Jump to content
Arquitectura.pt


[Projecto] Restaurante _ Complexo Piscina das Salinas - Camara de Lobos - Paulo David


Recommended Posts

Paulo David
Restaurante - Complexo Piscinas das Salinas _ Camara de Lobos _ Madeira . 2005-2006

Programa
O corpo do restaurante enquadra-se num programa vasto que abrange o lugar costeiro de camara de lobos.

Com funções articuladas a duas cotas;
Ao nivel mais baixo o bar, protegido por um muro em pedra basáltica.que faz contacto directo com a azinhaga;
Ao nivel superior a sala de refeições e as cozinhas estabelecem relação com o jardim e estrutura de diferentes caminhos.

Da convivência destas duas escalas o edificio torna-se capaz de abrigar as novas funções do programa.

Conceito
Um corpo de geometria intrinseca ao sitío, coloca-se no alto, abrigado e emergente assumindo o contraste com a horizontalidade dos muros espessos da envolvente.
Procura num só plano rasgado, a panorâmica para a especificidade de câmara de lobos descobrindo o sitío e a essência do lugar _ a orla costeira de lava basaltica, o oceano atlantico, as magnificas vistas.

Do rompimento surgiu uma nova organizaçao, representada pela conexão dos fluxos predominantemente verticiais do projecto.

Matéria
A materialização desenhada num sistema de construção de “junta seca” realiza uma sequência de execução simples e clara:
Estrutura principal + subestrutura + envólucro

Dois corpos monomatéricos;
Um fechado, duro e metalico, realiza o nucleo das cozinhas e aguas;
Outro transparente, vidro e ripado de madeira maciça, faz a grande sala de refeições.

A densidade dos materiais destaca o edifício que se transforma na sua cor dia após dia.

Créditos
Programa | Restaurante – Câmara de Lobos
Localização | Salinas, Câmara de Lobos, Madeira, Portugal
Cliente | Sociedade Metropolitana de Desenvolvimento, s.a. •Vice-Presidência •Governo Regional da Madeira, Portugal.
Arquitectura | Paulo David
Colaboradores | Margarida Condeço, Patricia Faria.
Arquitecto Paisagista | João Gomes da Silva; Global
Estrutura | Teixeira Trigo, Lda – Eng. João Garcia
Electricidade | Ruben Sobral
Climatização | José Galvão Teles
Aguas e Esgotos | Teixeira Trigo, Lda – Eng. João Garcia
Segurança | Ruben Sobral
Empreiteiro | Consórcio Etermar – Somague
Fiscalização | ECG Plan – Eng. Rui Canastro
Fotógrafo | FG + SG Fernando Guerra

Concurso | 2005
Inicio construção | 2005
Finalização da obra | 2006


Agredecemos a colaboração do Arq. Paulo David.
Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

O corpo das piscinas é bastante rígido, dá a entender que é um forte...não sei se foi esta a ideia do Arquitecto... era interessante ver uma foto do mar para as piscinas para perceber esta relação. O espaço reservado ao restaurante está muito interessante, muito acolhedor...

Link to post
Share on other sites
  • 1 month later...

Gosto muito da atitude de projecto do arq. Paulo David na minha opinião ele consegue as duas atitudes relevantes em um projecto, o orgânico/funcional apoiado visivelmente nos recursos construtivos e recursos naturais da ilha da madeira no caso de esta e outras obras, e claro o conceito de uma unidade formal sem exageros mas identificadora e inspiradora. tive o prazer de o conhecer pessoalmente, e essa atitude de projecto na minha opinião revela-se na pessoa. é um prazer ver arquitectos com um caminho percorrido cheio de uma atitude congroente! para mim o arquitecto Paulo David é um dos poucos que mostram bem esse caminho

Link to post
Share on other sites
  • 7 months later...

Desculpe. Só o que digo é que esse termo é mal utilizado, e não informa, de tão gasto que está. Distinguir orgânico versus funcional consoante se o arquitecto utiliza curvas, diagonais ou uma grelha ortogonal é falso e enganador. Face a um terreno, plano ou ingreme, o esforço do arquitecto é sempre o mesmo: geometrizar, ordenar, hierarquizar! Ao classificar as soluções consoante são "racionais" ou "orgânicas", na verdade o que estás fazendo é classificar as implantações, as circunstâncias em que o arquitecto actuou, e não o seu método operativo. Incluso se compararmos outros trabalhos deste arquitecto (uma vivenda unifamiliar na Madeira, pintada a negro, por exemplo) dificilmente poderemos considerá-lo um organicista, no sentido histórico do termo.

Link to post
Share on other sites
  • 1 year later...

JAG, tava a falar pro João q tb é fotografo, e tem algumas fotos que acho bastante boas...não sei se já foste ver o site dele? E o comentário foi no sentido de que era bom haver fotos de outras pessoas sem que tenham de ser smp do FG... Para que um fazer todo o trabalho e os outros andarem a apanhar beatas do chão...? Mas é ja um costume Portugues, como o Siza fazer a maior parte dos grandes projectos de arquitectura em Portugal na ultima década sem concurso público sem nada...,diria que um reflexo da mentalidade (provinciana)daqui da terra que é de todos nós, de que se não é um nome da "praça" não é "ninguem" como tu dizes! Um abraço!

Link to post
Share on other sites
  • 4 months later...
  • 2 years later...

Este projecto como outros do arq. Paulo David são bastante interessantes pela forma como se adapta ao existente e como se salienta do mesmo pela sua contemporaneidade, sem se afirmar de uma forma egocêntrica e narcisista como é apanágio de muitas intervenções modernas que conhecemos.

Acrescento mais algumas fotos...
http://arquitecturafotos.blogspot.com/2011/09/piscinas-do-atlantico-e-passeio.html

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.