Jump to content
Arquitectura.pt


[Dúvida] Ideia em si...


Recommended Posts

Porque é que não deveria ser? So porque não é habitavel pelo o ser humano? Não, claro que é... ate a casota do cão é um espaço habitavel.

Outra dica, que podera ajudar a fazer algo, é pensarem um pouco nos filmes futuristas, no sentido de como muitas das vezes são construidos os espaços para aproveitar o espaço... se pensarem bem... quem disse que um espaço com 27m3 não pode ter um WC!?





eu já fiz uma célula habitacional que tinha uma casa de banho completa (sanita, lavatorio e duche) com 4m2 :)

margarida duarte

Link to post
Share on other sites
  • Replies 101
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Porque é que não deveria ser? So porque não é habitavel pelo o ser humano? Não, claro que é... ate a casota do cão é um espaço habitavel.


Como já podes ter percebido pelo meu discurso, é precisamente isso que tenho vindo a dizer... :)

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

O mundo é feito de locais potencialmente habitáveis, que só o são quando alguém os "prepara" para isso...


Discordo... eu considero que espaço habitável é todo o espaço que se "escolha" e "defina" como tal (sendo que para o definir basta dizer: aqui há um espaço). O meu raciocínio baseia-se no facto de o conceito habitável/habitar evoluir do latim HABITAT que é o meio envolvente. Logo, todo o planeta é um espaço habitável, o que tem lógica uma vez que todos nós o habitamos.

O que eu entendo que é pedido é delimitar este espaço habitável, que é todo o planeta, num volume de 27 m2 que mantenha essa capacidade de habitabilidade para um ser humano, sendo que, se é um local de pernoitagem ou descanso como eu o percebi, deve comportar uma valência de estar, e de estar com conforto (ou seja protecçáo de luz/calor, ar e água).
Link to post
Share on other sites

asimplemind, se me permites, tentava completar o teu raciocinio ao mesmo tempo que tento simplificá-lo: a partir do momento que um espaço não tem programa específico (uso específico) é obrigatoriamente multifuncional.

o que acham?


olá,

só não concordo com o "obrigatoriamente multifuncional" porque ao escreveres funcional quer dizer que ele funciona, mas à partida um espaço vazio num sítio específico pode não servir para muita coisa mas não está dotado de características que o tornem funcional para que seja utilizável. Falo em sentido lato...

Penso que para melhorar diria: a partir do momento que um espaço não tem programa específico (uso específico) é potencialmente um espaço funcional
Link to post
Share on other sites

olá,

só não concordo com o "obrigatoriamente multifuncional" porque ao escreveres funcional quer dizer que ele funciona, mas à partida um espaço vazio num sítio específico pode não servir para muita coisa mas não está dotado de características que o tornem funcional para que seja utilizável. Falo em sentido lato...

Penso que para melhorar diria: a partir do momento que um espaço não tem programa específico (uso específico) é potencialmente um espaço funcional



Se calhar não me expliquei bem... imagina o local mais descaracterizado à face da terra, plano e sem qualquer tipo de pavimentação ou vegetação, a verdade é que ele serve para um sem número de situações pela sua descaracterização, mesmo que não promova uma utilização excepcional dessa mesma função: um piquenique, um jogo de futebol, correr, brincar, etc

Poder-se-ia ter espaços mais preparados para estas funções? Sim, mas não é essencial. É aqui que eu separo espaço habitável de espaço arquitectónico. Porque para mim, como disse num post anterior, espaço habitável é todo o espaço, porque para o habitares basta que te encontres nele.

Entras num prado: estás a habitá-lo, entras numa sala: estás a habitá-la, entras num automóvel: estás a habitá-lo, sais de casa: estás a habitar o mundo/o exterior.

Quando digo "espaço multifuncional" não pretendo dizer que é funcional do ponto de vista arquitectónico, mas sim que comporta, ou pode comportar, a prática de várias funções/utilizações.

ps: Se ficou confuso desculpem mas estou com pressa para sair... depois respondo a quaisquer questões que coloquem para me explicar melhor. :)
Link to post
Share on other sites

The_architect, temos como exemplo claro disso o recinto que actualmente é usado para receber o queimódromo do Porto... um local há muitos anos abandonado, desde os tempos da feira popular, que agora recebe a queima e mais recentemente parte das instalações do grande prémio do Porto (corridas de automóveis clássicos)... Durante o resto do ano é um vazio completamente inútil, esquecido, encerrado, mas que duas vezes por ano se enche de vida e de movimento...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

Mas para mim há uma distinção entre esse espaço vazio que pode dar para jogar futebol, piqueniques etc e chamá-lo espaço multifuncional. Porque imaginemos, temos esse espaço plano e sem nada, dá para jogar futebol, mas e as balizas? Também podemos fazer piqueniques, mas não há um único sítio à sombra, nem sequer um caixote do lixo... Para mim não é funcional este espaço, é apenas um espaço vazio. Agora podemos torná-lo funcional! Se calhar se projectasse uma estrutura que permitisse criar duas balizas ao mesmo tempo que criaria uma zona sombreada e caixotes do lixo para piqueniques. Aqui a arquitectura já entra para tornar esse espaço funcional e habitável (sustentável)

Link to post
Share on other sites

Mas para mim há uma distinção entre esse espaço vazio que pode dar para jogar futebol, piqueniques etc e chamá-lo espaço multifuncional.


