barcelona

Membros
  • Content count

    31
  • Joined

  • Last visited

  1. Boa tarde qual a inclinação mínima que uma cobertura inclinada em telhado necessita, segundo o RGEU? Cpts., Sara Monteiro
  2. Boa tarde, sou arquitecta licenciada em Dezembro de 2006 pela FAUP. Tive alguma experiência de trabalho em gabinetes de arquitetura em Portugal e no estrangeiro exercendo sempre a minha actividade a recibos verdes, sem qualquer contrato. Talvez por isso tenha aproveitado para cultivar um certo número de experiências profissionais de curta ou média duração, nunca longa, mais devido ao mercado e ào não cumprimento das leis laborais que supostamente devem reger e proteger os trabalhadores. Actualmente desde há um ano direccionei a minha profissionalização para o ramo imobiliário, trabalhando como consultora para a Remax, o que me tem permitido não ficar restrita a um horário de gabinete e sendo uma atividade que estando relacionada à minha formação de base, vem acrescentar uma nova vertente mais comercial e de comunicação que muito me apraz. Apesar de ter congelado as cotas na Ordem dos Arquitectos, tenho sempre tendência a não recusar trabalho, quando ele vem por intermédio quer de familiares, amigos ou pessoas conhecidas ou até antigos clientes. No entanto, vejo-me sempre confrontada com a questão dos honorários, nunca sabendo bem o que é justo, razoável ou correcto "levar" actualmente ao cliente. Acabo sempre por ter a impressão de que não me faço valer das minhas competências, acabando por cobrar honorários que estão fora da realidade. Quanto é suposto um arquitecto cobrar para ir à Câmara pedir e preencher um formulário para saber o que pode ser feito em termos de projecto, num dado terreno? As despesas de deslocamento, alimentação, portagens, são calculadas à parte? Deverá ser cobrado um valor à hora quando se trata de trabalhos pontuais p.ex. requesição de documentos para o dono de obra? E, no caso de um novo projecto para uma moradia, depois de estimados os custos da obra, i.é, tendo um primeiro orçamento em mãos para o custo estimado da obra, que percentagem devemos levar para o projecto de arquitectura? Faseado de que forma? A "nossa fatia do bolo é equiparável às restantes especialidades? Em relação aos projectos de estabilidade, incêndios, águas e esgotos, térmica e acustica, somos apenas mais uma especialidade? Ou como coordenadores destas especialidades e diretores técnicos da obra podemos e devemos cobrar mais? Existe algum regulamento onde possa consultar os valores praticados em termos de honorários à hora, ou por exemplo, à peça? Agradeço desde já qualquer tipo de esclarecimento, uma vez que tenho vindo a dar-me conta que não tenho feito valer o suficiente o meu trabalho, um pouco por consequência da precariedade da encomenda e dos clientes se fazerem valer dos baixos honorários dos técnicos, quer arquitectos, quer engenheiros, e também por descuido pessoal. Bom fim-de-semana! Sara Monteiro
  3. Boa tarde Gostava de obter dicas quanto a programas ou aplicações gratuitas que possa baixar da internet para tratamento vectorial a partir de uma imagem. Sei que existem alguns programas que o fazem de modo instantâneo a partir do momento em que é inserida a imagem pixelizada, podemos vê-la em modo vectorial e alterar algumas propriedades. Grata desde já pela informação que possam dispensar. Sara Monteiro, Arq.ª
  4. Boa tarde. sou arquiteta de formação e tenho interesse em alargar os meus conhecimentos de projeto na área de paisagismo, nomeadamente obter informações relativas a cursos, conferências e ou seminários nesta área. Att, Sara Bessa Monteiro
  5. Caro Pedro Barradas, o levantamento efectuado tem como finalidade a entrega nas finanças. Neste caso não houve despesas de deslocação. O levantamento foi feito em duas horas e foi feito de raíz uma vez que não haviam quaisquer desenhos dos dois apartamentos. Quanto à execução propriamente dita consistiu apenas na passagem dos esquissos das duas plantas dos fogos em vegetal para o Auto-Cad. Os recursos foram a fita métrica, os vegetais e o portátil. Este trabalho durou cerca de 3 horas. Poderá indicar-me um modo de orçamentação deste trabalho com base nestes dados? Cordiais saudações, Sara Bessa Monteiro, arquitecta
