Jump to content
Arquitectura.pt


Helena Roseta candidata à câmara de Lisboa


Recommended Posts

1- Bem, realmente tenho a noção que as coisas enquanto inicio de Ordem e/ou AAP eram bem mais interessantes, uma quantidade menor de pessoas, um vasto mercado de trabalho, levando assim a um ambiente mais 'familiar', mais tranquilo e que dariam um certo gozo em participar. Também eu gosto de conversar, principalmente com pessoas que saibam e que estejam dentro do meio, como é o caso, para abrir a mente e ficar mais esclarecido :) 2- Acho que quando se paga por qualquer serviço é para ser bem feito, quando não o é ouvem-se criticas, como é normal :\ De qualquer das formas continuo a não me conformar ter pago tanto $$ por um capacete com um autocolante da Ordem, e de uma publicidade qualquer :) [e as contas ainda não estão saldadas :D ]

Link to post
Share on other sites
  • Replies 72
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

1- Bem, realmente tenho a noção que as coisas enquanto inicio de Ordem e/ou AAP eram bem mais interessantes, uma quantidade menor de pessoas, um vasto mercado de trabalho, levando assim a um ambiente mais 'familiar', mais tranquilo e que dariam um certo gozo em participar.
Também eu gosto de conversar, principalmente com pessoas que saibam e que estejam dentro do meio, como é o caso, para abrir a mente e ficar mais esclarecido :)

... não foi assim há muito tempo e já não havia mercado de trabalho. Era um grupo pequeno porque... era um grupo pequeno. Não tinha filiações, mandatos de ninguém, nem apoios de ninguém. o único "mandato" era de cada um para si próprio: era a vontade de não se resignar e trabalhar por gosto pela Arquitectura que, em Portugal tem boas "cabeças" e péssimas condições... a começar na forma como os arquitectos se apoiam uns aos outros. Alguns desse grupo, ainda hoje não conseguem trabalhar regularmente em Arquitectura...


Assinaturas de 'favor', como toda a gente sabe são uma verdadeira máquina oleada, é vê.los todos os dias (literalmente) a bater na porta errada á procura do Senhor Arq. Y, ou ir a obras e ver que o Arq. da Camara X assina os projectos da Camara Y e o da Camara Y assina os da X, é saber que o Arq. Z só vai ao atelier ao dia certo da semana buscar a comissão da sua bela assinatura... vá-se lá saber como apanhá.los...


Apanhá-los é : quando os "vemos todos os dias (literalmente)", transformar os Y, X e Z's em nomes concretos... o resto fazem os Conselhos Disciplinares da Ordem.
Link to post
Share on other sites

Meus Amigos, o problema é como em quase tudo nesta nossa sociedade portuguesa;

lisboa, lisboa, lisboa..... não há cabedal para mais

Lisboa vai-se cumprindo, falta cumprir-se Portugal

A Alemanha á muito que se compoe de regiões com poderes autonomos e cada vez mais se descentraliza, aqui é o contrário ainda estamos na fase da distribuição do bolo e queremos estar todos ao pé do centro de poder (Lisboa) e depois ainda existem camaras em que quem aprova os projectos e os analiza são engenheiros.....
eu tb acho que mais vale haver Ordem de que não haver nada e penso que algo tem feito, mas não chega é pouco

Link to post
Share on other sites

Explica "MagDarq"... é claro que eu posso contribuir, mas, antes, tenho um grande interesse em perceber como é que se vê o trabalho da Ordem dos Arquitectos a partir do exterior!



É certo que como estudante e sem o vosso "conhecimento interno" não posso opinar sobre assembleias gerais, cotas e afins...

Mas uma coisa é certa, antes de Helena Roseta a´única coisa que se sabia de Arquitectura e arquitectos em Portugal era dos belos videos que o Taveira fez...
No meio disto tudo como observadora exterior só posso comparar as vossas criticas ao que vejo dentro de associações de estudantes (que não é de todo a mesma coisa é certo, mas que são em mto o reflexo da política em Portugal inteiro).
Fico triste por ver que as coisas são exactamente iguais...
estão descontentes e a única coisa que fazem é refilar ou não participar (e ao não participar, a meu ver perdem todo e qq direito de se queixarem) e não é assim que irão mudar seja o que for!

