Jump to content
Arquitectura.pt


Mail enviado por um colega à OA‏


Recommended Posts

Boa tarde exmo. Colegas e demais funcionários da OA


Venho por este meio apresentar o meu descontentamento face aos seguintes pontos:


1º Pago 190 euros de cotas anuais (a dos engenheiros cobra menos de metade!!!). Em 2008 apenas trabalhei para outros arquitectos, não tive nenhum projecto da minha autoria. NÃO PRECISEI da OA, mas tive que pagar!


2º Trabalho há mais de 10 anos a recibos verdes para outros arquitectos (alguns fizeram/fazem ainda parte da direcção da OA). Que é que foi feito pela organização profssional que me deveria defender para por fim a esta questão de falsos recibos verdes, e para a qual pago 190 euros anuais? NADA!


3º Por receber menos de 1000 euros e ter família para sustentar e casa para pagar, e dando prioridades dos bens essenciais, as cotas da OA ficaram em dívida 3 meses. Recebi em casa uma circular a ameaçar de tribunal, se entretanto não saldasse a minha dívida de 47,5 euros (duma Ordem que deveria defender os meus interesses...)


4º Já que cobram assim tanto anualmente, ao menos as formações deveriam ser em maior número, e a preços bem mais acessíveis, senão mesmo gratuitas.


5º Acham justo cobrar 190 euros anuais a arquitectos que fazem pelo menos 20 projectos por ano, e cobrar o mesmo valor a quem não faz nenhum da sua autoria, trabalhando para eles ou para outros? (e que como todos sabemos, pagam mal e a Recibos Verdes...)


6º Já que cobram o mesmo a TODOS os membros da OA, porquê a promoção de apenas meia dúzia? Os mais novos não têm oportunidade? Ou os outros mais velhos, que não têm amigos nem na OA nem nas revistas? Não terão direito a promoção por parte da OA, nomeadamente nos banners do site ou no JA??


7º Gostaria de saber porque razão acabaram com o Cartão de Arquitecto, que servia de cédula profissional (criaram uma espécie de "Cartão Modelo" para descontos, que na realidade não serve para nada!)


8º Penso que ao cobrar 190 euros anuais, o mínimo que poderiam fazer por nós é atender os telefones, uma vez que já por várias vezes, passei manhãs inteiras à espera que tal sucedesse! Podiamos também ser recebidos com um sorriso e boa educação à chegada à OA...


9º Apesar de não obrigarem a um estágio remunerado, cobraram-me 300 euros (!!!) para ingressar na OA ( a ordem dos Eng. cobra apenas 1/10 do que a OA cobra)


10º Gostaria de saber porque não usam o JA para promover arquitectos que não apareçam noutras revistas, apesar da qualidade do seu trabalho! Quando promovem exposições, concursos ou outras baboseiras, convidam sempre os mesmos arquitectos (ao ponto de já se conhecerem algumas obras melhor que quem a projectou!)


Com a perspectiva de trabalho que tenho, e visto que a OA não tem a mínima capacidade ou competância para me defender profissionalmente, informo que de ora em diante cancelarei os meus pagamentos.


Mais informo que será formada uma Sociedade Recreativa dos Arquitectos, apenas para esbanjar as cotas dos nossos associados a promover apenas os nossos amigos mais importantes (ou aqueles que mais gostámos), a promover concursos com vencedor já previamente decidido, a promover acções de formação sem interesse e pagas a peso de ouro e a perder tempo com discussões "Pseudo Intelectuais" filosóficas de cultura, história e teorias da superioridade da mente do Arquitecto (o Arquitecto como um DEUS, no centro do mundo, que gira à sua volta). Promoveremos partidas de golf para os nossos importantes e milionários associados! O show Off da nossa superioridade intelectual, cultural e económica estará sempre presente, quer nas nossas formações, acções e cobrança de cotas!


Peço desculpa se a nossa futura Sociedade tem alguma semelhança com as acções levadas a cabo pela OA, mas apenas somos uma Sociedade Recreativa!



Sem outro assunto de momento,
Link to post
Share on other sites

Como futuro arquitecto começo a ficar preocupado. Já agora alguém me sabe dizer se para trabalhar e fazer projectos no estrangeiro é preciso pertencer à ordem?



Não, penso que não, .

Artigo 42.° dos estatutos da ordem diz,
" Só os arquitectos inscritos na Ordem podem,
no território nacional, usar o título profissional
de arquitecto e praticar os actos próprios da profissão." ... ao exerceres a profissão no estrangeiro não faz sentido estares inscrito, só se for por capricho.



