Jump to content
Arquitectura.pt


Projecto para habitação própria


Recommended Posts

é assim, entendo as tuas preocupações pintovit, mas os bos projectos de arquitectura são feitos através dos constrangimentos como lhes chamam. Há inumeros bons exemplos de como construir habitação em pequenas parcelas de terreno, cheias de regras e regulamentaçoes e que no final se tornam projectos de referencia para a arquitectura.

Antes do mais aquilo que desenhas tem de ser tudo completamente pensado, ou seja, não se trata do espaço estar razoavelmente resolvido, há que pensar que essa casa será para uma familia viver uma data de anos. É um investimento muito maior do que um carro ou outra coisa qualquer, por isso implica muito mais empenho e rigor do que a escolha de um carro. Quando projectamos uma habitação é para ser a melhor habitação do mundo, temos de estar convencidos de que aquilo está 99% a bater no sítio certo.

um exemplo de uma casa estreita bem resolvida é a Nakayama House (Tadao Ando), onde numa pequena parcela ele consegue criar uma casa esguia e com uma grande espacialidade... Há inumeros exemplos, agora é preciso é estudá-los...

Já agora, des culpa a indiscrição, mas porque é que não contratas um arquitecto para desenhar a tua casa com as tuas exigencias? provavelmente está mais apto para o fazer...

Porque como já deu para concluir aqui, uma casa é das coisas mais complicadas de conceber! não se trata de uma caixa com umas divisoes a que damos nomes e pomos mobilia dentro... Porque é que a maior parte das pessoas passam os dias a criticar que a casa é fria, que o quarto é pequeno, que as janelas são grandes, que entra muito sol, que a casa não é acolhedora, que o carro não consegue entrar correctamente na garagem sem bater na rampa, .... Por alguma razão há alguém que está apto para conceber casas e para as desenvolver, porque por mais facil que pareça criar umas divisoes e uns volumes "todos modernos" há coisas que nós nos habituamos a criticar nas casas mas que não pensamos que são coisas basicas em que temos de pensar quando projectamos uma casa...
Link to post
Share on other sites
  • Replies 59
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Eu devo ter dado a ideia errada a qualquer altura da discussão, para pensarem que não é um arquitecto que está por trás desta plantas... É efectivamente um arquitecto. O projecto está numa fase de estudo dai eu fazer uns "sarrabiscos" por cima do que ele me manda de forma a tentar reorganizar as coisas mais ao meu gosto, quanto mais não seja, para ele perceber o que eu pretendo e depois melhorar a solução de encontro a isso mesmo. Foi o que aconteceu ontem. Mais uma reunião e mais uma série de alterações. Depois (quando tiver os próximos desenhos) partilho convosco o resultado, mas posso vos dizer que estou muito mais satisfeito com o resultado! :p E mais importante ainda, a minha esposa está a gostar tanto como eu, coisa que até há uns dias me parecia tarefa impossível! :p

Link to post
Share on other sites

Claro o quê concretamente?...


Dreamer... o pinto não é arquitecto... é o cliente, como já deves ter percebido... como é que ele vai discutir o conceito da casa... as ideias subjacentes não são dele... era sempre uma falsa questão.

Concerteza que o Arq. terá tido o seu conceito/directrizes por trás... que vão ao longo do desenvolvimento do trab (corta daqui/ acrescenta dali, o cliente quer assim, não quer aquilo...) desparecendo... mas o processo natural de projecto é mesmo assim, em 90% dos casos de habitações unifamiliares... o edificio é para uma familia morar, tem que responder antes de tudo às premissas dos novos habitantes...

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites

É isso mesmo Pedro. Apesar de eu não perceber claramente a definição de conceito (por falta de conhecimento, de formação, de experiência no ramo ou talvez mesmo pelo português - se calhar até sei perfeitamente o que é, mas dou-lhe outro nome :p ) penso que ele está lá. Isso não invalida em nada o que o Dreamer disse. O conceito pode-se ter perdido devido às minhas exigências ou não era claro o suficiente de base para ainda ser visivel. Espero que nas próximas plantas gostem mais. Eu gostei. Apesar de não ser uma mudança drástica, resolveram-se o que para mim eram os problemas principais. E não se resolveram com grandes compromissos mas sim com soluções que me agradaram bastante. Obrigado a todos pelos vossos contributos! Foram excelentes! Abraço, Vítor

Link to post
Share on other sites

Eu nunca disse que o vit era arquitecto, mas apenas que os desenhos apresentados por ele não pareciam conter um conceito... depois foi ele que puxou a conversa para esse lado, e o que fiz foi tentar explicar o que é um conceito... Claro que um projecto de uma moradia unifamiliar tem de responder às premissas do cliente, porque é ele que vai lá viver, mas um bom conceito não invalida nada disso... e penso que aí é que está o segredo... :p

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

Bom, depois de ter olhado para as plantas e alçados com algum cuidado, e de ter lido todos as mensagens colocadas, aqui deixo a minha opinião, acompanhada de uns apontamentos para melhor compreender...

