Jump to content
Arquitectura.pt


Madness

Membros
  • Content Count

    13
  • Joined

  • Last visited

  1. Penso que este comentário não se ajusta, ao debte em questão, eu como angolano sinto-me profundamente ofendido, quando a este nivel de pensamento ainda existam seres sem capacidade de compreensão intelectual e cheios de preconceitos. É pena...
  2. o autor do projecto de reconversão da bahia de luanda? pelo que sei, mas isso é informação nao confirmada, é um consorcio entre uma entidade privada e o governo provincial de luanda, denominada "Luanda waterfront" ou qql coisa parecida com isso, mas nao tenho nenhuma informação quanto aos autores do projecto em si... e quanto ao consorcio é apenas informações que vou captando dos jornais e de foruns na net.
  3. Concordo, que sim luanda precisa de modernizar-se, em todos os aspectos, mas quando se fala de modernização não se pode reduzir a questão a basica ideia de desenvolvimento tecnológico, todo esse desenvolvimento deve ser acompanhado na esfera social, cultura e claro cientifica, sem isso as bases se desequilibram torna-se numa cidade anomala, muitas das cidades que servem de ponto turistico para poucos de nós angolanos fervilham de historia, e de passado e sao quase todas exemplo de modernidade, vou so reportar ao exemplo que neste momento temos mais perto de angola, a cidade de pequim na construção do "ninho de passaro" tb tinha previsto a destruição de um templo secular que agora la esta de pé a fazer companhia a uma das mais modernas obras destes jogos olimpicos, e é so um exemplo... modernidade sim, cultura tb, acho que todos temos direito a opinião, mas quando dizes que " ja vai tarde" quase de certeza e isso presumo eu, estas a afirma-lo por puro desconhecimento do que é a arquitetura nos tropicos e o importante valor que, a unica obra de referencia mundial que existe em Angola, desempenha como um exemplo do bem desenhar num clima como o nosso (Angolanos), pois nada do que estar a ser feito tem como principio o nosso clima, e posso mesmo afirmar NADA, e nenhuma obra deste tempo erguida em Angola sera exemplo de modernidade, porque para alem de nao reflectirem a nossa cultura nem clima, nao passam de modelos ultrapassados de uma arquitectura obsoleta, copias de simbolgias que nada nos dizem (salvo, pequenas coisas que graças adeus ainda se vê, mas no geral...), sem dizer que o "Mercado do kinaxixe" é um dos maiores exemplos da arquitectura moderna em angola... mas como disse tens toda a razão em dizer que angola precisa de se modernizar... concordo plenamente mas concordo mais ainda como desenvolvimento de uma cidade pensada para qualidade de vida dos seus cidadãos, pois modernizar não é sinónimo de DESENVOLVIMENTO. PS: desculpem o testamento mas certas opiniões de cariz gratuita e pouco fundamentada desencadeiam em mim uma furia que preciso verbalizar.
  4. Olá a todos, É com profundo pesar que comunico a toda comunida interessada que o Mercado do Kinaxixe esta a ser demolido para dar lugar ao "magnifico" sinonimo de modernidade e de cultura extremamente avançada, ao empreendimento shopping kinaxixe, que ilustra ao grau civilizacional a que nós angolanos chegamos. PS: amanha terei fotografias para vos mostrar este horrendo espectaculo.
  5. Bem, nao sou especialista... mas pelo pouco conhecimento que tenho, posso dizer-te que neste momento existe um programa para cabo-verde para a criação/desenvolvimento de relva propicia para o clima africano, isso porque regista-se uma enorme produção de resort´s turisticos em cabo-verde com campos de golfe... mas sem fugir a questao, o relvado ja na europa a apesar do mito de ser pouco dispendioso, gasta enormer quantidas de agua e ainda muitas horas de trabalho para o manter com o aspecto de relvado, em angola propriamente em luanda levanto a questao, do fraco abastecimento de agua (que é dificiente ou mesmo nulo em algumas areas da cidade), embora a rede esteja a sofrer melhorias, mas a relva (acho eu) nao sera a prioridade para abastecimento, senao vejamos o estado da relva do estadio da cidadela... se fosse uma prioridade aquilo teria relva e nao aquela coisa que la tem... e quanto ao clima para nós angolanos a relva nao é uma especie autocne, ou seja estamos a inserir uma nova especie (não é novidade, mas fica aqui o apontamento) pois se fosse natural de africa ter relva ela crescia pelas nossas planícies a dar com o pau... por isso acho que relva nesta fase do campeonato é uma mau investimento. mas isso claro sou eu a falar como disse nao sou nenhum especialista na questao, é so a minha opinião.
  6. eu vivo mesmo em frente as bombas de gasolina, a 100 metros do mercado (mais coisa menos coisa) e pelo que parece vou perder a vista que tinha sob toda a praça do kinaxixe, para alem dquela mega praça da cidade acabar por perder a sua configuração e claro como é possivel ver a volumetria porposta so pretende ser um meio lucrativo e nao qualitativo, é mais uma obra, como todas as outras que por la estao a nascer...
  7. boas rapaziada, ainda não fui para luanda, sabem como é, ultimo trabalho de final de curso tem de ficar qql de jeito... por isso aqui ando, mas consegui arranjar UMA imagem do futuro projecto, ou do que se propoe para o lugar do mercado espero que elucide a todos quais a intenções que se quer para uma cidade como luanda... se tiverem interessados tenho recolhido uma serie de imagens sobre empreendimentos a realizar ou a serem realizados na cidade de luanda, assim que arranjar bom humor prometo que posto aqui, até la vejam o shoppingkinaxixe...lolol