Mas eu faço essa distinção diferenciando espaço multifuncional de espaço arquitéctónico, no primeiro podes exercer várias actividades, mesmo sem estruturas de apoio, o segundo está qualificado para servir essas necessidades onde antes existia o vazio.

O espaço não deixa de permitir as funções ainda que não as valorize, como no caso do espaço arquitéctónico.

Não é pelo facto de um espaço não se encontrar tratado que te é proibido usufrui-lo. Se disseres que assim o espaço não têm tanta beleza nem te serve tanto as necessidades e promove os teus diversos prazeres eu concordo plenamente, por isso é que o papel do arquitecto é tão importante, como penso que todos achamos, mas daí a pôr de parte a ideia de o espaço não ser multifuncional e habitável antes da requalificação acho que vai uma grande diferença.

Porque imaginemos, temos esse espaço plano e sem nada, dá para jogar futebol, mas e as balizas? Também podemos fazer piqueniques, mas não há um único sítio à sombra, nem sequer um caixote do lixo... Para mim não é funcional este espaço, é apenas um espaço vazio. Agora podemos torná-lo funcional! (...) Aqui a arquitectura já entra para tornar esse espaço funcional e habitável (sustentável)


Vou tentar explicar de forma concisa (não por achar que não me estão a perceber, mas porque acho que não me estou a explicar bem): quando digo multifuncional... não quero dizer que é funcional... apenas que permite várias funções. quando o espaço está de facto bem tratado e é, ou passa a ser, funcional eu apelido-o de arquitectónico.

Penso que talvez seja um problema de relacionarmos estes conceitos e termos de forma diferente. As ideias até poderão ser as mesmas... não sei...
Link to post
Share on other sites

quando digo multifuncional... não quero dizer que é funcional... apenas que permite várias funções. quando o espaço está de facto bem tratado e é, ou passa a ser, funcional eu apelido-o de arquitectónico.


...eu diria multifacetado, ...as opções são muitas, mas pelo trabalho do arquitecto, molda-se, com elementos que o configurem, .. (escavando, adicionando elementos macissos, dependendo do lugar a intervir, da coerência com o propósito específico (quando existe) e fundamentalmente, da intenção do arquitecto.
Link to post
Share on other sites

Vou tentar explicar de forma concisa (não por achar que não me estão a perceber, mas porque acho que não me estou a explicar bem): quando digo multifuncional... não quero dizer que é funcional... apenas que permite várias funções. quando o espaço está de facto bem tratado e é, ou passa a ser, funcional eu apelido-o de arquitectónico.

Penso que talvez seja um problema de relacionarmos estes conceitos e termos de forma diferente. As ideias até poderão ser as mesmas... não sei...


aí está! era precisamente aí que eu queria chegar :) pode ser usufruído das mais variadas formas, mas uma vez intervencionado com um propósito esse espaço passa a responder melhor a essas funções
Link to post
Share on other sites

...eu diria multifacetado, ...as opções são muitas, mas pelo trabalho do arquitecto, molda-se, com elementos que o configurem, .. (escavando, adicionando elementos macissos, dependendo do lugar a intervir, da coerência com o propósito específico (quando existe) e fundamentalmente, da intenção do arquitecto.



Se preferes... agora eu acho as duas expressões bastante próximas. Pois um espaço com múltiplas faces ou um espaço onde seja possível exercer variadas actividades/funções, é basicamente o mesmo antes de qualquer tratamento arquitectónico, o qual todos concordamos, valoriza esse mesmo espaço.

Mais uma vez parece-me que as discordâncias são mais a nível dos termos utilizados que dos conceitos...
Link to post
Share on other sites

aí está! era precisamente aí que eu queria chegar :) pode ser usufruído das mais variadas formas, mas uma vez intervencionado com um propósito esse espaço passa a responder melhor a essas funções



Mas eu sempre concordei que a requalificação, por parte do arquitecto, de um qualquer espaço só o vem melhorar e valorizar. Apenas acho que esse espaço já era multifuncional antes, pois já permitia de qualquer forma diversas utilizações por parte dos utentes.
Link to post
Share on other sites

Mas os meninos(as) acham que vão ter acesso às propostas?... Mas é que nem pensar... :) afinal só a equipa do fórum e o juri é que as vão puder ver antes da entrega de prémios... Queriam ver para tirar algumas ideias?... queriam ver para servir de inspiração?... queriam ver para matar a curiosidade?... pois é... queriam e vão continuar a querer, porque ainda falta algum tempo... hehehe :p Entretanto toca a puxar pela cabeça para fazer as ideias saltarem cá para fora... estamos à espera delas :)

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

JAG: os concursos são mesmo assim, temos de interpretar o programa e propor conforme aquilo que achamos ser o objectivo. Neste tópico temos discutido bastantes ideias que poderão interessar a quem está a formular uma proposta, concerteza já ajuda a balizar uma série de conceitos. Depende de cada um ser criativo e fazer a sua proposta. Afinal é isso que pedimos

Link to post
Share on other sites

Só serão revelados os nomes dos vencedores por isso se o teu for revelado é bom sinal! Eu não vejo qual é o problema de perder umas horas ao fim de semana para pensar no concurso, até porque não é um concurso complexo, necessita apenas de um pouco de criatividade... Eu próprio já fiz um concurso no meio de uma carga de trabalho enorme, significou bastantes horas sem dormir mas pronto no final, mesmo nao tendo ganho valeu a pena!

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.