E mesmo o colega que teve a iniciativa de enviar o mail acima referido, do meu ponto de vista, uma vez que trabalha por conta de outrem e não teve que assumir a resposanbilidade, autoria, ou co-autoria sobre qualquer projecto, penso que não tem necessáriamente que estar inscrito na ordem.
Daí eu descordar com alguns pontos e este é um deles.
Link to post
Share on other sites

Legrias.. exactamente... Se não exerce a actividade por sua conta e risco... trabalha por conta doutrem que se responsabiliza profissionalmente pelos trabalhos executados... não necessita de ser membro efectivo da OA. Pode pedir a suspensão da inscrição na OA... Também não entendo a postura do colega na carta.... agora a OA é culpada da sua insatisfação económica e laboral, se está insatisfeito com a sua situação .. é partir para outra. Mudar de ramo, diversificar as suas competências e areas de actuação, ser empreendedor é a solução. O emprego para a Vida.. acabou.. há q arriscar, adaptar-se ao meio social e económico em que vivemos.

Quem cria renasce todos os dias...
Agua-Mestra, Lda
Não sou perfeito, mas sou muito critico...

Link to post
Share on other sites
os TOC's têm o mesmo dilema.. muitos trabalham por conta de outrem mas no entanto têm de pagar as cotas, por exemplo... Já começo a ficar farta desta mania da vitimização! Se não faz trabalho por sua própria conta e risco então nao necessita de ser membro efectivo...simples!

em relação ao atendimento a que temos direito para esclarecer duvidas, não tenho razões de queixa. sempre fui atendida e esclarecida.

para se trabalhar no estrangeiro tens de ser reconhecido como arquitecto no país que te recebe, com todas as implicações que isso tem, claro.

concordo perfeitamente com o pedro barradas. está insatisfeito? realmente para quem já está à mais de 10 anos a recibos verdes é porque também nunca teve grande vontade de mudar de vida. a ordem não tem de ser responsabilizada pelo estilo de vida escravizado que muitos optam por ter. é uma carta rude e bastante mal educada. não me admira nada que nem sequer tenha sido lida, muito provavelmente...

margarida duarte

Link to post
Share on other sites
Não ser lido e esclarecido? Então meu? Esta pessoa tanto merece ser lida, compreendida e esclarecida como qualquer outra pessoa! Rude e etc?! esta pessoa esta frustrada com a vida de arquitecto meu!! lol..Acho q se não for esclarecido, é injusto! O problema é q o bacano é só um email… hahahaha
Peço desculpa a ignorância, mas não existe nada do género ordem dos Arq. para acreditar o arquitecto no “outro” pais? Penso q possivelmente deverá ter de estar inscrito nisso não? E a Ordem d Arq. não segue “ordens” da comunidade europeia?... será q se tem de estar já acreditado na ordem de cá para ser creditado na de “lá”?

Cmpts
Link to post
Share on other sites
ora vamos la ver se nos entendemos...certamente não leste o EOA nem o RD por isso aconselho-te a fazer isso antes de caíres na asneirada total no que diz respeito à acreditação noutros países. o colega do email está frustrado? então que se faça a vida...eu também estaria se tivesse caido na apatia durante 10 anos sem querer mais da vida..

margarida duarte

Link to post
Share on other sites
O estatuto do arquitecto é claro, assim como as competências e isenções de quotas também, posso não concordar com os colegas que estão nas Ordens (alguns deles a angariar projectos á nossa custa) mas a carta de um suposto colega colocada neste post, não faz muito sentido, parece uma purga mental do próprio que a escreveu! Os arquitectos, ou melhor o homem tem a obrigação de procurar sempre o melhor, a ambição sem atropelos é saudável e recomenda-se! É partir para a luta, se não conseguimos exercer a nossa profissão num determinado período de tempo, podemos momentaneamente exercer outra actividade. Agora lamentar-se e não fazer nada para mudar, isso sim é frustração.:)
Link to post
Share on other sites

Na minha opniao nao me parece que este colega se esteja a lamentar.....acho mais que é um "grito" de revolta. Acredito que muito profissional se sinta um pouco desiludido com a OA e com quem gere aquilo. Este mail ate pode ser inventado, mas o facto de ele andar a circular e estar presente neste forum de debate, demostra por si só que algo anda mal na OA e nos ditos profissionais que nada fazem mais, do que andar a viver à custa dos estagiários...