Num post que o carlos.pedro escreveu, disse que sp q esteve em Portugal votou, em branco mas votou, isso a meu ver é fazer qq coisa... mas e a quantidade de gente q nada faz nem sequer votar e dps vem queixar-se?!

Eu acredito que para mudar alguma coisa temos de fazer por isso, não é deixarmo-nos ficar sentados a espera que nos caia do céu...

Mas isto é apenas a minha humilde opinião...

Acabei por me desviar em gnd do q me perguntaste... (dá-me desconto... tou meia engripada)

Em relação à Ordem a única coisa que tive conhecimento foi da grande campanha contra o decreto-lei 73/73, eu e os meus colegas até fizems um carro relacionado com isso (em forma de critica ao 73/73). Para além disso algumas conferências, a trienal...
~
Não sei se é pouco ou suficiente... Saberei isso em breve (eu espero)!
Link to post
Share on other sites
não tou gozar... é preciso saber quem são as pessoas antes de dar-mos a nossa opinião. Eu como não conheço a Sra Helena Roseta ( a não ser de a ver na tv e jornais)' date=' sei q é presidente a Ordem dos Arquitectos, mas afinal o que ela fez até agora para que as pessoas votem nela pra presidente da principal autarquia do país?[/quote']

... deves 'tar a gozar!... é que, precisamente, a Helena Roseta aparece muito na Tv e jornais. A "imagem" que ela tenta passar aí, é a imagem que ela quer (deseja) passar. E, parece-me que ela quer (mesmo - assumidamente) usar - e saber usar - os media, para comunicar e dar(-se) a conhecer... e os media SERVEM para, precisamente, comunicar.
Assim, eu até acho que ela é dos protagonistas políticos mais "conhecidos" dos que andam por aí.
Acho que a Helena Roseta, precisamente, cria condições para que as pessoas tenham opinião sobre ela e sobre o que ela pensa (opinião favorável ou desfavorável)... porque ela se expõe (nos media).
Link to post
Share on other sites

Pois, muito bonito o discurso... mas não respondeste a minha pergunta... se ela se dá a mostrar aos média e essa treta toda, não interessa as pessoas, o que interessa é o trabalho feito até agora, já que ela anda nessas andanças à muito tempo... Posso ser ignorante, mas sinceramente não sei o que ela fez até agora e gostava de saber, alguém que sabe o percurso profissional dela?

Link to post
Share on other sites

Pois, relativamente a isso, não me parece que ela seja arquitecta de carreira mas, provavelmente, política de carreira.

Muita gente já se indagou (e indignou) com a questão das cotas e dos valores altos que se praticam, por exemplo, no congresso, ficando sempre uma noção e, até mesmo, uma emoção desagradável, de que a Ordem dos Arquitectos não responde da melhor maneira. Eu não sou arquitecto, ainda não pago cotas e ainda não posso votar, mas, também tenho retido uma imagem negativa da Ordem dos Arquitectos, principalmente quando se quer realizar um evento com projecção nacional em que se convida a Ordem dos Arquitectos a participar, com o intuito de representar os arquitectos e demonstrar a preocupação (que julgo ser constante, pelo menos deveria ser) em querer participar neste género de eventos para, obviamente, benefício dos arquitectos que representa e esta insiste que para se envolver será necessário pagar quantias elevadas.

Parece-me uma atitude prepotente, no mínimo. Transmitem a ideia de que o seu prestígio é mais do que razão para se ter que comprar o envolvimento da Ordem dos Arquitectos no que quer que seja. Acho uma "maneira de pensar" pequenina.

Reforço, a atitude prepotente da Ordem dos Arquitectos, no lugar de alimentar o seu prestígio, acaba por distanciar-se dos cidadãos e dos seus membros arquitectos que procuram discutir, planear e executar soluções para um melhoramento de Portugal. Se sempre que se pede ajuda ou participação da Ordem dos Arquitectos em algo é necessário pagar (e não é pouco) então é evidente que a maior parte das iniciativas não se realizam.

Se eu, que não sou arquitecto, fico com esta opinião, imagino a frustração de membros da Ordem dos Arquitectos que pagam as suas cotas.

