Jump to content
Arquitectura.pt


Melhor software de desenho de arquitectura


Qual o melhor software de desenho de arquitectura?  

623 members have voted

  1. 1. Qual o melhor software de desenho de arquitectura?

    • Autodesk Architectural Desktop
      48
    • Autodesk AutoCAD
      237
    • Autodesk Revit Building
      93
    • ArchiCAD
      152
    • Microstation
      9
    • VectorWorks
      27
    • Sketchup
      38
    • Outros. Quais?
      25


Recommended Posts

Miguel, Eu sou dos que ainda não mudou, e se hoje em dia sinto que estou a perder muito, durante muitos anos (anos 90) convivi com gente que trabalhava em ArchiCAD... as limitações eram tais que nunca sequer considerei ir por esse caminho... Nos últimos anos as coisas evoluiram bastante, e o panorama é completamente diferente, e em breve conto mudar. Porque é que não mudei já? já o expliquei no meu post anterior... para qual irei mudar? isso é outra novela ;)

Link to comment
Share on other sites

Miguel ;) Sem dúvida que o Archicad, no início dos anos 90, era extremamente limitado (no fim já não se pode dizer o mesmo). Mesmo assim, apesar das limitações que tinha era infinitamente mais poderoso que o Autocad da altura, principalmente para arquitectos. Penso que uma mudança de flatcad para Bim deve ser devidamente programada, faseada, com objectivos parcelares concretos e realistas. Mas o ingrediente principal para que essa mudança tenha sucesso é acreditar, ter fé. Essa fé não se racionaliza, é algo que se tem que sentir, que nos faz dar o salto no escuro. Da minha experiência, ajuda sempre conhecer alguém com prática que seja um envangelista, que acredite profundamente nas vantagens e potencialidades do BIM, e que nos infecte com essa fé. A partir daí, tudo vai ao sítio. Para qual. Essa é a pergunta. Há quem defenda o seu software de eleição com unhas e dentes, que só veja defeitos nos outros e virtudes no seu. Há quem tente ser imparcial, ou pelo menos tente aparentar ser imparcial. Do que tenho visto, alguém que passa 10 horas por dia, 5 dias por semana, 50 semanas por mês agarrado a um dado software, difícilmente consegue ser imparcial quando se trata de o comparar com outros. Se disser que é, das duas uma: Ou não conhece o software tão bem como afirma, ou está a enganar-nos (ou a enganar-se a si próprio). Como se resolve o o seu problema, o da escolha do software? Tenho uma sugestão: Convide os vendedores de cada software a apresentarem o dito. Não ligue nenhuma ao que eles dizem, porque são vendedores. Peça a eles que lhe indiquem um ou dois gabinetes que eles achem ter um tipo de trabalho parecido com o seu, e que usem esse software. Visite esse gabinete e peça para lhe mostrarem projectos concretos, para lhe falarem das qualidades e defeitos do software. Se esses gabinetes forem "honestos", ficará com uma ideia clara do que o software é capaz e de que modo se poderá adequar ás suas necessidades. Se não forem, notará logo que não passam de vendedores e isso também lhe dirá algo sobre as capacidades (ou falta delas) do software. Penso que ao fim de uma semana terá material suficiente para tomar uma decisão fundamentada.

Link to comment
Share on other sites

Bem, parece-me que pretende abrir os seus conhecimentos sobre os sistemas CAD. Claro que não posso comparar a minha experiencia no mundo da arquitectura bem como no mundo dos CADs com a sua, pois qualquer coisa que seja referida como experiência será minimizada na hora com as suas palavras. Claro que tenho a minha opinião, a minha visão,mesmo que rudimentar... e que só a dou quando e a quem quiser! Mas ainda assim, e sendo o Arq. Miguel um senhor, desculpe, SENHOR das tecnologidas de CAD ou BIM (claro, refiro-me ao Archicad), com a sua vasta experiencia em pedagogias académicas (suponho que continua a dar aulas nas nossas universidades/institutos superiores), poderia dar a sua opinião que todos nós absorvemos e assumimos como garantidas! No entanto, posso dizer-lhe que trabalho há 14 anos com o AutoCad porque na altura (e passado esse tempo, ainda hoje vejo isso) não existia informação sobre softwares de modelação 3d e documentação automática há 26 anos (claro, só e apenas o Archicad...). Apenas e só isso! Mas se calhar isso deve-se à minha precária e diminutiva visão de um futuro que hoje reina em todos os gabinetes de arquitectura. Já que tem tantos conhecimentos, pergunto: dos gabinetes que conhece, qual a percentagem que poderá atribuir aos que trabalham com sistemas CAD (sistemas CAD onde se englobam o AutoCad, não me refiro apenas a este; não quero que caia em erro, apesar de saber que éuma pessoa muito atenta) e outras que trabalhem em sistemas BIM. Assim, eu e muitos dos frequentadores destes forum poderemos afirmar sem qualquer dúvida, porque a fonte é 100% segura, de qual essa percentagem e subscrever a autoria...