  6. Boa noite! Procurava ajuda para orçamentar um trabalho de levantamento de dois fogos, um de 47 m2 e outro de 54m2 para entregar na Conservatória do registo predial. O trabalho técnico dos levantamentos durou cerca de duas horas. Não faço ideia de como cobrar este trabalho já que no regulamento de deontologia da profissão não fazem menção a este caso. Agradeço desde já qualquer tipo de esclarecimentos. Atentamente, Sara Bessa Monteiro arquitecta
  7. Bom dia. E quanto à questão da impermeabilização da cobertura qual deverá ser a tela e onde deve ser colocada para obter um melhor desempenho a nível de estanquidade à entrada de água? (as duas primeiras fotos enviadas mostram o tipo de cobertura). Cumprimentos e obrigada uma vez mais! Sara Monteiro
  8. Boa tarde, obrigada pela sugestão. Já havia colocado essa possibilidade ao empreiteiro, contudo a opção foi recusada. Junto envio duas fotografias do espaço da obra quando se realizou já lá vão 3 anos... O certo é que no Inverno de há dois anos pingava dentro de casa! A solução deverá passar por uma tela impermeabilizantebaixo a qual no período das obras apenas foi colocada na platibanda e terraço exteriores e não na cobertura do telhado. No entanto creio que é necessário colocar igualmente em todo o perímetro do telhado. Ao nível do pormenor construtivo será mais adequado colocar a tela sob ou sobre o ripado de madeira do telhado? Quanto às placas de roof-mate para isolar termicamente devem ser colocadas por cima ou por baixo da impermeabilização? Já agora aceito sugestões de marcas de telas para impermeabilização de coberturas em telha. A questão da acentuação do desconforto térmico sentido dentro de casa, após as obras foi fruto de se ter aproveitado uma zona exterior de terraço, uma vez que se trata de um sótão e de se ter colocado toda uma fachada em vidro para o mesmo terraço, ao contrário da parede cega que existia antes das obras, quando não havia terraço, mas apenas um espaço vazio na zona interior da platibanda. Com a opção de ter-se aproveitado este espaço exterior como terraço do quarto optou-se por abrir umas portadas de caixilho duplo em vidro, as quais acentuam o calor e frio. A solução original porém também não tinha a melhor qualidade uma vez que o edifício foi construído no início dos anos 70, na construção corrente que se fazia à altura nas casas. São também bem vindas sugestões suplementares que possam melhorar o desempenho térmico dentro de casa, uma vez que apesar da caixilharia das portas e janelas ser de vidro duplo, as paredes exteriores são de pano único de alvenaria de tijolo. Cumprimentos, Sara Bessa Monteiro
  9. Boas, gsotava de obter informação sobre gabinetes de arquitectura que trabalhem na área da reabilitação de edifícios no Brasil, mais especificamente nas cidades de Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba ou ainda Florianópolis onde h+a grande comunidade de portugueses. Muito obrigada! Sara Monteiro
  10. Boa noite, alguém pode sugerir-me blogues ou sites de interesse na área de Arquitectura de interiores nacionais ou estrangeiros? Estou a pensar viajar e procurar trabalho como arquitecta no Brasil, gostava de trabalhar em arquitectura de interiores mais especificamente no Rio de Janeiro, S. Paulo, Curitiba ou Florianópolis, onde parece que há uma grande comunidade portuguesa... Agradecem-se dicas para gabinetes de interesse que possa visitar lá e trabalhar. Obrigada. Saudações! Sara Monteiro
  11. Bom dia, gostaria que me ajudassem a resolver uma situação de infiltração decorrida após ter feito obras no sotão de um apartamento. Trata-se de um prédio dos anos 60, sem grande qualidade construtiva em Sacavém. A cobertura é um telhado de 2 águas. A pós as obras que foram feitas em 2009 passado o Inverno começou a chover dentro de casa, no sotão, algo que nunca havia acontecido no prédio, que sempre teve sotão habitável. O empreiteiro de obras colocou as placas de roof-mate entre a estrutura dos barrotes de madeira do telhado, sem no entanto colocar qualquer tipo de impermeabilização, a não ser no terraço exterior e na forra da platibanda do prédio. No entanto no tecto da casa não foi colocada tela de impermeabilização... Além do problema grave de infiltrações, também a casa se tornou termicamente muito pior do que estava antes das obras, isto, apesar de termos colocado roof-mate antes de cobrir com placas de pladur. Gostava que me auxiliassem no sentido de saber qual a solução construtiva mais indicada para resolver a grave situação, nomeadamente onde preferencialmente deve ser colocada a tela impermeabilizante no telhado, assim como o nome comercial das telas indicadas. Obrigada pela ajuda que possam disponibilizar! Sara Monteiro
