Jump to content
Arquitectura.pt


Apropriação Do Objecto Hibrido


Recommended Posts

MODULO_HIBRIDO_APROPRIAÇÃO

Neste momento da história, período de rápidas mudanças e de laços cada vez mais efémeros, pessoais e físicos, faz realmente sentido [re]pensar a cidade, vivemos em cidades antigas, extremamente ricas em situações vivenciais mas que na maior parte dos casos não responde minimamente às necessidades funcionais da civilização actual.
Parece-me que hoje em dia temos urgentemente de mudar de paradigma, principalmente ao nível das políticas de cidade, promover o peão e despromover o carro, não é uma ideia nova, já várias pessoas o defenderam mas até hoje pouco se viu, simultaneamente sentimos que por vezes a cidade é especializada demais, tendo na maioria dos casos uma função especifica numa determinada área ou num determinado edifício. Sinto que essa não é a mais correcta aproximação à sociedade actual. A cidade precisa de ser flexível, híbrida, multifuncional, não no sentido tradicional mas num novo sentido especifico, em que podemos ter um objecto que possa servir para múltiplas actividades, a várias horas do dia tendo um publico alvo bastante disperso e variado, serão talvez estes os princípios elementares da cidade global, variedade, identidade, funcionalidade e igualdade.
Esta minha proposta pretende por um lado, responder à necessidade cada vez mais emergente de alojamento hiper temporário, pode ser usado apenas por umas horas, tanto de dia como de noite como pode ser usado por 1 dia ou 2. Ao mesmo tempo, este módulo tenta estar inserido numa lógica de globalidade, por um lado, serve como alojamento temporário mas por outro serve como iluminação pública, tendo desde já duas funções atribuídas, tentando responder à necessidade de tornar os espaços mais eficazes.
O módulo tem também um sentido escultórico e dinâmico, quando está vazio, o módulo está fechado e quando está em utilização está aberto, semelhante ao funcionamento de uma flor, através de um sistema eléctrico em que as peças se deslocam ao longo de uma calha vertical. Como referi atrás, o módulo tem a função de iluminação do espaço público, dai a necessidade de estar a uma cota superior, tendo de o acesso ser feito por intermédio de uma escada tipo barco.
Parece-me sem dúvida interessante a ideia de apropriação da iluminação pública, por um lado atribui-se à iluminação outro sentido funcional além de iluminar, por outro lado, o módulo não é apenas eficiente quando está a ser usado, a sua múltipla funcionalidade torna-o eficiente a vários níveis. Por outro lado, a posição sobre-elevada oferece uma vista sobre a rua diferente, aproximada a vista de uma janela do primeiro andar. Quantos de nos a quando crianças não subiram aos velhinhos postes de iluminação pública?
Em termos de eficiência energética não é preciso referir muito, acho que isso já deve ser uma característica inerente ao processo de criação, mas de uma maneira geral, o módulo pode ser revestido com painéis solares.
Este módulo, tal como a essência da palavra híbrido define, não tem um lugar específico, todos os lugares são possíveis e a sua funcionalidade é necessária em toda a cidade.

VÍTOR CATALUNA RIBEIRO_ vitor.ribeiro@netcabo.pt
Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

esta é para mim também uma das propostas mais interessantes das que ganharam. Mais uma vez destaco a forma como o volume teorico de 27m3 foi tratado nao como um cubo ou esfera, mas como algo com mais carácter. Considero a ideia de implantação bastante interessante e mesmo que nos pareça estranho acho-a bastante inventiva e considero a abordagem dia/noite essencial nesta proposta. Poderá tratar-se de um elemento urbano de publicidade ou iluminação ao mesmo tempo em que proporciona um espaço de estar. os parabéns ao autor

Link to post
Share on other sites
Bem, desde já, muito obrigado pelos comentários, tem sido um feedback bastante positivo, o que é algo que dá logo um certo bem estar.

Por um lado, acho que um dos meus objectivos principais foram alcançados, conseguir demonstrar que a reflexão sobre as questões da cidade e da contemporaneidade ou cosmopolitismo podem ser levadas a cabo de uma maneira divertida e criativa, desde a reinvenção de conceitos como a criação de novos.

Muito obrigado mais uma vez pelas mensagens e uma coisa é certa, se não forem concursos como este, os jovens que estão por ai escondidos dificilmente puderam dar o salto.

Obrigado
Link to post
Share on other sites
  • 2 months later...
Estive a verificar as outras propostas…
É de facto interessante aquela que apresentas!
Creio que ultrapassa a criação do espaço como meramente habitável e transforma-o num objecto que intervém no meio onde se insere e que certamente iria despoletar inúmeras visitas – transeuntes desviariam o seu caminho para explorar esta nova estrutura.

Os meus parabéns!
Link to post
Share on other sites
  • 4 months later...

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.