Link to comment
Share on other sites

Ora aí está um comentário que eu subscrevo na integra... A melhor forma de saber do que é que cada um é capaz de fazer (softwares claro) é avaliar o seu uso prático e não ouvir opiniões daqueles cujo interesse principal é lucrar com a sua venda ou promoção.

Link to comment
Share on other sites

Tenho uma sugestão:
Convide os vendedores de cada software a apresentarem o dito. Não ligue nenhuma ao que eles dizem, porque são vendedores.
Peça a eles que lhe indiquem um ou dois gabinetes que eles achem ter um tipo de trabalho parecido com o seu, e que usem esse software.
Visite esse gabinete e peça para lhe mostrarem projectos concretos, para lhe falarem das qualidades e defeitos do software.


Engraçado... também concordo com essa sugestão!

Miguel? Não o Krippal, o Barroso,
penso que, E ESTA É APENAS UMA OPINIÃO MINHA, se éque ainda é pssível dar-se, nunca é nem será uma mudança pacífica, pois a forma e metodologia de trabalho alteram em muito.

No entanto, seja qual for o que excolher, hoje em dia qualquer deles existentes no mercado são fiáveis e com resultados muito muito bons!

É um mal necessário... pena que ainda existam muitos resistentes àmudança, mas não percam o barco. Para alguns, os 14 anos que andei agarrado no AutoCad podem ser maus, mas se calhar precisei de muito tempo para perceber que como arquitecto que sou, precisava de dar o salto.
Apesar de haver quem ache que não, tentei o Archicad 8 ou 9 (tive várias horas de formação, entre outros tipos de apoio, mas isso não é relevante), tal como o ADT 2.0 (actualmente ACA). Nessa altura as ofertas não eram muitas... e os resultados não me satisfaziam de todo! Não tinha disponibilidade financeira para ir à América tirar um curso de ADT, ou à Hungria para outro qualquer pelo que tive que me agarrar ao que me mostraram na faculdade...
Link to comment
Share on other sites

A melhor forma de saber do que é que cada um é capaz de fazer (softwares claro) é avaliar o seu uso prático e não ouvir opiniões daqueles cujo interesse principal é lucrar com a sua venda ou promoção.


Presumo que se esteja a referir ao Décio, não?
Link to comment
Share on other sites

Já que tem tantos conhecimentos, pergunto: dos gabinetes que conhece, qual a percentagem que poderá atribuir aos que trabalham com sistemas CAD (sistemas CAD onde se englobam o AutoCad, não me refiro apenas a este; não quero que caia em erro, apesar de saber que éuma pessoa muito atenta) e outras que trabalhem em sistemas BIM.


Dos gabinetes com que trabalho e que conheço, em Portugal, uma meia dúzia, todos trabalham com sistema BIM, todos eles com Archicad, como sería de esperar, sendo esse o meu meio.
Link to comment
Share on other sites

Pois, eu dos gabinetes que conheço, são poucos os que já deram o salto para softwares paramétricos. E conheço bem mais do que meia dúzia... mas acho que a estatística aqui apresentada é o espelho disso mesmo. Vou falar de outro exemplo - como referi, dei aulas de CAD durante 9 anos numa esola de artes, num curso cujos estudantes no final, ou seguiam para a faculdade (design, arquitectura, etc) ou ingressavam directamente no mercado de trabalho. Desde 1998, a minha escolha sempre foi o AutoCAD (fui eu quem fez o programa da disciplina) - e a escolha baseou-se essencialmente em dois aspectos: - Tratar-se de um software de "banda larga", tanto dá para arquitectos, como para designers, como para outra coisa qualquer; - Para o bom e para o mal, era (e ainda é) o software com maior implementação no nosso mercado. E com o passar do tempo, a minha escolha mostrou-se a mais acertada... contam-se pelos dedos aqueles que foram para o estágio ou para o 1º emprego, e a empresa onde trabalhavam usava alguma coisa diferente do ACAD... Nas faculdades também, embora aí já existisse um pouco mais de diversidade. Ok, podem argumentar que podiam ter implementado nessa empresa algum software diferente, mas na maior parte das empresas que nos contactavam, vinham logo à cabeça a pedir gente com conhecimentos de.... AutoCAD.

