Jump to content
Arquitectura.pt


Recommended Posts

Realmente 'apresentarmo-nos' no contexto actual de users é coisa estranha... Sou o Deisler como podem verificar, estou no momento em que escrevo este topico a terminar a licenciatura (e espero daqui a um ano rever este escrito com saudade) na Universidade Lusiada de Lisboa e trabalho no ramo nefasto da arquitectura desde o 2º ano. Sou de Lisboa, zona oeste, tenho 23 anos, não me identifico com politicas e considero-me um 'estudioso' da história dos reis de Portugal (paixão que descobri com as aulas de historia de arquitectura... quite amazing hun?). Espero ver neste forum uma boa moderação, e espero igualmente participar de uma forma mais activa agora que passarei a dispôr de mais tempo (vamos la a ver tb!!). Vejo que o espirito é positivo e isso melhora imenso as coisas. Força pessoal!!

Link to post
Share on other sites

Dos reis, retenho com mais apreço, Dão Sebastião, tinha uma personalidade impar/de primeira linha...

Dizia-se, pelas ruas e pelas tabernas da capital, que o rei, alto e forte como estava, corava como uma papoila quando via uma mulher e que, tirando as monjas da Anunciada e de Xabregas, se recusava praticamente a falar com elas.(...) O Povo crítica mais depressa, no plano do amor, um tímido que um desordeiro.O rei, neste campo, era de uma excepcional reserva e só abordava as mulheres com uma delicadeza e descrição que parecia mais de santo ou de criança, que de homem em idade adolescente. (...) A impressão que a carne feminina lhe fazia era-lhe quase uma agonia e é possível que este pudor que ele sentia e mostrava fosse muitas vezes um dos sinais mais belos do amor.



Tinha, além de uns ares afemeninados, qualquer coisa de Anti-Português.

FRANCO; António;VIDA DE SEBASTIÃO, Rei De Portugal, Publicações Europa América
Link to post
Share on other sites

Curioso! D Manuel I que recordamos como um rei poderoso e o grande impulsionador de um estilo arquitectónico em Portugal teve uma história de entronamento verdadeiramente curiosa, basta dizer que no dia em que foi nomeado herdeiro na altura pelo primo, o rei D João II ele tava convencido de que seria morto como tinha sido um dos seus irmãos e algumas das pessoas que lhe eram mais próximas (algumas mortas pelo próprio rei em pessoa), no entanto acabou por ser nomeado herdeiro (D João II passou por um verdadeiro calvário para conseguir um herdeiro após a morte do seu filho e de nunca ter conseguido legitimar um filho bastardo que acabou por fazer algures, curioso também é que a situação que mais tarde se viria a verificar em portugal com a morte de João III e de D Sebastião, poderia ter ocorrido ao contrário, ou seja, se nesta altura, o filho de D João II não tivesse falecido a coroa espanhola acabaria por ficar sob administração portuguesa e como aconteceu em portugal com a dinastia dos 3 Filipes). Bom, de resto a história foi escrita a ouro, foi no seu reinado que se deram os marcos significativos do periodo das descobertas (onde NÃO entra o tratado de tordesilhas como muitas vezes de forma errada se diz, porque foi precisamente D João II a assinar o tratado com Espanha- Aragão e Castela entenda-se, já vi livros de história a dizerem q foi assinado por D Manuel I), nomeada mente a do caminho maritimo para a India e o Brasil e o inicio do maior império coloniais da história da humanidade que se reconhece oficialmente de inicios do século XV (1416 diz-se ser a data precisa) até 1999 com a perca da soberania sobre o território de Macau. Era bastante religioso, o que se contradiz na sua politica fechada (e não absolutista como muitas vezes se diz também, não era um rei absolutista, essa politica poderemos reconhecer mais tarde com os reis D João IV e V) a sua religiosidade reflectiu-se até na perseguição que fez aos judeus e na sua investida em relação á dissolução da divisão entre os chamados cristãos novos e cristãos velhos. Um episódio que foi 'detalhado' pelo grande José hermano Saraiva e que atesta a sua religiosidade é o da viagem do célebre Tristão da Cunha a itália que levou um grande rinoceronte a itália (e ainda hoje é um animal com uma presença muito étnica na arte italiana, ha um grande reconhecimento deste episódio na cultura italiana). Do Manuelino... não me façam falar :) Foi o penultimo grande rei Português. Chega??

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.