  8. não podias ter sido mais suscinto, sobrescrevo todas as tuas palavras...
  9. Posso tentar arranjar fotos daquilo, mas como agora esta fechado e vedado o acesso não vai ser facil, em principio estou em luanda em Outubro e nessa altura poderei conseguir fotos do mercado, mesmo do seu interior... veremos, até tenham paciencia. :p
  10. Estou chocado, primeiro como angolano devo ser estupido ou não anda neste mundo, nem conhecia o projecto, e sinceramente chamar aquilo de projecto urbanistico é ofender os meus 6 anos de formação, no minino chamem-lhe projecto viario com arranjo de espaço verde, sei la inventem um nome... para ser sincero prefiro a marginal tal como esta... reflecte a essenca daquela bahia, o que estão a fazer a minha cidade... meu deus. Péssimo, projecto, mau investmento... nele tudo esta mal, a começar por aquela auto-estrada que é para levar para onde? para a ilha? ao mosuleo?... e depois RELVA?! alguem sabe os custos que é manter um relvado naquele clima? ele nao aprendem com o relvado do estadio da cidadela? que é mais um pelado do que um relvado... e agora vai a marginal acampar ou passaer? por amor de deus tenham juizo... estou mesmo indignado. Não me vou por com falanças tecnicas... acho que seria esforço perdido. saudações
  11. Boas todos, sou estudante de arquitectura, sou angolano e vivo mesmo em frente a referida obra, devo dizer que é umas da obras que mais de me fasicna na minha cidade, a par de outra como o cinema atlantico ou mesmo o cinema miramar, autenticos palcos de espectaculos que reflectem a qualidade de vida que o modernismo preconizava para as urbes. Contudo devo dizer que é com grande pena que vejo esta peça de arquitectura a vir a ser alterada... contudo no meu pais é assim, alguns acordam com vontade de fazer e fazem... é pena, mas gostaria que todos os presentes tivessem o previlegio de conhecer este mercado, digo-vos é uma bela peça de arquitectura. uma lição do bem exercer. saudações
  12. Boas a todos os que desenham a cidade, sejam eles quem forem, qualquer étnia, cor, especie e até podem ser arquitectos. Desejo contribuir um bocado que seja para este assunto deveras importante, é generoso dizer que a proposta de lei em questão vai fazer recuar conquistas ja feitas pela (des)ordem dos arquitectos, contudo para que haja avanço também necessário ter pessoas esclarecidas, situação que infelizmente é rara neste pais (inclui-me no pacote), pois vir para aqui lançar labaredas incendiarias sobre grupos profissionais de nomes distintos mas iguais e complementares no exercicio da sua profissão faz com que eu apareça para dizer asneiras, por isso aqui vai, temos de pensar em ter uma voz mais presente e um papel mais activo na sociedade e principalmente em questões que tenham haver com o exercicio da nossa profissão, desenhar a cidade (seja edificios, espaços publicos, elaborar planos, trabalhar no mac...ah desculpem, não era para ofender os quase 2000 arquitectos desempregados), prosseguindo, temos de fazer sentir que esta profissão é para quem estudou e se especializou, para quem tem acesso a uma ordem reconhecida como instituição que rege todo esse universo de profissionais (mais um pequeno aparte, so cursos de urbanismo da FA estavam reconhecidos na ordem, o de Arquitectura tinha sido chumbado, não sei como esta a situação actual, mas também não me interessa), por isso senhores desenhadores criativos, participem da vida em sociedade e não ides so a escolinha tirar 16 e depois pensar que contribuistes imenso para sociedade so com a sua presença enfadonha em revistas pouco crediveis que assinalam o lançar de modas como se de vestidos se tratasse, participar exige uma cultura civica que nos jovens não temos, e depois levamos com propostas de leis destas que nos chamam de estupidos e parvos, pois com razão, ninguem nos consulta por tal resposta não existe deste lado. quanto aos urbanistas não trabalharem a escala 1:1, digo desde ja que não sei onde a menina se informou (mas quem com porcos se mistura...) no meu caso que penso até nem ser um dos melhores exemplos, eu fiz projectos de execução durante a licenciatura que este ano acabo, para quem não sabe o que isso é, passo a explicar, no meu curso começamos a desenvolver um projecto a escala da região por vezes ate superior, estou a falar de 1:250.000 e vamos descendo até ao edificio, ou seja 1:100.000, 1:50.000, 1:25.000, 1:10.000, 1:5000, 1:2000, 1:500, 1:200, 1:50, 1:10 e nesse ano (estou a falar do ano em que fiz o primeiro projecto de execução) fomos chamados a fazer dito trabalho sobre o edificio em questão (um edificio de habitação colectiva) e chegamos a escala 1:1, nisso so para esclarecer que nós fazemos desde o plano até aos mais infimo detalhe do objecto de arquitectura por nós desenvolvido, pois a base e a grande arma do nosso curso é exactamente essa o dominio de escalas, onde a capacidade para gerir projectos se torna enorme. mas para isso eu precisaria de mais tempo para explicar aos presentes o resto, agradecido pelo tempo dispensado, e espero que ao menos se tenham rido um bocado, pois eu diverti-me imenso a escrever para voces. com amor e carinho o arquitecto urbanista Ivan Pinhão o amigo do João Ratão.:icon_pistoles:
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.