  12. Bom dia, como arquitecta pretendo actualizar ferramentas de desenho em 3D no computador as quais não domino nem tenho grande experiência. Para tal e após investigar alguns cursos acabei por descobrir a FLAG, que tem vários cursos ligados ao design gráfico e arquitectura. Contudo estou indecisa se hei-de tirar o curso de Revit Architecture, ou se faça um curso especializado em CAD que é composto de 3 cursos: Auto-Cad 2D (45h), 3D (60h) e ainda Photoshop (9h). Como não estou a trabalhar em arquitectura neste momento não sei quais serão as minhas reais necessidades no futuro, apenas gostava de estar a par das ferramentas profissionais para estar mais apta em relação ao mercado de trabalho. Como arquitecta tenho preferencia por trabalhar em projectos de pequena escala e preferencialmente arquitectura de interiores. A minha base de desenho nos ateliers em que colaborei foi sempre o Auto-Cad embora nunca tenha explorado o 3D, que é precisamente o que pretendo aprender e desenvolver actualmente. Podem ajudar-me a eleger qual o curso mais indicado para mim? Sara Monteiro
  13. Caros, obrigada pelas respostas. Já experimentei o aviary é limitado em termos de ferramentas, o pencil e a pen desenham linhas grossas. Em termos práticos, o corel podia funcionar bastante bem mas infelizmente está descontinuado. Havia instalado o corel 12 e não é compatível com o Windows 7. Outro programa que permita identificar paths a partir de uma imagem jpeg com algumas possibilidades de edição a nível dos vectores, espessura dos paths, algumas sugestões?? Obrigada
  14. Bom dia, sou arquitecta, na sequência de um trabalho profissional para o desenho de um rótulo para os pratos de um hotel tentei fazer download da aplicação Adobe Illustrator da internet, como já havia feito com a aplicação In Design Cs4. Contudo o Illustrator após aceitar o serial number e decorrida a instalação do programa, quando tento abrir a aplicação falha, deixando a mensagem "License for this product has expired", isto após assumir o serial e a instalação estar executada. Gostaria que me aconselhassem uma forma de obter este programa, da internet uma vez que não há possibilidade de adquirir a compra do produto. Por outro lado se souberem de outro programa igualmente indicado para este tipo de trabalhos de design gráfico, rótulos/logos por favor queiram partilhar. O In Design usei já mas para um livro, e o Photoshop normalmente uso para tratamento de imagem e não para concepção/criação. Outra questão já agora tem a ver com uma dúvida em relação ao programa Illustrator: o programa reconhece os "paths" ou vectores/linhas de uma imagem scannarizada que eu faça importar? Muito me ajudariam nesta questão, uma vez que iria poupar o trabalho de desenhar por cima da imagem todas as linhas ou paths de novo, com a dificuldade que o desenho comporta, pelo facto de ter muitas curvas e formas complexas... Obrigada por todas as ideias, sugestões, orientações que possam fornecer-me. Cumprimentos e um bom dia, Sara Monteiro
  15. Boa tarde, gostaria de saber onde poderei encontrar informação de âmbito tecnológico/científico, ou comercial sobre sistemas de reutilização de águas das chuvas e residuais cinzentas em edifícios, no âmbito de recolha de material para elaboração de tese de mestrado relacionada com este tema e tendo em vista o seu contributo para o programa de certificação ambiental liderA. Quaisquer links, artigos, projectos ou obras em Portugal ou no estrangeiro que se debruçem sobre este tema serão muito úteis. Grata pelas eventuais sugestões ou comentários que possam deixar. Sara Monteiro, arquitecta