Link to post
Share on other sites

Pois, muito bonito o discurso... mas não respondeste a minha pergunta... se ela se dá a mostrar aos média e essa treta toda, não interessa as pessoas, o que interessa é o trabalho feito até agora, já que ela anda nessas andanças à muito tempo...
Posso ser ignorante, mas sinceramente não sei o que ela fez até agora e gostava de saber, alguém que sabe o percurso profissional dela?



...só uma pergunta de "ajuste de mira": não estás a perguntar que projectos de edifícios forrados de boa "anestética" arquitectónica é que ela fez até agora, pois não? É que a formação de arquitecto pode fazer as pessoas, fazerem muitas outras coisas essênciais na (e para a) Arquitectura.

Exemplos?: POLÍTICAS de Arquitectura, urbanismo e planeamento territorial; EXERCÍCIO DE PODER (tomar decisões) na Administração Central (governo) ou Local (autarquias) sobre questões de Arquitectura, urbanismo e planeamento territorial; CONCEPÇÃO territorial e urbanística: fazer, coordenar e participar em equipas de planeamento territorial e urbano... se os arquitectos soubessem bem do seu ofício perceberiam que ele precisa de tudo isto atrás. Bons arquitectos envolvidos com os exemplos que dei atrás, fariam com que Portugal não fosse uma enooooooorme e grandessíssima m...
Em que que isto se traduziria? Quando uma equipa de Arquitectos fez recentemente um "levantamento" (que não comentarei) da Arquitectura Moderna em Portugal, e esse levantamento foi apresentado publicamente, A Helena Roseta observou (bem) que tinham todos ficado surpreendidos com a qualidade de muitas obras desconhecidas (em TODO Portugal) mas que, infelizmente, estavam rodeadas de paisagens urbanas desclassificadas...
Arquitectos no governo e na Assembleia da República, nas Câmaras como presidentes ou vereadores, no licenciamento, no planeamento e etc.. poderiam fazer com que a paisagem cultural construída do país fosse outra!

P.S.: Márcio, como ainda não te quero responder, dou-te uma pista: procura o curriculum (e a cabeça) de Arquitecta da Helena Roseta em alguma destas àreas que referi... é que se estás à espera de projectos de arquitectura tipo "munta-lindos", bem podes esperar sentado!
Link to post
Share on other sites

oh Pedro, primeiro quando perguntei pela obra da Sra Helena Roseta não tava a referir-me aos edifícios que ela projectou, mas sim ao trabalho dela como politica. Na minha visão como cidadão, quando há eleições, a primeira coisa que procuro saber é o programa politico dos candidatos e o seu trabalho realizado... Acho que é importante saber a ideias que eles apresentação (programa politico) e se têm capacidadade para o porem em prática... como não conheço o trabalho da Sra Helena Roseta, por isso é que perguntei se alguém o conhecia para divulga-lo aqui.

Link to post
Share on other sites

Não é o curriculum vitae... mas encontrei uma entrevista que me pareceu interessante, sobre a Arquitecta/política Helena Roseta.

aqui vai o site para tds os interessados:

http://www.mulheres-ps20.ipp.pt/Helena_Roseta.htm#Ordem_arqs


+ duas pistas (mas vão estando atentos ao programa "na Ordem do Dia" na TSF - que podem ouvir em Podcast ou no site da Ordem):

1. Grande reportagem na Visão e no Público (que eu tenha lido) sobre as "aldrabices" (que custam muito, mas mesmo muito dinheiro ao Estado e aos "outros" donos de obra) que fazem ganhar muito dinheiro, mas mesmo muito dinheiro, na construção civil e que, normalmente passam por criar uma cultura na construção civil, contra o projecto e, particularmente contra o projecto de execução. Esta situação está na base tanto das alterações que em obra se fazem (e que deixam os Arquitectos, no mínimo, enervad:angry:s) como de um "clima" em obra, de total desrespeito e desconsideração pelo Arquitecto.
Nestas participações nos artigos de imprensa, a Helena Roseta (enquanto POLÍTICA da Arquitectura, urbanismo e construção) lança luz sobre o que são as chamadas "derrapagens de custos" das Obras Públicas que estão em Portugal ao nível da vergonha absoluta.