Em primeiro lugar, penso que o projecto apresenta uma falta de atitude...isto é, percebe-se que o projecto não parte de uma intenção inicial, falta-lhe um gesto global, uma gesto que desenhe a habitação num só traço...falta-lhe unidade e personalidade acima de tudo...

Em segundo lugar, e passando áo projecto objectivamente, parece-me que as plantas reflectem falta de clareza. Resolvi identificar uma problema por piso, como exemplo.

CAVE_o espaço mais amplo, do lado esquerdo, pretende ser um salão para colocação de um bilhar certo? Então cuidado com a relação visual que ele vai estabelecer com a garagem. Não é que tenha mal ver o carro (até porque já projectei uma casa onde o carro entrava numa plataforma dentro da sala, tornando-se parte da mobilia da casa), mas se assim se quisesse não podia ser desta forma.

Imagem colocada


PISO 0_Já alguém reparou, que a sala não tem nenhuma herarquia no que diz respeito à relação visual?Ela abre-se para todos os lados, e ao mesmo tempo não se abre para lado nenhum...Acho que ainda ninguém tinha reparado nem mesmo o projectista.
Não conheço a envolvente mas parece que a cozinha goza de melhor relação com o espaço verde, na parte posterior, do que a sala...

Imagem colocada


PISO 1_Na próxima reunião com o arquitecto, pergunta-lhe como limpas aquele bocado da varanda...

Imagem colocada


Enfim, acho que faltou aqui desde inicio uma boa interpretação do lote, e um gesto assumido. Por exemplo, parece-me obvio que a casa cria-se uma relação forte com o espaço verde posterior e se fechasse para os lotes que delimitam o teu terreno...

Imagem colocada

Com tudo o que aqui disse, não quero mandar tudo a baixo...quero sim lançar mais discussão porque é isso que faz um bom projecto...Esta é a casa da tua vida...Por isso não te precipites em construir sem estares satisfeito com o resultado final...

Na minha opinião não tens projecto horrivel como se vê por esse país fora, mas estás longe de ter uma peça de arquitectura.

Quase que tinha vontade de te fazer um projecto e te oferecer, porque sei prefeitamente o que é sonhar, e ver crescer a casa de uma vida!

Um abraço,
Luis Figueiredo

P.s. Vai a este site ver projecto de arquitectura, muito bem pensados e esecutados. Escolhe, português->ultimas->entrar

http://fernandoguerra.com/

Link to post
Share on other sites

Tal como o LFigueiredo disse, a sala está um pouco "confusa"...há dias deparei com uma sala que não tinha uma única parede "livre" para encostar um móvel... Sim, e aquela varanda...será que é só para harmonizar o alçado? Creio que já tocaram neste ponto, mas não posso deixar de voltar a frisar que me parece não existir um fio-condutor na proposta...tanto pode ser X como Y... parece-me que entrou no campo da "construção civil" deixando a "Arquitectura" para 2º plano... :p Abraços

Link to post
Share on other sites

Acho que o LFigueiredo fez o primeiro post nesta discussão, que eu como informático consegui entender tudo. Muito bom. Quando se fala de conceitos e fios condutores sem exemplos práticos só quem perceber de arquitectura é que percebe o que vocês estão a falar. Eu gosto de exemplos práticos e então se tiver desenhos ainda melhor. :p

