Jump to content
Arquitectura.pt


zero

Membros
  • Content Count

    42
  • Joined

  • Last visited

1 Follower

About zero

  • Rank
    Frequentador
  1. OFFTOPIC Só depende de ti e da quantidade e qualidade das asneiras que estás disposto a dizer. É pura matemática, quanto mais disseres, mais rápido lá chegamos. Já agora, se quiseres lá bater antes do fim deste ano tens de mandar mais uns 3 comentários tão interessantes como este último. Ou então secalhar estou a fazer confusão, és só tu que bates no fundo...
  2. Depende do material que arranjares, mas mais fácil será ir à biblioteca municipal, biblioteca almeida garrett ou ainda à da faup, e procurar por lá.
  3. Proíbído fumar na rua? Isso é de rir! É como dizia o outro: "O ar é de todos..."
  4. Mas um fumador é uma espécie diferente de ser vivo?vai para aqui um racismo....Se tu agora começares a fumar deixas automaticamente de ter cuidado com as crianças? Tanto há fumadores que desrespeitam os outros como há condutores que não param nas passadeiras, compete é a quem vê uma situação dessas acontecer, chamar à atenção, é puro bom senso! É que se vamos partir para as proibições, eu voto já que sejam proíbidas e punidas as opiniões perfeitamente irreflectidas e desconhecedoras que aqui surgiram...
  5. E desde quando é que fumar num jardim te prejudica a saúde? É que nem sequer falas nas manadas de carros, autocarros camiões e aviões que lá andam à volta, falas só no fumador, aquele criminoso mau que não gosta de criancinhas e a quem deviam bater por isso!
  6. Isto começa a ser ridículo, daqui a pouco não se pode fumar em casa com as janelas abertas porque incomoda quem vai na rua. Vocês ganhem juízo, quem fuma, fuma porque quer fumar, porque tira algum prazer disso, e ninguém tem nada a ver com isso.
  7. Não é para dizeres onde é que é a porta, mas sim o porque de ser onde é.
  8. conceitos são factos. Um conceito é, por definição, algo de significado estabelecido. É possível redefinir conceitos, mas não é possível discutir sobre eles após estarem estabelecidos. O dicionário seria um bom ponto de partida, mas secalhar tens de procurar a essência de cada uma dessas coisas, procurar a base teórica delas e a sua materialização.
  9. Nunca tinha ouvido dizer que a faup estava atrás da lusíada...Parece que há coisas a mudar. A faup normalmente é aquele recinto sagrado que ninguém ousa criticar.Menos mal. Não conheço a lusíada, a faup conheço mas não estudo lá Mas isso nem interessa nada, é como disseram, ninguém te vai formar, tu é que te vais formar a ti mesmo. Se arranjares bons professores, melhor ainda, mas para onde quer que vás vais encontrar também maus professores. Preocupa-te em aprender, cultivar o teu conhecimento e interesse pela arquitectura e apressa-te em sair do mundo académico que, ao fim de 3 ou 4 anos, torna-se um pouco entediante e sem grande coisa para oferecer.
  10. Não era mal visto. Mas o que eu digo é que não podemos ter a nossa vida e as nossas escolhas limitadas por um sistema de ensino que cada vez forma pior as pessoas. Cada um sabe o que quer estudar e como o quer fazer. Quem é que me garante que a maneira correcta de aprender arquitectura é ir para artes no secundário e depois para uma faculdade de arquitectura?
  11. margarida, tiraste 17 a decorar? Eu tirei 20 sem decorar e sem estudar. Foi só entender e desenhar. A questão é que se sabes geometria só podes tirar 20, não há como errar. JAG, a minha postura tem também a ver com o facto de eu não acreditar no 'jeito para alguma coisa'. Pode haver uma aptidão natural, talvez, não vou discutir, mas para se ser bom a matemática, fazem-se contas e estudam-se problemas. Para se ser bom a desenho, bem... não há como não ser bom a desenho, toda a gente sabe desenhar, é o mesmo que pensar. Nem toda a gente sabe é representar, nem fazer coisas bonitas de dar no olho, mas qualquer pessoa sabe pegar num guardanapo e explicar a um turista como se vai para a Sé, ou explicar como é a casa que vai comprar, ou o como é que lhe bateram no carro. Em suma, trabalho, gosto de acreditar que quem trabalha chega lá de uma maneira ou de outra, apesar das cunhas e dos espertos que ara aí andam...
  12. Vais desculpar mas isso é que é mal, são ridículas essas tretas chamadas "áreas" do secundário. Sendo assim eu andei na escola secundária artística Soares dos Reis e não estou na faup. Foram os das outras escolas que me tiraram lugar? Segundo esse pensamento eu sou mais artista que os outros não? Cada vez mais há separação entre as áreas do saber, o que é grave e que faz com que muita gente no ensino superior não saiba sequer fazer contas de dividir ou operações básicas de geometria (falo por conviver com esses casos diariamente). A base para pensar a arquitectura é a inteligência e contra isso estão essas *****s de áreas e agrupamentos do secundário, e as ideias que os artistas não precisam de matemática e que os cientistas e engenheiros não precisam de desenho. Quanto à geometria, dá uma vista de olhos nos livros do secundário do Santa-Rita. Chega perfeitamente. E não caias na armadilha que é andar a decorar passos para a resolução de exercícios. É tudo uma questão de raciocínio, não esperes saber nada de cor. è preciso é treinar a capacidade de imaginar um espaço e representá-lo a duas dimensões.
  13. Mas vai passar a haver, andam é todas, nomeadamente faup e esap no Porto, de resto não estou informado, a adiar ao máximo, porque não se vai ganhar nada com a transição para bolonha além do título de mestre que daqui a uns anos toda a gente tem e aí terão que inventar algo mais importante que o doutoramento.... Concluindo, todas tão a tentar adiar o mais possível, mas para o ano já deve entrar quem não entrou em Bolonha. Mas o melhor é informares-te mesmo nas faculdades para teres algumas certezas.
  14. Há aí um grande trauma com a homegeneidade e com a inserção. Uma aldeia é uma aldeia. Ponto final. Existe através dum crescimento orgânico, desenhada com sentido prático. O ser tudo de xisto, mármore ou betão, com telha ou sem telha, ao alto ou ao baixo, tudo isso são consequências e não objectivos.
  15. Vê o Siza na escola de jornalismo em Santiago de Compostela ou na fundação Iberê Camargo. Lembro-me também dum projecto a concurso do João Mendes Ribeiro para Itália (não me lembro da cidade) que consistia num percurso pela zona histórica da cidade com recurso a escadas e elevadores múltiplos. edit: penso que seja este: Concurso/Workshop “Risalita meccanizzata al Castello di Rivoli, cittá di Rivoli, provincia di Torino"
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.