Link to comment
Share on other sites

Também posso dar conselhos? Compra o mais barato. Mais coisa menos coisa, vai dar tudo ao mesmo, todos têm defeitos e virtudes, e qualquer um é melhor do que trabalhar em Autocad (se um Autocad 2009 custa o mesmo que um BIM, nem sei como se pode hesitar na escolha). Com o Revit pode sair mais caro, tem de se investir mais nas máquinas (nesta posso falar por experiência própria, já experimentei Revit e Allplan na mesma máquina)... Uma coisa te posso garantir, depois de te habituares a BIM vais perguntar-te como foi possível teres conseguido trabalhar com Autocad durante tanto tempo. E mais uma achega, há 14 anos (pelo menos) já cá havia Arris

Link to comment
Share on other sites

Tenham em conta esta constatação: "Mais facilmente se encontra um desempregado que saiba AutoCAD do que um que saiba ArchiCAD" Por isso aconselho-vos, eu que ando a apregoar as tecnologias CAD desde 1987, invistam na aprendizagem do ArchiCAD e do BIM. ;)

Link to comment
Share on other sites

Miguel Eu penso que essa opção foi consciente e baseada nas realidades do mercado. Não vejo como se lhe possa apontar defeito. Também leccionei numa escola profissional num curso de técnicos de construção, e a estratégia era a mesma, com os mesmos resultados. É também obrigação do professor preparar os alunos para essas realidades, e sería um disparate que os alunos de arquitectura terminassem o curso sem saber desenhar com recurso a Cad, pois é esse ainda o mercado que vão encontrar. Mas não por muito tempo. O prato da balança está a começar a pender na direcção do BIM, e quando a mudança se der, será muito rápida, como aconteceu quando se passou do estirador para o computador. Com uma agravante: Incorporar a metodologia BIM no nosso processo de fabrico de projectos é muito mais complexo que reproduzir o desenho técnico efectuado outrora no papel para o computador. A mudança é de uma magnitude completamente diferente, como qualquer arquitecto cujo gabinete use o Autocad sabe quando confrontado com a hipótese de mudar para um sistema BIM. Este problema, do ponto de vista académico, tem outra agravante: Estamos a ensinar a trabalhar não os arquitectos de hoje, mas aqueles que irão começar a desenvolver trabalho dentro de 2, 3,5 ou 10 anos. Nesse aspecto, há que ter alguma clarividência e tentar perceber para onde tende o prato da balança. A nossa opção no curso foi eliminar de todo do curriculo o trabalho em 2d. Os alunos aprendem (depois de passar pela fase do lápis e da rotring) a desenvolver os projectos desde a fase prévia sobre modelos 3d, com recurso também a esquiços e maquetes, claro, e a retirar desses modelos os desenhos técnicos necessários. Pela nossa experiência qualquer aluno que domine uma ferramenta BIM consegue, em pouco tempo, aprender os rudimentos de um cad. Os conceitos como os sistemas de coordenadas, a gestão e segurança de dados, são comuns a ambas as metodologias, pelo que aprender a traçar linhas num espaço 2d depois de saber construir paredes num 3d é "canja". Poderão não sair de lá uns "cad-monkeys", mas também não é nossa intenção formar desenhadores... ;)

Link to comment
Share on other sites

Presumo que se esteja a referir ao Décio, não?


Claro que não Miguel... Não ganho nada com defender nada que não seja o meu trabalho. Trabalho com softwares que falo, tal como o Miguel.

Com certeza não era de mim que falava!

Um dia que venha a vender software seja ele qual for, seráo primeiro a saber...
Link to comment
Share on other sites

Dos gabinetes com que trabalho e que conheço, em Portugal, uma meia dúzia, todos trabalham com sistema BIM, todos eles com Archicad, como sería de esperar, sendo esse o meu meio.


Soube-os escolher bem... e a dedo :)

Será que o Sr. Arquitecto também vende o software?