2. Noutro artigo na Visão, denunciou o escândalo (muito nacional e muito lucrativo) dos esquemas de transformação de lotes rústicos em lotes urbanos, geradores de muito grandes mais-valias para proprietários e sem qualquer contrapartida para a Administração do Planeamento territorial e que está na base do desastre da paisagem construida no nosso país(zinho). Normalmente esses processos passam "debaixo da mesa" dos trabalhos de revisão ou elaboração dos PDM's. Ouçam qualquer coisa sobre isto aqui:
http://arquitectos.pt/?no=101007

3. O "Golpe" estratégico e que aplaudo - e que é revelador de uma determinada linha de orientação de pensamento cívico alternativo e independente dos interesses dos partidos políticos que estão agarradíssimos aos financiamentos dos interesses económicos - foi, precisamente, o da petição pública (cívica, não corporativa e não partidária) para revogação do 73/73.
A questão aqui foi: ao invés de essa acção chegar à Assembleia da República como uma vontade dos Arquitectos, chegou tentando ser a expressão de uma vontade do público em geral, das pessoas que encomendam. É por isso que, embora cheirasse a bancas popularuchas, a recolha de assinaturas foi para "o meio da rua" em bancas... é que, se as pessoas não sentirem a necessidade da Arquitectura, bem podem vir milhões de revogações legais, que os clientes irão sempre pedir projectos aos desenhadores que, por sua vez vão pedir assinaturas aos "amigos" arquitectos...

4. A Helena Roseta actuou nestes anos na OA manifestando que está absolutamente convencida que os Arquitectos é que têm a formação mais adequada para estar na linha da frente do Ordenamento do Território, no Planeamento, no desenho da cidade e no desenho e obra dos edifícios... assim sendo, quem é que vocês acham que está a ser chamado a trabalhar numa "nova" acção cívica que ela tem protagonizado e que é a do "Direito à habitação". Nessa acção - chamada Plataforma Artigo 65 - que tem denunciado a existência de um número impensável de habitações desocupadas nas cidades e que deverão ser reabilitadas (a custos normais e baixos) para oferecer habitação a "outros" preços? (ver qualquer coisa sobre isso aqui: http://arquitectos.pt/?no=101005254,066 )

Isto foram algumas áreas que, para além das ideias "normais" entre arquitectos, não estavam nada desenvolvidas nos debates sobre arquitectura e que a Helena trouxe ou reforçou. Mas todas elas têm uma ideia de fundo: a aproximação dos cidadãos- através da participação em cidadania - às questões que estão dentro dos problemas DA Arquitectura, e em sentido inverso, a descida do debate arquitectónico à "terra" das pessoas. Estas, assim, percebem onde é que pode estar o Arquitecto.
(A campanha eleitoral começará dentro de dias... quem quiser saber as propostas deve estar atento... eu não sei nenhuma, mas imagino!).
Link to post
Share on other sites

Onde é que posso assinar para que a Sra. Helena Roseta seja candidata a Presidente da CMLisboa? É que se for para ela tirar as maozinhas da "des"Ordem dos Arquitectos eu assino 50 vezes se for preciso. Mesmo que ela consiga o número de assinaturas que precisa para ser candidata não acredito que ela consiga conquistar grande quantidade de votos, mas seria muito interessante ver mais uma vez um arquitecto á frente de um cargo político com tanta importância. Será que ela iria uma Arquitecta com influencias políticas ou seria uma Politica com influências arquitectónicas?

Link to post
Share on other sites

Onde é que posso assinar para que a Sra. Helena Roseta seja candidata a Presidente da CMLisboa? É que se for para ela tirar as maozinhas da "des"Ordem dos Arquitectos eu assino 50 vezes se for preciso.(...)