Link to post
Share on other sites

Bom dia! :p Antes de mais, tenho pena não ter ainda as ultimas plantas, já que acho eu houve melhoramentos significativos. O escritório da cave que mais parecia um corredor (2mx4.80m) agora tem uns mais saudáveis 3x4.30. O RC foi significativamente remodelado. Nomeadamente, a cozinha moveu-se cerca de 1.5m para a esquerda e cresceu 1 m para a sala. Desta forma foi criado espaço para a casa de banho de serviço do lado direito da cozinha. A frente do RC é onde houve mais alterações. A sala contempla agora uma parede que cria uma separação da escada (como a minha esposa queria) que à partida será em pedra bruta (à moda antiga) sem portas nas pontas e a terminar a cerca de 40cm do tecto. O "cubo" que existia na frente da sala foi alterado e penso que agora tem-se muito mais proveito da luz. Do lado esquerdo, o seu "degrau" é agora de apenas meio metro e foi puxado para norte até meio da sala. Desta forma cria uma divisão natural da sala entre sala de jantar e sala de estar. Do lado direito, foi empurrado para a esquerda até ficar alinhado com a tal parede nova que acompanha a escada. Desta forma a frente fica muito mais limpa, com janelas muito mais amplas e aumenta a comunhão da sala com o jardim exterior e com o Sol que deve abundar a meio da tarde, final de dia. Isto é dificil imaginar (e de explicar tb!). Assim que tiver as plantas, coloco-as aqui para visualizarem o que estou a tentar descrever. Em relação aos comentários do LFigueiredo: antes de mais, muito obrigado pelos comentários e mesmo por perderes tempo na tua análise. "Quase que tinha vontade de te fazer um projecto e te oferecer, porque sei prefeitamente o que é sonhar, e ver crescer a casa de uma vida!" ;) Acredito e agradeço imenso. Seria pedir demais... mas um dia, nunca se sabe se não vou precisar dos serviços de outro arquitecto! :D CAVE: vê-se a garagem a partir do salão (talvez para bilhar... era mais uma sala de cinema e convivio... mas pq não um bilhar! :D ). Sabes que nunca me tinha ocorrido? Não é nada que me choque, mas realmente foi bem observado. Talvez faça sentido uma porta a isolar mais a garagem... Até porque a porta do salão da cave deve ser de correr, logo isolamentos longe de perfeitos, portanto gases e cheiros desagradáveis... RC: a sala apesar de se extender por várias zonas (quase o piso todo) tem poucas janelas para alguma coisa. Bom... Isso penso estar muito melhor agora com a vertente Sul/Poente quase toda envidraçada. Por outro lado, apesar de agora ser "maior" (vai quase de uma ponta do RC à outra) perdeu 1 m a Norte, cresceu 2.80m a Sul mas com a parede, deixa de parecer um espaço infindável e dificil de ser acolhedor. 1º andar: para limpar aquele canto, realmente só soprando com muita força! :p Muito bem visto. Mais uma coisa que não tinha pensado nela. É um pormenor puramente estético. Em relação ao enquadramento do projecto com a envolvente... Vamos ver. Talvez eu não tenha compreendido bem mas "criar uma forte relação" passa por janelas certo?! Varandas... terraços... áreas que nos permitem disfrutar de uma paisagem. O problema neste caso é que essa frente fica precisamente para Norte. Com isto em consideração, até acho que se está a comprometer um pouco as características térmicas da casa e a priviligiar muito a relação com esta frente (há imensas janelas, não na sala, mas na cozinha, no salão da cave, no quarto principal). Por outro lado, também se isolou bastante a casa com os lotes circundantes (quanto mais não seja por causa da lei!). A Nascente poucas janelas tem e a Poente, as que existem, estão à frente da casa do vizinho, já que essa está numa posição mais recuada que a minha face à estrada. Figueiredo, obrigado pelo excelente post. Resumindo... uma obra de arquitectura... uma pintura é sempre uma pintura... uma pintura é arte... pode ser boa pode ser má... O arquitecto é arquitecto porque tem o canudo... pode ser bom, pode ser mau... Neste caso, eu não quero uma "obra de arquitectura" para sair em revistas. Quero uma casa bem pensada, ao meu gosto, confortável, comercializável (sim, porque nunca sabemos o dia de amanhã!) e a minha esposa ainda quer que seja bonita! :D Todos já vimos fantásticas obras de arquitectura mas, por vezes, viver nelas não é fácil. Como eu vou viver nesta todos os dias, não quero abdicar do conforto. Somente a olhar para a planta (as ultimas que vc ainda não viram! desculpem mais uma vez) acho que vou conseguir ter o que quero... acho... claro... Se assim for, vou ficar contente com a casa e vou considerar que atingi os meus objectivos. Espero não estar enganado!

Link to post
Share on other sites

Pinto... cá aguardo as plantas... decerto devem estar melhores... logo analisarei em detalhe a nova versão, já que está mais avançada... assumi sempre as outras como uma abordagem embrionária.. não atacando o colega que as desenvolveu... porque como tu dizes também não queres, nem desejas uma obra prima de arquitectura... é isso mesmo à que saber separar as coisas... ser realista, penso que os mais jovens por vezes não são realistas... (ainda não sou velho, acho...)

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites

Vit, a boa arquitectura nem sempre é aquela que aparece nas revistas, até pode ser a mais estravagante, a mais inovadora, a mais... só me ocorre uma palavra... CUNHA...
Muitas revistas são como as "cor-de-rosa", mostram aquilo que acham que os clientes querem ver... e haverá muitos que realmento o querem... por isso nem sempre podem servir de exemplo...

Boa sorte para a tua casa... e boa sorte com o arquitecto que escolheste...

PS: Já agora há uma coisa que me intriga sempre, não que tenha relação com a conversa, mas qual foi o teu critério para a escolha do arquitecto?