Mas tambem com a sua forma de argumentar e impor, não me admira que aí em Seia todos trabalhem no mesmo ;)

Já agora, pergunto à comunidade: seria de esperar a resposta do Miguel? Que todos trabalhem com o Archicad?

Se calhar é por isso que nunca nos conhecemos pessoalmente :)

Não se esqueça: os experts, os iniciais e o Miguel :p
Link to comment
Share on other sites

Claro que não Miguel... Não ganho nada com defender nada que não seja o meu trabalho. Trabalho com softwares que falo, tal como o Miguel.
Com certeza não era de mim que falava!


Não? Tem piada, deve haver outro Décio então...
Já agora, diga-me lá, só por curiosidade, quanto pagou à Autodesk pelo Revit com que trabalha?
Link to comment
Share on other sites

Soube-os escolher bem... e a dedo :)

Será que o Sr. Arquitecto também vende o software?

Mas tambem com a sua forma de argumentar e impor, não me admira que aí em Seia todos trabalhem no mesmo ;)


Não, não vendo software, se essa questão o apoquenta.

E não me lembro de ter mencionado que esses gabinetes são de Seia... Por acaso, nem são.
Link to comment
Share on other sites

Não? Tem piada, deve haver outro Décio então...
Já agora, diga-me lá, só por curiosidade, quanto pagou à Autodesk pelo Revit com que trabalha?


Se calhar é o tal Dercio que o confunde...

Se se refere a dar formação de Revit, claro que dou, o Décio, não o Dércio. Tal como dou de Word, Excel, entre outros programas. Até de AutoCad, imagine...

Quanto paguei? Porquê, precisa de ajuda para as suas contas? Se as suas fontes são seguras, claro que saberá quanto custa um Revit e quanto pagou pelas suas licenças de Archicad...
Link to comment
Share on other sites

Não, não vendo software, se essa questão o apoquenta.

E não me lembro de ter mencionado que esses gabinetes são de Seia... Por acaso, nem são.


A mim não me apoquenta, mas vejo que outras questões o apoquentam!
Tenha calma Arq. Miguel. Já viu? Já são 2 pontos iguais: ambos somos arquitectos e não vendemos software...

Dos gabinetes, disse Seia como poderia ter dito outra coisa qualquer; apenas perguntei, não afirmei...
Link to comment
Share on other sites

Concordo Connecty, e desde já peço desculpas pela extensão do tópico e em relação à minha participação. No entanto, penso que o período de férias para alguns utilizadores deste forum são benéficos mas para outros nem por isso! Creio que quando os tópicos se direccionam para confrontos pessoais é sempre mais difícil desligarmo-nos. Mas também compreendo que as conversas tenham que descambar para esses lados; afinal a falta de argumentação assim nos obriga! Cumprimentos a todos... e dou por terminada a minha participação neste tópico!

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 4 weeks later...
  • 6 months later...

Sem estar aqui a defender a minha dama, de qual o melhor software para Arqutectura.
Podem ver abaixo quem é lider de mercado:
http://www.cambashi.com/aboutus/press/SPR_EMEA_AEC_2008_Euro_final.pdf
estudo de auditores independentes tb referenciados por autodesk.

Será mesmo que Allplan, "não presta" ou será que os utilizdores nadam todos enganados, e unicamente alguns aqui do forum descobriram as potencialidades de Revit e Archicad????????
o facto de em Portugal não estar muito implementado, provavelmente deve-se ao "peso" economico que tem o nosso país junto de um grupo multinacional.

PS. já agora...alguem acredita que uma empresa Norte americana (autodesk) transforme as suas soluções para se adaptar ao mercado europeu???? Eu cá não, e opto por software house da europa =Graphisoft ou Nemetschek ( apesar de ser o mesmo grupo)

Link to comment
Share on other sites

Não ponho em causa o estudo mas é sempre bom de reparar que a Nemetchek, mesmo com a aquisição da Graphisoft teve um crescimento de 8% no ano de 2008 enquanto a Autodesk com o Revit teve um crescimento de 28% no mesmo periodo... Não deixa de ser interessante constactar estes pequenos factos. Mas a verdade - e não estou a defender a Autodesk (até nem gosto da politica de preços desta empresa, entre outras coisas) - é que antes do Revit a Autodesk não tinha um verdadeiro software AEC enquanto que o Archicad sempre o foi e o Allplan não sei quais foram as suas origens. Já o Vectorworks evolui de um CAD para um modelador 3D poderoso para um AEC e agora já é quase BIM. Também não é dificil que a Nemetchek seja lider de mercado na EMEA (região da Europa, Middle East e Africa) sendo uma empresa europeia e tendo no seu portefólio 3 produtos direccionados para o mercado AEC - Archicad, Allplan e Vectorworks. Além disso a Nemetchek não é só uma empresa europeia, sendo que é dividida entre Nemetchek e Nementchek North America - também nunca percebi bem porquê... Enfim. Vale a pena pensar nisto...