Eh Pá! não te esforces tanto! Não é preciso!... mesmo que a Helena Roseta não ganhe a Câmara de Lisboa (que até é o mais provável), ela NÃO PODERÁ RECANDIDATAR-SE A PRESIDENTE DA ORDEM!... os Estatutos da Ordem não permitem. (já se falou disso aqui!).
Link to post
Share on other sites

eh eh eh ...atenção, que eles andam ai e andam aos pares :)

Lisboa: Arquitecto Manuel Salgado na lista de Costa (PS)

O arquitecto Manuel Salgado vai integrar em lugar elegível a lista do PS, encabeça por António Costa, para a Câmara Municipal de Lisboa, disse hoje à agência Lusa fonte da candidatura socialista. Manuel Salgado chegou a estar como «número dois» da lista autárquica do PS, em 2005, liderada por Manuel Maria Carrilho, mas abandonou-a três meses antes das eleições, em Julho desse ano.
Manuel Maria Carrilho retirou Manuel Salgado da sua lista por considerar incompatível a sua actividade de arquitecto na capital com as funções de vereador a que Salgado se propunha exercer a tempo inteiro.
Num artigo publicado no semanário «Expresso», Manuel Salgado retirou o seu apoio público ao ex-ministro da Cultura de António Guterres, alegando «deficiências de carácter» por parte do candidato socialista, que em Outubro de 2005 acabaria por ser derrotado por Carmona Rodrigues na corrida à presidência da Câmara de Lisboa.
«Estou habituado há muito tempo, sempre que sou intransigente na defesa do interesse público face a interesses privados, a ouvir falar de deficiências de carácter», respondeu Carrilho, quando confrontado com as acusações do arquitecto.
Além de Manuel Salgado, na lista de António Costa também deverão entrar em lugar elegível os dois elementos indicados pelo PS para a Comissão Administrativa da Câmara de Lisboa: Ana Sara Brito e José Vitorino (mais conhecido por Cardoso da Silva).
Hoje, a candidatura de António Costa anunciou que terá o ex-dirigente do PSD José Miguel Júdice como mandatário e o fiscalista Saldanha Sanches como mandatário financeiro.
Diário Digital / Lusa

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

eh eh eh ...atenção, que eles andam ai e andam aos pares :D

Lisboa: Arquitecto Manuel Salgado na lista de Costa (PS)

O arquitecto Manuel Salgado vai integrar em lugar elegível a lista do PS...

$$$$$$$$$$$$:biggrin: POIS É! POIS É! :biggrin: POIS É! POIS É! :biggrin: HÁ PESSOAS DETERMINADAS no que lhes interessa... não conseguem à primeira vão à segunda, e se não der... Não haverá duas sem três $$$$$$$$$$$$$

...não sei porque é que me vem à cabeça aquela do Zeca: "eles comem tudo, eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada, eles comem tudo, eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada".

Mas eu percebo, o colega Manuel Salgado está cansado de fazer projectos de Arquitectura... é desgastante, eu sei.:) (sim, porque como vice-presidente terá de deixar de fazê-los...)
Link to post
Share on other sites

Artº 46º dos Estatutos da Ordem dos Arquitectos.
O exercício da arquitectura é incompatível com as funções e actividades seguintes:
[...]
d) Presidente ou vereador da câmara municipal no âmbito que a lei determine
[...].

Portanto, quando é eleito (não, enquanto fôr candidato) o arquitecto tem de pedir a suspensão da Ordem dos Arquitectos... deixando por isso de SER Arquitecto e, por isso NÃO PODE exercer arquitectura enquanto a suspensão durar.

Caro colega homónimo:lol: ... o q conta é o poder para os $$$$$$....


E/OU TAMBÉM... o que conta é $$$$$$$$ para poder... e para o Poder.
Mas para isso é que cá teremos o PODER VERDE :biggrin: para poder sempre!
Link to post
Share on other sites

A colega Helena Roseta podia já deixar a OA pois já não cumpre os deveres e compromissos. "Adiada a sessão de esclarecimento por impossibilidade de agenda da presidente do CDN Informamos que por motivos imprevistos, alheios à vontade do Conselho Directivo Regional Norte, a Arquitecta Helena Roseta não poderá estar presente na sessão de apresentação de esclarecimento, prevista para amanhã à noite, pelo que a mesma foi adiada para data e hora a marcar em função da disponibilidade de agenda da presidente do CDN e a anunciar oportunamente. Na impossibilidade de atempadamente poder comunicar esta circunstância por correio a todos os membros da Secção Regional do Norte, agradecíamos a colaboração de todos no sentido de divulgar esta alteração junto dos colegas."

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.