Jump to content
Arquitectura.pt


Os nossos professores são forretas ?


Recommended Posts

acho um bom topico para debate aqui no forum ... já que se fala dos professores ... quantos é que aqui no forum gostariam de vir a ser professores ? o pedro já deu a sua ideia ... eu tb acho que a profissão de professor é uma das mais importantes que existem na sociedade, o problema é que muitas vezes existem professores que são muito novos e falta-lhes maturidade para exercer tal resposabilidade.

Link to post
Share on other sites
  • Replies 64
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

o problema tambem sao aqueles professores que temos, que nao tem competencia para o ser, nem jeito...e só ensinam porque sao excelentes arquitectos ou muito bons...opiniao: ser um bom profissional de arquitectura NAO significa ser-se um bom profissional do ensino! para se ser professor tem de se ter habilitações para isso

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

nao vamos cair no erro de generalizar..certamente exitem bons e maus professores quer exerçam a profissao ou nao...um professor necessita é de uma serie de habilitaçoes pessoais que o levem a ser encarado pelos alunos como um lider, um exemplo o chefe de uma tribo ( lol) e que estabelece uma relaçao de empatia e confiança mutuas com os alunos..saber elogiar e saber criticar...EXIGIR...transmitir valores comuns e aceitar interpretaçoes diferentes dsd q bem fundamentadas...mo fundo é fazer ver o quao simples a arquitectura é...dp cada um segue o seu caminho, cada um tem a sua atitude

Link to post
Share on other sites
concordo com o |||ARK||| e penso que cada vez mais é necessario estudar-se para se ser professor, arquitecto e todas as outras profissoes. este ano tive, por exemplo, uma professora que nao dava 2 para a caixa, embora fosse uma boa arquitecta (com "nome") tornava-se desmotivante ir para as suas aulas e claro, os resultados ficaram a vista!
podem haver maus professores é certo...tal como maus policias, maus advogados.....mas uma coisa é ser-se mau na sua area, outra é ser-se mau em algo que nao se tem habilitações para isso....e isso, é o mais frequente! cada macaco no seu galho!!

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

...penso que será difícil ensinar medicina sem se ser médico ou arquitectura sem se ser arquitecto... no entanto, não basta ser-se um bom profissional para se ser um bom professor. O professor tem que saber relacionar-se com os alunos, gerar empatias e criar referências sólidas, sobretudo nos primeiros anos. O ensino é uma vocação, tal como o exercício da arquitectura. O arquitecto que ensina arquitectura tem que ter essa dupla vocação. Todos nós tivémos bons e maus professores, em todas as áreas. O mau professor refugia-se, geralmente, na rispidez e na intolerância, o que pode gerar maior empenho por parte do aluno, por medo das represálias, mas não conduz, necessariamente a uma melhor aprendizagem. O mau professor, em alternativa, dá boas notas e é muito permissivo. Tal permite-lhe esconder a sua incapacidade por detrás do facilitismo... O bom professor ajuda o aluno a encontrar o seu caminho, dando-lhe as ferramentas adequadas, a segurança necessária para que ele não se projecte no abismo... O bom professor é tolerante e exigente: tolera a liberdade de pensamento mas exige qualidade na resposta. O bom professor põe à disposição do aluno toda a informação de que dispõe para a resolução dos problemas, não a sonega... O bom professor tem ideias consistentes, embora não exclusivas, de como resolver o projecto, e expõem-nas! O mau professor esconde-se por detrás da máscara de quem não quer mostrar a sua solução, para não influenciar os alunos... ... isto é uma opinião! sei lá se isto é mesmo assim?

Link to post
Share on other sites
as opiniões que cada um tem, advem das experiencias que tem ou teve, sejam elas boas ou más. aqui ninguem esta a por em causa o facto de que apenas para se ser prfessor de arquitectura dever-se-á ser professor mas claro que tambem, e antes demais deverá ser arquitecto...é algo elementar!

o que foi dito é que ser-se um bom arquitecto, nao significa por a+b que se seja um bom profissional do ensino. é necessario ter-se habilitações para isso...e isso tambem é é algo elementar.

jeito? vocação? nao é tudo nesta vida... ha coisas que se chamam habilitações, aprendizagem...se assim fosse eramos todos educadores de infancia porque gostamos de crianças, ou padeiros porque temos jeito para fazer bolos...a questao nao passa por ai. embora seja importante, nao é primordial!

nao creio que um mau professor dê como regra, boas notas para se poder esconder a sua incapacidade...é como tudo o resto! da boas notas, más notas...ou se calhar até faz sorteio por papelinhos!.....nao se trata de uma regra, cada um tera os seus metodos proprios de avaliação (sera que os ensinam na parte da vocaçao? jeito nao me parece ser...existira certamente, regras, exigencias, algo que se aprende ou melhor, que se aprende a ver e a saber)

em relação ao que é ser um bom professor, nao diria melhor...acho que ate ai todos nos chegamos e sabemos o que é ser um bom professor, é pena é que nem todos possam ser assim.

nao confundamos o que é ser um bom arquitecto ou um bom medico com o que é ser um bom professor....para se ser bom em cada uma destas profissoes existe algo igual para todos: anos de estudo, aprendizagem, dedicação, vocação e jeito. agora, ter so vocação ou so ter jeito, tem se quando se muda a lampada que fundiu.... sao duas caracteristicas importantes para que possamos estar de bem com a vida, para que possamos fazer as nossas escolhas segundo as nossas necessidades ....mas isso nao significa que com isso iremos dar resposta às necessidades que ser arquitecto/professor, implica e exige.

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.