou assado", e nó perguntamos "E então porquê?", ao que nos respondem "ah e tal, não sei, mas vai ficar muito bonito." A maioria das vezes os clientes não sabem para que servem as coisas (por vezes alguns técnicos também não), mas querem-nas nas suas casas.

Link to comment
Share on other sites

Aí entra o poder de argumentação que um arquitecto tem de ter. Tanto temos de argumentar para um cliente como para um concurso. há que justificar o nosso pensamento e as opções projectuais. Quando o cliente diz "quero isto porque é bonito" então se na verdade nada tem que ver com o projecto temos de ser nós a argumentar o porquê de isso não ser uma boa opção. Bom bom senso e educação as pessoas entendem-se. Agora nem nós devemos achar que somos os senhores do mundo nem o cliente deve ser quadrado ao ponto de não deixar que um arquitecto pense o projecto de forma a melhorá-lo funcionalmente e formalmente.

Link to comment
Share on other sites

Aí entra o poder de argumentação que um arquitecto tem de ter. Tanto temos de argumentar para um cliente como para um concurso. há que justificar o nosso pensamento e as opções projectuais. Quando o cliente diz "quero isto porque é bonito" então se na verdade nada tem que ver com o projecto temos de ser nós a argumentar o porquê de isso não ser uma boa opção. Bom bom senso e educação as pessoas entendem-se. Agora nem nós devemos achar que somos os senhores do mundo nem o cliente deve ser quadrado ao ponto de não deixar que um arquitecto pense o projecto de forma a melhorá-lo funcionalmente e formalmente.

Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.