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

:p O critério quando se mete os pés por estradas nunca antes navegadas... é quase sempre o mesmo. Escolher uma pessoa de confiança. Foi o caso. Um amigo de longa data. Já tinha visto alguns trabalhos dele e tinha gostado no geral. É uma pessoa com muita experiência que me vai prestar um serviço que considero muito importante: o acompanhamento da obra! Tudo factores que abonaram em relação a ele. Em relação às revistas, não estava bem a pensar em coisas cor de rosa acho eu. Por exemplo, uma revista que gosto muito apesar de não ser hardcore arquitectura (e tal vez por isso é que gosto já que está mais ao meu alcance) é a espanhola "Arquitectura e Desenho". Pedro: os mais jovens (penso que te referes a estudantes de arquitectura ou recem formados) são como todos os outros "miudos" acabados de sair da faculdade. Não sabem nada e têm bases para vir a saber tudo. Estou a ser radical. Não levem à letra. Sabemos muitas coisas e temos muitas e boas ideias. No entanto há um mundo de coisas ainda para aprender que o curso simplesmente não teve tempo para transmitir. A isso chama-se experiência. São leis. São câmaras com a mania. São empreiteiros desactualizados. São custos por materiais que por serem pouco usados, são exorbitantes... Etc, etc, etc. E claro, os clientes! Não sabem o que querem. Hoje querem isto, amanhã aquilo. Querem muito uma coisa e quando a vêm é que percebem que na realidade não era nada daquilo. Até os há em que os clientes "maridos" querem uma coisa e as "maridas" querem outra! :p Como tudo é extremamente complicado. Mas como neste forum (e nos outros) nunca vamos ter uma precepção da realidade, a troca de ideias por muito desajustada que seja, é sempre boa! Eu não digo que tirei proveito de tudo o que foi dito nesta thread, mas quase tudo me levou e pensar nisto e naquilo. Abriu-me a mente para visões diferentes e só ai, os ganhos são fantásticos! Pena não termos mais participantes, mas a coisa vai crescendo! ;) Obrigado a todos e... até já... Vítor

Link to post
Share on other sites

É verdade... o dreamer tem razão... mas para habitações unifamiliares, onde o cliente deseja, opina e muda constantemente de ideias (nomeadamente nos acabamentos) cheguei à conclusão que se torna constantemente infrutífero a execução de um projecto de execução completo... além dos custos envolvidos... portanto o que sugiro frequentemente é o pagamento à hora, de determinados detalhes, escolha de e implantação de luminárias, carpintarias, lareiras, arranjos exteriores, churrascos, consultadoria, apoio em obra e por aí fora... o Arquitecto não vê o seu trabalho sério e ponderado deitado para o lixo, o cliente vai pagar aquilo que realmente vai precisar e não pagar uma série de especificações que basicamente vão para o lixo.... Em termos gerais posso dizer que os honorários referentes a projecto de execução irá no minimo duplicar os cmesmos (só na arquitectura). equanto que o outro sistema -"vai-se desenhando"- incrementa ao cliente cerca de 30%. Utilizando o sistema vai-se fazendo tem que se ter muito cuidado com os projecto que são dados a conhecer ao Empreiteiro, pois devem, pelo menos na MD, na caracterização construtiva irem minimamente completos, afim de não haver surpresas, com aumentos exorbitantes do orçamento. O mesmo já não é válido, ou sequer admitido em obras públicas, empresas ou instituições... Mas claro... hà clientes e cliente...

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites

:p

Próxima fase: Projecto Base + Projecto de Execução (incluindo caderno de encargos)

Já que o banco precisa de quase tudo isso para libertar as verbas :p


Nunca nenhum banco exigiu tal coisa... muito estranho... normalemtne apenas é necessário projecto de licenciamento aprovado pela autarquia (para a avaliação do imóvel) e orçamento das obras.

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites

Era mesmo isso que eu ia dizer... O projecto de execução é uma formalidade que neste tipo de obras pode muitas vezes ser despropositado, no entanto, como diz o pedro, há clientes e clientes... mas ficará sempre ao critério deste último, porque se durante a obra, quando realmente a vê, o cliente quer mudar alguma coisa, acabam por ser horas e dinheiro deitado fora... Por isso será aconselhável "ir fazendo" a promenorização de determinados pontos, conforme forem aparecendo...

Não é incrível tudo o que pode caber dentro de um lápis?...

Link to post
Share on other sites

Estás a hipotecar o terreno + casa... certo? portanto o credito será efectuado mediante análise da avaliação imobiliária do terreno como está + valor após obras.... Nunca vi ninguem entregar Caderno de Encargos... Caderno de Encargos é realizado quando o Projecto está pronto para ir a "concurso" de empreitada. Deve ser suficiente, para já, o Projecto de Licenciamento com memória Descritiva...!!! (mesmo sem estar autorizado) ...será?

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.