Link to comment
Share on other sites

(...) Além disso a Nemetchek não é só uma empresa europeia, sendo que é dividida entre Nemetchek e Nementchek North America - também nunca percebi bem porquê...

Enfim. Vale a pena pensar nisto...


De facto também nunca percebi essa subdivisão muito bem, mas creio que se prende com o facto do mercado Norte Americano (NA) ser muito específico, e somente desta forma se poder dar resposta cabal às suas exigências.
O mesmo já se passou com o IKEA, quando chegou aos EUA, sofreu pesadas críticas pois o seu mobiliário não se adequava ao mercado NA. Era tudo minúsculo diziam eles!! Hoje o IKEA tem uma divisão, embora não assumida como a Nemetchek, a adequar todos os seus produtos àquele mercado.

Outro ponto em que vale a pena pensar é o seguinte:

Em Portugal e acredito que será igual no resto da Europa, África e Médio Oriente, quando se compra um Autocad recebe-se um Revit obrigatóriamente. E como nós sabemos o Revit vai servir apenas para decorar as preteleiras. Porque a malta vai continuar a desenhar linhas e tramas.

O estudo apresentado acenta sobre valor (€) de produto vendido. Mas o valor da Autodesk, como referi anteriormente, é um valor falseado. Há muitas unidades (€) de Revit a sair, mas apenas como bibelot, meros objectos decorativos.
Ora os valores da Nemetchek, são mais reduzidos, mas são mais reais (Também têm Bibelots). E no futuro o que importa será o número de utilizadores reais e não as unidades "vendidas".


Essses estudos são estatísticos, como sabemos a estatística vale o que vale, como dizem alguns:

"é a mais inexacta das pretensas ciências exactas!"

Entre 2 individuos, um comeu um frango inteiro e o outro nenhum. Estatísticamente ambos comeram meio frango. Mas na realidade, há um satisfeito e o outro F...............!!!




Agora um facto real:

Universidade, fábrica dos futuros profissionais da arquitectura, os verdadeiros BIMer's.

Relatando o caso que conheço bem, o curso de arquitectura do IST, começou apagadito mas agora assume o 2º lugar em média de acesso e enquanto 1ª escolha para ingresso no ensino superior. Apenas vencido pela famigerada Medicina. Tendo destronado já o seu curso irmão, o da Faculdade de Arquitectura de Lisboa.

No IST, todos os semestres há cursos de Revit e cursos de Archicad. Todos os semestres o curso de Revit é cancelado por falta de candidatos, e todos os semestres o curso de Arquicad esgota e ainda sobram candidatos. De tal forma que acabo a chagar a Infor para promover um curso extra ao longo do semestre.
Não temos cursos de VectorWoks, nem de AllPlan, o primeiro porque os srs da Techlimits, são uns palhaços burocratas, o segundo não sei porquê. talvez nunca tenha havido que se mexesse nesse sentido.

A reputação do curso de arquitectura do IST, é muito boa e no mercado é raro ou impossível encontrar um disciplo desta escola desempregado.

Onde que chegar com isto???

A sociedade humana descende da dos macacos, quanto mais não seja pela imitação. E quem for à frente terá certamente muitos seguidores.

Tal como aconteceu com o CAD (Autocad), foram novas contratações, estagiários, que introduziram o computador nos ateliers, onde só se desenhava à mão. O que vai acontecer no futuro, logo mais à tarde :), é que serão estes estagiários a introduzir o Edificio Virtual (BIM) nos ateliers.
A questão agora põe-se, qual será o software, para além do Autocad, que estes novos estagiários irão dominar??

Eu sei qual é o software mais usado no IST !!! (pelo menos por 80% a 85% dos alunos, e a aumentar)

Alunos do IST, são poucos é verdade, mas fazem muito barulho!!!
E não esquecendo também os alunos da UAL. (99% dos alunos, usa o mesmo software que os do IST).

Isto também dá que pensar, não??!!
Link to comment
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.