Jump to content
Arquitectura.pt


Luis Manata

Membros
  • Content Count

    14
  • Joined

  • Last visited

About Luis Manata

  • Rank
    Frequentador
  • Birthday 07/02/1955

Redes Sociais

  • Website
    http://www.splm.pt

Meio Profissional

  • Instituição/empresa onde trabalha
    SPLM, Lda
  1. Meu caro ou minha cara, Ser arquitecto/a, na minha opinião, é uma questão de vocação. Faz-se porque se gosta. Quantos projectos não fiz quase a perder dinheiro, para não falar daqueles em que não mos pagaram. Mas em quase todos eles adorei fazê-los. Só tenho pena por alguns não terem entrado em obra, normalmente por falta de financiamento. Se colocas a questão nos termos em que a colocaste, não, não vale a pena ser arquiteco/a. A não ser que te encostes a um partido ou alguém influente para ganhares algumas obras mais importantes. Concursos, esquece, pelo menos nos primeiros (muitos) anos. Depois, se te formares e abrires o teu escritório, verás o que quero dizer. Trabalhares para as vedetas da arquitectura também não será a melhor opção. POdes usar no curriculo, mas habitualmente não aprendes muito mais do que aprendestes no curso. Aprende o mais possivel de legislação, bem como a "vender" o teu trabalho. Na faculdade são duas áreas pouco exploradas. Voltando à tua questão, se queres só ter uma licenciatura, tens umas mais curtas (3 anos) e que já dão para te chamarem doutor (mesmo sem o seres). Para ganhar algums dinheiro, meu caro/a, tens sempres os partidos, e se conseguires ser deputado, nem te digo, tu sabes. Se a ambição for mesmo muita vais para um partido, "puxas o saco", "engraxas", "lambes as botas" a alguém importante e ainda chages a secretário estado, ou ainda cargos mais altos, e aí meu caro/cara, ninguém te agarra. Se gostares mesmo de arquitectura e caso tenhas "massa" para o curso, pois fica caro ( maquetas - não maquetes- , plotagens, livros, etc, etc) faz o curso pois dá um "ganda gozo". Desculpa lá algum errozito na escrita, pois faço-a sempre no "correr da pena" sem nunca reler depois. Faz aquilo que o coração te mandar. Quem é que vive bem da arte? Algumas vedetas e não mais. Grande abraço Luis Manata
  2. Algum(a) colega conhece um site com uma compilação da legislação sobre Arquitectura e Urbanismo? Não me indiquem o site da Ordem que já conheço. Pergunto, porque ouvi em conversa de café (não consegui imiscuir-me) alguém a referir um site (não ouvi o endereço) que estaria muito bem desenhado e que funcionaria em cascata, onde de uma forma muito simples se chegava à Legislação que tinha interesse para determinada operação. Saudações fraternas a todos(as) e excelentes férias (para quem pode).
  3. Já agora convém começar a perceber-se que Arquitectura e Urbanismo não são a mesma coisa. Bem sei que para nós, Arquitectos dá imenso jeito pensar-se que é a mesma coisa. Ainda há quem não saiba o que é Arquitectura (!) .Com os "sábios" da TV e imprensa em geral a falar de arquitectura dos teatros de guerra, de informática, de moda, paisagística, etc, etc, anda tudo baralhado. Não vamos ajudar a confusão. É só um desabafo.
  4. Claro que a estimativa do valor real da obra não tem a ver com qualquer portaria. Estou a falar do que algumas exigem emtermos de estimativa. Por exemplo, e só refero douas Câmaras: 1 - Câmara de Setúbal: Diz que entre os docs a entregar para licenciamento de obras de edificação deverá entregar a estimativa do custo total da obra (adiante ECTO):" Os valores por m2 de....., não poderão ser inferiores aos estipulados em Diário da República para a construção a preços controlados".(sic) 2 - Câmara de Cascais: Na fórmula que indicam para o cálculo tem uma componente que diz concretamente: "Custo por m2, nos termos do nº1 do artigo 7º do decreto-Lei nº ...... e da Portaria ........ (no ano de 2009-Portaria 1240/2008 -€741,48/m2)" ou em legislação que lhes suceder." (sic) Como leram há efectivamente um valor minimo (pelo menos em algumas Câmaras) a ter em conta para a ECTO. Grande abraço
  5. Bem. Quando referi PIP fi-lo erradamente. Claro que PIP quer dizer Pedido de Informação Prévia e tanto serve para licenciamento como para Comunicação Prévia. No meu texto inicial substituir PIP por CP (Comun. Prévia) e tudo toma outro sentido. Obrigado
  6. Boas. Duma vez só duas dúvidas: 1 - Valor Construção 2010 Entre os docs para instruir um processo há o da estimativa de custo da obra. O valor por m2 deverá ser no minimo o estipulado em portaria. Aqui vem a dúvida: a portaria em questão para 2010 é a 1456/2009 (para efeitos de IMI), ou a 1379-B/2009? 2 - Licenciamento ou inf. prévia? Já li e reli, reli, reli o RJUE. Já falei com 340 (sei lá) colegas. Já falei em com os tec. da Câmara. E a dúvida persiste. Aí vai: Construção nova. Zona urbana consolidada. Lote perfeitamente delimitado. Segundo uns será licenciamento. Segundo outros PIP. Não verifiquei quem está em maioria. Não pode ser ao critério de cada um. E mesmo que seja ser PIP, não é possivel por qualquer razão pedir licenciamento? Grande e fraterno abraço a todos. Que venham melhores dias. Luis Manata