Link to post
Share on other sites

boas a todos: yap, tem de se estar inscrito na ordem até mesmo para concorrer a concursos. yap, pode suspender-se a inscrição(e pagamento cotas) por períodos de 1 ano. yap a OA está a mudar e a fazer um melhor trabalho yap, quando se está insatisfeito muda-se... e yap, a questão dos falsos recibos verdes é ilegal, não é prática decente. nem de quem os exige nem de quem os aceita nem de quem os passa. e se quem está mal muda-se, quem anda à chuva molha-se... queixas é uma coisa, denúncia é outra, o mail divulgado do colega está a meio caminho yap, na selva há regras e limites... impostos pela lei do mais forte :) em sociedade temos ordem e tribunais aos quais o colega pode recorrer e lutar pelos seus direitos seguir em frente e continuar a fazer um bom trabalho para si ou para outros

Link to post
Share on other sites

Só depois de o postar reparei que este mail é mais velho que ao que pensei e já me caiu no mail 15 vezes, desde ontem para hoje, sempre com um upgrade de informação. Ao que parece já há pessoas que aumentam e colocam as contas por mês/ ano quanto ficaria a Ordem a lucrar.:) Inevitavelmente não se ouve falar de mais nada, se não no caso do Arquitecto Lino Dias. Será que servirá de exemplo para muitos acordarem?? É que a situação do deixa andar, pode resultar em 10anos!!

Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

Eu também já tinha recebido esta carta por email, e como tantas outras, fico na dúvida se terá chegado mesmo ao destinatário, antes demais acho que isso é que era interessante saber, qual a reacção da OA? Se este colega se identificou?

Concordo que a carta tem algumas expressões muito deselegantes, entre outras fico chocada com "...e visto que a OA não tem a mínima capacidade ou competância para me defender profissionalmente...". Atenção com estas conclusões de competências!!!! É verdade, e muito bem que vivemos numa democracia, mas isso não nos dá o direito de articularmos palavras, sob a forma de frases sem pensarmos reflectidamente na mensagem que estamos a passar.

Eu percebo que há muita insatisfação, também sou da opinião que a OA tem que melhorar muito, mas todos nós também nos deveremos empenhar em apresentar soluções de melhoria. Da minha experiência e exigência pessoal gostaria que houvesse melhorias no que concerne à qualidade e conteúdos de alguma formação que a OA que disponibiliza, por exemplo não entendo porque ainda não existe a figura da formação contínua??? Há muitos arquitectos que deixam de participar na vida activa da educação/ formação/ debates, etc. Mas penso que todos estes problemas que cada um de nós tenha para com a OA, estes descontentamentos devem ser feitos chegar à OA, de forma séria e esclarecedora.

Mas a realidade que o colega apresenta, acerca das condições de remuneração que existem no mercado, peço desculpa mas parece-me que algumas pessoas andam um pouco fora do contexto da realidade. Sou a primeira a defender que quando não queremos ser escravos, devemos rumar a outro destino, mas carissimos não se esqueçam que infelizmente hoje em dia à pessoas que só têm essas oportunidades para trabalharem em gabinetes de arquitectura, e a culpa é de quem? Alguém se dispõe a pagar nesses termos! Eu acho uma vergonha haver estágios não remunerados, quem trabalha tem direito a receber pelo seu serviço, e quando o estágio faz parte do processo de admissão a uma ordem profissional, aí acho que a OA deveria proteger os seus futuros membros, não deveria aceitar patronos que não pagassem remuneração, essa deveria ser uma das condições de aceitação. Só assim, seria possível acabar com o mercado de trabalho voluntário à força.
As consequências deste mercado são desatrosas no mercado de trabalho da arquitectura, porque mão de obra barata, promove a baixa de preços de trabalhos de arquitectura que se vive em portugal, e isso sim só tira dignidade ao nosso trabalho.

Já somos arquitectos a mais, pelo menos da forma como se trabalha em Portugal, a OA tem que ajudar a encontrar rumos, porque não há projectos para todos!!!

Mas acima de tudo, digo-vos, não desisto de acreditar!

Link to post
Share on other sites

Já somos arquitectos a mais, pelo menos da forma como se trabalha em Portugal, a OA tem que ajudar a encontrar rumos, porque não há projectos para todos!!!


olá alecha! achei a tua intervenção bastante pertinente!
fizeste um reparo que deixou-me a pensar... porque é que os arquitectos têm tendência unicamente para a realização de projectos de arquitectura? dirão-me certamente algo do género "porque foi isso que andamos a aprender 5 anos" ,"porque foi para isso que fui para arquitectura" e por vezes junta-se a este pensamentos a ideia de haver arquitectos de primeira e arquitectos de segunda, como se os "verdadeiros arquitectos" fossem aqueles que fazem projectos.

talvez fosse interessante começar também a contrariar essa ideia. explorar a vertente do ensino, da investigação, da legislação (porque não), da requalificação e perceber que há muitas outras áreas, que não estão sobrelotadas (nem pouco mais ou menos) e que poderiam (e deveriam) ser áreas também elas de contemplação e de aposta dos arquitectos.

margarida duarte

Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.