  7. Vencimento....vencimento.... não. Mas concerteza terão uma ajudinha monetária? Terão que ter alguns ganhos para viver. A não ser que sejam ricos e possam viver sem ganhar. Estão na Ordem por amor à causa. Aleluia! Aleluia! Cristo voltou.
  8. Vencimento....vencimento.... não. Mas concerteza terão uma ajudinha monetária? Terão que ter alguns ganhos para viver. A não ser que sejam ricos e possam viver sem ganhar. Estão na Ordem por amor à causa. Aleluia! Aleluia! Cristo voltou.
  9. Atenção aos boatos. De qualquer forma temos por aí uma enorme quantidade de gente a reclamar. Mas quando se trata de aparecer e colaborar já a música é outra. Há por aí um comentário que refere a APELA. Pois! Só se lembram de Sta. Bárbara quando há trovões. Ainda não passou muito tempo desde as últimas eleições para a Ordem. Sabem qual foi a percentagem de votação? Vão ver e espantem-se. E a maior parte dos votantes foram colegas que já têem o seu nicho de mercado e outros que até já nem trabalham. Vejam portanto o interesse dos membros mais recentes. E digo isto com conhecimento de causa, porque estive numa mesa de voto todo o dia. Não se pode só ir ao dentista quando doi o dente. Toda a malta quando apanha o "canudinho" pensa que já é a vedeta como aquelas vedetas que ajudou a contruir e desliga-se da "luta". Estágios de borla? Arquitectos a trabalhar a 5, 6, 7 ou 8 Euros à hora e a passar recibos verdes? Cada um a querer ter o seu "ateliezinho" em lugar de fazer parcerias para ter mais força? Assembleias da Ordem com meia dúzia de participantes? Ter medo de dar a cara ou até de colocar o seu nome nas reclamações? Pois é. Assim não vamos longe, tudo isso acontece porque queremos. Caramba, afinal somos uma das poucas classes profissionais que não luta pelos seus direitos. Os enfermeiros lutam, os engenheiros lutam, os médicos lutam,....... Toda essa gente quando é necessário vai para a rua, reclama, faz-se ouvir. Os Arquitectos lamentam-se em posts na internet, ainda por cima sob pseudónimo. Está bem. Luis Manata - Arquitecto nº 15895 (projectista desde 1972)
  10. Os srs. politicos que gastam tanto do nosso dinheiro a viajar deviam aproveitar e abrir os olhos para ver o que de bom se faz nesse mundo. O que este nosso amigo diz é bem verdade. Estive há pouco tempo em S.Paulo e falei com a Arquitecta responsável pelo plano de controlo da publicidade, que me mostrou o "antes" e o "depois". Que diferença. Exemplo a copiar. Abraço Luis Manata
  11. Carissimo amigo. Bem sei que foi uma determinação do governo como dizes, que ficou protocolizado com as organizações profissionais. Penso no entanto, que as Ordens profissionais, não devem "comer e calar" assinando o que se lhes coloca à frente. Aliás, suspeito mesmo que o protocolo tenha sido negociado com as ditas. Além do mais, o que digo no outro post (por outras palavras) é que a Ordem já aceita que após cinco anos de inscrição (e não de prática) já é possivel a qualificação como perito. Abraço amigo a todos. Nota: Não pretendo levantar aqui alguma polémica, mas tão só dizer o que penso, como sempre o fiz, apesar de já ter sofrido represálias em algumas situações da minha vida.
  12. JOAGIN Houve um post em que dizes: "Agora expliquem-me, porquê que a Ordem dos arquitectos só permite que um arquitecto se qualifique como perito qualificado nestas andanças após 5 anos de experiência?! É esta a nossa área de competência!" É realmente uma excelente questão. A nossa Ordem só permite que um Arquitecto se qualifique como perito após cinco anos, mesmo que, após estar inscrito como membro (já arquitecto portanto) trabalhe única e exclusivamente como empregado de balcão, por exemplo. Quando eventualmente esses colegas que não têm trabalho de projecto (por variadas razões) poderiam ganhar algum e manterem-se no mercado a emitir certificados até "a coisa" melhorar. Curso de cinco anos+estágios+exame da Ordem, não chega? É mesmo preciso gostar de Arquitectura. Abraço
  13. Em vez de mandar umas bocas por aqui, penso que o melhor é o pessoal começar a aparecer nas assembleias e mesmo em outras ocasiões na Ordem, para todos juntos começarmos a alterar as coisas. Se fosse só o valor das quotas, estavamos todos bem. Abraço
  14. E todos exercem? Se calhar não. Aliás parece-me que os Arquitectos inscritos não ligam "peva" à Ordem. Vidé votos expressos nas eleições e presenças nas assembleias. Penso que andar sempre por aí a dizer que somos muitos é uma falsa questão. Basta que a Arquitectura passe a ser feita por arquitectos. Abraço
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.